Feliz Aniversário, Shisui! Seguir historia

vanychan734 Vany-chan 734

Shisui completava seu vigésimo oitavo aniversário e uma surpresa fora preparada para si. Um bolo de chantilly com morangos e um pedido especial estavam a sua espera. O jovem Uchiha foi consagrado com o pedido de seus sete anos e não poderia estar mais feliz. "Sorriu, pensando em como o mais novo às vezes era idiota, afinal, qualquer um saberia que esse era seu maior sonho. "


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#LGBT+ #Clã Uchiha #Universo Alternativo #UA #ItaShi #ShiIta #Uchihacest #Yaoi #Naruto
14
7407 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Feliz Aniversário, Shisui!

~Arte editada por mim, créditos da original ao artista Surfaçage. 

---------------------------------------------------X--------------------------------------------------------

Itachi olhava para o bolo que havia feito, estava bonito, mas algo dentro de si dizia que podia fazer melhor – ou pelo menos que o aniversariante merecia algo tão bom quanto ele próprio. A massa era de chocolate, o recheio de prestígio e a cobertura de chantilly com morangos.

Sasuke odiaria esse bolo. O rapaz refletiu. Seu irmãozinho odiava doces e por vir hoje à comemoração do vigésimo oitavo aniversário de Shisui é que havia preparado uma torta de tomates especialmente para ele.

Olhou pela janela do apartamento, vendo a praça em frente com várias crianças brincando. Às vezes se questionava se o namorado gostaria de ter filhos no futuro, claro, o outro Uchiha ainda era uma criança em certos momentos, mas com um pouquinho de jeito, Itachi conseguiria retirar o melhor dele para si, ou pelo menos, o lado mais responsável.

Olhou para o celular em cima da mesa que vibrava, o visor mostrava a foto de Sasuke pequeno usando orelhinhas de gato – ele odiava aquela foto, mas o irmão se recusava a utilizar outra para seu contato.

- Irmãozinho – falou após atender a chamada.

- Já podemos levá-lo? Eu não aguento mais esses dois juntos! – a voz do caçula estava abafada por sons de tiros de vídeo-game e gritos empolgados dos meninos.

Um sorriso sereno se fez presente nos lábios de Itachi e ele concordou rapidamente, então Sasuke desligou a ligação – não sem antes se certificar que a torta de tomates estava pronta e a sua espera.

O Uchiha colocou mais alguns morangos em cima do chantilly e então foi tomar banho. Ao se olhar no espelho, notou que havia alguns pingos de chantilly no rosto e resolveu sacanear Shisui. Pegou o celular e fez uma pose austera, embora o namorado sempre dissesse que ele ficava sexy em todas elas, dessa vez, ele iria provocar o companheiro. De frente para câmera, lambeu o polegar sensualmente e enviou a foto para ele em seguida.

“Te vejo em casa.” era o que estava escrito com a foto anexada, voltou para o banheiro e finalmente lavou o corpo, retirando farinha das madeixas sedosas. Quando saiu do cômodo com uma bruma de vapor, seu celular apitava e ao ver as treze mensagens do primo, simplesmente ignorou a quinta chamada dele.

Penteou o cabelo olhando-se no espelho e se lembrou de como Shisui gostava de fazer diversos penteados em si. No início não gostava, mas depois passou a apreciar a própria beleza andrógena e às vezes pedia que ele o penteasse. Decidiu prender a parte de cima, deixando a franja e a parte inferior soltas. Vestiu uma blusa social branca e um colete azul escuro por cima, combinando com a calça da mesma cor. Estava abotoando a manga ¾ quando ouviu a porta da frente abrir e uma voz conhecida chamar seu nome.

- Itachi? Querido? – Mikoto falava, andando pelo apartamento.

- Mãe – respondeu, aparecendo no corredor e ganhando um abraço apertado da mulher.

- Seu pai veio dessa vez, querido – anunciou, sussurrando – Se comportem.

Ele sorriu, ainda que se sentisse desconfortável. Já namorava Shisui desde os vinte e dois anos, mas o pai resolveu aceita-los apenas agora, quando o namorado discutiu ferozmente com ele por negligenciar o filho, além do seu próprio otouto sempre o visitar e se posicionar a seu favor.

- Pai – acenou brevemente, aparecendo na sala com sua mãe sorridente ao lado.

- Filho – a voz grossa soava distante e quem olhasse poderia pensar que ele ainda não aceitava Itachi de verdade, mas fazia tempos em que ele não se referia ao menino pelo papel, e sim pelo nome.

- Podem se sentar, logo os outros chegam – disse com a pacificidade que era característica do seu ser.

O patriarca sentou no sofá bege e observou meticulosamente o apartamento do filho. Nada ali dava qualquer indício de que o primogênito fosse gay, até por isso foi um choque quando o menino resolveu “se assumir” – como Mikoto dizia.

- Hey! Itachi-kun, trouxe alguns saquês! – Sakura irrompeu a porta animada, trazendo várias garrafas consigo.

E quando percebeu os sogros no sofá da sala ficou completamente vermelha, Itachi riu suavemente, enquanto a carranca dos outros dois se formava. Mikoto podia ser mente aberta quanto a sexualidade do filho, mas jamais permitiria álcool em sua casa, só não repreendeu a nora, porque, bem, não era sua casa.

- Arigatou, Sakura – ele deslizou as sacolas para sua mão e sorriu displicente para ela.

- Mikoto-san, Fugaku-san! – a rosada ainda estava paralisada na porta – Que bom revê-los! – tentou sorrir, mas o nervosismo impediu que o sorriso saísse sincero e bonito.

- Onde está Sasuke? – o sogro foi direto como sempre.

- Ah... – ela fechou a porta do apartamento – Bem... o Ita-kun pediu que ele e Naruto distraíssem Shisui, mas falei com Sasuke agora pouco e ele disse que já estão vindo – agora mais calma, sorriu alegre.

Fugaku aquiesceu e não disse mais nada depois disso, deixando Mikoto puxar assunto com a nora, principalmente acerca do possível casamento entre ela e o caçula, constrangendo cada vez mais a moça que lançava olhares pedintes a Itachi como se gritasse “socorro!”, ele fingia não vê-los e se sentou ao lado do pai, falando do novo projeto na empresa da família.

Itachi sabia ser dissimulado quando o convinha e essa era uma das situações nas quais conseguia atingir certos objetivos simplesmente com sua presença e algumas frases soltas.

- Você fez um bom trabalho na campanha anterior – Fugaku elogiou e arregalou os olhos quando percebeu o “deslize”, ainda mais quando a expressão do filho era de deboche.

O pai estreitou os olhos, odiava como Itachi conseguia arrancar coisas de si com suas várias personalidades, por isso decidiu se calar e o jovem não fez mais objeções. O silêncio na sala durou poucos minutos, o suficiente para Sakura se sentir intimidade com a presença dos sogros e então anunciar:

- Eu vou na cozinha! Alguém quer alguma coisa?

Todos negaram e ela praticamente correu para o cômodo adjacente, abrindo uma garrafa de saquê e bebendo no gargalo. Que Mikoto não a visse agora, mas não aguentava aqueles assuntos! Por Deus, a mulher só faltava lhe colocar num vestido de noiva.

- Você está bem, cunhadinha? – o dono do apartamento entrou na cozinha, com aquela pose provocadora.

Oh, inferno. Parecia ser da genética Uchiha quererem provoca-la! Quando Sasuke o fazia, era um charme, sempre acabavam transando depois, mas o irmão só a atentava mesmo.

- Uhun! – balançou a cabeça, engolindo rapidamente a bebida e sentindo a garganta arder.

- Cuidado, não queremos um show na presença dos meus pais – ele esticou o braço e retirou a garrafa das mãos dela.

A face da cunhada ficou mais rubra que seus fios recém pintados. Itachi sempre a atormentava lembrando da primeira festa em que ele, Sasuke e ela fizeram sozinhos. Oh, Sakura tinha vergonha só de lembrar.

Itachi sorriu e segredou-lhe:

- Shisui é ciumento, mas para você ele abre uma exceção – piscou um dos olhos.

Ela sentiu um arrepio nas costas e bateu no braço dele irritada. Droga! Bendito dia em que concordou fazer um ménage entre os dois irmãos Uchihas! Itachi riu da expressão dela e bebeu um pouco do saquê.

- Agora, sem brincadeiras, você acha que Shisui gostaria de se casar comigo? Ou de ter uma família? – ele perguntou, olhando fixamente para o fogão limpo.

Sakura estranhou a mudança de assunto, mas já era algo comum da personalidade dúbia de Itachi, então respondeu sincera:

- Bem, ele te ama... e vocês já moram juntos há anos... não vejo motivos para ele não querer ou para não considerar isso – ela mexeu as mãos indicando o apartamento – um casamento.

O Uchiha assentiu silencioso, pensando nas cenas casuais seu dia-a-dia por morar junto com o parceiro, como Shisui sonolento às 10h da manhã aos domingos andando pela cozinha de samba-canção.

- Sabe, quando você não está me atormentando, é um doce de pessoa – ela confidenciou gentil.

Itachi sorriu mostrando os dentes, dessa vez com um divertimento genuíno, e fixou o olhar nela.

- Eu também gosto de você. E não se preocupe com minha mãe, Sasuke não é do tipo que faz discursos, porém realmente gosta de você – a expressão de Sakura foi de surpresa – Ele pode não admitir, mas o jeito que te olha, o entrega... é como se ele estivesse vendo uma sacola de tomares frescos – ponderou.

Ela abriu a boca três vezes e nessas três vezes nenhum som saiu. Por fim, sorriu, sentindo o coração aquecer com a declaração. Amava Sasuke também, então adoraria casar-se com ele, fazer parte da família e ter vários bebezinhos Uchiha – claro, após completar sua faculdade de medicina e ele a de engenharia da computação.

Itachi ouviu passos no corredor do prédio e indicou à Sakura que deveriam voltar para a sala, ela sorriu como se armassem o maior plano de suas vidas e caminhou junto dele, Mikoto e Fugaku já haviam se levantado e estavam de pé, e quando a porta abriu, Naruto e Sasuke deram espaço para que Shisui entrasse no local.

Primeiro a expressão dele foi de puro choque, depois de carinho e então um sorriso enérgico se fez presente. A cada ano Itachi preparava algo diferente em seu aniversário, mas ele nunca suspeitaria de um bolo! Um bolo com chantilly e morangos! Era tão simples e ainda assim adorou tanto. Que homem era esse pelo qual havia se apaixonado!

Não sabia se corria comer o bolo ou beijar o namorado.

- Surpresa! – gritaram os presentes, com exceção de Fugaku e Sasuke.

Os olhos negros de Itachi fitavam Shisui com tanta intensidade que o moço estava quase enrubescendo, principalmente por se lembrar da foto – nada puritana – que o amado havia mandado. Ah, Itachi sabia mexer drasticamente com sua libido e seu psicológico. Se aproximou lentamente e com um sorriso radiante, o abraçou.

- Feliz aniversário, Shisui – o Uchiha sussurrou devagar, e nesse instante o moço soube que o bolo era só o começo da sua surpresa.

Sorriu malicioso para Itachi, mas logo desfez o abraço, antes que seu corpo reagisse involuntariamente a proximidade dele e deixasse o ambiente desconfortável. Olhou para a sogra e lhe deu um abraço apertado, apertou a mão estendida de Fugaku, fingindo que se suportavam, e depois agarrou Sakura, sabendo que parte do planejamento havia sido culpa dela.

- Vamos comer logo esse bolo, dattebayo! – Naruto gritou, animado.

Shisui riu e comemorou a ideia do mais novo. Adorava o amigo de Sasuke, afinal, ele tinha uma energia tão parecida com a sua e sempre o auxiliava em planos para irritar o cunhado. Foi para mesa e esperou Sakura tirar algumas fotos suas para depois cantarolarem o parabéns, em seguida fatiou o bolo e estendeu o primeiro pedaço ao amado.

- Tachi – ele chamou, referindo-se ao apelido carinhoso que havia colocado no outro desde pequenos.

Fugaku grunhiu em desaprovação, mas todos ali o ignoraram. Itachi pegou a fatia do bolo e mordeu o morango dela, fingindo comê-lo naturalmente, mas o companheiro sabia bem que o namorado não sugava morangos daquela forma. Engoliu a seco e começou a cortar o bolo novamente, distraindo a mente daquela imagem – adoravelmente – pecaminosa.

- Nii-san – Sasuke chamou, manhoso, quando um pedaço lhe foi ofertado.

Itachi riu suavemente e seus olhos se encheram de carinho. Às vezes, nem para Mikoto olhava assim. Saiu pela porta da cozinha e voltou com um pedaço generoso da torta de tomates e quando Naruto disse que queria um, respondeu:

- Não, é apenas para o meu otouto.

Fugaku, a esposa e Sakura riram da expressão decepcionada do loiro.

- Dattebayou! – reclamou, insatisfeito.

- Tsc, Dobe – Sasuke zombou do amigo, enquanto o olhava superior, deixando o Uzumaki irritado e o xingando como se tivessem novamente 16 anos.

Aquilo era muito nostálgico para Mikoto e seu esposo, assim como para Sakura que convivia com os dois desde a pré-escola.

- E se eu quiser um pedaço? – Shisui se aproximou tão manhoso quanto Sasuke e atraiu o olhar de Itachi.

Sasuke fez uma carranca. Mesmo após anos, ambos sentiam ciúmes um do outro, era como se Itachi fosse um prêmio e eles queriam sempre monopolizá-lo, embora Shisui convivesse com ele por muito mais tempo, o que deixava Sasuke deveras indignado.

- Vai continuar querendo – respondeu simplesmente, dando de ombros.

Sasuke sorriu vitorioso, mas sob o olhar feio de Mikoto revirou os olhos aceitando dividir a torta com o restante.

A noite passou serenamente, conversaram, riram, provocavam-se e quando o casal mais velho optou por ir embora, o clima ficou bem mais leve. Sakura estava animada e Sasuke também, contudo Itachi sabia como isso iria acabar se não os despachasse – e com certeza não queria os dois transando em seu sofá. Naruto ainda sóbrio, levou-os embora, restando apenas ele e o companheiro.

- Tachi, você não respondeu nenhuma mensagenzinha minha hoje! – reclamou, fazendo beicinho.

Itachi sorriu malicioso, se aproximou furtivamente e então o imprensou na parede.

- Diferente de você, não sou desocupado – respondeu debochado entre beijos em seu pescoço.

- Hum... – gemeu quando foi estimulado sobre a calça.

Itachi olhou-o nos olhos e sorriu convencido ao ver a expressão de plenitude do outro.

- Você me ama? – questionou direto, mudando completamente o assunto em pauta.

- Hã? – os olhos acinzentados desfocaram levemente, mas logo voltaram a se fixarem nos seus – É claro que eu te amo, por que está perguntando isso?

O Uchiha sorriu, sentindo o coração bater acelerado, encostou ambas as testas e proferiu com devoção:

- Shisui, quer casar comigo?

O companheiro guinchou surpreso, mas quando se afastou minimamente de Itachi e o olhou sério, viu que não tinha ouvido mal, que na verdade aquele era uma proposta real e que o companheiro parecia até ansioso por uma resposta. Sorriu, pensando em como o mais novo às vezes era idiota, afinal, qualquer um saberia que esse era seu maior sonho.

Aliás, fora isso que havia pedido ao assoprar as velas em seu aniversário de sete anos. Obviamente, na época, não entendia que casamento era algo muito mais complexo do que dividir sua comida favorita com outrem, entretanto, ao crescer, Shisui entendeu que casamento era sobre companhia, e o melhor exemplo disso era quando se sentia feliz ao dividir o mesmo ambiente que Itachi, fosse na Academia, fosse na cama.

- Você é o meu melhor presente.

E com essa resposta, Itachi soube que sim, logo seriam uma família. 

26 de Febrero de 2018 a las 01:43 2 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comenta algo

Publica!
Way Borges Way Borges
eu nem amo essa historia <3
25 de Febrero de 2018 a las 19:57

  • Vany-chan 734 Vany-chan 734
    Você é muito meu neném e é bem-vinda em todas as minhas shiitas <3 25 de Febrero de 2018 a las 20:16
~