I Won't Say I'm In Love Seguir historia

descansoul Gabi

Em sala de aula, Sasuke só consegue pensar em uma única coisa – ou melhor dizendo, uma única pessoa. E Naruto, que havia percebido, não deixaria seu amigo em paz tão cedo. "— Admita que está apaixonado. — Nunca."


Fanfiction Todo público. © Essa estória é de minha autoria

#oneshot #sasuke #sasusaku #sakura #colegial #descansoul
Cuento corto
11
6944 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo único

Uma luz surgiu na interface do aparelho eletrônico, automaticamente chamando a atenção do moreno, que tentava de minuto a minuto prestar atenção no quadro à alguns metros de distância. Quando os olhos negros volveram para o aparelho, em seus lábios surgiu uma linda curva ao ler, na notificação, o nome que lhe desviava a atenção da realidade, rapidamente evoluindo para um largo sorriso nada discreto.

Sasuke pegou o celular e, se inclinando na cadeira como quem não quer nada, colocou-o debaixo da mesa e respondeu a mensagem de maneira rápida e ágil. Em poucos segundos o celular estava em cima da mesa de novo, o olhar perdido no quadro e o sorriso ainda no rosto.

Porém, tal sorriso morreu ao notar que um idiota o encarava de maneira descarada, com uma expressão exageradamente ridícula de uma mãe ao ver o filho apresentando uma menina pela primeira vez.

Sasuke fitou-o pelo canto dos olhos, subitamente sério e mal humorado - seu temperamento comum. Mas Naruto já estava acostumado e não se intimidou nem um pouco. Pelo contrário, viu aquilo como um sinal de que poderia iniciar uma conversa.

— Você gosta dela, não gosta?

Sasuke bufou e revirou os olhos, fingindo voltar a atenção no quadro, mas Naruto era insistente e não pararia por ali. Aliás, ele conhecia muito bem o melhor amigo.

— Fala sério, Sasuke. Você fica sorrindo igual um babaca toda vez que chega notificação no celular. E eu reconheci a foto da Sakura toda vez.

Naruto havia falado alto demais, pelo menos alto o suficiente para o professor escutar uns murmúrios vindos do final da sala e pedir silêncio com as sobrancelhas fortemente franzidas em uma careta. Eles sabiam que mais um aviso silencioso e nada discreto daquele e teriam sérias consequências.

Depois de um tempo seguro, Sasuke tornou a falar, o nível de voz mais baixo possível, quase inaudível.

— Deixa de ser fofoqueiro, Dobe. E eu não fico sorrindo como você.

Ele não sorria. Sorria?

Uma nova notificação subiu na tela do celular e os olhos do Uchiha foram atraídos até lá. Ele ia sorrir, de fato, mas tinha total consciência do Uzumaki lhe observando e se controlou.

Porém, ao ler o conteúdo da mensagem, foi inevitável. Um singelo sorriso adornou-lhe os lábios que refletiu nos do loiro, já imaginando ambos os amigos de vestido branco e terno preto, subindo no altar e selando o amor com um beijo e alianças.

Sasuke está apaixonado... — cantarolou baixinho, provocando o Uchiha.

— Não estou apaixonado. — afirmou, decidido.

Mais uma mensagem.

Dessa vez Sasuke realmente tentou se controlar, mas estava cada vez mais difícil.

Ali, bem na tela do seu celular, havia a foto da rosada segurando um gatinho preto de pelúcia - que havia ganhado de presente dele no parque de diversões, dia passado - com um grande laço vermelho no pescoço, igual ao que ela costumava usar nos cabelos curtos quando ficava à vontade em casa, algo que a deixava com uma aparência angelical e um pouco infantil, mas que ele adorava.

— Não adianta negar, tá estampado na sua cara — Naruto chegou bem perto do outro, sussurrando em uma voz irritante. — No fundo, você sabe o que você sente e não pode negar.

Ele se afastou rápido o suficiente para esquivar do soco de Sasuke.

— Sem chance.

Sasuke desligou a tela do celular e voltou a olhar para o quadro, mas não conseguia parar de pensar na foto que havia recebido e como estava louco para colocá-la como papel de parede do celular.

— Admita, Teme.

— Cala a boca, Naruto.

Naruto estava ficando louco, mais do que já era. Não era porquê passava do acordar ao adormecer falando com a Haruno pelo celular, quando não a encontrava pessoalmente nos intervalos e nas saídas do grupo de amigos e só deles dois, que estava apaixonado. Ela era divertida e engraçada, e linda - estonteantemente linda, em sua opinião -, e seus olhos esmeraldas brilhavam em vitalidade sempre que tinha a chance de vê-los. Sentia-se genuinamente feliz e à vontade do lado dela, adorava escutar sua voz e sua risada contagiante pelo telefone – e pessoalmente, é claro -, e principalmente, adorava os pequenos surtos de ciúmes que ela tinha ao ver uma garota tentar se aproximar dele, tentando inutilmente escondê-lo entre bicos e respostas curtas.

Mas isso não queria dizer nada. Queria?

E os beijos e carícias que havia trocado com a mesma nos momentos de silêncio na noite anterior, a vontade de experimentar novamente os doces lábios com gosto de morango - que ele jurava que seria cereja - toda vez que os fitava - na verdade, nem precisava avistá-los para ter vontade - talvez fosse apenas atração.

A vontade de tê-la nos braços e protegê-la de todo mal e perigo que o mundo oferecia ele já não preferia categorizar. Nem a necessidade de tê-la ao seu lado, onde sua vista alcançava, onde poderia socorrê-la em qualquer situação, que falava bastante alto, às vezes até gritava em seu interior. Aquilo ele apenas sentia e aceitava. Sakura era de fato uma pessoa desastrada e a probabilidade de se machucar há qualquer momento era imensa. Por que ela tinha que estudar na outra sala?

O sinal finalmente tocou, anunciando o início do intervalo para o almoço. Sasuke reuniu seu material, guardando-o na mochila, deixando apenas o celular em cima da mesa.

— 'Bora, Teme. To morrendo de fome.

— Estou indo — respondeu com um pequeno sorriso e o olhar distante.

Naruto sorriu também.

— Admita que está apaixonado.

— Nunca.

Sasuke olhou para o celular, e como se estivesse conectado a ele, uma nova notificação surgiu na tela. Mas ao invés de apagar-se novamente, o celular começou a vibrar, e o ícone de uma menina de óculos de sol com os cabelos rosados presos num coque apareceu na tela. Sasuke jogou a mochila por sobre o ombro e, pegando o celular, seguiu em direção à saída com Naruto ao seu alcance.

— Não vou parar de perturbar até você admitir.

Sasuke permitiu-se admirar a foto por alguns segundos antes de atender, o sorriso ali, novamente. Talvez Naruto estivesse certo. Talvez, só talvez, Sasuke Uchiha estivesse mesmo apaixonado.

— Larga do meu pé, eu não vou admitir nada.

Ao menos não em voz alta.

26 de Febrero de 2018 a las 16:28 0 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~