Descobrindo o passado! Seguir historia

megawinsone Megan W. Logan

No final do torneio dos 12 universos, uma tragédia aconteceu, fazendo com que Bulma tomasse uma decisão drástica para salvar sua filha recém nascida. O que será que ela fez? Alguns anos após o ocorrido, Bra em sua mocidade vai morar com Whis, para virar sua discípula. Nesse meio tempo Whis descobre uma mesquinha conspiração por de trás da tragédia que envolveu o sétimo universo. Agora Whis terá a chance de salvar seus amigos. Como ele conseguirá fazer isso? Será que morar com Bra vai ser tão simples assim?


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#Bra-x-Whis #Bra #Whis #romance #drama #mistério #aventura #Conspiração #Dragon-Ball-Super
4
7171 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

O Passado x Escolhas!


Haviam-se passado dezenove anos desde o termino do torneio dos 12 universos, e isso ainda mexia com os sentimentos de Whis, apesar dele parecer desligado e não emotivo, o anjo do sétimo universo não conseguiu esquecer aquele fatídico dia, por mais que tentasse.


Atualmente, Whis se encontrava sentado no chão de seu jardim florido meditando e novamente uma lembrança tomou conta de sua mente, uma coisa que ocorreu há anos atrás, que o fez perder amigos e bons discípulos.


Não acreditava até agora no que tinha acontecido, naquela derrota boba, naquele golpe tão mal calculado, agora o que restara a ele foi a recriação do sétimo universo que fora destruído, estava auxiliando os deuses deste novo sétimo universo e provavelmente voltaria a ser guardião e orientador do novo deus a ser indicado, que provavelmente era de um outro universo que iria ser promovido para exercer esse papel. Seu pai tinha comentado com ele que provavelmente o primo de Bills iria ser o novo deus da destruição, no qual iria tutelar. O que sabia era que Tills tinha o gênio um pouco melhor que Bills, era apenas um pouco mais compreensivo.


Sim, ele tinha também outra responsabilidade que assumira antes do sétimo universo ser destruído. Foi difícil convencer os Zen’oh, mas seu pai conseguiu com sua inteligência e ele o foi grato por isso, mas não sabe até quanto.


Uma promessa não pode ser desfeita e agora está chegando a vez de arcar com suas responsabilidades e promessas, pois seu pai já estava ficando impaciente e sua Irmã o intimou a fazer o que tinha prometido, senão ela tomaria a responsabilidade para ela, e depois não teria mais o que ele reclamar. Se pudesse voltar atrás e salvar todos, não estaria passando por isso, suspirou e voltou a se lembrar daquele fatídico dia.


-------------------------------Flash back---------------------------------------


Goku estava cansado e ofegante, pois tinha lutado com todas as suas forças, realmente o lutador que o enfrentava era muito forte, não sabia que este guardava tanto poder assim. Daria um último golpe usando todo o poder que ainda lhe restava, isso deveria bastar.


O ataque e contra-ataque foram rápidos e impetuosos, numa fração de segundos, Goku é arremessado contra o chão com um furo no peito, provocado por uma lança feita de ki, que este não enxergou, por ser tão rápido. O sangue era tanto no chão, que ninguém podia imaginar que o sayadin tivesse ainda forças para se levantar, porém esse gesto fora inútil, pois seu adversário o socou o deixando desmaiado no chão. Fazendo-o perder a luta, de forma tão boba e precipitada.


- Ai,ai,ai,ai Senhor Bills, acho que o sétimo universo já era... É uma pena! – Lastimou Whis balançando a cabeça de forma séria.


- Nós seremos todos apagados – Murmurou temeroso o deus da destruição.


- É... eu felizmente não vou ser apagado, mas sinto muito por vocês – Declarou pesaroso o rapaz de madeixas esbranquiçadas.


- Vegeta faça alguma coisa, nossa filha é recém-nascida e vai ser apagada do universo junto conosco, não é justo – Choramingou Bulma abraçando o marido, que olhava a pequenina dormir num berço próximo a arena.


- Calma Bulma... iremos achar uma solução – Falou o príncipe dos sayadins pensativo.


- Eu já sei Veeeegeeta....vamos dar a Bra para o Whis cuidar e tutelar, pelo menos assim ela vive, mas claro se ele aceitar e der – Murmurou a mulher de olhos azuis muito desesperada – E o Trunks o que será dele?


- Não sei, só sei que até o deus da destruição irá ser destruído junto com a gente. Porém não custa tentar e pedir – Tentou animar a esposa antes de ir com ela até Whis.


Whis estava absorto em seus pensamentos quando sua concentração foi quebrada, ao avistar de canto de olho que Vegeta e Bulma se aproximavam dele, com um bebê que estava nos braços da cientista.


- Whis... por favor... leve minha filha e meu filho com você, não deixe que ela seja apagada e destruída junto com o sétimo universo – Implorou a cientista com a voz embargada.


- Bulma, você sabe o que me pede? Não sei se dá, preciso pedir ao meu pai e ele com certeza irá consultar Zen’oh – Respondeu sério o anjo do sétimo universo.


- Muito obrigada! Por favor, vá logo conversar com ele, antes que todos sejam evaporados e não dê tempo – Implorou aflita.


Vegeta não falou nada, só ficou absorto em seus pensamentos, sentindo-se um inútil que não podia salvar sua família. A única coisa que lhe restava era esperar pela bondade de outro ser para que pelos seus filhos se salvassem. Ele estava furioso com tudo aquilo, e ao mesmo tempo desesperado.


Como prometido Whis se aproximou de seu pai e pediu para falar em particular com ele. Enquanto isso Vados observava atenta os movimentos do irmão, após a família de Vegeta ir falar com ele, algo estava acontecendo e ela precisava verificar. Então sem ser convidada Vados se aproximou do pai e do irmão que discutiam algumas coisas interessantes.


- Não Whis, não posso salvar os dois, isso é contra as regras, porém posso abrir uma exceção para uma criança apenas – Falou sério o sacerdote supremo.


- Isso é injusto vou ter que escolher apenas uma criança para salvar. Qual dos dois, o menino ou a menininha de apenas um mês?


- Eu respondo por você meu filho, isso é fácil para mim, pegue o bebê, será mais fácil de ensinar as regras e criar conforme queremos – Deduziu o jovem senhor.


- Já me intrometendo no bate-papo de vocês. E quem vai criar esse bebê? Você Whis? Será você papai? – Vados questionou e olhou curiosa para os dois homens, que a olharam pensativos.


- Eu vou criar ela como criei vocês, porém vou precisar de ajuda... Vados você pode me ajudar a criá-la? – Pediu o sacerdote mais velho.


- Mas é claro papai, pensei que você não iria perguntar e quanto a Whis? – Inquiriu a moça pensativa ao mesmo tempo em que encarava o irmão.


- Bem, ele vai tutelar ela somente quando esta completar 18 anos, ela será assistente dele e protegida. O que você acha Whis? Aceita?


- Sim papai para mim está ótimo, eu prometo que irei cuidar dela depois que ela fizer 18 anos – Respondeu cauteloso o anjo do sétimo universo.


- Bem, agora que nós estamos acertados, eu quero que você filha vá pegar o bebê com aquela cientista da terra e a traga para mim. Whis vá junto e explique como ficou o acordo. Vou comunicar o Zen’oh, sei muito bem como vou convencê-lo – Falou a última frase murmurando, pois sabia que seu tutelado sempre ouvia a opinião dele.


Daishinkan se aproximou de Zen’oh e conversou com este, que escutou tudo muito atentamente, e concordou com tudo o que seu sacerdote iria fazer, poupando a vida de Bra e o acordo envolvendo Whis.


Pensativo Zen’oh ordenou que seu sacerdote poupasse a neta de Goku também e que a enviasse para o primeiro universo ou o segundo universo, que chamasse os sacerdotes anjos para ver qual deles aceitaria ficar com Pan e a criar, para depois se tornar assistente e protegida de um deles. O sumo sacerdote apenas assentiu com a cabeça e fez o que lhe foi pedido.


Não muito longe dali Bulma e Vegeta aguardavam a resposta de Whis, ambos estavam nervosos, pois não sabiam o que aconteceria, se o acordo de levar seus filhos iria dar certo. A mulher de olhos azuis permanecia abraçada a seu esposo, enquanto olhava de vez enquanto para sua filha que dormia de forma tranqüila. De repente Whis e Vados aparecem do lado de Bulma, a assustando pela aparição repentina deles.


- Então... o que decidiram? – Perguntou o príncipe dos sayadins deixando transparecer um pouco de preocupação na voz.


- Bem, vamos levar apenas o bebê, poderemos salvar somente a filha de vocês. Sentimos muito pelo Trunks – Whis estava inexpressivo, sua face não demonstrava o que ele sentia no momento, pela difícil decisão.


- Mas por quê? Ele é um bom menino! – Contestou a cientista esbravecida ao mesmo tempo em que gesticulava com uma das mãos.


- Foi uma decisão difícil, vocês têm sorte de pelo menos estarmos salvado a vida de sua filha – Replicou Vados extremamente séria.


- Infelizmente ela está certa, pelo menos salvamos nossa filha – Rebateu o sayadin encarando a esposa que estava com lágrimas nos olhos.


- Euuu tenho nessas cápsulas muito leite especial enlatado, mamadeiras, roupas até ela completar 2 aninhos e fraldas – Falou Bulma entregando algumas cápsulas para Vados, ao mesmo tempo em que explicava para ela como funcionavam as cápsulas, como se fazia a mamadeira de Bra com o leite,e sobre as fraldas. Enquanto isso Whis e Vegeta só observavam as duas conversando.


A explicação de Bulma demorou quarenta minutos, já cansada de falar tanto, a mulher de cabelos azuis pegou a filha no colo, beijou a testa ternamente e depois deu para Whis segurar.


- Cuide bem da minha filha Whis! Honre a promessa que nos fez e proteja nossa pequena princesa! Vados, eu conto com você também! – Exigiu com um tom triste na voz.


- Sim, pode deixar, eu prometo que cuidarei! – Sorriu fracamente o sacerdote, antes de passar a menina para os braços de Vados.


- Já vão levar ela? – Inquiriu o príncipe dos sayadins.


- Sim, não falta muito para a ação de Zen’oh – Vados respondeu.


- Deixe eu me despedir da minha filha – Vegeta aproximou-se de Bra, pegou ela no colo, beijou sua testa e se despediu murmurando palavras em seu idioma natal, fazendo a menina o encarar nos olhos e fungar como se quisesse chorar – Não chore minha princesa, algum dia nos encontraremos, se assim for nosso destino – A pequenina então apertou o dedo de seu pai e resmungou coisas que não dava para entender – Vegeta ficou meio emocionado com o momento e devolveu sua filha a Vados, que já tava com muito pena da situação.


O sumo sacerdote chamou Whis e Vados para se prostrarem do lado dele. Olhou para a pequena, deu um meio sorriso, a pegando no colo e desaparecendo por alguns minutos, para depois retornar somente ele. Vegeta e Bulma observaram tudo abraçados tristes, apesar de estarem ao mesmo tempo felizes pela filha deles ter sido salva.


Não muito longe dali, Videl e Gohan passavam por algo parecido, mas com Pan. Estavam todos muito indignados com Goku, agora por causa de sua irresponsabilidade, todos iriam morrer.


De repente o sacerdote anjo do segundo universo surge perto deles para conversar, deixando Gohan desconfiado, e Videl temerosa.


- O universo de vocês será destruído e o grande Zeh’oh ordenou que salvasse sua filha da morte que virá. Isso porque ele tem apreço por Goku – Falou de forma ríspida o sacerdote, deixando Gohan e Videl sem ação, completamente petrificados.


- Mas você vai criá-la? – Videl questionou num misto de alivio e desconfiança.


- Vou sim, conforme nossas regras, ela seguirá nossas normas e será minha assistente quando for mais velha – Explicou de forma séria.


- Vocês podiam salvar o meu irmãozinho também, ele é uma criança e não merece ter o mesmo fim que o nosso – Pediu Gohan com certa agonia na voz.


- Não podemos... Já foi decidido! Senão teríamos de abrir exceção para mais crianças do seu universo. Houve universos que ninguém foi poupado, vocês deveriam ficar contentes por pelo menos 2 crianças serem salvas – Respondeu de forma séria e sincera o anjo do segundo universo.


- Pode levar a nossa filha, só queremos o melhor para ela – Disse Videl antes de pegar a filha no colo – Tchau meu amor, seja uma boa menina! – Beijou a criança, e Gohan também se despediu de sua filha. Logo após isso o casal entregou a pequenina para o anjo que a levou pra junto dele e seus companheiros.


O extermínio do sétimo universo não tardou a acontecer, foi rápido e num piscar de olhos.


------------------------------Final do flash back-----------------------------------


De repente a concentração de Whis é interrompida pela presença de sua irmã que apareceu do nada em sua frente. Fazendo-o abrir os olhos um pouco chateado por ser interrompido de forma abrupta, até parecia que Vados gostava de irritar ele daquela forma, somente ela tinha a capacidade de fazer isso.


- Irmão! Ah! Desculpe estar lhe incomodando desse jeito – Olhou bem inocentemente para ele, segurando uma risadinha.


- Sua mentirosa... adora me perturbar! – Rebateu indignado.


- Pois bem, agora vamos deixar isso de lado. Vim aqui por outro motivo o mesmo que me trouxe há algum tempo atrás. Acho que você se lembra muito bem não é? – Retorquiu fazendo uma carranca séria e se aproximando mais do irmão, que ficou em pé para a encarar.


- Você bem sabe que estou ocupado preciso recriar o sétimo universo, uma missão muito difícil, imagine criar novos planetas e seres, que penso que vou importar alguns de outros universos, senão não vai ter graça começar do zero – Gesticulou um pouco enquanto explicava seus motivos por não estar cumprindo sua promessa.


- Esse é o ultimo aviso, ou você vai pegar Bra, ou a faço minha assistente, já que ajudei a criá-la desde bebê junto com nosso pai. Do que você tem medo? Ela é bem inteligente, forte e boa de luta, aprende tudo muito rápido – Informou sentando-se num banco que tinha no jardim daquele local, cercado por flores azuis e cor de rosa.


- Isso é bom, quer dizer que vocês a criaram bem. Eu não sei se estou preparado agora para tutelar um ajudante, mostrar o que tem que ser feito. Os poderes dela são tão diferentes dos nossos – Desabafou sentando-se do lado da garota, que o encarava confusa.


- Mas você prometeu e vai cumprir, senão a próxima pessoa que vai vir lhe puxar a orelha é o papai e você sabe... nada com ele é fácil. Ele odeia que quebrem uma promessa que ele assentiu e concordou – Falou indignada.


- Eu sei, por isso prometo que vou amanhã buscá-la, não tenho alternativa – Whis confessou derrotado.


- Sabe, confesso que na realidade eu não queria muito que você fosse, porque eu iria ficar com ela como assistente. Bra é tão divertida, quando ela fez 18 anos fomos num barzinho bem badalado e freqüentado só por pessoal que tem nível de força igual a gente e altas hierarquias, foi tão legal. Ela foi paquerada por dois sacerdotes e três deuses da destruição, mas não deu muita bola para eles. Até que um deles era bonitinho. Olha... você precisa me prometer liberar ela de vez enquanto para me acompanhar – Revelou empolgada, fazendo o irmão erguer uma das sobrancelhas.


- Poupe-me de suas aventuras e vou pensar se a libero para sair com você ou não. Já estou até vendo você deve ter mal acostumado ela com esse seu jeito amalucado de ser – Comentou com um sorriso zombeteiro no rosto.


- O que? Pelo menos eu a criei, estive lá quando ela precisou de mim e você, o que vai ensinar a ela? Comer e dormir? – Rebateu questionando.


- Claro que não! E você sabe disso – Retrucou sério.


- Então se é assim, te vejo amanhã – Se despediu a moça de madeixas esbranquiçadas.


Depois que sua irmã se foi Whis foi até sua imensa casa, que ficava naquele pequeno planeta. Havia uma pequena lagoa atrás da casa, sua água era de cor esverdeada, a cor do céu era azul bem clarinho e as árvores variavam da cor avermelhada a esverdeada, embora as flores possuíssem várias cores e tonalidades, a terra do planeta era bem vermelha em algumas regiões e amarelo ouro em outras. Aquele planeta fora dado pelo sumo sacerdote a Whis para que ele morasse, enquanto aguardava os preparativos para a recriação do sétimo universo, que teria que ser muito bem elaborado.


Vados chegou cansada na casa de seu pai, onde Bra estava na sala de recreação lendo um livro técnico de instruções de como se portar diante a um soberano, com grau maior que o dela.


- Oi Bra! Lendo algo interessante? Pelo jeito não, esse livro é tão chato, mas é bom ler, senão papai me esgana, se você fizer algo que vá contra as regras e bons costumes – Falou entediada, fazendo a moça de madeixas azuis gargalhar.


- Então... seu irmão vem amanhã? Por que tenho que ir com ele? – Pediu curiosa.


- Sim, com certeza ele vem! Você precisa ir com ele porque faz parte de um acordo que fizemos há algum tempo atrás. Quando for a hora ele lhe contará tudo, não tenho autorização para lhe falar agora – Vados respondeu ao mesmo tempo em que folhava desinteressada uma revista.


- Está certo... não sei por que tanto mistério assim, para me dizerem da onde vim! Sei que vocês me adotaram e me criaram, mas queria saber da onde vim, o do porque vocês me aceitarem – Suspirou cansada.


- Tudo no seu tempo Bra! Quem tem que te falar algo é meu irmão. Agora vamos comer alguma comida, que estou faminta. Vamos lá! – Vados pegou na mão da filha de Vegeta e a levou até a cozinha que era espaçosa e bem equipada, inclusive tinha uma equipe de cozinheiros esperando as duas.


-

Continua

-

7 de Marzo de 2018 a las 20:02 0 Reporte Insertar 5
Leer el siguiente capítulo Quem é você? A carta misteriosa!

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 12 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión