Escravo Astral Seguir historia

niccax Neeca Ashcar

Prólogo de Sobre a Paz e o Tédio. Na astrologia alguns signos exercem influência em outros, os submissos são chamados de Escravo Astral...


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © As histórias aqui postada são de exclusividade minha, Plágio é crime conforme a LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 e Art. 184 do Código Penal – Decreto Lei 2848/40. Escravo Astral – 2016 – Nicca X Keehl

#bdsm #cdz #pwp #saint-seiya #aiolia #afrodite #cavaleiros-do-zodiaco #Afrodite-Aiolia #Aioria
Cuento corto
8
5258 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Aquele que era considerado o mais belo do santuário, subia da quarta casa, onde deixara seu amigo Máscara da Morte depois de tomar um porre com ele em uma das tavernas próximas ao santuário, em direção ao seu templo.

O jovem de cabelos loiros, que alcançavam próximo a bunda definida e redonda do santo de peixes, caminhava alegre, mal sabendo o que de fato havia acontecido. O rapaz levava no sorriso alegre um filete de sangue. É, ele havia brigado depois de muito encher a cara. Um velho bêbado abusado passou a mão na bunda dele. A cena que passou de sua bebedeira foi divertida, pois o mesmo só estava machucado porque seu amigo canceriano que estava mais para lá que para cá foi tentar defender sua ‘honra’ e acabou desferindo sem querer um soco certeiro na boca de peixes e, depois disso, os dois se encararam e deixaram que a risada os dominasse, fazendo com que os dois santos dourados até rolassem no chão de tanto rir do infortúnio de peixes.

Contudo falávamos de Máscara da Morte de câncer, o sádico cavaleiro guardião da quarta casa do zodíaco, e lógico que, depois que os dourados recuperaram os sentidos, o velho bêbado recebeu um Sekishiki no meio da fuça e logo o canceriano tinha mais uma cabeça para sua coleção. Essa ele prometeu a Dite, que a colocaria bem em baixo do grande trono que o amigo a pouco havia construído com ossos de sua vítima.

Depois de deixar o amigo canceriano na quarta casa, junto ao corpo carinhosamente apelidado de Guiuzeppe pelo italiano, Afrodite agora recebia a brisa fresca, que combinava em perfeita harmonia com o calor infernal do verão tipicamente grego.

O jovem alegre, a fim de chegar logo ao templo de peixes, aumentou consideravelmente seu cosmo ao se aproximar da quinta casa, onde o mesmo pensava sem nenhum pudor no grego louro, que ele considerava um dos homens mais bonitos que já vira.

Ahh!! Mas o que tem de belo o leão dourado tem de insuportável e irritadiço… — Peixes deixou escapar com humor.

E o pisciano só queria evitar

O Leonino que há horas mudava de canal em sua TV, já estava de ‘saco cheio’, não aguentava mais aquele tédio que a paz trouxera, e seu pensamento era contínuo:

AHHH a vadia da Saori nem para nos reviver, sei lá, caçar alguma guerra, tem um monte de deuses ainda. Mais um sábado assim e cometo suicídio, aí volto para o inferno, pelo menos lá eu fico sem paz

Aiolia estava levemente aborrecido quando sentiu um cosmo familiar aproximar de Leão. Ele já ia reclamar novamente quando percebeu que era o cosmo de Afrodite, não que ele quisesse parar e conversar com peixes, mas o tédio estava tão grande que até uma conversa com o orgulhoso e egocêntrico pisciano vinha de grande ajuda naquele momento.

O leão dourado aproximou-se da porta para o templo quando teve um choque, aquele ‘veado’ como pensou, caminhava todo torto, com um microsshorts, que dava para ver a poupa da bunda, sem camisa deixando os músculos bem torneados de Afrodite a mostra.

O loiro por sua vez ao encarar o belo leonino atônito, abriu seu sorriso largo com a boca cortada por Paollo, e falou arrastado pela bebida:

Boa noite gatinho! Ops, quer dizer, Leão.

O que aconteceu com você peixes? — O leonino indicou com a cabeça para os lábios feridos do mais velho.

Ain, o Máscara acertou um soco na minha boca quando foi defender minha “honra”! — Afrodite começou a rir do que falara, pausou por longos segundos quando fez aspas com os dedos no ar.

Aiolia, que era preocupado por natureza, aproximou do belo a sua frente, colocando dois dedos sobre a ferida nos lábios rosados, concentrou um pouco sua cosmo energia, estancando na hora o sangue, e amenizando a dor do rapaz.

Ah, eu até me esqueci de sua habilidade curativa Aiolia, da próxima vez deveria vir com a gente para ‘encachaçar’, sempre tem algum tipo de briga com os civis!

Ah, Afrodite, você que deveria parar de sair com o maluco do meu vizinho, olha seu estado! — O grego por um momento deixou se perder nas orbes aquamarines do guardião da décima segunda casa antes de perguntar sem jeito: — Gostaria de me acompanhar num vinho?

Acho tentador o seu convite Leão! — Afrodite deu um fino sorriso sacana próximo à orelha do loiro completou: — Quem sabe eu não salde a divida por você ter me ajudado!

Depois fitou o rosto rubro de Leão com humor, pegou na grande destra do grego e puxou-o para dentro da casa.

Hum você gosta de novelas Aiolia, ai uma coisa que nem em sonho pensaria sobre você! O grande leão dourado, um noveleiro!

O sueco riu ao perceber o que o leonino assistia antes dele aparecer em Leão.

Antes fosse, acontece que antes de você aparecer eu trocava de canal toda hora, obrigado por me tirar do tédio Afrodite!

Pode me chamar de Dite mesmo! Ou, sei lá, Diva, também é valido! — O pisciano soltou um risinho abafado, enquanto tinha os olhos verdes de Leão pregado em suas coxas alvas.

Aiolia, após perceber o devaneio, rapidamente caminhou em direção à cozinha buscando uma garrafa de vinho, sacas rolhas e copos, levou até a mesa de centro de sua sala e sem demora abriu a garrafa, servindo uma dose bem generosa para ambos.

Mas “eae” me conta as novidades da décima segunda casa, você quase não desce para os treinos.

Ah você sabe como é, verão calor infernal grego, minhas rosas precisam de maior cuidado nesta época do ano, vai saber se Jesus Cristo desce para confrontar Atena com seu exército de anjos cristãos, e na hora chega e dão de cara com um jardim de rosas murchas.

O leonino riu grave, virando metade do copo de uma vez.

Aí você deixa a horda de anjos passar e Atena que se vire!

Ahhh você está muito malvado Leão, tadinha da Saori, viraria patê! — O Sueco, que levava o copo de vinho até a boca, encarou o leonino com descaso, antes de pronunciar com uma voz melosa: — Mas de vez em quando eu dou umas espiadas na décima primeira casa. No verão, aquário passa as tardes nu sabia?

O pisciano pronunciou as últimas palavras com uma expressão tão sonsa, que o leonino teve que se controlar para não rolar de tanto rir.

Não, eu não imaginava, mas o maguinho do gelo tem dificuldades com o verão grego.

Pois é, meu filho! Acredito que esse clima seja um problema até mesmo para você, grego!

Groelândia não é o exemplo de calor, né, Dite?

Ain, que bonitinho você lembra o meu lugar de treinamento!

Lógico, a maioria dos dourados tiveram o treinamento aqui!

Acontece que isso faz tanto tempo que não me lembro realmente como é sentir frio nossa mais que assunto mais xoxo — Afrodite virou o copo de vinho de uma vez e falou – Mais leão!

Vá devagar com a bebida, peixes!

Ahh menos, Aiolia bem menos, eu não falo da bebida, como se amanhã, domingo, alguém vai querer invadir essa merda de santuário, vai tá todo mundo bem louco, com uma puta de uma ressaca, querendo mais que Poseidon inunde a terra de uma vez deixa os bronzes Boys resolver as tretas da Saori, eu morri umas dez vezes só ano passado, preciso é de férias!

Afrodite pegou o copo novamente e virou.

Agora sim eu estou legal, Leão! — As palavras do mais velho foram proferidas como um sussurro, enquanto o guardião da décima segunda casa jogava os cabelos louros para o lado numa tentativa de se livrar do calor. Sua atitude foi tão sensual que fez o leão suar. — Tudo bem Aiolia?

Si...m... — O grego tentou disfarçar a tensão bebendo o resto do vindo num gole.

O sueco, que não era bobo nem nada, captou o vacilo do mais novo, e, com um sorriso fino e sacana, pensou em provocar o leonino propositalmente fazendo caras e bocas enquanto jogava o cabelo dourado de um lado para o outro.

O Leonino, ao perceber as provocações de Afrodite começou a tossir, depois veio o arrependimento da merda que fez; o pisciano estava seminu, ao encarar o peito definido do mais velho, Aiolia sentiu seu corpo pegar fogo, o que não passou despercebido para o guardião da décima segunda casa, que logo levantou e caminhou quase que desfilando na direção do grego.

Quer alguma coisa Afrodite? — os olhos se encararam profundamente, num desejo sem igual de para o outro.

Sim! — O mais velho piscou para o gatinho manhoso, como pensou alguns segundos antes, e já perto da onde o grego estava sentado pronunciou rouco. — Você leão!

Hann?

Dite rolou os olhos azuis, pensando no quão burro aquele cavaleiro era, mas não perdendo tempo, se abaixou e roubou um beijo dos grossos lábios do leonino, logo em seguida jogando seu corpo no colo definido do loiro.

Aiolia ficou sem reação. Na verdade, o cavaleiro ficou duro com as carícias que estava recebendo do belo peixes, e duro no sentido de paralisado — Não como provavelmente você pensou! — E Afrodite parou, olhou as orbes verdes do mais novo e sussurrou ao pé do ouvido, rouco, com uma voz tão embargada que o leonino sentiu um arrepio pelo corpo todo:

Aiolia, vai ser mais gostoso se você brincar comigo! — O pisciano passou os dedos pelos lábios do santo de Leão.

Mas pelo amor de Zeus! Afrodite, eu te chamei aqui para conversar, não para isso!

Ah Leão, não finja inocência, já vi várias vezes você se atracando com aquela sem sal da Marin, eu só vou te proporcionar prazer gatinho, não diga que não quer porque estou sentindo a força do poderoso leão ai em baixo! — Afrodite completou, piscando para Aiolia.

Aiolia, ainda duro apenas assentiu em positivo, não fazia mal nenhum uma noite quente com o belo peixes, e novamente teve seus lábios tomados com desejo pelo mais velho. Afrodite já havia domesticado o Leão.

Aiolia recebia os lábios do mais velho com avidez, o gosto da boca do sueco que misturava cerveja e vinho, era uma delicia, e lógico que o grego não deixou escapar o aroma intoxicante maravilhoso que emanava de seu corpo. Aquele cheiro único que o leão já havia notado antes, de rosas, era algo mais único tê-lo tão próximo, tanto que logo sentiu uma pontada no seu coração, como se pedisse mais proximidade do que tinha com o santo de peixes.

Afrodite, por sua vez, estava tão extasiado com a pegada do leão, que era agressiva na medida certa, que se pôs a rebolar no colo do gatinho, fazendo o mais novo tremer com o contato.

Leão, eu vou devorar você todinho!

Vem aqui agora — O grego com um tranco levantou Afrodite ainda em seu colo e levou com uma facilidade impressionante, jogando o corpo do sueco na cama e sorrindo sem cerimônias ao cair por cima do santo de peixes. — Eu que vou te devorar, Afrodite, seu gostoso, ou acha que um peixe devora um leão?

E, antes que o loiro pudesse proferir uma resposta à altura, o cavaleiro tomou seus lábios com um beijo urgente, no qual o leão galgava o traseiro durinho de peixes, apertando com força e fazendo o sueco gemer na boca do leonino.

Ao se recuperar, o mais velho pronunciou sem cerimônia:

Isso tudo faz parte de um plano muito bem bolado para te comer! Mas antes eu vou chupar você tão gostoso que, depois dessa noite, nunca mais vai querer sentir outra boca!

O pisciano pronunciou de maneira tão embargada que fez o leonino tremer com a visão daquele homem tão belo lhe chupando, tanto que deixou escapar a parte de ser papado pelo louro.

Sem cerimônia o santo de peixes escapou dos braços fortes que prendia, ficando por cima, passou rapidamente os olhos pelo cômodo antes; se eles estivessem na casa de peixes, teria uma porção de brinquedinhos para domar aquele gostoso, contudo não estavam. Percebeu algumas camisas jogadas pelo chão e se levantou, prendendo os braços e pernas de Aiolia ao voltar, que recebeu a atitude do sueco com um riso e ironicamente proferiu:

Acredita mesmo, Afrodite, que tecidos tão frágeis vão me segurar?

A partir de agora você deve me chamar de Senhor, escravo, e se não cumprir eu saio pela porta agora mesmo, ouviu vassalo?

O leonino sorriu, já gostando da brincadeira, e respondeu sem pudor:

Sim... senhor!

Bom mesmo vassalo, seja um bom garoto e vou te encher de prazer! Caso contrário... bom, você verá! — O pisciano curvou-se e falou, próximo a orelha do mais novo, roubando um beijo do rosto do grego.

O sueco torturaria seu escravo, e qual o melhor jeito?

Sem cerimônia, ele rasgou a camisa que o leonino usava, deixando os músculos bronzeados daquele homem divino à mostra, fazendo o mais velho arfar só com aquela visão, para depois arranhar o peito dele sem dó, trazendo uma trilha de sangue pelo torso definido do guardião daquela casa.

O que é mais sexy, meu gatinho? — Afrodite caminhou olhando todo aquele corpo gostoso a sua frente, passando sua mão ate chegar à calça de algodão que marcava a ereção do mais novo, o “Senhor” sorriu, tocando-lhe de maneira tão delicada que o leão arfou — Prepare-se para sofrer, gatinho! — Os movimentos de Afrodite foram tão lentos e agonizantes para o outro, que via o mais velho arrancar sua calça, abaixando na altura dos joelhos; achou que enfartaria com a demora — Além de ser agraciado com toda essa perfeição, seu mastro é tão grande que me dá água na boca, vassalo!

Obri... gado... Senhor! — O leonino deixou-se se perder no jogo de dominação no qual era subjugado, quando sentiu um tapa ser desferido na coxa bem torneada a mostra.

Não mandei você falar! — Afrodite sorriu sarcasticamente antes de proferir as palavras finais. — Quero você quietinho, ao primeiro som você se arrependerá, ouviu vassalo?

Aiolia acenou com a cabeça antes de ter seu falo agarrado pelo belo, que começou a masturbar com maestria, fazendo o leonino morder o lábio inferior para conter o gemido, enquanto Afrodite encarava com graça o leão tentando se conter a cada movimento.

Por ser um escravo bonzinho, você receberá sua recompensa!

O leonino não conseguiu segurar o gemido quando o mais velho lambeu com gosto por toda a glande, recebendo um soco bem-dado do pisciano, que acertou com força a coxa do rapaz, o fazendo entender o recado: sem sons.

O mais velho circulou com gosto o mastro do outro, alcançando os testículos do rapaz, sugando com delicadeza para não machucar o leão, não queria acabar com a brincadeira tão rapidamente.

O Aiolia estava repleto de sensações com as carícias do outro, sendo obrigado a calar-se e, para piorar, ele tinha que concordar com o cavaleiro; mal o boquete de Afrodite começou e ele já estava extasiado e se contendo para não gozar antes do tempo.

Afrodite largou os testículos de Aiolia, lambendo por todo o membro pulsante e abocanhou logo em seguida, começando uma felação tão gostosa naquela área que o leão começou a se retorcer todo, não conseguindo mais conter os gemidos e suplicas, repetindo várias vezes:

Senhor, meu senhor, mais, mais!

Os pedidos de seu “escravo” fizeram Afrodite se perder num prazer tão profundo que palavra do gatinho só fazia o senhorzinho aumentar a velocidade e a intensidade do boquete, não demorando muito para que o leão se desmanchasse na boca rosada de Afrodite, que, como “bônus” pelo bom comportamento, engoliu o líquido de Aiolia todinho.

Como prêmio por ser tão gostoso, leão, vou te dar um presente ouviu? Mas não abrirei outras exceções, só desta vez!

Aiolia, já extasiado com Afrodite, assentiu com a cabeça sem questionar.…

Afrodite então roubou um beijo rápido do leonino, e voltou para as partes baixas e sem avisar, meteu a língua quente pelo orifício apertado do leão, que, no começo, não curtiu muito a carícia naquele lugar, mas Afrodite era tão bom no que fazia que logo o cavaleiro deleitava-se com o delicioso beijo grego, e, novamente, estava em êxtase com o cavaleiro, esperando por mais muito mais.

E era como se peixes lê-se os pensamentos sórdidos do leonino, pois o mais velho aproximou os dedos dos lábios dele e ordenou:

Lambe! — Mostrando a mão para o mais novo que obedeceu ao sueco sem questionar. O mais velho roubou outro beijo do leonino e voltou ao seu posto, penetrando sem ao menos avisar com um de seus dedos o orifício apertado e se conteve com o prazer da ação, por almejar estar dentro daquele leão fogoso.

Começou com os movimentos sábios de alguém que gosta de dar e receber prazer, acertando com maestria por diversas vezes a próstata do leão, que adorou o contato tão íntimo e, só após perceber que o leão estava muito excitado com o contato que Afrodite parou com as carícias, levantando uma das pernas do leonino antes de abaixar o shorts que ele mesmo usava e falar com doçura:

Eu prometo não te machucar tanto de começo, juro por Atena!

Mas antes que pudesse haver reação do leonino, o sueco se ajeitou penetrando o mais novo sem hesitar, fazendo o leonino soltar um grito de dor pela invasão anal.

Relaxa, gatinho, relaxa que já vai ficar gostoso, tanto para mim quanto para você! — Então Afrodite deixou seu corpo tombar pelo corpo suado de Aiolia, tomando seus lábios antes de começa os movimentos dentro do cavaleiro.

O grego relaxou ao ter os lábios deliciosos do sueco colados aos seus, enquanto o mesmo começava a se movimentar sobre seu corpo. Agora não dava mais para voltar atrás, o leão estava tomado da sensação mais gostosa de sua vida, que envolvia dor e prazer ao mesmo tempo, e não demorou muito para começar a movimentar seu quadril junto com o de peixes, e receber com gana cada estocada que o outro lhe dava.

Ain, como você é gostoso e apertado, vassalo, não sabe o quanto eu estou me controlando para a brincadeira não acabar agora mesmo!

Senhor, não para!

Afrodite desferiu um tapa no rosto do leão, e parou de estocá-lo ao pronunciar:

Não mandei você falar agora, quietinho, escravo, ou saio por aquela porta, entendeu?

O leonino, embargado, só acenou quando o mais velho levantou e segurou em seu quadril, desta vez metendo com força e rápido, logo agarrando o mastro solitário do leão, o masturbando e fazendo o outro arfar.

Afrodite era incansável e ver um homem tão gostoso, grande e altivo ser comido por ele sem ao menos reclamar... logo entendeu que não aguentaria por muito tempo e começou a estocá-lo agora sem piedade. Quando sentiu o líquido de Aiolia invadir sua mão, e, por fim, pode logo em seguida se desmanchar dentro do cavaleiro jogando-se sem sair de Aiolia pelo corpo suado e amarrado do mais novo e deixando os espasmos invadirem seu corpo.

Ai, leão, você é o homem mais gostoso que já tive!

Afrodite, me desamarra.

Daqui a pouco, meu gostoso, só me deixa recuperar o fôlego e aí você pode me comer!

O leonino fitou as íris aquamarines do sueco e sorriu, agora ele só ia querer ter aquele homem e mais ninguém. Teve seus lábios novamente invadidos pela língua sagaz de peixes o deixando novamente se perder naquele corpo pecaminoso que ele descobrira…

18 de Abril de 2018 a las 15:57 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Neeca Ashcar Com gosto aguçado em descobrir, vivo fazendo mil e uma pesquisas. A leitura é meu mecanismo de vida e a escrita é tão necessária quanto água. Escrevo tudo que me dá na telha. Tudo mesmo… De casais velhinhos passando os últimos dias de suas vidas juntos, até o ataque de uma horda de zumbis esfomeada e sedenta de sangue. Não espere constância! ;) 💚Mama NagaIta — Igreja Suprema: KakaGai — Tipo Rapadura. 💚 Nath, eu te amo, my Best!

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~