After School Seguir historia

Annalise Mandy H.

Porque somente depois da escola, trancados no quarto de Touya, eles podiam ser verdadeiramente livres.


Fanfiction Sólo para mayores de 18. © Os personagens pertencem a CLAMP, história de minha autoria

#pwp #português #gay #sexo #yaoi #romance #lemon #Sakura Card Captors
Cuento corto
3
6645 VISITAS
En progreso
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Esse é o meu primeiro lemon, não tenho muita experiência com o gênero (embora eu goste muito), mas espero de verdade que vocês gostem. <3


Ao chegar em casa, os sapatos deveriam ser depositados no genkan, mas a vontade de aproveitar a companhia um do outro enquanto ainda estavam sozinhos não deu espaço para tais formalidades.

A sala logo tornou-se o cenário de beijos quentes, Touya segurou o rosto alvo de Yukito e iniciou uma sessão com um monte deles, surpreendendo o mais baixo com seu desespero.

Uma pausa para respirar e, em seguida, mais ósculos desesperados eram trocados pelos dois amantes. O Kinomoto aprofundou a carícia, brincando com a língua na dele, mas não prolongou o gesto naquele momento, o que gerou uma desconfiança inicial em Yukito. Contudo, para a surpresa do garoto de fios cinzentos, Touya não queria terminar o beijo e agir como se nada tivesse acontecido, e sim prosseguir com o carinho íntimo no lugar onde suas privacidades não seriam invadidas: o quarto dele, o recanto especial onde estudavam juntos e iam o mais longe que o curto tempo permitisse.


Os uniformes de coloração azulada já se encontravam no chão do quarto. Na cama, Yukito tinha seu pescoço atacado por dentes e lábios gulosos enquanto uma mão escorrega para dentro de sua cueca, tocando o membro já ereto.

— Touya… — O gemido rouco de Yukito o enfeitiçou, levando o Kinomoto a querer mais e mais daquele som.

Estavam de frente para o outro, embora a altura maior de Touya lhe conferisse o privilégio de poder segurá-lo na cintura com uma das enquanto a outra mão explorava seu corpo. Nunca tinham ido tão longe, e mesmo que alguém chegasse na residência, não teriam coragem de parar o ato.

Touya livrou-se do pedaço de pano que escondia a ereção de Yukito. Estava duro e quente, não demorou para colocá-lo completamente sobre a cama enquanto ficava por cima, assumindo o pleno controle da situação. Beijou a boca entreaberta que continuava a soltar gemidos enrouquecidos, abafando-os. A mão voltou a tocar o pênis ereto, mas dessa vez iniciou uma demorada massagem na glande com o polegar, sendo aos poucos premiado com o pré gozo, usando o líquido para umedecer o membro inteiro.

Yukito estava entregue as sensações prazerosas que Touya lhe proporciona. Abriu os olhos, embora não muito, quando sentiu a boca dele descer novamente para seu pescoço, porém ela não parou ali. A trilha de beijos passou pelo mamilo enrijecido, fazendo uma pausa agraciada com leves sucções na região e desceu.

Quando a boca de Touya tocou-lhe na intimidade, Yukito quis gritar como um louco. Movimentos lentos intercalados com lambidas sensuais na cabeça do pênis consumiram o corpo do menor em um calor nunca sentido. Existiam muitas coisas que proporcionam prazer, mas aquilo era diferente...O corpo se agitava, e era comprimido em um intenso rebuliço.

Os quadris se impulsionam na direção da boca do amante. Paixão e prazer misturados em um sentimento inexplicável.


— T-Touya… — Yukito gemeu mais alto, tremulando. Touya investiu em movimentos novos, chupando todo o comprimento como se fosse o doce mais saboroso que Yukito poderia lhe oferecer.

— Yukito… — Touya capturou a visão dele turva pela luxúria para si —Me observe. 


Aquilo definitivamente não era um pedido e não tardou muito para que chegasse até os testículos, chupando-os com uma lentidão torturante.

De olhos abertos, observando a forma com que Touya o inundava com sensações diferenciadas, memorizou a forma e a intensidade com que a boca dele acaricia seus órgãos. O rosto obstinado, o suor mesclando-se a pele bronzeada... Lindo. E segurou a respiração por breves instantes quando ondas elétricas percorreram seu corpo. Queria cumprir a ordem do mais alto e não desgrudar os olhos dele, mas por instinto levou a cabeça para trás, o corpo amoleceu e se permitiu gritar de um jeito que Touya poderia definir como seu som favorito.

Despejou o líquido viscoso e quente, acertando o rosto de Touya no processo. Para ambos, corar foi uma missão impossível.



Pequenos ofêgos e sorrisos cúmplices deram um clima ainda mais singular para o quarto. O peitoral de Touya virou o ninho onde Yukito sentia-se protegido.


-— Tsc...Pena que a monstrenga da Sakura não tardará a aparecer. — Ele cochichou frustrado, mais para si do que para o parceiro, mas fora ouvido.

— Sakura-chan é adorável! Não deveria se referir a ela assim. — Yukito o repreendeu, criando uma carranca divertida no rosto do Kinomoto.

— Hunf — Bufou, fingindo irritação — Isso porque você não vê a forma como ela é toda atrapalhada, consequentemente quebrando as coisas em casa.

— Mas de alguma forma, ela lembra a sua mãe, não é? — Arriscou uma pergunta que poderia parecer inapropriada, e o breve silêncio de Touya quase confirmou aquela impressão.

— Sim…— confirmou baixinho, a cabeça se enche instantaneamente com imagens de Nadeshiko — O sorriso...O jeito doce…

— Rá! Ela não era uma monstrenga? — Yukito fixou os olhos nas feições de Touya, esperando suas próximas reações.

— A Sakura? Claro que ela é uma monstrenga! — Ele virou a cara, evitando o contato visual com o cinzento. O que não impediu de ouvir suas risadas.


“Mas eu faria qualquer coisa para protegê-la”.



28 de Febrero de 2018 a las 19:38 0 Reporte Insertar 1
Continuará…

Conoce al autor

Mandy H. Uma vida baseada em sofrer e surtar por ships e personagens fictícios. Sherlock Holmes, HTGAWM, Yuri on Ice, Shingeki no Kyojin, Gravity Falls, Noragami e Sakura Card Captor são minhas paixões.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas