Cores Seguir historia

mika-kamya1258 Mika Kamya

Suas cores eram tão brilhantes... Tudo o que eu queria era ser melhor... Ter cores tão bonitas e fortes quanto as suas...


Cuento No para niños menores de 13.

#manipulação #metáfora #Relacionamento-Abusivo
Cuento corto
3
5180 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Cores

Todos nós possuímos cores, elas são nossa essência.


Nunca apague suas cores.


Era o que os avisos diziam...


Mas, minhas cores não eram vibrantes, não como as suas, que sempre foram absurdamente lindas.


Olhar você era como um delírio, um sonho, alguém que eu amava e admirava ao mesmo tempo. Um dia, apesar do medo e timidez, criei coragem e consegui falar com você.


Você foi gentil e isso me animou! Tão doce e amigável, a felicidade de nosso encontro me preencheu por completo.


Aos poucos, nos aproximamos até que, subitamente, confessei:


- Não gosto de minhas cores! – foi como tirar um peso dos ombros, confiava em você e aquilo estava acabando comigo. Queria ser melhor, queria ter cores tão bonitas e fortes quanto as suas.


Você me encarava com surpresa no olhar, quase descrença: - Mas, suas cores são lindas! – disse com um sorriso: - Claro, sempre pode melhorar, contudo, são realmente lindas...


- Posso melhorar? – perguntei em confusão.


- Sim, claro. Sempre há como melhorar. – seu sorriso gentil me passou serenidade e esperança.


- Você me ajuda...? – minha pergunta veio cheia de receios e medos.


Não queria abusar... Aquela pessoa tão brilhante, já me aceitara em sua vida, não queria incomodá-la a esse ponto.


- Claro! – sua resposta foi animada: - Quando começamos? – e sua risada preencheu o local.


Ah... Não conseguia acreditar! Era como um sonho! Você me ajudaria a melhorar minhas cores! A pessoa que sempre admirei, a pessoa que sempre achei incrível, passaria tempo comigo e me ajudaria! O que mais eu poderia querer, depois de tanta sorte?


Começamos o meu doce aperfeiçoamento.


Dei uma iluminada em alguns pontos das cores, ficou realmente bonito...


Bom, pensei que ficou bonito... Será que ficou, verdadeiramente, bonito?


Sem nenhuma segurança, fui te mostrar. Você olhou, olhou, olhou e ergueu o polegar.


Sorri.


- Ficou bom? Fale a verdade! – pedi.


- Hm, ficou! – você respondeu: - Mas, acho que... Talvez se você pintar um pouco aqui. – e apontou para um canto das cores que me formavam.


- Esse canto? Pintar? – não gostei da ideia.


Pintar soava ruim. Mesmo não achando minhas cores as melhores...


Pintar era um pouco...


Não respondi.


Sai.


Fui para casa.


Refleti, me olhando no espelho.


Pintar aquele canto...


Bom, ele não era exatamente um bom canto. Era escuro e distorcido...


Mas, que cor usar? Como fazer? Voltei a você...


- Desculpe ter saído... Você tinha razão... É melhor pintar. – sorri, um pouco sem graça: - Você só queria me ajudar e respondi com ingratidão.


- Não tem problema... Já sabe que cor usar? – me perguntou com seu sorriso brilhante.


- Não... Não sei. Alguma sugestão?


- Hm... Que tal essa? – e me mostrou uma cor.


Ela era linda. Realmente linda. Como pude pensar em não aceitá-la antes?


- Nossa... Você... Você tem certeza? Quero dizer... É tão linda...


- Claro que tenho! Vamos lá, tente! - e me entregou a tinta.


Pintei. Doeu um pouco, nada demais, às vezes precisamos fazer alguns sacrifícios...


Me olhei novamente no espelho e percebi a mudança...


Estava diferente... Mais vibrante... Mais como eu admirava... Adorei!


Corri para você.


Você voltou a sorrir: - Ficou muito bom! Parabéns!


Ser parabenizada por você enchia meu coração de orgulho.


Todos que me viram, perceberam e elogiaram a transformação, me senti satisfeita.


- Vamos continuar? – perguntou, com curiosidade.


Continuar? Oh! Então, não estava tão bom assim!


- Claro! – respondi com ânimo.


Se tinha como melhorar, iria continuar! Mais brilho, mais retoques, mais pinturas...


Você me mostrava o caminho a seguir, tornando tudo muito simples.


Seu sorriso sempre me incentivando, sua voz, em um sussurro, sempre me guiando.


Oh! Quanta gratidão eu sentia!


Contudo, com o tempo, percebi que essas cores eram iguais as suas...


Você estava me indicando as suas cores, me pintando com elas...


Como podia ser tão... Gentil?


Claro, em alguns momentos... Não sentia que era exatamente como eu queria...


Em outros...


Sentia que talvez doesse um pouco demais mudar aquela parte específica...


Mas, era você falando.


Você guiando...


Não importava que minhas cores já desapareciam embaixo das suas...


Não importava que eu não compreendesse porque algumas delas tinham de ser trocadas, mesmo eu gostando tanto...


Nada disso importava...


O importante era que você gostava, e se você gostava, então, eu estava seguindo o melhor caminho.


Você sempre indicava o melhor para mim, não?


Porque você era uma pessoa brilhante, incrível e generosa.


Seguir você se tornou uma rotina, afinal, eram suas cores...


No fundo... Não sabia lidar bem com elas...


Não que eu dissesse isso em voz alta.


Que ingrata eu seria! Além disso, você sempre me explicava o que era melhor para mim...


Mesmo que...


Elas às vezes fossem pesadas demais, às vezes doessem demais, às vezes marcassem demais...


No fim, eu não era você, e as cores pareciam um pouco perdidas em mim...


Em alguns momentos, eu via algo novo... Cores novas... Diferentes...


Algumas me agradavam tanto! Talvez pudesse coloca-las também...


Você sempre sorria.


Nunca me impediria.


Mas, não era o que queria...


Oh, eu não queria ter cores que você não gostasse...


Por isso, deixava as cores novas para trás e te seguia, quase como uma sombra...


Se eu tentasse aprender, tentasse melhorar, tentasse entender...


Em algum momento...


Essas cores ficariam perfeitas, não é?


E você sempre me parabenizava por coloca-las, e quando começavam a desbotar, você me incentivava a retoca-las!


Oh, você...


Continuava com seu sorriso brilhante...


Tão doce e gentil.


Nota final:


Se você não notou, esta one é sobre um tipo de relacionamento abusivo.

Obrigada a todos que leram ^^.

11 de Abril de 2018 a las 13:49 3 Reporte Insertar 5
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Lu Inoue Lu Inoue
Relacionamentos abusivos são sempre um incógnita, o abusado se submete, idolatra o opressor, ele se boicota, se mullita, se fere de todas as formas para estar a altura do outro, se afunda, se sufoca, seus sentimentos não importam só o que pode causar no outro. Eu gostei tanto do texto porque remete a vários tipos de relacionamentos, mesmo uma amizade onde sua amiga perfeita quer transformar você em uma segunda versão dela e você, inocente, masoquista, se submete a isso. Mas você não gosta daquela roupa, mas ela escolhe e te diz que assim você fica mais atraente e talvez fique mesmo, mas não é você. E você adora aquele estilo vintage, gótico, geek, mas sua amiga diz que isso te torna esquisita. E você pensa que ela diz por ser sincera, por querer o seu bem e talvez seja, mas a partir do momento que ela não te deixa ser você e acha seu estilo 'esquisito, a ponto de causar vergonha alheia, ela também te acha esquisita. Se alguém precisa te reinventar pra te amar, essa pessoa não ama suas cores, não te ama e se você se submete a um relação dessas, se torna ainda pior, se torna alguém que ama quem te despreza ou menospreza, você ama aquele desprezo. Então a duvida permanece na minha cabeça, em um relacionamento abusivo, quem é o mais doente? Nem preciso dizer que amei demais! Parabéns!
3 de Enero de 2019 a las 12:00
Larissa barros Larissa barros
:,D Eu quis chorar desde o momento em que a pessoa achou que deveria mudar suas cores por alguem. As cores podem te machucar assim como as pessoas, elas podem te deixar com cores que doem. Esse tema é muito delicado pra mim mas eu simplismente amei essa fic
19 de Abril de 2018 a las 12:26

  • Mika Kamya Mika Kamya
    Não chore bb *entregando lencinho. As cores realmente podem machucar, principalmente, quando não são as suas <3 Fico muito feliz por vc ter amado a fic ^^ E muito obrigada pelo comentário <3 20 de Abril de 2018 a las 19:03
~

Historias relacionadas