Egoísta Seguir historia

belith__ BELITH

- Foda-se! Disse que não precisávamos delas para tudo e que, independentemente da situação, somos homens! Na ausência de Midoriya, Kirishima Eijiro e Todoroki Shoto se veem perdidos ao lado de Bakugou. OBS: comic


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#comédia #comic #bl #hentai #shounen-ai #Kirishima-Ejiro #Todoroki-Shoto #Midoriya-Izuku #Bakugou-katsuki #my-hero-academia #boku-no-hero-academia #tia-belith #belith #bnha
Cuento corto
6
5867 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Não fode comigo

Passava das 12h00 e os três rapazes, sentados no chão da sala, estavam em um feroz e importantíssimo dilema:

— Quem fará a comida? —Por fim, Bakugou questionou. — ICE-HOT você não é cheio das frescuras de tradição? Sabe fazer sushi?

— Tenho cara de sushiman, bombinha? —Revidou porque odiava ser chamado assim.

— Tá querendo uma briga, hã? —Mas antes que pudesse levantar, seu estômago roncou, evidenciando que não tinha energia o suficiente para uma briga digna com Shoto, afinal, depois do melhor amigo, o meio-quente e meio-frio era seu maior rival— Deixa pra’ próxima.

— Bakugou, afinal de contas, por que as meninas não estão aqui? —Por fim, Kirishima perguntou o que todos (ele e Todoroki) queriam saber.

— Foram comemorar o aniversário da Uraraka. —Disse ríspido, pois, não gostava muito da menina. Mesmo sabendo do namoro com Deku e reconhecendo o quanto ambos se gostavam, desde os jogos da UA no primeiro ano, para ser sincero, achava a mulher perigosa; além de ciumenta.

— Isso explica porque Midoriya foi junto. —Concluiu Shoto com pesar.

— Mesmo assim, por que Mina e Momo também foram? Isso não faz o menor sentido, sem falar que ela nem me avisou que iria sair. Pensei que fosse ser um encontro a dois, caramba. —Resmungou o ruivo, pois, devido ao estágio de herói não tivera tempo com a namorada, sentia falta da mesma.

— Não entendo. Momo também não me disse nada sobre ir junto de Uraraka-san e Midoriya. Tão pouco citou Ashido-san. —Seu lado esquerdo esquentou com o palpite que tivera, fazendo-o estreitar os olhos e encarar o loiro que parecia culpado— Bakugou, você fez alguma coisa, não fez?

A sala nunca estivera tão silenciosa que era possível ouvir o barulho dos ponteiros do relógio de parede, fora isso, uma misteriosa tensão pairava no ar.

— Bakugou. —Kirishima não era do tipo que arrumava briga, isso era uma certeza. Aliás, dos três, seu autocontrole acabava por superar o próprio Todoroki, no entanto, a situação era mais séria do que um simples domingo sem almoço, depois de uma manhã fodidamente infernal de treino; era o aniversário da namorada do único cara que sabia cozinhar, a única garota que os ajudava no treino com controle da gravidade, possibilitando, maior facilidade de mobilidade aérea em lutas e: sexo. Domingo, entre os aspirantes a herói, era o dia do coito! Embora, Shoto nunca o fizesse na república, respeitando os colegas. Completamente diferente de si (Eijiro) e Ashido, que transavam sempre que tinham tempo, isso incluía dias de faxina coletiva e banho pós-treino.

— Não fiz nada.

— MENTIROSO! —Berraram os dois ruivos em uníssimo.

— Foda-se! Disse que não precisávamos delas para tudo e que, independentemente da situação, somos homens!

. . .

Homens?

. . .

Não precisavam delas?

. . .

— NÃO FODE COMIGO! —Mais uma vez, Shoto e Eijiro tiveram de concordar em alto e bom som.

— Não precisamos delas para tudo? Você tá doido, filho da puta? —Kirishima foi o primeiro a rasgar o verbo. — Eu só sei cozinhar ovo e temperar com sal, correndo risco de salgar demais! Todoroki também não sabe e você só come carne!

— Eu sei assar carne! —Defendeu-se.

— Uma ova que você sabe, Bakugou! Da última vez, Todoroki teve que congelar a churrasqueira para casa não pegar fogo! Se liga, cara! O quão arrogante você pode ser?

— Você vai tomar responsabilidade disso. —Decretou Shoto. — Kirishima, vamos comer algo e você, Bakugou, traga o cartão; será por sua conta.

Arrogante? Não concordava com isso. De fato, ficara irado ao ouvir as palavras de Momo antes de Deku e Uraraka saírem. Mas, ainda assim, o real motivo de sua raiva é que hoje, aniversário de Uraraka, era algo muito maior e mais importante que pagar a conta do almoço.

02h07

Não conseguia dormir com o barulho que Kirishima e a olho de guaxinim faziam no quarto ao lado, já passavam de duas da madrugada e o casal transava num ritmo insano o suficiente para esmurrar sua parede.

— Filho da puta, nem uma punheta eu consigo com esse barulho do cão. —Por fim, levantou, rumo à cozinha para beber um copo de suco, acabou por encher a cara no almoço com os amigos; estava só o bagaço. Chegando à mesma, encontrou-se com Midoriya, o menor não disfarçou seu constrangimento, pois, Bakugou o conhecia mais que qualquer um; estava óbvio que também tinha tido uma ótima noite com sua namorada.

— K-Kacchan?

Queria muito conter-se; queria dizer ‘sai da frente, nerd’ e pegar o suco sem qualquer problema, tomar e voltar para o quarto, mas... talvez ainda estivesse sob efeito do álcool. Tudo o que não conseguia, era conter-se.

— Izuku. —Sussurrou o encurralando contra a parede, colando seus corpos, Bakugou estava em chamas.

— K-Kacchan, o que pensa que está fazendo? —Não sabia; aliás, seria muito egoísmo de sua parte dizer que não sabia o que estava fazendo. Pouco importava se isso prejudicaria Midoriya de alguma forma ou seu namoro, eram amigos de infância, afinal, não? Qual o peso dessa relação de longa data em relação à sua vida agora? Se para Deku não significava nada, Bakugou faria questão de lhe trazer de volta à dimensão dessa cumplicidade de ambos.

— Eu não...—a respiração pesada fez Izuku arrepiar-se— sei viver sem ter você... —o sussurro embriagado do loiro rente aos seus ouvidos fez percorrer por seu corpo, estremecendo com uma onda de instabilidade cada uma de suas vértebras, levando-o, por impulso, a curvar a lombar e enrubescer num grito inaudível de prazer e satisfação; Bakugou, pouco ligando, beijou-lhe o rosto com carinho — cozinhando minhas refeições; lembre-se disso.

— Tsc; o quão egoísta você ainda pode ser, Kachan-baka. —Riu, segurando o amigo que, na verdade, estava mais dormindo que acordado.

FIM



Notas da autora------------------------------------------------
Tem tempo desde a ultima vez que publiquei algo novo, acredito que as outros histórias aqui são (re) postagens, então.... é meu primeiro trabalho de 2018. Estou feliz com o resultado, é uma comédia, rs. Presente de aniversário, atrasado, para uma leitora. Quem quiser comentar e me dizer o que achou, seria ótimo como avaliação. Beijokas o/
4 de Abril de 2018 a las 14:38 2 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

BELITH Ariana|1996|Heterossexual|Fujoshi|Autora| Tradutora| Jojofag | "Escrever é arte"

Comenta algo

Publica!
Helena . Helena .
Meu deus, eu amei demais <3 Parabéns, ficou sutil e bonitinho :3
4 de Abril de 2018 a las 10:56

  • BELITH BELITH
    Wah *0* obrigada! Não sou boa com comédia, de uma maneira geral, mas achei que teve sua graça... mesmo que pouca. Obrigada por comentar <3 e que bom que gostou *---------* sério. bjs 6 de Abril de 2018 a las 08:20
~