Espelho Seguir historia

juniwinkle periwinkle

“O mundo é um espelho, pois se sorrires para ele, ele sorrirá para ti.” Mas por que o reflexo de Luhan não sorria para si?


Fanfiction No para niños menores de 13.

#luhan #kpop #sobrenatural
Cuento corto
5
6377 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Reflexo


“O mundo é um espelho, pois se sorrires para ele, ele sorrirá para ti.” Mas por que o reflexo de Luhan não sorria para si?


Diziam que o espelho é o reflexo das almas, e que os olhos a passagem para ela. Mas por que os olhos já sem brilho, opacos e gastos pelo próprio tempo não conseguiam decifrar nada na imagem que via? Era estranho… Era sua própria imagem.


Mentiras mancham a vida de qualquer um, e distorcem sua própria imagem. Luhan já tinha tantas facetas que deveria enxergar como um caleidoscópio. Será que era essa mancha a responsável por não conseguir ver o que era, ou a culpa seria de quem alimentou tudo isso por anos e anos?


Não conseguiria aturar mais nenhum segundo.


Depois de roubar, trair, matar, mentir… tudo por poder, tudo por amor ao dinheiro, tudo pelo status, para que, ao final do dia, acomodasse o corpo pacato em frente a poltrona de sempre e descrevesse a seu próprio reflexo sua nova imagem. Todo o dia um novo amor, todo o dia uma nova traição, todo dia um motivo para alguém chorar. Até que se apaixonou. E deixou tudo escapar por suas mãos. Não ligou.


Agora era tarde.


Seu reflexo pensou que nos olhos brilhantes e as feições vívidas incomuns havia uma esperança, a esperança de que parasse com tudo aquilo e se lembrasse de quem era, pois até seu amor queria recuperar aquilo em si. Mas seu amor morreu soterrado por sua soberba, e sua vida foi embora junto com ele.


Agora já não há mais tempo.


Nem o reflexo aguentava mais aquilo. Quando é que iria aprender a viver? Quando é que Luhan iria parar de ignorar sua própria voz que ecoava em sua cabeça, seu pingo de consciência?


Chega, não há mais tempo para nada.


Já sabia de todos os movimentos rotineiros. Após se sentar na poltrona e contar seu dia tedioso, só lhe restava repetir: Retirou os sapatos de marca, pôs o blazer caro em cima da cama e aproximou-se lentamente do grandioso espelho, com o sorriso ladino que tanto usava. Posicionou a mão espalmada no mesmo lugar de sempre, tanto que havia a marca de suas digitais ali, para arrumar os fios loiros impecavelmente.


Mas naquele dia, pelo menos naquele dia, foi diferente.


Seus dígitos, aos poucos, começaram a afundar na superfície aquosa e metálica do espelho e sua mão livre afundava junto, pois fora tolo de tentar se salvar daquela maneira. A expressão desesperada do reflexo transformou-se em uma feição sádica, e o preto começou a tomar conta de todo o globo ocular, assim como seus fios e as paredes de seu quarto anteriormente bege. Ele não estava mais repetindo seus movimentos. Quanto mais tentava se mexer, mais seu braço desaparecia, até o ponto de poder ver -e sentir- estes sendo puxados por uma mão que parecia ter sido mergulhada em carvão.


— Agora já é tarde. — sussurrou o reflexo, soando como sua própria voz um tanto distorcida. — “O mundo é um espelho, pois se sorrires para ele, ele sorrirá para ti.” Mas sabe por que eu, e nem mais ninguém, sorrirá para você se continuar assim? Porque sorrisos falsos são mentiras, e mentiras não alimentam o mundo. E a pior mentira que você pode contar, é mentir sobre quem você é para si próprio. Quem é você de verdade, Luhan?


Lágrimas começaram a correr em desespero por suas bochechas, lembrando-se de tudo o que fizera e sua consciência havia dito para não fazer, inclusive deixar seu amor pela fome de riqueza, sede de fama. Seu reflexo, “compadecido”, atravessou a mão negra e passou suavemente o indicador numa linha vertical abaixo dos olhos do rapaz, deixando um rastro negro que talvez nunca fosse sair.


— Até eu, seu reflexo, me cansei de você, Luhan. — E fez a mesma mão contornar o pescoço com os dígitos e apertou-o com força, até que o rosto começasse a ficar vermelho pela falta de ar. O reflexo gostava de ver aquilo. — Agora já é tarde.


Num movimento só, trocaram de lado. O que era reflexo passou a ser homem e o que era homem passou a ser reflexo. Na verdade, a ficar no lugar do reflexo, pois seus movimentos não mais eram repetidos. Luhan, em desespero, começou a socar a superfície que, vista daquele ângulo, mais parecia um portal para sua realidade.


— Espero que entenda, Luhan. Não sou mais seu reflexo, agora você deverá ser o meu. — desenhou um “X” no local onde estava o rosto do garoto, manchando o espelho do pó negro que aos poucos sua pele humana ia absorvendo. — Irei recuperar o tempo perdido. Para você, é tarde. Para mim, um novo começo. Espero que entenda, Luhan.


Sem mais pestanejar, calçou os sapatos de marca, vestiu o blazer caro e saiu pela porta do quarto.

7 de Marzo de 2018 a las 20:03 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

periwinkle meu deus eu meto o Junmyeon em tudo

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~