Happy New Year, Otabek. Seguir historia

timelady Stella Matos

Gente esse é só uma pequena adaptação do hino da oneshot Cellps, com o famoso AH SEU VOU KKKKKKKKKKK Só que eu fiz versão otayuri, porque... why not? Enfim créditos a história pra criadora @informal. Boas risadas KDWIJDWIJWIJIQW


Fanfiction Sólo para mayores de 18. © @informal

#sexo #adaptação #kkkkkkk #otabek altin #otayuri y #otayuri
Cuento corto
5
6456 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capitulo único

Era dia 31 de Dezembro de 2015. Último dia do ano. 21:57 da noite. Faltava pouco tempo para entrarmos em 2016.


Sentei-me no jardim de minha casa. Meu avô havia saído para uma festa de ano novo na casa da Lilia, mas, optei por ficar em casa. Eu havia um grande plano na cabeça que pode torna-se realidade.


Como eu já estava vestido. Levantei-me e comecei a andar pelas ruas de St. Petersburgo. St. Petersburgo era uma cidade com muitos habitantes da Russia. Era noite de ano e logo decidi ir á casa dele comemorar.


Otabek Altin – ou Beka – é meu namorado e, não tenho medo de conhecer isso. Ele foi um completo herói que chegou á minha vida na época que eu sofria depressão – os motivos eram bullying e a morte da minha gata, Potya – e mudou tudo. Faz dez meses que namoramos e decidi fazer uma surpresa a ele.


Sempre me senti culpado. Otabek foi um milagre em minha vida e eu nunca fiz algo de volta á ele. Por isso, nessa noite, irei dar meus totais agradecimentos á ele por esse ano maravilhoso chamado 2015.


Desci a avenida e fui em direção á uma ruazinha na qual todas as luzes estavam apagadas. Só havia uma casa com luz acesa e, claramente era a dele. Fui até a janela e Otabek estava no seu computador e seus remixes. Fiquei observando seus lindos e iluminados olhos pretos mortos concentrado no trabalho antes de entrar.


- Oi. - Falei ao abrir a janela e apoiar meus braços nela.


- Oi. – Ajudou-me a entrar. – O que veio fazer aqui?


Encarei-o por um tempo. Fica cada vez mais presos nesses lindos olhos pretos mortos que entrou como um milagre em minha vida.


- Vim te agradecer. – Falei junto á um sorriso malicioso.


- Não precisa agradecer nada. – Falou em meio á um sorriso, demonstrando seus belos dentes brancos.


- Ah seu vou. – Falei abrindo outro sorriso malicioso e empurrando Otabek em sua cama.


Posicionei minhas mãos no pescoço de Otabek e comecei a beija-lo. Desacelerei um pouco, pois era a primeira vez que eu estava fazendo isso. As mãos do moreno posicionaram-se em minha cintura enquanto retiro sua camisa e encaro seu abdômen. Tirei minha blusa e comecei a traçar uma trilha de beijos na barriga de Otabek até me deparar com a calça jeans. Dei uma leve massagem em seu púbis e logo retiro sua calça junto á sua cueca, revelando o membro totalmente ereto.


Aproximei minha boca cada vez mais do seu membro e comecei á abocanhá-lo aos poucos. Cada momento naquela cama era uma montanha de emoções e arrepios á flor da pele. Fiz movimentos de vai e vem enquanto Otabek tenta conter seus gemidos.

- Yuu-ur-aa-. Gemia de acordo com meus movimentos.


Altin começou a apoiar suas mãos em minha cabeça para ajudar-me com os movimentos. Depois de alguns segundos, retirei minha boca de seu membro ao ver que Otabek estava quase chegando ao seu ápice.


- Você está indo bem para uma primeira vez – Beka – sempre gostei de chamá-lo com esse nome – dizia em meio á um sorriso malicioso.


- Você ainda não viu nada.


Dei mais um sorriso para ele e comecei á retirar minha calça. Com um movimento impulsivo, Otabek vai até minha calça e tira-a junto á minha cueca e logo começa a abocanhar meu membro por inteiro.


- Bee-be-kaaa-a. Gemi durante seus movimentos.


Cada segundo era um arrepio á mais. Era uma montanha-russa de emoções. Com Otabek sempre foi assim. Seu bom humor sempre me deu inveja, suas características me completam e cada segundo ao lado dele é perfeito.


O moreno retirou sua boca de meu membro enquanto molho seus dedos com minha saliva. Ao ficar de joelhos em minha frente, viro-me e fico de quatro pra ele. No primeiro segundo, sinto insegurança, afinal, nunca fiz algo do tipo na minha vida. Mas, essa primeira vez vem sendo mágico e eu sei que Otabek não me faria sentir dor.


Aguardei que Otabek prepara-se e logo senti uma grande dor em minha entrada. Era Otabek, abrindo-a com seus dedos e com seu membro. Era uma dor incontrolável, mas, logo me acostumei com ela.


Posso segurar qualquer dor com Otabek. Ele precisa saber que sempre vou estar ali para quando ele quiser. O amor para nós foi como uma troca. Uma troca de carinho e compreensão. Algo que ele sempre me deu desde o dia que nos conhecemos. Algo totalmente novo. Ele entrou na minha vida pra ficar e eu acredito nisso.


Otabek ficou um tempo penetrando-me antes de começar com o movimentos de vai e vem. Quando começou, senti um breve sentimento de prazer. Os movimento de Beka dentro de mim era algo totalmente mágico, lembrando-me de cada momento que tivemos esse ano. Momentos inesquecíveis e, que guardarei para a vida toda. Afinal, Otabek é um cara totalmente inesquecível.


- Posso começar? – Otabek perguntou. Fiquei inseguro, mas, acreditei que isso daria totalmente certo.


- Pode. - Fechei meus olhos para que Otabek começasse as estocadas.


As estocadas começaram. Otabek tentou ser menos bruto comigo e, claramente, conseguiu isso. Tudo em seu toque fica cada vez mais fofo. Mais importante e mais real. Praticamente, tudo era perfeito para mim. Quando o moreno aumentou a velocidade das estocas. Era como um total paraiso para mim.


Depois de um bom nessa formam lembrei-me de todos os momentos felizes que vivi com Otabek. Ele era um cara impressionante, não tenho como descrever todo meu amor por ele em palavras. Só havia uma certeza: Existia mais amor do que prazer.


Aproveitei o tempo para começar a masturbar-me, só que, a força das estocadas é tão grande que meu corpo inteiro está dormente. Ao ver minha tentativa falha, Otabek leva sua mão até meu membro e começa a masturbar o mesmo enquanto ele chega ao seu ápice, gozando dentro de mim.


Sentir o toque de Otabek em minha mão nunca foi tão ótimo como agora. Cheguei ao meu ápice, logo esbanjando todo meu liquido na mão de Otabek. Cansados, deitamos-nos um de frente ao outro enquanto os primeiros fogos de 2016 explodiam no céu.


Eu agradeço cada segundo que passei com ele esse ano - agora, ano passado – e aguardo por muitos momentos ao lado dele em 2016. Ele foi a melhor parte do meu ano e, acredito que meu 2015 não teria sido o mesmo sem ele.


Virei para a janela e observei a explosão de luzes que acontecia no céu. Era algo totalmente lindo. Olhei para frente e depare-me com os olhos pretos mortos de Otabek, que estava sorrindo e segurando minha mão.


- Feliz ano novo, Yura. – Dizia enquanto fechava seus olhos.


- Feliz ano novo, Beka.

15 de Marzo de 2018 a las 21:56 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~