O garoto invisível Seguir historia

ayzu-saki Ayzu Saki

Jack morreu naquele lago congelado ao salvar sua irmã. Jack Frost nasceu naquele lago congelado aos olhos do homem da lua. Ele não lembrava de nada disso. Só lembrava daquela existência. Uma existência invisível aos que não acreditam. Casper acreditava no entanto. E enquanto Casper acreditasse, Jack nunca estaria sozinho.


Fanfiction Películas Todo público.

#Jack-Frost #casper-the-friendly-ghost # #vemprocrack
Cuento corto
11
7186 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo único

O GAROTO INVISÍVEL

“ - Como é morrer?

- É como nascer, só que ao contrário.”

-Quer brincar ?

Duas palavras. Duas palavras muito simples, mas que pareciam girar seu mundo naquele momento. Jack olhou para trás, pronto para ficar desapontado ao perceber que o garoto falava com outra pessoa, mas eles estavam sozinhos.

Olhou para os olhos azuis grandes o fitando, levemente nervosos com a demora na resposta, e abriu um grande sorriso.

-Com certeza. – respondeu brilhantemente. Por que faziam o quê? 200 anos que alguém não o via? Duzentos anos vagando sozinho, apenas com o frio e o gelo que causava, apenas como o vento e o homem na lua como companhias.

O menino sorriu, ajeitando o gorro vermelho, as bochechas coradas pelo frio. Ele nem mesmo sabia que havia crianças perto da mansão Whipstaff. Em todo o vilarejo, tudo parecia sem vida, todos se escondendo do frio. Ninguém brincava na neve nos dias em que estivera ali fazendo o inverno.

Já estava acostumado com isso.

-Me chamo Casper. Casper MacFadden. – A criança se apresentou animada. Colocou o cajado no chão e fez uma reverência a ele, que riu com seu jeito abobalhado.

-Jack. Jack Frost.

Casper tinha uma risada gostosa de ouvir. E as ideias mais mirabolantes que conhecia para um menino de oito anos. O ouviu tagarelar enquanto montavam fortalezas na neve, contando histórias fantásticas.

O garoto não demorou muito, um homem – que claramente não o via – o chamou da entrada, com a voz preocupada. Ainda assim, quando se despediram, o rosto dele vermelho e afoito, Jack sabia que havia feito um amigo.

Alguém finalmente acreditava em Jack Frost novamente.

.....

-Então, você acha que nasceu naquele lago?

-De certo modo, é. Talvez. É tudo de que lembro.

-E do homem da lua? Dizendo pra fazer o inverno.

-É...

O menino fez um olhar pensativo, colocando o trem pra funcionar nos trilhos. O quarto devia estar gelado, mas Casper parecia não ligar. Com Jack, ele nunca se importava com o frio.

Ás vezes Jack queria não ter que esperar e assim levar o inverno para Whipstaff em qualquer época do ano, apenas para ver seu amigo.

Nos anos que se seguiram ele sempre se preparava. Tudo o que Casper pedisse. Mesmo quando ele não podia sair pra brincar na neve, ia para a janela do quarto lotado de brinquedos, os dois conversando e olhando a colina lá embaixo. Fazendo formas de gelo nos vidros da mansão.

Casper era como o príncipe preso na grande torre que Jack vinha ao resgate.

Ou seria ao contrário?

-Você acha que está, sabe, morto?

-Sou um espírito do inverno, então, de certo modo.

-Eu sei, bobalhão. - O menino riu sem graça, Jack se afastou para o outro lado do quarto ao ver que os lábios dele estavam um pouco azuis. Era fácil se esquecer da vida perto de Casper. - Eu digo, que você teve uma vida antes disso. Família, e tudo o mais.

-De que importa agora? - Agiu como se não se importasse com a pergunta, como se não tivesse pensado nisso milhares de vezes. - Eu não lembro. É como se eu tivesse nascido ali.

Casper assentiu sério, parando de brincar com o trem, os dedos frios demais.

Ele gostava das perguntas curiosas, de ter alguém com quem falar sobre os guardiões da infância. Para falar sobre o grande vazio que era o antes de tudo. De tudo que não existia até acordar em um lago congelado, com apenas um propósito e tanta solidão à frente.

Casper entendia. Ele ouvia e sabia o que dizer. Ou o que não dizer. Um menino que crescia em uma mansão, sem amigos, invisível à maioria. Um garoto doce e amigável, mas que não tinha amigos.

Havia tanto gosto por liberdade dentro dele, que Jack se pegava absorto pensando no que ele se tornaria. Se quando ele crescesse ele iria mudar o mundo como queria. Na sede de inventar coisas, criar respostas. Se ele iria embora de Whipstaff, como sempre sonhara. Abraçar o mundo, que o esperava à frente...

Se ele esqueceria Jack, como todo mundo...

-Morrer e nascer são parecidos então. Esquecer...é do que tenho medo.

-É...eu também.

......

No inverno de 12 anos foi o mais especial.

Doze anos geralmente simbolizava o fim da infância afinal. Onde as pessoas tinham a terrível ideia de crescer.

E esquecer.

Jack fez neve como nunca imaginava que faria, porque ele sabia que não teria muito tempo, que um dia Casper cresceria.

Que o deixaria para trás.

Quando ele veio descendo a colina, trenó novo em mãos, sorriso grande no rosto, seu pai atrás dele sorrindo, Jack não se segurou.

Ele queria mais aquela chance. De vê-lo sorrir com a neve nos cabelos. Os olhos azuis faiscando com as risadas. Por isso, mesmo sabendo que passava da hora de ele ir, ele o pedia para ficar um pouco mais. Estavam se divertindo tanto.

Mesmo no escuro ele ainda conseguia ouvir Casper rindo, deslizando na neve no novo trenó.

Os dois terminaram caídos, sem fôlego.

Jack nunca se sentiu tão feliz em sua existência.

-Promete que vai lembrar de mim?

Os olhos grandes e azuis o olharam curiosos com a pergunta repentina. Mas então ele sorriu, com o rosto todo. A mão pegou na sua e ele nem mesmo parecia se importar com o frio nela.

Com o frio em toda parte.

-Eu prometo. Para sempre.

Quando saiu de Whipstaff naquela noite sabia que não estava sozinho.

Sempre teria Casper.

.....

No ano seguinte, Casper não estava mais lá.

O inverno em Whipstaff naquele ano foi o mais violento de todos.

........

“Eu pedi, eu implorei pro meu pai me dar esse trenó e ele nem ligou pro meu pedido, não sabia andar. Então numa manhã eu desci pro café e lá estava ele, só pra mim, sem mais nem menos. Eu levei lá pra fora e brinquei o dia todo. E meu pai disse ‘é demais!’, mas eu não podia parar, estava me divertindo tanto! E então ficou tarde, ficou escuro, ficou frio, e eu fiquei doente....e papai ficou triste... Eu lembro que eu não fui para onde eu deveria ir. Eu fiquei para trás, para meu pai não ficar solitário.

- Como é morrer?

- É como nascer, só que ao contrário.”

......................................................................................................................................

Notas finais

*A referência sobre Casper, é Casper o filme de 1995, onde ele conta sobre como ele morreu, ao finalmente lembrar sobre antes de ser um fantasma. Em um dia de neve, ao brincar o dia todo ele ficou doente e se foi.

*Jack Frost, da lenda dos guardiões, morreu em um lago congelado ao tentar salvar sua irmã. Por seu bom coração o homem da lua o transformou em um guardião. Ele é responsável por trazer o inverno.

*Ao morrer, Casper se esqueceu de sua vida de antes, e também de Jack, por isso não conseguia mais vê-lo. E como ele ficou doente por ter brincado tanto no frio, Jack de certo modo se responsabilizou pelo o que aconteceu.

*Não sei porque escrevo essas coisas tristes

27 de Marzo de 2018 a las 12:25 37 Reporte Insertar 13
Fin

Conoce al autor

Ayzu Saki Detesto o tempo, sempre adianto meu relógio para nunca me atrasar, e ainda assim me atraso. Detesto o tempo, porque ele não cura as coisas, só passa. Queria domar o tempo mesmo, para viver todo o que quero viver e não pode caber na minha vida. Essa é a minha sina, e um monte de histórias não terminadas no fundo da gaveta.

Comenta algo

Publica!
Karina Mello Karina Mello
Eu também não sei pq kkk mas mesmo sendo triste sua escrita e seu estória é tão perfeita que se torna impossível não ler 😭 ameii MUITO
20 de Noviembre de 2018 a las 21:34

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    <3 <3 que bom que gostou, é daquelas coisas que não sei de onde veio, mas gostei de ter escrito 20 de Noviembre de 2018 a las 21:36
Bárbara Maria Bárbara Maria
Ai mulher, por que me mataste? Eu nem assisti os filmes e tô na bad real aqui ksksdkd Foi lindo, leve - mas ao mesmo tempo intenso - e MUITO TRISTE! Não sei nem o que dizer, só agradecer por essa fic. Parabéns! <3
3 de Mayo de 2018 a las 22:40

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Muito obrigada! E recomendo demais assistir aos filmes! A estória deles é tão linda... 4 de Mayo de 2018 a las 20:01
Anne Liberton Anne Liberton
Pouxa, mas então agora eles não podem se ver, mesmo com o Casper morto? Jack não brinca com crianças mortas? ;~; Isso sim achei triste auhaha porque tecnicamente eles poderiam ficar pra sempre juntos se pudesse, né? Pouxa... Só um comentário: seria legal você pular uma linha entre os parágrafos, para facilitar a leitura. Até mais!
2 de Mayo de 2018 a las 01:57

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Hiiii! Houveram até especulações em outros comentários. Tecnicamente só vê Jack Frost quem acredita nele, e Casper não lembra de nada da vida dele, até o final do filme. E junta ao fato de Jack se culpar pela morte dele, então também não haveria nem uma tentativa de aproximação do lado dele. Apenas observar de longe. Isso até Casper lembrar...bem. Isso e conversa para extras quem sabe. :D Mas muito obrigada por comentar, e pelas dicas de formatação também ♡ 2 de Mayo de 2018 a las 08:25
LiNest LiNest
Eu to como? EXATAMENTE, NENHUM POUCO BEM! OMFG COMO ESSA FIC PODE SER TÃO PERFEITAMENTE DOLOROSA? AAAAAAAA! Mas sério, que fic linda! Eu simplesmente chorei lendo ela, sem zoeira, eu realmente me emocionei, não apenas porque ver o Jack feliz sempre me deixa toda mole, mas porque eu sabia o quê ia acontecer e mesmo assim a dor me pegou desprevinida urgh direto no kokoro. Eu vi o filme do Gasparzinho, mas nem lembrava da causa da morte dele, foi realmente um ótimo detalhe para linkar os dois e oh deuses só de imaginar a dir do Jack e a culpa que ele deve sentir... urgh já quero chorar de novo droga... Mas sinceramente, trabalho incrivel, eu realmente REALMENTE amei e confesso que agora até shippo os dois. Fic espetacular mesmo, simplesmente demais, tão boa que quero até guardar numa pasta só para nunca perder ela. Parabéns <3
30 de Abril de 2018 a las 19:02

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    AHHHHHH obrigada ♡ eu também quero muito jack feliz, mas nessa não deu :( Sou apaixonada pelo gasparzinho e fiquei feliz demais com a oportunidade de escrever sobre ele. Ainda bem que gostou! Beijos 2 de Mayo de 2018 a las 08:21
AnnyeCS AnnyeCS
MEU DEUS EU TÔ EM CHOQUE! Sério mulher! Que tiro você me deu! Nossa, tá extremamente lindo! Não real, eu não lembro do filme do Casper, e muito pouco de Gasparzinho. Tô lendo a fic em si. E MINHA NOSSA! VOCÊ QUER MINHA ALMA? EU TE DOU? porque meu coração você já tem. OLHA QUE BONITA ESSA ONE?! Um angst, de certa forma, inocente, vai te envolvendo num ritmo gostoso e quando cê menos espera, está consumida pela estória. você tá de P A R A B E N S! ohhhhh que fic linda!
29 de Abril de 2018 a las 23:50

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Muito obrigada <3 Gasparzinho foi um filme que fez parte da minha infância, fiquei feliz com a oportunidade de escrever algo dele. E que bom que gostou! 30 de Abril de 2018 a las 14:37
Lory Cake Lory Cake
TRISTÍSSIMA, CHOREI TUDO. menine do céu, eu vou fazer um scandalo. Eu não nasci pra sofrer desse jeito. mas tá tão lindo. AAAAAAAA Eu vou me jogar no lago, licença
27 de Abril de 2018 a las 12:51

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    hahaha, obrigada! Me sinto mal as vezes de escrever coisas tristes assim, mas fazer o que né? 30 de Abril de 2018 a las 14:34
Mori Katsu Mori Katsu
Casper morreu? Me deixou triste, muito mesmo. Sua escrita foi maravilhosa e gostei bastante.
22 de Abril de 2018 a las 16:16

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Casper morreu :( E assim temos a sua origem de fantasma na série. Obrigada demais por comentar <3 24 de Abril de 2018 a las 10:43
Karimy Karimy
"Alguém finalmente acreditava..." essa frase teve um grande impacto em mim, além de ter trazido todas as lembranças do filme de volta à minha mente. Às vezes, só precisamos de um amigo, de alguém que acredite em nós e em nossa existência. Adorei a ideia para a história, o jeito que você juntou os dois, amigos sozinhos e solitários, mortos, mas vivos, aconchegando-se um no frio do outro. As referências também foram muito bem colocadas, tanto para um quanto para o outro. Só tenho a agradecer por ter desenvolvido esse crackship, foi muito gostoso de ler. Beijos, autora!
21 de Abril de 2018 a las 08:34

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Obrigada! <3 Foi muito gostoso de escrever sobre esses dois, e fico feliz de ter conseguido encaixar a estória deles dois, apesar do final tristinho. 21 de Abril de 2018 a las 13:27
Isis Isis
EU TO NO CHÃO Cara! Que saudades de Gasparzinho! E juntar ele com o Jack... Foi genial o que você usou pra isso! Doloroso o Jack meio que ter sido a causa da morte do Casper. Ainda mais o fato de o Casper não se lembrar dele após morrer. Sacanagem, eu não estava preparada para os feels. Mas eu amei! Amei demais! Foi muito bonita, doce e triste e eu tô aqui imaginando o Casper fantasma tendo uma sensação boa e ruim ao mesmo tempo no inverno, ruim por lembrar da sua morte, boa por inconscientemente lembrar o Jack. ;-;
18 de Abril de 2018 a las 10:14

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Também sinto falta de Gasparzinho. Meu sonho outro filme sobre ele, um que focasse um pouco mais sobre o passado dele. Há tanto o que explorar! E Jack Frost também, um novo filme seria meu sonho de princesa. Obrigada por comentar! E por ver o lado positivo de uma fic tão tristinha também... 18 de Abril de 2018 a las 11:08
Brenda Monarquies Brenda Monarquies
Eu gostaria de dizer que estou bem triste. Esse final teve um significado muito bonito, o jeito como você casou o crossover, mas também foi bem triste, então não sei muito o que dizer por estar vendo tudo embaçado agora KKKKKKKK meus parabéns pela história, eu gostei pra caramba! Amo o Jack, e o Casper é um amorzinho. Isso foi incrível
17 de Abril de 2018 a las 10:09

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Muito obrigada! Ela é bem tristinha mesmo...a estória desses dois é tão triste que a fanfic tinha que ser também :( haha 18 de Abril de 2018 a las 11:08
Ariane Munhoz Ariane Munhoz
Oi! Eu vi o seu ship no desafio dos cracks e logo abracei esse link porque amo de paixão o Jack e o Casper e algo com eles dois só pode ser amor demais! Nossa, a história ficou muito bem desenvolvida, essa animosidade dos dois e o jeito de Casper que é sempre tão amorzinho! Meu Deus, eu queria apertar os dois e fazer bonequinhos de neve com eles! Foi tão lindo de ver! Adorei a maneira como você desenvolveu a história, em como foi passando os invernos e, posteriormente, os anos. Eu adorei o jeito que você mesclou os universos em parecer forçado, sobretudo com o final triste, aaa. Eu achei que foi de partir o coração, mas eu achei que foi um partir de coração bem bacana [?] porque seguiu o canon! Tadinho do Jack! Perdeu o grande amigo que não se lembra mais dele e ainda tem que se sentir culpado por isso! Adorei a epígrafe! Muito bem utilizado. Parabéns!
8 de Abril de 2018 a las 14:04

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Muuuuito obrigada! :D Escrever angst com esses dois me deu uma dó - porque a vida deles já foi um sofrimento né -, mas que bom que gostou 14 de Abril de 2018 a las 09:28
Kaline Bogard Kaline Bogard
NOSSA! Me acerta na cara, porque eu custei pra desvendar quem era Casper. Agora tudo fez sentido. Que história triste! a história do JAck, em si, é bem triste. O Casper eu já acho mais... menos... tocante, tem muito humor para disfarçar a parte mais triste. Mas essa interação deles, a conversa, as expectativas... foi muito sensivel, nossa. Otima escolha de ship. Parabens! O final foi pra sambar nos sentimentos. Sem palavras
2 de Abril de 2018 a las 08:25

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Muito obrigada! Eu sempre achei a estória deles dois bem triste - Casper comecei a ver a tristeza nela depois de adulta, devo confessar -, e juntar os dois deu nisso. Ainda assim, apesar de toda a melancolia que me causam, gosto demais desses dois haha 2 de Abril de 2018 a las 09:45
Neeca Ashcar Neeca Ashcar
Ainnn meu deus do ceu, você uniu de uma maneira tão bela as duas histórias que realmente parece que uma foi feita para a outra, conforme os anos se passavam mais ficava claro a história do filme em minha cabeça, é como se o Gasparzinho só existisse por conta do Jack e isso se tornou único, de verdade, parabéns. Estou realmente acreditando que um universo é linkado ao outro, maravilhoso ☺️☺️☺️☺️
1 de Abril de 2018 a las 23:42

  • Neeca Ashcar Neeca Ashcar
    Antes que me esqueça Cásper foi meu filme favorito durante a infância inteira, e tempos atrás eu assisti novamente com olhos adultos (já que não o via desde meus 10 anos mais ou menos) e é tão profundo, tão melancólico para uma criança, e ao mesmo tempo tão mágico e você conseguiu trazer isso de volta a vida, pelo menos para mim 1 de Abril de 2018 a las 23:45
  • Neeca Ashcar Neeca Ashcar
    Antes que me esqueça Cásper foi meu filme favorito durante a infância inteira, e tempos atrás eu assisti novamente com olhos adultos (já que não o via desde meus 10 anos mais ou menos) e é tão profundo, tão melancólico para uma criança, e ao mesmo tempo tão mágico e você conseguiu trazer isso de volta a vida, pelo menos para mim 1 de Abril de 2018 a las 23:45
  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Obrigada! Consegui então fazer o que desejava :) Sentir o gancho de uma estória para outra foi o que me fez juntar esses dois. Casper também foi um dos meus filmes favoritos, e um dos quais não esqueço. De vez em quando volto pra assistir, com outro olhar. Hoje vejo que é uma estória bem mais tristinha do que achava quando era criança também :( 2 de Abril de 2018 a las 09:41
laia laia laia laia
eu queria dizer que fiquei triste para o k7... mas eu amei demais, o medo de crescer eu tenho esse medo, e o medo de esquecer não mais, descobri q era bem melhor esquecer do que ficar martirizando aquilo sempre como fantasma na cabeça sabe? mas eu fiquei com pena do jack, ele n tem culpa, n deveria ficar se culpando. Gostei bastante da fic, muito bem redigida e bem detalhada, deu pra sentir a emoção dos personagens ^^ parabens
30 de Marzo de 2018 a las 03:13

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Obrigada! É, foi meio tristinho de escrever também, mas não acho que tem como escrever sobre esses dois sem ter um pouco desse sentimento. A estória deles dois em si - separadamente - já é bem melancólica né. Obrigada demais por comentar! 2 de Abril de 2018 a las 09:41
Paola Britto Paola Britto
Foi tão bonito que eu gostaria de ler mais, sério, tô aqui apaixonada!
28 de Marzo de 2018 a las 21:07
Paola Britto Paola Britto
Eu simplesmente amo esse filme, eu vi umas mil vezes, amo o personagem do Casper, e amei você ter pensado nesse ship. Na verdade eu amei a fanfic toda, as escolhas de palavras, a citação da fala do filme, o jeito que você contou a história, tão bonito, tão sutil, gostei de verdade, parabéns!!!
28 de Marzo de 2018 a las 21:07

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Obrigada <3 Sou xônada por esses dois, por isso feliz com a oportunidade de escrever eles juntos! Quem sabe não sai algum a outra one com eles não é :) 2 de Abril de 2018 a las 09:36
Alice Alamo Alice Alamo
Oii! Ok, eu to em choque. Sabe, quando a gente propôs o desafio, a gente esperava já alguns crackshipps e tals, mas juntar Jack Frost e Gasparzinho me fez até sentar e ler com mais atenção a história hahahhaa Primeiro, você entendeu o desafio. Como eu disse num outro comentário, você abusou do crack e do crossover. E meus parabéns por isso, por ter aceitado se arriscar e por ter concluído o desafio. Espero que tenha sido divertido <3 Uma fas coisas que eu to amando é que você fez um crossover com lógica, isto é, você pegou algo em comum entre as duas obras e desenvoleu uma fic em cima disso com coerência e juntando dois personagens de universos totalmente separados. E, nossa, eu amo o Gasparzinho! Meu deus, você não tem ideia! Eu, quando li no final da fic, a fala dele sobre o dia que ele morreu, eu LEMBREI do filme, da cena, tudo, e eu assisti isso há anos! Muito amor por ele, nossa... Ah, outra coisa que eu amei: ANGST!! Nossa, assim, você realmente tem o meu carinho agora porque, quando se pensa em crossover, o pessoal vai para romance ou comédia, são muito poucos os que vão para drama e angst. E você desenvolveu esse angst de maneira leve, de uma forma triste, mas que dá para sentir o carinho por trás, sabe? Bem, parabéns pela fic, pelo desafio, por ter se arriscado <3 Beijoss
28 de Marzo de 2018 a las 18:30

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Obrigada! Adorei o desafio e a oportunidade de escrever algo assim. Não esperava que fosse sair algo tristinho também, mas a estória desses dois não tem como não ser assim, meio agridoce né. Esse filme marcou minha infância também, Casper. E quando você volta já adulta pra ele, consegue perceber várias coisas que passaram pela gente. Enfim...obrigada! 2 de Abril de 2018 a las 09:15
Camy <3 Camy <3
Mano, amei a epígrafe! Eu não me lembro se é do filme do Casper (que estranho pensar nele assim, pra mim será sempre Gasparzinho) ou não, porque faz muito tempo que eu assisti, mas olha, a fanfic já começou bem. Tá, pelo que vi ali embaixo, foi do filme mesmo. Sabia que conhecia o diálogo. ... Eu tô muito feliz. Eu pensei que não ia ter angst nesse desafio, porque crackship é sempre comédia, mas quero pegar a tua história e guardar no meu coração <3 Sério, tá muito linda, pqp! Eu gostei muito de como os dois foram se aproximando, sabe? Foi uma coisa natural, em que eles se tornam amigos no inverno e na infância e esse sentimento vai sendo desenvolvido aos poucos. Nossa, eu amo Jack Frost e amo Gasparzinho (eu tinha a animação em fita vhs quando era criança - pareço velha, mas nem sou). "Gasparzinho equilibrista, meu amigo é artista" <- nunca vou esquecer a música do desenho, pAKSPDKSAD. - Maluquices de lado, eu curti muito o casal que tu escolheu. Foi muito inusitado, mas faz total sentido e tu conseguiu misturar esses dois universos de um jeito lindo demais. Primeiro que eu até tinha esquecido como o Gasparzinho morre, mas vendo ali embaixo deu pra ver que se completa muito com a história do Jack. E o Jack deve ter se sentido muito mal depois, porque mesmo que não fosse a intenção dele (jamais seria), o Gasparzinho morreu por causa do frio e por causa da insistência dele. Tipo, ele pediu pro Gasparzinho ficar mais tempo ali com ele e pra ele não ir embora... Ah, cara! E o pior é que, se tu pensar, o Jack ainda lembra do Gasparzino. E talvez até saiba que ele é um fantasma, e talvez fantasmas e guardiões possam interagir, mas ele nunca foi falar com o Gasparzinho porque tem vergonha. Culpa. Ah, eu amei esta história! Mano, que angst bem pensado, sério. Palmas, palmas, eu tô muito feliz por termos planejado esse desafio, olha a fanfic maravilhosa que saiu dele, sério! Eu só quero te abraçar, porque tudo se encaixou muito bem e a tua escrita suave complementou de forma muito linda a história. Tá de parabéns mesmo <3 Um beijão no core :* Dica de gramática: O verbo fazer haver não vai para o plural quando tem o sentido de existir, então se usa "havia crianças lá", "há várias pessoas aqui".
27 de Marzo de 2018 a las 23:15

  • Ayzu Saki Ayzu Saki
    Muito Obrigada <3- <3 Adorei o desafio, sair da zona de conforto. E obrigada pela correção também! E pela oportunidade de juntar dois dos meus personagens favoritos da infância 2 de Abril de 2018 a las 09:12
~