Em meio a dor. Seguir historia

takkano Takkano

Toyohisa nunca foi uma pessoa gentil. Criado em uma família tradicional de guerreiros, aprendeu que um homem deve sempre agir como homem. Mas, o que exatamente seria agir como homem diante aquela situação?


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 21 (adultos).

#fantasia #yaoi #elfos #histórico #lemon #violência #comédia #tortura #mpreg #Drifters #spoiler #humor-negro #Toyohisa-Shimazu #Kouta-Hirano #personagem-original
2
6515 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Um prisioneiro inusitado.

Notas iniciais do capítulo

Toda a história foi desenvolvida a partir do episódio 5 do anime, e é contada como uma realidade paralela ao do anime/mangá em si, embora eu possa colocar alguns acontecimentos que sigam a história original (então cuidado com spoilers!) Também não coloquei nenhum tipo de explicação anterior sobre os personagens, mas ao longo da trama irei falar um pouco sobre cada um deles. O elfo, que aqui na minha história, é um dos personagens principais, não existe no anime. Eu o criei apenas para interagir com o personagem principal.
A capa já foi reeditada,as imagens achei no Google e não sei quem são os artistas.
Boa leitura! 



Assim que as portas foram ao chão, uma cena grotesca e perturbadora foi revelada.

Várias elfas eram cruelmente violentadas pelos soldados. Todas estavam muito machucadas, assustadas e pareciam incapazes de reagir a tamanha violência.

— Retiro o que eu disse sobre honra. Esse lixos não merecem a nossa honra. A única coisa que estas pestes merecem é a pior das mortes.

Toyohisa, o drifter mais insano do grupo, entrou pelo aposento, dilacerando um por um dos homens que ali estavam. Não media nenhum cuidado em poupar as mulheres ali de serem atingidas pelos pedaços dos soldados, ou pelo sangue que jorrava por toda parte.

Após não sobrar um único soldado inteiro dentro da sala, o drifter ajudou os outros elfos a amparar adequadamente as mulheres, e retirá-las dali com segurança.

Deu uma olhada pelo local. O lugar era medonho e tinha um fedor horrível, e agora, com o massacre dos soldados, a aparência era ainda pior. Como ficou de esperar ali a chegada de Oda Nobunaga, decidiu ventilar um pouco aquele ambiente imundo.

Começou a abrir janela por janela e puxar as cortinas, iluminando precariamente o lugar. Ainda estava no meio do caminho, quando notou que a última cortina, bem no canto do cômodo, tremia muito. Não seria possível uma vez que a janela ali permanecia fechada.

Tinha alguém escondido lá.

Seria uma elfa, com medo de aparecer? Não. Shara, o líder dos elfos, contou todas e, a única que faltava, havia sido morta durante um aborto forçado pelos soldados. Então só poderia ser…

Em um primeiro momento, pensou em apunhalar o desgraçado ali mesmo, ainda por cima das cortinas. Era assim que devia morrer um maldito covarde, nem merecia saber quem o matou.

Mas Toyohisa não se conteve, queria ver a cara daquele merda, que se atrevia a se esconder depois de toda a atrocidade que foi capaz de fazer.

— Saia dai seu monte de lixo! Eu quero ver essa sua cara feia antes de rasgar a sua garganta, como fiz com os outros aqui. VAMOS! SAIA LOGO! - Toyohisa gritou chutando o homem que gemeu de dor.

— E… eu, não posso andar, por favor! Eu não posso andar! - a pessoa oculta pelas cortinas começou a chorar descontrolada.

Toyohisa paralisou.

A voz não pertencia a um dos soldados, e, apesar do forte sotaque, também não era de nenhuma elfa; a voz, definitivamente, era bem masculina.

Puxou a cortina de uma só vez. Seus olhos miraram a figura com surpresa.

Acuado ali no canto, um jovem elfo tremia, bastante machucado, com um semblante desesperado e assustado. Estava completamente nu, e havia muitos cortes sobre toda a sua pele.

— Me mate, por favor! - o jovem chorava ainda mais. – Por favor, apenas me mate logo!

— Vo… você é um elfo? - Toyohisa se aproximou um pouco fazendo o elfo se encolher, grudando nas paredes.

O elfo virou o rosto se escondendo do estranho. Toyohisa suspirou frustrado e guardou as espadas.

— Vem, vamos logo embora daqui. - o drifter ofereceu a mão ao jovem, que recusou.

— Já disse, eu não posso andar. Eu não como há cinco dias, e também… – Muito relutante o rapaz abriu um pouco as pernas.

O estômago de Toyohisa revirou. Não bem pelo que viu, pois estava acostumado a presenciar, e até mesmo causar, ferimentos realmente piores em seus adversários. O problema era o motivo que os causou. Havia muito sangue na parte interna das coxas do elfo, e no chão. Alguns hematomas e cortes também podiam ser vistos ali.

— Toyohisa! - uma voz próxima a porta o chamou. Oda Nobunaga acabara de chegar.

Toyohisa fez sinal para que o elfo ficasse em silêncio e foi até Oda.

— Ei velho, me empresta esse seu quimono ai? - Toyohisa estendeu a mão tentando pegar o quimono do velho guerreiro.

— Quê? - o velho desviou das mãos de Toyohisa que continuou a puxar o tecido. – Para que você quer ele afinal?

O jovem elfo pode ver quando os dois drifters se aproximaram um pouco dele. O mais velho o olhou tão assustado quanto Toyohisa. Ficaram conversando por mais alguns minutos até que o velho se despediu, entregando o quimono.

— Quem era aquele homem? - o elfo perguntou assim que Toyohisa voltou a se aproximar.

— Não se preocupe, é um dos meus aliados. - Toyohisa segurou o elfo pelo braço. – Tente se levantar, preciso tirar você daqui.

O elfo se segurou com dificuldade nas paredes, na tentativa de se apoiar. Toyohisa viu que suas unhas estavam destruídas. Provavelmente o rapaz tentou, de todas as formas, resistir aos abusos; sem sucesso.

— Aqui, se apoie em mim. - Toyohisa passou os braços do elfo em volta do seu pescoço, para que ele pudesse ficar em pé e vestiu o rapaz com o quimono. – Olha, geralmente, carregamos nossos companheiros feridos em batalha, nas costas. Mas eu não posso arriscar abrir suas pernas no estado em que você está, então… - Toyohisa o pegou no colo. – Aqui, se cubra com isso. - o drifter pegou um pedaço de pano que julgou estar consideravelmente limpo, e deu ao elfo para que ele cobrisse a cabeça. Ele sabia que o elfo estava com muita vergonha de ser visto naquela situação humilhante.

— O… obrigada. - o elfo se sentiu aliviado por poder se esconder.

Saíram pelos fundos, onde não havia a confusão dos soldados presos e nem os elfos enfurecidos querendo matá-los. Oda havia proibido Toyohisa de massacrar aqueles homens imundos, então o rapaz pediu que, ao menos, pudesse sair dali levando o elfo com algum sigilo.

Ao passar pela saída, o velho Nobunaga os esperava com algo que lembrava muito uma mochila.

— Vai carregá-lo no colo como se fosse uma donzela? - o guerreiro riu divertindo-se com a expressão de irritação do moreno.

— Ele está ferido, e não é tão pesado assim. - Toyohisa vez sua melhor cara de imponência enquanto Oda prendia as coisas em suas costas.

— Vão pelo norte, a estrada lá é segura. Parem somente quando encontrarem a cachoeira. Existe uma gruta entre as montanhas, você poderá cuidar dele melhor lá. Terão que passar a noite, ele não vai aguentar uma viagem de dois dias nesse estado.

Toyohisa agradeceu e partiu, levando o elfo.


10 de Marzo de 2018 a las 23:54 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Boas intenções!

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 19 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión