Não resisto a nós dois Seguir historia

cupcake_ruivo Lory Cake

Sasuke se conhecia muito bem. Sabia que poucas palavras de Naruto eram o suficiente para fazê-lo se entregar. Seus toques o tiravam a razão. E ainda que o coração do Uchiha estivesse perdido, transitando entre angústia e amor, aquele sentimento que o tomava quando estavam juntos era irresistível.


Fanfiction Todo público.

#Naruto #Yaoi #Lemon #Naruto/Sasuke #SNSChurch
22
7556 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Por inteiro

Sasuke sentia que havia falhado mais uma vez.

Sentia Naruto movendo-se sobre seu corpo, suado, com a pele morena reluzindo sob a luz fraca do quarto. A boca alcançou a sua com avidez. O beijo… Aquele beijo era sempre tão bom. Com um único maldito selar de lábios e Naruto o tinha na palma das mãos.

Sempre foi assim.

No começo, Naruto Uzumaki era apenas uma nova pessoa em seu ambiente de trabalho. Lindo, inegavelmente lindo. Mas Sasuke não era do tipo que se encantava tão facilmente com outras pessoas. No entanto, o loiro com aquele jeito extravagante, logo fez amizade com todos ao redor e parecia ter uma estranha obsessão em incluir Sasuke em seu meio.

O Uchiha não estava interessado, a bem da verdade.

Já estava ali havia algum tempo e, embora não tivesse problemas com ninguém, não era como se estivesse com vontade de sair com os outros funcionários em happy hours. Era recluso e indiferente e não tinha intenção de mudar isso.

Mas Naruto parecia não perceber isso, ou simplesmente, não ligava.

Começou com aqueles sorrisos gigantes enquanto o desejava um bom dia. Era um sorriso bonito, daqueles que poderiam iluminar um bairro inteiro e Sasuke mentiria se dissesse que aquilo não mexia com ele. Aquela insistência em estar ao seu lado era irritante ao mesmo tempo em que era agradável para seu ego.

Ninguém nunca fez muita questão de estar consigo, mas Naruto parecia decidido a se tornar seu amigo. Os cumprimentos calorosos ao chegar se tornaram desculpas esfarrapadas para puxar assunto no meio do expediente, ou para almoçar juntos. Sasuke via que ele ficava esperando seu horário de almoço para sair logo depois e fingir uma coincidência. Acontece que Naruto mentia muito mal, e essa era uma das coisas que Sasuke aprendeu a gostar nele.

A amizade aconteceu, no fim das contas. Sasuke descobriu que Naruto era casado e que vinha passando por alguns problemas em seu casamento.

“Sinto que não é como antes”, ele dizia, “É como se a gente não se conhecesse mais”.

O Uchiha não tinha um conselho, primeiro porque nunca tinha se casado e nem tinha se relacionado por tanto tempo com alguém. Normalmente, diria que ele deveria acabar com o matrimônio se estava tão ruim, mas não era tão simples. Naruto tinha dois filhos muito novos e parecia estar morrendo de medo de causar algum trauma nos pequenos.

No entanto, poucos meses depois foi Hinata, sua esposa, quem pediu o divórcio. Naruto ligou para Sasuke no meio da noite e o moreno ficou se perguntando quando haviam estreitado aquela amizade para não se sentir incomodado com o fato de terem o tirado de seu sono. Apenas vestiu-se com um casaco, pegou suas coisas e seguiu até o barzinho mais próximo para beber com o loiro.

Ter se aberto daquela maneira parecia ter dado a eles um tipo de vínculo muito mais forte. Estavam sempre juntos, se procurando e foi nessa época que Sasuke sentiu-se temeroso com as coisas que vinha sentindo.

Cada vez que olhava para Naruto, sentia sua pulsação acelerar. Vinha reparando cada vez mais frequentemente como ele era bonito e como aquela cor bronzeada de sua pele lhe caía bem, assim como os cabelos loiros complementavam aqueles grandes olhos azuis. Aquele sorriso tão aberto e vivaz que havia se tornado ainda mais puro e livre depois de ter resolvido as coisas com a ex mulher. O corpo viril e o estilo desleixado que combinavam tão bem com ele. Naruto era tão atraente que se tornava cada vez mais difícil pra Sasuke esconder como se sentia quando ele estava por perto.

Chegou a ouvir piadinhas no trabalho sobre ele sorrir apenas quando via o loiro, o que o deixou extremamente sem graça, mas o Uzumaki parecia alheio aos comentários maldosos do qual passaram a ser alvo.

Sasuke passou a frequentar a casa de Naruto e vice-versa. Quando as crianças passavam o fim de semana em sua residência, Sasuke geralmente estava lá, o que foi bastante estranho no começo. O Uchiha não sabia lidar com crianças, mas Himawari era uma criança muito doce e calma, embora fosse comunicativa e Boruto, mesmo sendo muito agitado, fazia tudo que Sasuke pedia sem contestar, porque segundo o garotinho, tio Sasuke era tão legal.

O ambiente era agradável e todos se sentiam muito bem ali. Até o dia em que estavam sozinhos na casa do loiro. Havia cerveja e petiscos e um jogo na TV. Os dois faziam isso com frequência, não importava quem estava jogando, porque aquilo era apenas mais uma desculpa esfarrapada para estarem juntos.

E naquela noite, depois de algumas conversas bobas e olhares trocados com as cabeças apoiando-se no encosto do sofá, Naruto o beijou.

Naquele dia, Sasuke sabia que estava perdido.

O relacionamento de amizade tornou-se sexo casual em pouco tempo. Estavam tão conectados em tudo, principalmente na cama, que aquele avanço parecia muito correto. Mas Sasuke sentia que precisava de mais do que aquilo.

Não forçou Naruto, porque não fazia muito tempo que ele tinha saído de um casamento, mas seus desejos eram óbvios ao loiro. O Uzumaki pediu tempo. Só precisava dar um jeito de contar aquilo aos filhos, a família e a ex-mulher de um jeito que eles pudessem entender. Sasuke compreendeu seu pedido e esperou.

Esperou enquanto via Hinata casar-se novamente com um homem chamado Toneri. Esperou quando viu a filha de Naruto chamar o homem de “papai” e deixar Naruto com ciúmes. Esperou enquanto via uma nova família se formando e mostrando que os filhos de Naruto levariam aquilo muito bem.

Aguardou, pacientemente enquanto via seus sonhos serem deixados de lado. Queria poder sair com Naruto sem sentir vergonha. Andar de mãos dadas e beijá-lo quando desse vontade. Queria poder assumir a quem quer que chegasse que eles eram um casal. Mas ainda estavam ali, naquela sombra de medo descabido e Sasuke já não aguentava mais.

Ele suportou por quatro anos aquele relacionamento escondido e seu coração parecia sofrer novos rasgos a cada vez que, depois de terem feito amor, precisava agir como amigo de Naruto, apenas. Como se aquelas carícias não tivessem significado nada.

Estava decidido a colocar tudo pra fora naquele dia.

Ia dar a ele um ultimato. Mas depois da semana longa que tiveram sem poder ter um contato íntimo, a primeira coisa que o Uzumaki fez foi tomar sua boca e a mente de Sasuke nublou. Os sentimentos falando mais alto que a razão. Por isso encontrava-se agora com um aperto no peito enquanto Naruto o tomava com força, fazendo aquelas deliciosas expressões que estavam gravadas na mente do moreno.

Os olhos arderam. Queria Naruto. Queria tanto… Mas queria inteiro. Seu corpo se contraiu ao mesmo tempo que o do loiro. Chegaram ao orgasmo quase juntos e os lábios vermelhos e cheios de Naruto encontraram seu pescoço, seu queixo, sua boca. Ficaram algum tempo naquela posição, mas a angústia ainda tomava o coração do Uchiha.

E Naruto sentiu. Ele sempre sabia. Por isso, por mais que estivesse receoso, decidiu perguntar.

— ‘Tá tudo bem, Suke? - perguntou ainda distribuindo beijos pelos ombros e pescoço do Uchiha - Você parece distante. Aconteceu alguma coisa?

Sasuke virou o rosto, evitando encarar os olhos azuis.

— Você… Não consegue pensar em nenhum motivo pra isso? - perguntou, pedindo a tudo que era sagrado para que a voz não tremesse.

— Eu… Achei que estava tudo bem entre a gente’ttebayo! - tentou puxar o moreno pelo ombro, mas o mesmo o interrompeu - Sasuke, olha pra mim.

— A gente quem? - Sasuke se livrou das mãos do loiro e escapou do abraço rapidamente, querendo ficar distante, ou não conseguiria dizer o que queria - Não tem “a gente”, Naruto. Esse é o problema.

— Sasuke, nós já falamos sobre isso, eu preciso de um tempo, eu prometo que…

— Tempo? - Uma risada nervosa escapou de Sasuke - Eu te dei quatro anos, Naruto. Quanto tempo mais você precisa? Seus filhos estão mais crescidos, sua ex já tem um novo relacionamento e já está até grávida, do que mais você precisa? - os olhos arderam mais, a voz falhou sem que ele pudesse evitar - O que mais você quer pra seguir em frente?

— É diferente, a Hinata casou com um cara, como eu vou explicar pros meus filhos que eu também gosto de um cara? É diferente. Entende?

— Naruto, eu gosto de você… Eu penso em você o tempo todo, eu… - Um suspiro saiu pesado de seus lábios enquanto uma lágrima caía - Eu respiro você. Eu adoro seus filhos e eu… Eu te amo - mais lágrimas caíram, porque não era daquele jeito que queria dizer aquelas palavras - Eu fico tentando me convencer de que alguma hora você vai conseguir fazer o que tem que fazer, mas eu não posso continuar com isso. Não dá - sua voz era apenas um sussurro.

Naruto sentiu o ar lhe faltar os pulmões ao ver Sasuke daquela forma, ele que era sempre fechado, sempre retraído, se abrindo daquela forma, chorando, sofrendo… Era demais pra ele.

— Sas-sasuke… Eu… Eu não sei o que dizer… Eu também te amo… Amo tanto que dói, mas eu… - aproximou-se do Uchiha, que tinha virado as costas para si, Naruto podia ouvir seu soluçar, sentiu o nó em sua própria garganta apertar - Eu sei que eu errei, mas por favor, me dá mais um tempo… pelo nosso amor. Por favor.

Tentou abraçar o corpo do outro, sabia que se conseguisse se aproximar Sasuke não resistiria, se sentia péssimo por ter de usar meios tão baixos por ser covarde, mas era doloroso demais pensar em ficar sem seu Sasuke.

Mas aquilo não funcionou. O moreno se afastou de seu toque e ainda com lágrimas rolando pelo rosto, encarou-o firmemente.

— Se existe um “mas” depois do “eu te amo”, e você é incapaz de tirá-lo de lá, então você pode sair - encostou-se a parede, como se quisesse ficar o mais longe possível do loiro.

E queria. Sabia que precisava disso ou acabaria cedendo outra vez e aquilo não podia mais continuar. Não do jeito que estava.

— Sasuke, não faz assim - Naruto tentou se aproximar mais uma vez - Você sabe como é difícil pra mim...

— Difícil? Foi você quem me beijou. Foi você quem me chamou pra deitar na sua cama. Foi você quem me deu esperanças e é você quem não consegue se entregar pra mim por inteiro. Eu quero… Eu preciso de mais do que isso, Naruto. E se você não pode me dar, então me deixa.

— Por favor, Suke, me dá mais uma chance, eu sei que a gente vai superar isso, eu só preciso de um tempo - Naruto já estava em frente ao Uchiha e segurava seu rosto entre as mãos, suas palavras saiam como uma súplica desesperada, e foi com esse desespero que ele tentou mais uma vez beijar os lábios daquele que amava.

Sasuke crispou os lábios e o empurrou. As lágrimas de tristeza se misturando as de raiva enquanto pegava as coisas do loiro sobre a cama e empurrava contra seu peito.

— Vai embora - arrastou-o, ignorando os pedidos do outro - Vai embora, chega.

A força dos dois era parecida, mas o Uchiha estava tomado por uma adrenalina furiosa. Quando a porta se fechou, encostou-se contra ela, sentando-se ali e se permitindo chorar mais. Do lado de fora, Naruto ainda batia, ainda pedia para que conversassem, mas não havia o que ser dito.

Naruto não queria assumir o que tinham e ele não podia mais suportar viver assim.

***

Completavam duas semanas desde que Sasuke expulsara Naruto de sua casa. Desde então todas as tentativas do loiro de se aproximar do Uchiha tinham sido falhas.

O moreno havia trocado de turno no trabalho, tinha feito o porteiro de seu condomínio proibir a subida do loiro até o apartamento. Naruto tinha se plantado do lado de fora do prédio dele, só para depois saber que Sasuke estava passando uns dias na casa da mãe.

Aqueles tinham sido os piores dias de sua vida. Quando ele fechava os olhos a noite para dormir, lá estava Sasuke, em seus sonhos, o beijando, dizendo que o amava e que entendia suas falhas, Naruto não queria acordar. O cheiro do Uchiha estava impregnado em cada canto daquela casa, e Naruto ainda podia vê-lo, escorado no balcão da cozinha, enquanto preparava uma lasanha de tomates para os filhos do Uzumaki. Mas Sasuke não estava ali, não mais.

Se Naruto dissesse que se surpreendeu com as atitudes do moreno, estaria mentindo. Ele sabia o quanto Sasuke havia se doado, o quanto Sasuke tinha feito para que aquele relacionamento perdurasse por todos aqueles anos. E em troca tinha recebido porra nenhuma. Porque Naruto era covarde.

Não sabia como poderia chegar em frente aos filhos e dizer que namorava o tio Sasuke, Himawari tinha apenas sete anos, ela não entenderia. Boruto era um adolescente que vinha começando a entrar na fase rebelde, como ele iria lidar com essa informação?

Naruto não sabia o que poderia fazer, estar sem Sasuke o estava matando aos poucos, ele não tinha vontade comer, ou de tomar banho, a barba já estava grande no rosto, e ele não via o porquê de querer se arrumar, não sem ter seu Sasuke.

Por outro lado, não sabia como poderia oferecer tudo que o Uchiha queria, e merecia. Não quando ele não tinha certeza se poderia cumprir, e ele já tinha sido egoísta demais com Sasuke, não podia mais machucá-lo daquele jeito.

Então tinha aceitado sentir toda aquela dor, sofrer por não ter Sasuke. Ele merecia, merecia por tê-lo feito passar por tudo aquilo. Era o preço que tinha que pagar por seus atos mesquinhos.

A campainha tocou, indicando que os filhos tinham chegado. Aquele era o final de semana dele, e pela primeira vez, não teria Sasuke consigo, não desfrutaria do jantar especial que o Uchiha sempre fazia para as crianças, que tinha se tornado o prato favorito de Hima, e teria que ele mesmo contar a história para a pequena dormir.

Caminhou em passos lentos, quase se arrastando até a porta.

— Oi, crianças - se abaixou para abraçar Boruto, e pegou Himawari no colo - Hina! - cumprimentou a ex esposa, que já estava com um barrigão de oito meses - Está quase, não?

— Otou-san, que barba feia! O senhor vai ser papai noel esse ano? - A pequena em seu colo brincava com seu bigode - Papai Toneri não tem barba, é mais bonito.

— Ah é? Então porque você não fica lá com aquele branquelo azedo?

— Você pode, por favor, não insultar meu marido na frente dos nosso filhos? - Hinata bronqueou, mas tinha um sorriso pequeno nos lábios - E Himawari, se seu papai Naruto está feliz com a barba, deixe que a tenha.

— Velhote, você ‘tá acabado - foi Boruto quem disse, ele já tinha entrado na casa e estava em frente ao videogame - Cadê o tio Sasuke? Eu aprendi aquela fase que ele sempre me vencia, eu vou dar uma surra nele.

Naruto apenas baixou os olhos, o nó em sua garganta demonstrava que logo iria chorar.

— E-ele… Ele… Eu vou pedir uma pizza, você fica pra jantar, Hina?

— Desculpe, não vou. Aliás, Toneri está regulando tudo que eu como ultimamente por já estar perto do grande dia. Mas… - a morena tirou a filha dos braços do pai e a colocou no chão - Fica um pouquinho com seu irmão, porque eu vou conversar com o papai.

A menina assentiu enquanto ia para a sala também. Hinata puxou Naruto até a cozinha, observando o ex-marido e aquela expressão dolorosa além de sentir falta do brilho nos olhos azuis.

— O que houve? É a primeira vez que Sasuke não está aqui quando chego. Vocês terminaram? - perguntou preocupada.

— Que? Co-como assim te-terminamos? Somos amigos’ttebayo.

— Você ‘tá brincando comigo? - a mulher perguntou, apoiando uma das mãos na barriga - Que amigos o que, Naruto. Acha que alguém cai nessa? Vocês estão juntos o tempo todo.

Naruto tinha as bochechas coradas, não sabia como reagir, nunca havia sido confrontado por ninguém.

— Você não disse que estava de saída?

— Como quiser, mas saibam que fazem um belo casal, e que Sasuke te faz muito bem, e as crianças também, então seja lá o que você tenha feito, peça desculpas. - a Hyuuga já tinha se encaminhado até a porta.

— Por que acha que eu fiz alguma coisa? Por que não pode ter sido ele?

A morena apenas arqueou uma sobrancelha, como quem diz “é sério isso?” e o Uzumaki se calou.

Logo estava sozinho com os filhos, e não tinha ideia do que fazer. Era Sasuke quem fazia os cronogramas dos passeios.

— E então… O que você querem fazer hoje? - Perguntou sem muito ânimo, esperando que nenhum dos dois quisesse sair de casa.

— Eu quero desenhar - Himawari ergueu as mãos, mas o irmão apenas ligou o video-game, mostrando, sem palavras, que também preferia ficar em casa.

Naruto não disse nada quando se levantou e pegou papéis e lápis de cor para a menina. Deixou-a na sala enquanto tentava fazer um jantar. Foi interrompido pela menina que correu até ele na cozinha.

— Papai. - Estendeu o desenho para que ele visse - Olha. Eu fiz a nossa família. - Naruto pegou o desenho das mãos da menina - Tem eu, o nii-san, a mamãe com o meu irmãozinho novo, o papai Toneri, o papai Naru e o papai Sasuke.

Naruto observou a menina no centro do desenho junto do irmão. Toneri e Hinata, que tinha um bebê no colo, davam as mãos e Naruto e Sasuke faziam o mesmo. Sentiu a garganta fechar enquanto olhava a imagem.

— Ele não vem hoje mesmo? - a menina voltou a perguntar.

Naruto não foi mais capaz de segurar as lágrimas, que pingavam sobre o desenho da pequena, que tremia em suas mãos.

— Ele vem filha, papai vai buscar o papai Sasuke.

Hima sorriu largamente, estendendo os braços para que o pai a segurasse. Quando ele se abaixou, ela passou as mãos pequenas em seu rosto e fez carinho em seu cabelo.

— Tá tudo bem, papai. A mamãe diz que casais brigam às vezes. É só pedir desculpas, mas tem que ser de verdade. Aí vai ficar tudo bem de novo.

— Arigato, Himawari. Arigato. - Naruto abraçava com força a filha, sem acreditar que uma criança de sete anos podia ser mais madura que ele mesmo - BORUTO - gritou já soltando a pequena - Fica de olho na sua irmã enquanto eu vou ali no Gaara. Vou chamar o Metal pra brincar com você, e o Lee vai ficar aqui com vocês, eu vou buscar o sasuke.

— Vê se não faz merda dessa vez, velhote. - foi o que recebeu em resposta - Você não merece ele.

— Eu sei!

***

Sasuke tinha acabado de chegar novamente em casa.

O gosto amargo na boca por ficar imaginando os programas que faria com as crianças e agora já não era possível. Deixou sua mochila sobre o sofá e se deitou no outro.

Durante aqueles dias, mal conseguia dormir. Havia voltado aquele estado de espírito em que fazia as coisas por fazer. Acordava e passava o dia sem muitos objetivos, lembrando-se o tempo todo de como era dividir seu tempo com Naruto.

Acreditava que aquele relacionamento cheio de “metades”, onde só recebia meia atenção, meia declaração e meio amor o fazia mal. Mas não receber nada estava o matando.

Sentia-se tolo, totalmente perdido em sua própria fraqueza e sua incapacidade de se enxergar longe de Naruto, mas Sasuke não era do tipo que se apaixonava com facilidade e muito menos amava alguém, disposto a abdicar de si mesmo por isso.

A primeira pessoa por quem fez tais coisas, foi aquele loiro.

Por isso estava agora tão perdido, sentindo o ar ao redor sufocá-lo, por não saber mais o que fazer. A cada minuto sentia-se mais abatido, sem direção.

Não tinha ânimo para absolutamente nada quando ouviu sua campainha tocar. Esperou algum tempo, mas a pessoa insistiu e o moreno se arrastou até lá, destrancando a porta e a abrindo devagar.

Quando os olhos de Naruto miraram os do Uchiha, ele não soube o que dizer, queria dizer o quanto o amava, o quanto tinha sentido sua falta, e que nunca mais iria deixar que nada os separasse, mas as palavras simplesmente não saiam.

— Sas-Sasuke!

Uma palavra.

Aquela voz rouca disse uma única palavra e Sasuke sentiu todo o seu corpo se arrepiar. Era por isso que vinha evitando-o a todo custo. Porque sabia que a partir do momento que o encontrasse, que ouvisse sua voz, ele não seria capaz de resistir. E não foi capaz naquele momento.

A saudade e a paixão falaram mais alto quando simplesmente passou os braços em volta do pescoço do loiro e o beijou. Um gemido escapou da garganta assim que sentiu a língua explorar sua boca e as mãos grandes envolverem sua cintura. Estava perdido, entregue.

Podia se condenar o quanto quisesse. Já havia feito isso milhares de vezes. Condenado o modo como ficava por causa daquele sentimento, mas não podia evitar. Havia se entregado porque o amava e queria estar ao seu lado. Mesmo sabendo que se arrependeria depois, naquele momento ele queria apenas ser do loiro novamente. Não podia resistir as batidas do coração gritando que o amava.

A porta foi fechada pelo pé de Naruto que continuou guiando Sasuke pela casa. Estava com tanta saudade que mal podia controlar sua respiração. O gosto doce se misturava em suas línguas enquanto continuavam o beijo. Tiraram as camisas com pressa. As calças também deixaram os corpos, estavam apressados em se livrar logo de qualquer empecilho e se amarem. Precisavam disso.

As vestes ficaram no caminho do corredor enquanto alcançavam o quarto. A preparação foi curta e certeira. As bocas não se desgrudavam, dividindo os gemidos e as respirações. Em pouco tempo e Naruto estava dentro de Sasuke, movendo-se devagar, sentindo cada parte dele. Enquanto os beijos perduravam, as mãos se agarravam assim como as pernas. Precisavam sentir o corpo inteiro um do outro enquanto continuavam a se amar. Os gemidos aumentaram, assim como a rapidez dos movimentos. Lágrimas se formaram nos olhos de Sasuke, mas Naruto beijou-as enquanto continuava a abraçá-lo com força.

Era aquilo que ele merecia. Nada de metades. Merecia um amor inteiro.

Quando chegaram ao ápice, gritaram juntos, sem vontade de se separarem. Ficaram ali, naquela posição por algum tempo. O coração do Uchiha batendo descompassado, confuso. Tinha cedido mais uma vez.

Seu peito estava tomado por muitos sentimentos que não sabia distinguir. Era isso. Aceitaria o que Naruto tinha a oferecer. Mordeu o lábio, sentindo o cheiro dos cabelos loiros e deu um sorriso quando o viu olhar para cima, mirando seus olhos.

— Que barba é essa? - brincou.

— É que eu levei um pé na bunda recentemente - respondeu o loiro - embora eu tenha merecido, confesso que prefiro levar outra coisa na bunda.

Sasuke riu pela primeira vez depois daqueles dias terríveis.

— Eu… - o moreno tentou dizer algo.

Mas o que diria? Pediria desculpas? Diria que estava tudo bem? Depois do que fizeram, achava que estava claro que tinha admitido sua fraqueza em relação a ele.

Naruto viu a confusão trilhar os olhos de Sasuke, sabia o que tinha que fazer, mas nunca fora bom com as palavras. Então apenas levantou-se, dando um selinho nos lábios do moreno e começou a caçar sua calça, tirando um papel do bolso antes de começar a vesti-la.

Sasuke ficou encarando o Uzumaki andar pelo seu quarto. Ele já iria embora? Baixou a cabeça, tentando evitar aqueles pensamentos. Foi ele mesmo quem decidiu ceder, então era melhor não ficar pensando demais no porquê de Naruto estar vestindo suas roupas sem pressa.

— Anda, Suke, vai arrumar as suas coisas, temos que correr. - Naruto dizia como se fosse óbvio demais o que queria dizer - Você sabe como o Lee é, nesse momento Himawari já deve estar usando um collant verde, e o Gaara deve estar tirando foto pra me zoar no clube dos pais.

— O-o que? Arrumar minhas coisas? Do que está falando? - Sasuke apertou as cobertas entre os dedos.

— Não é óbvio? - Naruto disse abrindo o papel que tinhas em mãos - Esse é o nosso final de semana com nossos filhos - estendeu o desenho de Himawari até o colo do Uchiha - Nossa família está nos esperando!

Sasuke encarou o desenho feito pela menina. Mordeu o lábio, sentindo novamente os olhos arderem e o coração se encher de calor. Pela primeira vez sentiu algo maior inundar todo o seu ser. Enquanto assentia e segurava as lágrimas, percebia o que era aquela sensação.

Era assim que era ser amado por inteiro.

---------------

GENTE, ESSA ONE FOI FEITA JUNTO COM A MARIDA NINA, O PERFIL DELA SE CHAMA @JPSTYLE, ELA TEM ONES MARAVILHOSAS DE YOI E TÁ PASSANDO MAIS PRA CÁ.

NÃO DEIXEM DE PASSAR NO PERFIL DELA

ESPERAMOS QUE TENHAM CURTIDO

UM BEIJO NO KOKORO E JA NEE

26 de Febrero de 2018 a las 21:45 3 Reporte Insertar 17
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
KL Kitsune Lyra
Gente que difícil lidar com a covardia do meu Naru, mas vc expressou tao bem os sentimentos do Sasuke que eu fiquei com dózinha dele! Gente essa Himawari e esse Boruto arrasaram! Como as crianças tem uma percepção linda das coisas ne? Achei a reconciliação bem a cara deles mesmo. Adorei!
10 de Junio de 2018 a las 22:06
Tenshi Uchiha Tenshi Uchiha
Naruto bobinho, achando que ninguém perceberia. Que amor de história.
8 de Mayo de 2018 a las 12:21
Marcia Castro Marcia Castro
Maravilhosa.. sasuke e Naruto arrasaram.. Parabéns
8 de Marzo de 2018 a las 10:09
~