Antes de dormir; Seguir historia

loppai Mary Santiago

E toda noite, antes de dormir, ela pensava em quanto era feliz por tê-lo ao seu lado...


Fanfiction Libros No para niños menores de 13.

#drama #Pensamento #258
Cuento corto
2
5209 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

;eu gosto de pensar que você pensa em mim.

       ──────⊱◈◈◈⊰──────

   A chuva batia na janela de nosso aconchegante quarto, enquanto eu —inocentemente— observava sua feição relaxada e adormecida. Não conseguia evitar sorrir, você não havia mudado praticamente nada desde nossos tempos de colegial; continuava sendo esse garoto, agora homem, inteligente e sincero.

   Você estava usando seu costumeiro pijama, aquele que eu havia te dado de aniversário de namoro. Você estava dormindo de lado com a mão esquerda em minha cintura, no seu anelar esquerdo um anel banhado a ouro brilhava intensamente.

   Sua respiração estava calma, sua boca relaxada e seus olhos relaxados. Você tem um sono leve, seus gostos não envolvem somente coisas materiais, seus sorrisos são raros —entretanto, são os mais bonitos que eu já tive o prazer de observar—, seus olhos nunca escondem segredos, seus beijos são os mais apaixonantes e dominantes, sua inteligência é fascinante, e sua beleza não envolve só aparência.

   Todas essas suas características eu observei desde que começamos a nos interessar um pelo outro, desde meus 12 anos. Hoje em dia, tenho 28 e você 29. Você é perfeito, e se eu fosse te contar cada qualidade sua, acredite, seriam muitas palavras. 

   Algo que observei durante todo nosso relacionamento é que você sempre faz de tudo para não discutirmos, acho isso fofo. Nas datas comemorativas, você sempre dá um jeito de me presentear com algo, mesmo que eu não te dê nada. Oh, meu amor, se você soubesse o quanto é perfeito não diria coisas autodestrutivas. 

   Lentamente, passo meu indicador pelo lado de seu rosto, você não se move e eu agradeço internamente por isso. Rolo meus olhos pelo quarto, e volto meu olhar para a janela. Às gotas de chuva deslizavam pelo fino vidro, enquanto as trovoadas ocorriam.

   — Já está acordada? – A voz rouca cortou o quase inaudível som do ar-condicionado.

   — Sim, estou. – Seus olhos sonolentos se focaram em mim enquanto eu apoiava novamente minha cabeça no travesseiro. – Ainda está cedo, pode dormir um pouco mais.

   — Claro. – Suas pálpebras vacilaram por um momento, mas logo se voltaram para mim. – Por que já está acordada?

   — A chuva me acordou. – Ele sorriu e se aproximou mais de mim, apoiando sua cabeça em meus seios, uma mania fofa dele. – O que é tão engraçado?

   — Você não sabe mentir. – Me apertou mais forte, e minhas mãos quase que imediatamente foram para seus cabelos, ele ama um bom cafuné. – Estava me observando, Luv.

   — Não seja tão convencido! – Brinquei com um tom de falsa reprovação e você riu. – Ok, ok. Admito que estava te observando.

   — Hum, por que estava fazendo isso? – Sua voz estava um pouco abafada, mas nada que não desse para ouvir. – Digo, poderia estar dormindo, pois sabe que a semana será corrida, mas está me observando dormir. Isso não é muito inteligente, Luv.

   — Vejamos, te observar é muito mais revigorante que uma noite de descanso. – Sinto seu sorriso em minha pele, ele levanta um pouco a cabeça.

   — Você me faz te amar cada vez mais, garota. – Dou um sorriso incontido e ele me dá um selinho demorado, mordendo meu lábio de leve. 

   — Ai! – Fingi uma dor, e o olhei emburrada, ele piscou e então escondeu seu rosto nos meus seios novamente.

   — Isso foi pelas vezes que eu tive que inventar que estava com alergia só porque meus lábios estavam inchados por sua causa, Luv. – Reviro meus olhos e solto uma risada sarcástica.

   — Oh, eu havia me esquecido que seus lábios são sensíveis! – Ele não gostava que eu dizia isso, senti ele morder minha clavícula. – Aí! Eu já te disse que isso dói, amor.

   — É por isso que eu faço, Luv. – Sorri de forma dolorosa e finalmente senti o sono começar a chegar. Bocejei e me ajeitei na cama. – Bom Dia, Amor.

   — Bom Dia, Luv. – Ele também se ajeitou e sussurrou: — Eu te amo.

   — Eu também, muito. – Sussurrei e definitivamente o sono chegou.


   Não precisávamos de coisas grandes, ou até mesmo materiais para estarmos felizes. Vamos ser felizes por conta própria! Sempre. 


Ėnd

         ──────⊱◈◈◈⊰──────


Todas essas coisas me fizeram amar você, e acredite: não foram poucas. Eu sei que nunca te dei nenhum presente, meu amor. Mas esse pequeno conto é como me imagino com você no futuro, na verdade, é uma das muitas situações que imaginei. Então, esse é o meu presente de aniversário de namoro. Espero que tenha gostado.

   

   

   

    

6 de Abril de 2018 a las 23:01 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~