Eu Lembro Seguir historia

ero-lua Amae

- Eu me lembro do que me disse naquela hora – ele falou calmo, e Mikasa não desviou os olhos ao arregala-los lembrando-se também, do que havia dito a ele. Tinha se confessado, da sua maneira. E ele aceitou esses sentimentos, ele a envolveria naquele cachecol para o resto de sua vida, e ainda que não dissesse com palavras naquela hora, Mikasa sabia que isso iria acontecer.


Fanfiction No para niños menores de 13.

#Romance #Eren #Lua #Mikasa
Cuento corto
2
6.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Eu Lembro

     O sol que invadiu o quarto naquela manhã trouxe com ela a quietude de mais um dia poder abrir os olhos e sentir todos os músculos de seu corpo ainda estalar ao movê-lo. Isso era uma coisa boa, indicava que ao menos, uma vez mais, você foi capaz de enfrentar seus medos e encarar o amanhecer com tudo que tem direito.

A dona dos olhos já abertos sorriu. Um dia calmo depois de dois repletos de guerra e morte de seus amigos. Não sobreviveria para sempre daquele jeito, e esperava poder um dia acordar ao lado da pessoa que amava, ao lado de seus filhos, de uma família que queria ter. Ao pensar nisso, seu olhar despertou completamente. Suas costelas doeram ao tentar levantar e sentar na cama.

Olhou para o quarto em busca de encontrar uma resposta, ao menos uma lembrança de como viera parar ali, mas tudo que vinha na mente eram os últimos momentos em que esteve consciente; fugia de algo, algo grande, em sua frente Eren cavalgava sem parar, o braço estava ferido, e ele respirava com dificuldade.

- Eren... – Sussurrou ao tocar novamente em suas costelas, estavam doendo pra valer. Havia ataduras rodeando-as, em breve ficaria boa, mas no momento, procurou saber da única pessoa que importava. – Eren – chamou mais forte, levou as mãos até seu pescoço tocando no cachecol presente, sorriu.

- Você acordou – a voz daquele que lhe dava forças chegou a seus ouvidos aquecendo o coração da garota, ela ergueu o olhar e viu Eren passar pela porta do quarto trazendo uma pequena bandeja de comida. – Pensei que demoraria um pouco mais.

- Eren... – Sussurrou novamente e sentiu a garganta seca. Arfou procurando por água na bandeja que foi colocava em sua frente e bebeu a única garrafa de água ali presente. Olhou outra vez para o homem que puxava a cadeira e sentava ao lado da cama, lhe fitando. – O que aconteceu?

- Conseguimos fugir do campo e voltar para dentro da muralha – comentou o obviou, e olhou para suas mãos. Não estavam mais machucadas, mas a lembrança do campo de batalha, de todos aqueles se unindo para acabar com o que mais importava para si. Sua vingança tinha sido concluída, embora de uma maneira inusitada.

- Seu corpo, você já está melhor – ela o avaliou, procurando qualquer indício de queimadura ou machucado. – Onde está o Armin?

- Ele está bem, não se preocupe – Avisou para a garota que assentiu voltando a comer. Sua barriga roncava, de fato. Morria de fome. Enquanto comida, estranhou o silêncio vindo de Eren, tinha alguma errada naquela manhã. O olhou de lado enquanto terminava de engolir o pão e esperou que ele dissesse alguma coisa, mas nada saiu.

- Está tudo bem? – Eren não respondeu de imediato, ele inalou o ar puxando para dentro dos pulmões e levantou da cadeira sentando em seguida, na cama. Encarou o rosto de Mikasa com mais naturalidade, um rosto bonito, diferente, perfeito, em sua opinião, sempre viu Mikasa com uma companheira para a vida toda, se preocupava. Nunca a viu como uma irmã, ou meia irmã, sempre foi a Mikasa que cresceu e aprendeu a gostar.

E agora, em frente a ela depois de ouvir sua declaração, os sentimentos que floraram dentro do peito eram comuns, como se já existissem, mas algo o bloqueava de passar para o coração, para a mente. Com o rosto corado, ele levou sua mão até o rosto dela, tocando em suas bochechas e desceu até os lábios os entreabrindo um pouco. Jamais negaria que era bonita.

- Eren...

- Eu me lembro do que me disse naquela hora – ele falou calmo, e Mikasa não desviou os olhos ao arregala-los lembrando-se também, do que havia dito a ele. Tinha se confessado, da sua maneira. E ele aceitou esses sentimentos, ele a envolveria naquele cachecol para o resto de sua vida, e ainda que não dissesse com palavras naquela hora, Mikasa sabia que isso iria acontecer.

Eren se preocupava, existia carinho entre eles, no entanto, as complicações, as guerras, o trauma, a vingança que estaria por vir, seu novo descobrimento sobre o poder no corpo, seus novos “afazeres” apenas fizeram com que aquele momento se adiasse, mas acontecia.

- Se não tivesse dito, eu jamais teria forças, ou conseguiria achar um rumo, para seguir a diante – ele disse, lembrando-se bem da sua declaração, e depois dela, o desejo de proteger sua garota o consumiu por inteira, liberando assim, um novo poder para usar contra aqueles que os faziam mal. – Eu pensei que naquele momento, não serviria mais para nada, e você me trouxe de volta a razão.

Falava Eren, pensativo, animado, olhando-a nos olhos. Mikasa sorriu e desviou o olhar, era estranho o ouvir falar daquela forma e ainda a fitar como se tudo que disse não fosse totalmente real. Mas era.

Quando Eren se aproximou de seu rosto, Mikasa sentiu o coração acelerar, ele vinha se aproximando devagar e ela não estava disposta a desviar, foi então que seus olhos se fecharam e ela pode sentir a macies daqueles lábios sob os seios. Os pelos de seu corpo se arrepiaram, assim como o coração que acelerou em uma proporção inesperada. Era bom sentir aquilo.

Era seu primeiro beijo, e não passou de um pequeno selinho demorado para começar uma pequena relação íntima, se afastaram lentamente e Mikasa abaixou os olhos, o rosto vermelho, assim como o de Eren. Ela sabia que aquele também era seu primeiro beijo, o que tornou tudo ainda mais especial.

- Obrigada – ela disse baixo, e ele sorriu em resposta, deixou a bandeja de lado e sentou na cama puxando-a para seus braços. Deitou-a delicadamente sob seu peito e alisou o cabelo escuro até o final. Os fios estavam longos novamente, mas não se importaria com o tamanho deles.

Enquanto ele se divertia com os fios negros que entrelaçavam em seus dedos, Mikasa sorria animada, agradecida por ele ter se lembrado de tudo. Odiaria não ter passado de um sonho.

9 de Marzo de 2018 a las 00:00 1 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Sua história está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
25 de Marzo de 2018 a las 16:23
~