Cuento corto
2
5222 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Único;

Ultimamente as ruas do centro vêm sendo vazias sem ti: sou esquinas igualmente ocas. Através da minha visão caótica, pessoas superficiais me trombam na calçada do teu apartamento. Busco neles teus rostos e me perco em teus resquícios.

Não apago memórias, nem me desfaço.

Seus olhos eram cheios de tristeza, mas seus sorrisos tinham o vazio da felicidade. Seus olhos refletiam exatamente a cor do céu, enquanto berravam por ajuda em lágrimas vermelho sangue que escorrem o branco da neve.

O que tu tanto temias acontecera. E a tua escuridão florescera como uma rosa seca. Enquanto sorrias para todos, no fundo ela estava lá, lembrando que tu tinhas apenas as feias verdades e iria viver nisso para sempre.

E tua escuridão, cujo passara a rodear tua mente, passara a dançar em volta de seu coração. Tu estavas embriagado pelas falsas belezas, querendo que isso acabasse.

Porém, tu não sabias que eu estava lá, observando o quanto estavas ficando lúcido com as mesmas palavras em tua mente, as mesmas em teu coração. As mesmas palavras de sempre. Ah, como doíam quando saíam por sua boca.

Mas, por fim, me percebestes, as rosas secas avisaram-te. Enquanto sorrias para mim, fazendo os girassóis rodearem meu coração, fazendo-o vibrar. Ah, eu não sabia na época o quanto ele te machucara, o quanto manipulou seu coração, mas agora eu descobri.

Agora, enquanto eu acordo de madrugada, não tem mais ninguém ao meu lado. Posso estar doido, porém eu ainda sinto meu coração conectado quando olho para o brilho da escuridão que é a noite.

12 de Abril de 2018 a las 01:58 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Swaturn Sorrindo para o caos e abraçando a felicidade. Dona de mim mesma, só entro no jogo se a aposta for alta. Dinheiro? que nada! aqui se fala das coisas da alma.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~