Cuento corto
3
6367 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Outono

Por que o impossível é sempre mais belo? O ser humano sempre se encanta pelo inalcançável? Isso é o quê? Uma maldição lançada por algum anjo, antes de morrer por causa de um amor não correspondido?

Não há respostas, eu sei. É só uma dor profunda no peito, acompanhada de um sorriso bobo no rosto, a cada vez que me lembro de ti. Ainda sinto seu perfume, que nada tinha a ver com flores, como dizem todos os apaixonados, é algo ainda mais sutil, tão afável como o seu olhar, seu abraço.

E agora o que faço? Fico sentada o dia todo escrevendo sobre você, me torturando um pouco mais enquanto penso na bela cor dos teus cabelos? Provavelmente sim.

Não pense que cobiço seu corpo junto ao meu, não se deseja que uma deusa simplesmente caia dos céus para seus braços, por um capricho. Eu aprecio sua beleza por completo de corpo e alma. Não preciso de mais nada do que isso.

E também não perderei tempo falando sobre a sua perfeição ou pureza, não foi isso que eu vi em você. Eu vi algo muito mais complexo e encantador, em tuas palavras firmes, nas tuas ações determinadas. São as falhas, além dos acertos, que fazem cada um de nós únicos e profundos, celebrar isso seria homenagear uma idealização, não o que vejo.

Por fim, agradeço a seja lá o que for que existe nos céus e vive nos pregando peças, por ter achado engraçado me ver suspirando pelos cantos, a cada vez que vejo sua foto. Machuca mas nunca é triste, e sempre é seguido de uma felicidade nostálgica.

Talvez, nunca mais nossos caminhos se cruzem, o destino muitas vezes é cruel, mas o tempo não é capaz de amargar o que sinto e também se for, o amargo costuma ser inesquecível.

É impossí­vel, mas é meu. Único, inspirador, incontrolável.  

3 de Marzo de 2018 a las 01:21 0 Reporte Insertar 4
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~