The Mid Night Shadow Seguir historia

tiotobirama brener Silva

Oito amigos presos em um chale nas montanhas e uma sombra antiga chega para caçá-los, quem vai sobreviver a noite de terror?


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 21 (adultos). © direitos dos personagens reservados a masashi kishimoto, essa historia é apenas uma ficção de fan

#naruto #sasuke #sasusaku #sakura #naruhina #shikatema #sarada #konohana #shikamaru #temari #boruto #borusara #boruto/sarada #hinata/naruto #hanabi
13
7179 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Meia Noite

Ah, as férias de inverno.

A época do ano em que o clima da natureza esfria e os jovens corpos esquentam.

Oito amigos seguem para o chalé da família Hyuuga, cujo duas eram membros da família, inclusive fora ideia da irmã mais nova Hanabi essa “Viagem de casais” – as aspas são necessárias porque, apesar de estarem em pares, nem todos estavam juntos, alguns estavam até mal no relacionamento conjugal, mas isso é assunto para depois, agora é hora de conhecer os oito.

Comecemos pelas anfitriãs: Hyuuga Hinata, vinte e três anos, cabelo preto azulado, olhos perolados e estatura mediana. Uma mulher de personalidade, muito decidida sobre si e sobre o mundo a sua volta. Hyuuga Hanabi, irmã mais nova de Hinata, dezoito anos, cabelos castanhos iguais ao pai, olhos perolados característicos da família, um pouco mais baixa que a irmã, muito extrovertida e decidida, não tem papas na língua.

Agora o namorado de Hanabi, um rapaz que conheceu na faculdade, Sarutobi Konohamaru, vinte e um anos, alto de cabelos castanhos e olhos escuros. Um rapaz forte, mas de pouca imaginação, cético e um pouco ingênuo às vezes. Quando pediu Hanabi em namoro demorou dois messes para perceber que a mulher queria mais que os beijos castos que davam.

O “irmão mais velho” do Sarutobi, Uzumaki Naruto, com vinte e três anos cursa engenharia com a primogênita Hyuuga a qual cultiva uma amizade e tem uma queda. Alto loiro de olhos azuis, apesar de meio avoado, um líder nato.

Uchiha Sasuke, vinte e três anos, amigo de infância de Uzumaki Naruto e da sua atual namorada Haruno. Moreno, de olhos escuros, estóico e fechado, mas forte e prestativo como os amigos.

Haruno Sakura, originalmente morena, mas já mantêm a cor rosa dos cabelos desde o ensino médio. Do trio de amigos de infância é a mais forte psicologicamente, ehá quem diga que até fisicamente. Seus fortes olhos verdes passam sua personalidade.

Nara Shikamaru, o segundo mais velho do grupo, tem vinte e cinco anos e é dono de uma personalidade preguiçosa que entra em conflito com sua inteligência e com sua esposa Nara Temari, de trinta anos.Em força ela se equipara à Sakura, mas até mesmo a Haruno já admitiu não ter tanta atitude, afinal não são muitas as mulheres que pedem os homens em casamento.

Todos estavam de férias e foram juntos para o chalé afastado nas montanhas afim de relaxar e, é claro, para os casais apaixonados como Hanabi e Konohamaru ou Sakura e Sasuke, era a oportunidade para muito sexo, longe das casas das famílias. Para Temari e Shikamaru era a chance de reatar a relação que estremeceu depois da morte da primogênita do casal e, por fim, para os solteiros, quem sabe não rola algo, não é mesmo?

Foram em uma van alugada e, durante o caminho, conversaram muito sobre a faculdade e em como aqueles que estudavam estava sendo difícil o TCC, porém dois deles se encontravam calados, apenas observando a paisagem.Naruto tinha sentimentos pela Hyuuga desde o primeiro ano de faculdade, mas lembram o que eu disse sobre ele ser avoado? Só o Uzumaki não percebia que os sentimentos eram recíprocos, sempre acreditou que estava na friendzone.

Conversando pouco estava o casal Nara. Já fazia dois anos da morte da filha, mas ainda sentiamsua morte. Passando por tanta coisa juntos, o assunto fazia surgir um impasse entre eles: Temari queria uma nova criança e Shikamaru tinha medo de acontecer o mesmo. Por conta desses conflitos, o casal aceitou participar da viagem para tentar um alinhamento na relação. Todos estavam firmes em seus objetivos e vontades, mas mal sabiam oque os aguardava.

Ao chegarem ao chalé, se dividiram entre os quartos. Para dar uma força para irmã, Hanabi pediu que interditassem alguns quartos para assim forçar Naruto e Hinata a dividirem o mesmo. Depois de um tempo arrumando as roupas e uma vergonha por deixar cair calcinhas que foram pegas por Naruto, Hinata foi confrontar a irmã.

— Qual o seu problema, Hanabi?Não se coloca um homem e uma mulher solteiros no mesmo quarto, isso é indecente! – Esbravejou Hinata, gesticulando.

—Faz-me rir Hina. Até parece que eu sou a mais velha.Você fala disso como se não escrevesse aquelas sacanagens no seu diário sobre a rola do Naruto! – Hinata avermelhou, olhando em desespero para a irmã.

—Você leu meus diários? – se segurava para não gritar.

—Leio os seus diários desde que eu tenho oito anos.Você mesma disse que não deve haver segredos entre irmãs. – Hinata bufou – E tem outra...Hina, eu entenderia esse nervosismo se você ainda fosse virgem, mas nem quando você namorava o Kiba e transou com ele você ficou assim tão nervosa. Sim, eu li sobre a transa na cachoeira. – a mais velha estava em um misto de raiva e vergonha.

—Pare de ler os meus diários! – falou apontando o dedo para Hanabi que deu de ombros – eu e Kiba tínhamos muito hormônio acumulado, mas com Naruto eu fico nervosa porque ele é o melhor cara que eu conheço. Ele é gentil, e charmoso, e forte...Ah, você entendeu.

—Entendi porque eu li seus diários. Pergunta:Por que você chama o pinto dele de Raposona?

—Cala a boca. – falou brava, fazendo Hanabi rir – Você não ficou assim quando foi transar com o Konohamaru?

—Não na verdade eu meio que tive que tirar a roupa abrir as pernas e gritar “me come” pra ele. Konohamaru consegue ser mais lento que tartaruga para entender indiretas... Mas, voltando ao assunto, não fique assim.Seja você mesma, mulher. – ela tirou de uma mala uma camisola lilás transparente com sutiã e calcinha pequenos e exageradamente finos.

—Mas, e se ele não quiser? – a mais nova riu.

— Se Uzumaki Naruto não quiser te comer o papa não é católico,Hina.

Em outro cômodo, o casal Nara estava sentado desfazendo as malas e, em silencio, Temari olhou para o marido e engatinhou até ele sentando-se em seu colo.

—Não está um pouco quente aqui? Tira essa blusa e todo o resto – falou manhosa.

—Hmmm senhora Nara, está certa, está muito calor – falou beijando o pescoço dela.

—A temperatura está perfeita para fazermos um filho – Shikamaru fechou a cara e se afastou.

—Agora não Temari, eu já disse que ainda não to pronto.

—E quando vai estar? A minha vida inteira eu sempre sonhei em ser mãe e você me nega isso? – perguntou quase chorando.

—Não é isso,Temari, eu, eu... – as palavras lhe fugiam.

—Fala de uma vez. É porque a Shiro morreu? É por que eu dirigia o carro no dia do acidente?Você não quer ter um filho porque tem medo que eu o mate de novo? – a mulher desabava em choro.

—Não meu amor. – abraçou a esposa – O problema sou eu. Eu só não quero sofrer de novo. Eu fiquei arrasado e eu sei que você ficou ainda mais. Sei que você quer uma criança, mas vamos esperar tá? – falou, limpando as lagrimas dela – vamos aproveitar a viagem, recarregar as baterias e, quando a gente voltar, começamos a pensar em como receber uma criança agora, tudo bem?

—Promete que vamos falar sério dessa vez? – Temari o olhou com esperança.

—Sim. –falou, dando um beijo na esposa em seguida.

No andar de cima, um clima diferente estava no ar. Ao som de sex machine do grande James Brow, os dois jovens amantes chocavam seus corpos em um frenesi de sexo e luxuria. O Uchiha segurava os cabelos da Haruno enquanto a mulher segurava a cabeceira com força e gemia alto, sendo abafada pelo som da música. Sasuke se curvou e começou a mordiscar sua nuca enquanto acariciava seus seios, depois de anos juntos seus corpos eram com o maquinas precisas na hora do sexo.

—VAI, VAI, VAI. – a rosada gritava pelo prazer.

—Sakura eu vou... – ele falava entre dentes.

—Goza safado. – Xingou e recebeu um tapinha estalado na bunda.

— AH, SAKURA. – gritou junto com amada e caiu na cama junto a ela

—Adoro sexo em viagens. – a mulher falou.

—É legal. – a rosada riu.

—Ah como eu amo esse seu jeito de dizer “Sakura, esse foi o melhor sexo da minha vida”. – o Uchiha avermelhou.

—Não fique lembrando disso, é vergonhoso. – ele falou, se virando de costas.

—Você não parecia com tanta vergonha naquele dia.Adoro quando você bebe e se solta mais. Doque você me chamou mesmo? Ah é,“delicia cremosa”.

Sasuke bufou, mas com um sorriso cheio de malicia no rosto.

No quarto que ficava no fim do corredor estava Naruto na frente de um espelho e com uma caixinha de rolinhos de canela, os doces preferidos de Hinata. Ele suspirava e começava a falar com o espelho.

—Hina, eu comprei isso para você por que... Er... Bem, você sabe... eu te amo. – bateu na própria cabeça – Não idiota, nunca se fala isso assim. Vamos lá, não é para ser tão difícil, não é o seu primeiro rodeio. Você já pegou até sua professora, não é? – olhou para o espelho – Vamos lá... Hina, oque um lugar como você faz em uma garota como essa? Espera, o que foi que eu disse?

Já era quase meia noite quando todos se reuniram em frente à lareira.Os casais abraçados e bebendo, para afastar o frio, também estavam dando privacidade para Naruto e Hinata, que conversavam na cozinha.

—Bem, eu trouxe isso.Espero que goste. – Naruto mostrou os bolinhos.

—De canela? – Naruto acenou com a cabeça de maneira positiva – Obrigado, são os meus preferidos, Naruto-kun... – Hinata espirou pelo frio.

—Está muito frio. – Naruto tirou seu casaco e pôs em Hinata.

—É quentinho. – Naruto sorri, Hinata cheirou o casaco e sem se controlar soltou um ‘Hmmm’.— Vamos para a... - ela não terminou quando seus lábios foram tomados por Naruto.

Hinata o agarrou e entrelaçou ainda mais suas línguas. Ficaram longos minutos um explorando o outro até se olharem cúmplices e irem para a lareira para afastarem o frio.Quando chegaram lá, todos fizeram brincadeiras e provocações para o casal que se sentou abraçado. Depois de um tempo, Hinata levantou em um pulo.

—Nossa Hanabi, eu esqueci completamente do ritual de selamento. – Hinata estava aflita.

—Hina, é sério? – Hanabi falou debochada – Isso é crendice do nosso pai...“uma criança demônio que devora carne humana”.

—Me explica isso aí. – Shikamaru olhou para Hinata.

—Bom, a história está na família há muito tempo.Antes de sermos chamados ‘Hyuuga’ éramos conhecidos como ‘Õtsutsuki’... Há quatrocentos anos,mais ou menos, houve uma grande guerra.Muitos mortos.Os últimos da família eram Kaguya, a matriarca, e seus três filhos: Hagoromo, Hamura e Toneri. Eles foram perseguidos por um senhor feudal traidor que se rebelou contra o imperador, assim fugiram para cá. Durante o caminho,Toneri foi ferido e metade de seu corpo foi queimado, então Kaguya, quando chegou, foi até a montanha e rogou aos deuses para que eles o currassem, mas a única coisa que a respondeu foi uma sombra antiga de nome Zetsu, um ser sombrio que vivia na floresta.A sombra a propôs um contrato: se ele curasse Toneri, quando a criança morresse de velhice ele tomaria seu corpo. Desesperada e temendo pela vida do filho, Kaguya aceitou. Levou a criatura até o filho e viu a sombra tomar a metade queimada do corpo. No dia seguinte, ao acordar, Kaguya viu que a sombra havia tomado mais do corpo da criança e, temendo que tivesse cometido um pecado, mandou seu filho mais velho buscar o sacerdote Kurama, um poderoso feiticeiro. Quando Hagoromo voltou, quatro dias depois, encontrou uma cena grotesca: Kaguya estava desmembrada e seu irmão se resumia a alguns pedaços dispersos. Toneri já não estava mais ali, apenas a massa sombria com dentes monstruosos e pedaços de carne na boca.O sacerdote lutou contra a criatura por cinco dias até conseguir selar seu corpo com um feitiço poderoso e, com isso, ordenou a Hagoromo que mudasse o nome amaldiçoado da família e que todo ano no templo ao topo da montanha fizesse o ritual para renovar o selo para manter a sombra selada.

—Ah Hina, desculpa, mas isso é besteira. No máximo a sua antepassada foi morta por um doido e depois de gerações virou a lenda da criança demônio, que até imagino que o tal sacerdote era um soldado que matou o louco. – Konohamaru falou fazendo Hinata ficar irritada.

—Konohamaru-kun, não se deve desafiar o sobrenatural. – Hanabi se levantou e foi até o relógio.

—Hina, nem ia dar tempo de fazer o ritual. – Ela mostrou o relógio que marcava um minuto para meia noite – É hora do despertar da sombra,uuuh.

Darkness falls across the land
The midnight hour is close at hand
Creatures crawl in search of blood
To terrorize y'all's neighborhood
And whosoever shall be found
Without the soul for getting down
Must stand and face the hounds of hell
And rot inside a corpse's shell

—Viu? Meia noite e nenhuma criatura da noite. – Hinata olhou para a janela e sentiu seu coração apertar.

—Eu vou dormir.Fiquem aqui como seu deboche. – falou furiosa, e subiu as escadas.

—Hina, eu não... – Naruto interrompeu Hanabi.

—Calma, ela tá brava. Amanhã ela conversa com você. – Naruto subiu atrás.

Longe dali, no topo da montanha, a morte havia chegado.A neve estava negra como a escuridão do espaço, os animais de escondiam e da escuridão da noite o renascer do monstro era anunciado.O monstro se levantou da borra negra que antes era neve, o corpo esguio se contorcendo em agonia.Os animais em volta ficavam loucos com os sons.

A criatura tinha dois metros de altura, muito maior que a antiga forma infante de antes de ser selada.Sua boca monstruosa com muitos dentes e uma língua enorme que pingava um líquido corrosivo, tinha garras feito lanças de metal.Quando se levantou, olhou para lua e gritou de forma tenebrosa e aterradora.

—MAMA, ESTOU COM FOME. – a criatura ria como uma hiena, farejando presas.

De volta à casa, todos já estavam em seus quartos,a maioria já entregues ao sono, com exceção de Hanabi e Konohamaru.

—Vai, seu gostoso, puxa meus cabelos. – Hanabi falava enquanto sentava sobre o membro de Konohamaru, em sua posição preferida.

O rapaz gemeu com o prazer intenso.

Transavam em um ritmo frenético, Konohamaru puxava os cabelos de Hanabi enquanto ela rebolava sobre seu membro.O fulgor do sexo e o orgasmo eminente não deixaram que percebessem que a sombra a espreita estava farejando seus sangues pulsantes em corpos jovens e fortes. A criatura expôs as garras em forma de lamina e abriu à janela, Hanabi olhou a criatura e gritou.

O grito foi interrompido quando a criatura transpassou a jovem e arrancou seu coração.Saindo por trás do corpo, o monstro a jogou longe e prendeu os membros de Konohamaru.Seu toque apodreceu a carne causando dor no homem.

Ele se debateu, mas a podridão estava tão forte que o movimento fez seu braço se separar do corpo ele olhou a monstruosa criatura aterrorizado.O ser abriu a boca e derramou ácido sobre o rosto do homem, fazendo Konohamaru começar a agonizar até não poder mais e ter sua vida tirada.A criatura começou a devorar sua carne.

Os barulhos e gritos acordaram todos que correram até o quarto.

Naruto pegou uma lança decorativa que estava na parede, e Sasuke uma espada. Assim que abriram a porta Hinata gritou desesperada ao ver a irmã morta.A grotesca criatura tentou saltar sobre eles, mas Naruto o feriu com a lança no ombro.O monstro gritou de dor e, irritado, partiu a lança e duas.

O monstro ia partir para cima deles, mas Sasuke decepou metade da sua cabeça com a espada. Zetsu gritou e fez todos caírem com as mãos na cabeça em agonia.O ser, em um vulto, pegou o resto de Konohamaru e pulou pela janela.Assim que saiu pela janela todos se levantaram e foram até o corpo de Hanabi.Hinata se abaixou.

—Não... – falou chorando e passando a mão no rosto da irmã – Devíamos ter feito o ritual.

—Isso não pode ser real. – Shikamaru falou em negação.

—Mais real que um corpo, cara? Hanabi está morta e aquela coisa existe. – Sasuke falou puxando os próprios cabelos.

—Ela vai voltar? – Sakura falou amedrontada.

—Tenho certeza que vai.Está irritada.A gente só precisa matar ela na próxima. – Shikamaru falou tentando parecer calmo.

—É impossível matar Zetsu.Porque acha que o sacerdote teve que selar ele?Ele é imortal.

—Droga. – Temari falou.

—Hina, deve ter um jeito de selar de volta.Sempre nessas lendas tem um jeito de sobreviver. – Naruto falou.

—Se uma mulher da família derramar seu sangue sobre o selo o ritual é ativado de uma vez, mas ele só tem alcance mínimo. Eu não sei se consigo, não sem ela.

—Hina, não, podemos deixar a Hanabi e o Konohamaru terem morrido por nada, temos que derrotar aquela coisa. – ele estendeu a mão para ela – Eu vou estar com você.

Todos foram até o porão para pegar velhas armas de fogo que eram do pai de Hinata. Preparados, saíram em direção a montanha para o altar do ritual. Hinata foi sendo protegida por todos.Estava nevando forte e eles não conseguiam ver dois palmos à frente.O som era apenas o vento e o gruindo da criatura se regenerando.

O combate viria e eles sabiam disso quando o barulho, similar ao rugido de um leão, apareceu rompendo o som do vento e, então, da cortina branca o ser surgiu, agora com espinhos brotando da cabeça e secretando o mesmo liquido corrosivo de sua boca.

Ele começou a circular o grupo como um lobo vendo pressas.Pulou sobre todos jogando Naruto, Sasuke e Shikamaru longe.Derrubou Hinata, mas quando a criatura ia desferir um golpe na Hyuuga, Temari acertou um tiro no monstro.

—Maldito, te pe... – ela parou quando o monstro perfurou seu abdômen e tirou suas vísceras para fora, para logo depois arrancar sua cabeça.

—TEMARI. – Shikamaru gritou e foi para cima do monstro com uma faca – Vão!Esse filho da puta é meu.

Todos correram como o vento enquanto o Nara lutava.Mesmo gravemente ferido ele desferiu muitos golpes, mas acabou caindo sem forças.Ele se ajoelhou e acendeu um cigarro.

—Você é o filho da puta mais feio que eu já vi. – ele cuspiu sangue – Estou indo, meus amores.

A criatura começou a devorar os dois e começou a gritar em êxtase enquanto isso.

Os quatro chegaram ao templo.Haviam duas garrafas com um selo. Hinata cortou o dedo e manchou com sangue as garrafas, e então elas brilharam como o sol.

—Agora é só acertar ele com a luz que sai da garrafa. – Hinata falou dando uma garrafa para Sasuke e uma para Naruto.

A criatura veio com sangue como objetivo.Determinada a matar os jovens, invadiu o templo e logo atacou Sasuke, mas Sakura acertou três tiros que fizeram o monstro recuar. O Uchiha abriu a garrafa e lançou o feitiço, mas a criatura foi mais rápida e jogou uma viga de madeira nele. Quando a criatura estava a ponto de matar Sasuke, Naruto pulou na frente era levou o golpe na barriga.

—Te peguei. – ele abriu a garrafa e acertou o feitiço no monstro que gritava enquanto era selado.

—NARUTO. – Hinata foi até ele desesperada – Por que?

—Para te salvar, eu te amo.

—Eu também te amo. – a neve ia caindo e...

[PAUSE]

—Olha Bolt, desculpa dizer isso, Hinata e Naruto são ótimos sogros e avôs ainda melhores para Hikari e Takeda, mas como atores...meh. – minha esposa Sarada falou, quando pausou o filme que nossos pais gravaram quando eram jovens.

—Verdade, esse filme todo é meio meh.Tipo, começa legal até tem uns plots legais e tal principalmente o do tio Shikamaru, mas depois vira só mais um gore corrido com um clichê de sobrenatural – falei, me esticando no sofá.

— É bizarro que eles usaram seus próprios nomes... Ah e tem outra, o monstro fala ‘mama’.Cara, ele é um monstro do Japão feudal e fala ‘MAMA’. – ela falou, imitando o monstro me fazendo rir.

—Agora eu sei porque eles não queriam que a gente visse esse filme. Tipo, eu pensei que teria que tapar os olhos nas cenas eróticas da tia Nabi e dos seus pais, mas é só um monte de manchas desconexas e gemidos estranhos. E esse sangue que nem dá pra ver que é água com corante – falei bocejando.

—Acho que o filme é tão ruim que nem o diretor quis por o nome, só usou um nome artístico estranho, “Tio Tobirama”. – ela falou, se levantando e espreguiçando – Vou lá ver as crias, se quiser desligar... – ela falou quando eu peguei o controle e desliguei tudo.

—Eu vou com você. – falei segurando sua mão – Nossa, ‘Tio Tobirama’ parece nome de escritor doido de fanfic.

—Verdade. – ela falou, rindo.

—Hm, já falei que te amo hoje? –falei, abraçando ela por trás.

—Um monte de vezes. - ela se virou e me beijou.

—Então falo de novo. Eu te amo. – ela riu.

—Meloso. – ela falou antes de chegarmos ao quarto dos nossos gêmeos – Olha Bolt, os dois são tão lindinhos. A gente realmente fez direito. – Sarada é uma mãe orgulhosa dos filhos.

—Lindos mesmo. – Hikari era minha cara, loira de olhos azuis e com marquinhas na bochecha, já Takeda tinha muitos traços dos Uchihas, inclusive a personalidade calma, mas os olhos azuis e as marquinhas nas bochechas estavam lá também – Vamos fazer mais? – falei pegando ela no colo.

—Tarado. – ela falou passando os braços por trás da minha nuca.

—Tarado por você,Uzumaki Sarada. – ela sorriu maliciosa.

—Adoro quando me chama pelo nome completo. – ela falou me beijando – tomara que nenhuma criatura da noite venha nos comer.

—Essas coisas só existem em fanfics ruins. - ela riu e eu a levei para meu quarto, longe desse filme besta e para o calor da nossa cama.

27 de Febrero de 2018 a las 01:25 4 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Camy <3 Camy <3
Olá! A sua história tem um plot twist muito interessante. Eu estava achando um tanto superficial o plot do começo, mas gostei muito da parte mística e a morte da Hanabi me pegou de surpresa, admito. Aí quando, no final, você revela que era um filme, tudo fez mais sentido! De verdade, a ideia é muito bacana. Eu estou aqui representando o Sistema de Verificação do Inkspired. A sua história está "em revisão". Para que ela seja verificada, você precisa corrigir os erros de gramática, em especial sobre pontuação. Como esse assunto é longo, eu não vou conseguir explicar a você exemplo a exemplo o que precisa ser mudado, por isso eu sugiro que você consiga um beta. Aqui pelo site mesmo nós os ofertamos, você pode pagar por um com os Créditos de Recompensa (garantimos a qualidade no serviço). Se quiser pegar alguém de fora, a Liga dos Betas do Nyah! Fanfiction tem pessoas de muita qualidade também. Se você quiser, ainda pode recorrer a pedidos no facebook ou qualquer outra plataforma, porém aí eu não asseguro qualidade, depende muito de quem te responder. Seu problema principal é a pontuação. As frases estão muito longas e com poucas vírgulas (ou utilizadas de forma inadequada), o que prejudica o ritmo de leitura do texto e deixa alguns trechos confusos. Além disso, você tem problemas de grafia (sua sinopse também precisa de revisão), como em "pressos", que deveria ser "presos" (e mais exemplos que não colocarei aqui). Como dica estética, sugiro que você utilize travessões em vez de hifens para indicar fala. Algumas de suas onomatopeias destoam do texto (como o espirro da Hinata). Para que sua história seja verificada, você precisa mudar as estruturas de algumas frases para separá-las e reorganizá-las de acordo com o sistema de pontuação padrão da Língua Portuguesa. Eu recomendo também que repense a apresentação dos personagens. Em vez de nos passar uma ficha de cada um, desenvolva mais as personalidades deles para que nós os conheçamos melhor a partir da história em si. Assim que tiver revisto sua história, responda ao meu comentário e eu irei analisá-la mais uma vez ;)
24 de Septiembre de 2018 a las 00:56

  • Camy <3 Camy <3
    Observação: os critérios para que uma história seja ou não verificada são unicamente gramaticais. Você mudar ou não a apresentação de seus personagens não conta na hora da avaliação, foi apenas uma dica de escrita para que eles se tornem mais interessantes para os leitores ;) 24 de Septiembre de 2018 a las 00:57
  • brener Silva brener Silva
    Oi já foi betado, quanto a apresentação dos personagens eu fiz assim porque como nos filmes trash do Jason a história é rasa e corrida assim é ruim de propósito 24 de Septiembre de 2018 a las 19:36
  • Camy <3 Camy <3
    Olá! Nossa, que diferença gritante! A pontuação melhorou muito, apesar de você ainda não ter colocado algumas vírgulas de vocativo (que vêm antes do nome). Um problema novo surgiu nesta versão: em diversas frases, você não coloca espaço depois do ponto final e junta as duas palavras, como em "Os quatro chegaram ao templo.Haviam duas...". Sobre essa mesma frase: é "Havia duas...", porque o verbo haver, quando no sentido de existir, não passa para o plural. Ainda há dois erros de grafia gritantes (até apontei um deles no comentário anterior): messes e pressos em vez de meses e presos. Depois do travessão, na fala, o ideal é que você deixe um espaço. O mesmo vale para as reticências, como no diálogo do Bolt com a Sarada no final. Deveria ser "mas como atores... meh". Com o "meh" preferencialmente em itálico, porque não é uma palavra da língua portuguesa escrita (mas seu uso é correto porque é algo que usamos muito na língua falada). O texto está muito mais coeso do que antes, o que deixa a leitura bem mais dinâmica. Eu gostaria que você ajeitasse os espaços, porque é algo que está bastante evidente. Sua história foi verificada, porque o que permaneceram foram erros mínimos de grafia, espaços e pouquíssimas vírgulas. Parabéns pelo seu texto! 25 de Octubre de 2018 a las 23:22
~