Magia Erótica Seguir historia

uchihaspears Uchiha Spears

Ser classificada como fofa não era o que eu esperava do meu noivo e amigas. O significado era ser carinhosa, amorosa, romântica, amável, eu queria ser mais que isso, mesmo sendo essencial ter tais qualidades em minha profissão. Já ouviu aquele ditado: "quem procura, acha"? Então, de tanto procurar encontrei o segredo mais pervertido do meu recatado noivo. Bem, terei que ser muito mais que só fofa. Neste halloween vou usar e abusar de todas as fantasias secretas de Uchiha Sasuke. Será gostosuras e travessuras, literalmente.


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

##SasuSaku ##Naruto
25
7.3mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo único

O outono por si só tinha o seu toque mágico, as folhas amareladas e alaranjadas coloriam os parques e ruas, sem mencionar que elas faziam um grande tapete de folhas no chão.

Outono sempre me recordava que faltava pouco para a minha festa favorita, sim, eu sou a maluca do Halloween!

Desde pequena eu amava sair pelas ruas sempre fantasiada, já fui a Cinderella, Branca de neve, Pequena Sereia - essa eu levei um mega tombo com a cauda. Quando virei adolescente minhas fantasias mudaram, de princesas sonhadoras da Disney, teve a fase que eu lia mangás e lá vai eu vestida de Sailor moon, fiquei uma gracinha.

Quando entrei no ensino médio, minhas fantasias mudaram novamente, lembro de um dia que vesti um uniforme colegial igual a britney Spears naquele vídeo do Baby One More Time, depois passei para a Regina George de Meninas Malvadas e por ai foi.

Eu achava que já tinha ido em todo tipo de festa de halloween na vida, mas fiquei completamente surpresa quando entrei na faculdade, vi que por lá, as festas tinham um outro significado. Travessuras eram travessuras sexuais e o doce era chupar o pau de alguém. Lá se foi a imagem inocente que eu tinha dessa festa.

Eu sou professora do jardim de infância do bairro, a tia Sakura dos pimpolhos. Um exemplo a ser seguido.

Depois de passar uma hora na feira local tentando achar a abóbora perfeita para fazer a montagem para o Halloween, enfim eu consegui chegar em casa. Parece que todo mundo de Salém resolveu ir na feira hoje comprar abóboras.

Entro no apartamento e pego algumas cartas na caixa do correio. Apenas contas!

— Sasuke, cheguei!

A primeira vez que eu vi o Sasuke, eu estava fugindo de chupar o pirulito de alguém numa festa de halloween. Eu dei de cara com ele no corredor da faculdade e sem querer eu derrubei uma pilha de livros dele.

Sasuke é formado em biblioteconomia e ele estava saindo do estágio. Passamos uns vinte minutos brigando, ele estressado e eu tentando me defender, no entanto ele partiu para os palavrões dos piores tipos, eu não poderia ficar calada e revidei, foi a primeira vez que eu mandei alguém se foder na vida depois dele me mandar umas mil vezes.

Quem vê o meu noivo de óculos e suéter, nem imagina o verdadeiro temperamento dele. Depois de sairmos xingando um ao outro e com a esperança na vida de eu nunca mais encontrar aquele filho da puta, aliás o campus era grande, eu não tinha como encontrá-lo, aí foi meu engano, todo lugar que eu ia o encontrava.

Nada saia amigável, pois sempre trocávamos farpas, Sasuke conseguia tirar toda minha áurea da paz. De tantas confusões, minha vida já tinha virado um inferno e acabei infernizando as minhas amigas de tanto falar do quanto eu odiava o cara de biblioteconomia, nossos amigos já cansados, porque o Sasuke também falava de mim para os amigos dele, resolveram se juntar para tentar dar o fim. Nos levaram em um restaurante de encontro às cegas.

— Trouxe o vinho? — ele me pergunta.

— Oi amor, tudo bem?

— Oi amor, tudo bem? Você trouxe o vinho?

— Procura na sacola amor. — digo irônica, coloco a minha abóbora sobre a mesa. — Estou pensando em qual expressão eu coloco nessa abóbora. De mal? Super mal?

— Que tal uma sopa dela?

— Não começa Sasuke, não começa; — falo em um tom quase de ameaça. — Sabe, a Ino vai dar a festa de Halloween.

— Todo ano ela faz isso.

— Mas a desse ano vai ser super mega icônica.

— De todos os anos você fala, nem vem, ano passado fomos e concordamos que esse ano eu não iria.

— Sasuke.

— Eu já te disse que você pode ir.

— Eu não quero ir sozinha, seu idiota. Por favor!

— Negado.

Ele coloca o vinho na geladeira e eu apenas olho para a cara dele indignada, injustiçada. Eu pego a faca na gaveta do armário.

— Nem com ameaças ou facadas irei. — ele comenta sorrindo e eu ergo a faca para ele. —Fica linda assim com essa faca, só falta a cara de má.

— Eu te odeio, amor. — ele pisca para mim e eu dou língua. Procuro uma colher e um pote, tenho que fazer uma cara assustadora nessa abóbora para colocar na varanda.

Durante o encontro ás escuras que tivemos, descobrimos que tínhamos muito em comum e nos divertimos bastante, até a luz ser acendida. Eu dei de cara no chão, brigamos um pouco dentro do restaurante e juramos nunca mais nos falarmos.

Sasuke quebrou o juramento, ele veio me procurar e antes que eu o xingasse, ele me beijou igual aqueles filmes românticos que a mocinha leva um super beijo para ficar em silêncio.

Eu surtei, em todos os sentidos e toda vez que eu o tentava o xingar, ele me beijava. Gamei no beijo do desgraçado. Não nego, mas fazer o que? Os beijos dele eram e são excitantes, do tipo de deixar desconcertada.

E sem falar que ele é uma mistura de gentleman com bad boy, eu vi que por baixo daquele suéter azul marinho com listras horizontais vermelhas tinha um homem perfeito e com uma puta tatuagem de gladiador no braço esquerdo com o coliseu como plano de fundo. Adeus imagem do bibliotecário santo nerd recatado que eu tinha. Eu me apaixonei por aquele homem, por aquela pegada. Santa pegada!

Terminei de fazer a cara na minha abóbora, está assustadora. Macabra para assustar criancinhas no halloween, tadinhos. Pego uma vela grossa e coloco dentro e começo a cantar:

Isso é o Halloween! Isso é o Halloween!

Abóboras gritam na calada da noite!

Isso é o Halloween!

Todos fazem uma cena

Gostosuras ou travessuras até os vizinhos morrerem de medo!

Vejo Sasuke me olhando com o cenho franzido e sua sobrancelha erguida passando da linha do óculos preto.

— O que foi?

— Você.

— O que tem eu? Desculpa se pareci ser a miss assustadora, a noiva cadáver assustadora.

— Não, estava mais para a Barbie tentando ser assustadora.

— Como é que é? — eu o pergunto e sorrio de nervosa. — Querido, eu sou bem assustadora, uma bruxa má. — boto a mão na cintura fazendo pose.

Ele nega.

— Fala sério Sasuke, eu sou uma capeta, femme fatale.

Ele tira o óculos do rosto e enxuga no suéter, eu acho puta sexy quando ele faz isso.

— O que seria uma femme fatale, definição? — eu sei que ele sabe, mas está me testando.

— Uma mulher sagaz, que seduz. É cheia de si, independente e sexy. Muito sexy. Euzinha.

—Tirando a parte independente.

— O que está insinuando?

— Amor, você é fofa.

— Fofa? — pergunto chateada e ele anui. — Como assim Uchiha Sasuke?

— Hm, você é fofa, você é uma pedagoga que cuida de uma classe com dez crianças de quatro anos, ás vezes você fala comigo no diminutivo como se estivesse falando com as crianças e sem falar que você parece aquela maluca do Legalmente Loira que você adora. Você é fofinha tia Sakura.

— Eu sou fofinha?

— Eu gosto. Ás vezes tem a boca suja, mas chega a ser engraçado.

— Fofa? — eu ainda não estou lidando com isso bem. Ele acena que sim.

Estamos terminando o jantar, Sasuke está lendo um livro - durante a refeição. Deve ser importante, pois ele quase não pisca os olhos. Eu corto o bife á milanesa e quase faço um buraco no prato. Sasuke me olha por um instante e digo que é nada com a cabeça.

Olho pelo o reflexo do espelho a minha abóbora iluminando a varanda.

Fofinha. Pera, fofinha o caralho.

Eu fiquei puta com isso, não nego.

Fofa eu? Não! Nunca!
Certo que eu sou um amor com a minha classe de alunos, sempre me chamam de tia Sakura.

Sem falar que as mães me acham um amor e me chamam de … puta que pariu! De fofa!

Será que eu transferi esse meu lado fofo com as crianças para a minha vida?

Todo mundo nesse bairro me conhece como a professorinha encantadora, super amorzinho.

Céus! Eu sou uma puta fofa. Olhando por esse lado, eu nem sei se posso ser chamada de puta.

Isso me leva a uma pergunta: — Sasuke, — eu chamo a atenção dele.

— Sim.

— Amor, você disse que eu sou fofa e tudo mais, então… eu sou fofa até lá?

— O que? — ele limpa a boca com o guardanapo.

— Eu sou fofa até fazendo amor?

Ele pausa a leitura do livro. — Hm, — ele pensa sobre a minha pergunta. —Sim. Por quê?

— Por nada. Obrigada. — digo insatisfeita.

— Disponha.

Nosso jantar transcorre tranquilamente, Sasuke está interessado em seu livro de seja lá o quê.

Após o jantar assistimos um pouco de televisão, o noticiário das nove. Sasuke tem um costume de comentar sobre tudo o que passa, parece que ele tem a Wikipédia dentro da cabeça dele. Isso o deixa mais sensual, nem acredito que eu fisguei esse homem. Somos tão diferentes, Sasuke é tão intenso e eu apenas fofa.

Uma fofa!

Sasuke prepara a mochila dele para o trabalho, o vejo colocando alguns livros dentro dela. De repente ele deixa alguns caírem.

— Deixa que eu pego.

— Não Sakura, tudo bem. — ele diz com pressa e logo se abaixa pegando os livros. Ele parece assustado. Ele vai colocando os livros um por um na mochila e eu vou observando os títulos.

— São livros sobre o quê? — pergunto.

— História americana. Guerra Civil Americana, a independência das treze colônias. — ele vai colocando os livros e pega um de capa branca e juro que vi uma mulher de preto sensual.

— E esse?

— Nada amor, um livro. Besteira.

— Hm. Posso ver?

— Não amor, é besteira. — ele fecha a bolsa. — Vamos dormir? Tenho que acordar cedo. Tenho que organizar alguns documentos e livros na biblioteca. — ele tira a roupa, vejo Sasuke de boxer preta com aquele volume grande, tentador. Sinto até o calor subindo por minhas pernas.

— Vai para academia amanhã? — pergunto.

— Só depois do trabalho. Sem tempo pela manhã.

— Malha mesmo, eu quero ver mais desses gominhos.

— Gosta mesmo, tia Sakura?

— Puts Sasuke, não quebra o clima.

Ele ri, aquela risada gostosa que só eu sei como é. Sasuke é um homem fechado, sempre sério e taciturno no seu trabalho, mesmo assim ainda é assediado pelas mulheres que trabalham com ele e sem falar das garotas que vão fazer “pesquisas” na biblioteca central. No início do nosso namoro eu fiquei um pouco insegura, aliás meu noivo parece ter saído da capa de uma revista de moda. Não nego, o homem é lindo. Um moreno de um metro e noventa de pura gostosura e sex appeal daqueles.

Ele se ajoelha na cama e vem sobre mim, sinto o volume dele sobre mim. — Eu acho fofinho quando eles te chamam de tia Sakura. — ele fala um pouco rouco no meu ouvido.

— Vamos fazer amor? — pergunto manhosa e desejosa, tudo que eu preciso agora é do amigo rosado do meu noivo dentro de mim.

— Hoje não, eu tenho que acordar cedo. — ele beija o meu nariz e sai de cima de mim.

— Só me excitou Sasuke. — digo triste.

— Vou recompensar, até amanhã.

— Até. — me despeço dele com um beijo e desligamos os abajures.

Sasuke saiu cedo, nem percebi. Hoje é sábado, sem trabalho para mim na escola e trabalho em casa. Faxina, hoje é a minha vez de fazer faxina. Triste!

Me levanto e como algo. Ligo o aparelho de som e está tocando creio que seja Chocolate da Kylie Minogue. Faço um coque no cabelo e pego a vassoura.

Minha faxina vai sendo embalada ao som da música, nem vejo o tempo passar. Começo com sala, cozinha, varanda, quartos e em seguida o nosso quarto.

Passo a vassoura por baixo da cama e quando a puxo encontro um livro no chão. Me abaixo e pego.

— Magia erótica? — leio o nome do livro, a capa é uma mulher sexy vestida de preto com um belo decote sensual. Por que Sasuke teria um livro desses?

Deve ser da biblioteca.

Eu sento na cama e folheio o livro.

O êxtase tomou conta de mim, quando senti o duro pau dele entrando em mim. Eu arfei soltando um palavrão. Estava sentada de costas para ele, enquanto Vegeta apertava meus fartos seios.

É assim que gosta de ser fodida sua bruxa safada?

— Sim, enfie mais a sua varinha grossa e gostosa dentro de mim. — e assim ele realizou o meu desejo, Vegeta me fodia como nunca, não esperei que o meu colega fosse tão gostoso. Me deixando louca e implorando por mais.

— Ah Bulma, sua buceta me deixa louco.

Parei a leitura assim que senti um calor estranho vindo sobre mim. Definitivamente meu noivo não leria uma coisa dessa, nem morto.

Mesmo as páginas estando marcadas, deve ser de uma colega dele que ele pegou por engano.

É. Magia erótica.

Sorrio só de pensar Sasuke lendo algo assim. Coloco o livro em cima da cabeceira da cama para assim quando ele chegar devolver.

Termino de faxinar o quarto e vou para o banheiro. Eu odeio lavar banheiro, mas hoje é o meu dia. Sorte que Sasuke limpou a cerâmica da parede. Estão branquinhas.

Pego o cesto de revistas e livros perto do bacio do banheiro. Eu quase não leio isso, é mais para decoração. Vou organizando os livros e …

— Orgasmos Mágicos? — é um outro livro da mesma autora.

Folheio as páginas do livro, estão marcadas.

— Me deixe chupar esse pau gostoso. Quero beber a poção mágica que sai de dentro dele. — falo para Vegeta.

Ele começa a masturbar o seu pau viril em minha frente. Eu não me controlo, ele está fazendo de propósito. Sinto meu corpo pegando fogo.

— Temos tempo?

— Claro que sim, a próxima aula de magia é apenas ás quatro. Daqui para ás quatro temos muito tempo. Eu vou te chupar até o último gozo.

Essa Bulma é, nossa. Eles são bruxos e estão transando na sala dos professores.

Chocada.

Falecida.

Eu vou até a primeira capa e vejo que tem uma dedicatória.

Para o fã mais assíduo da bruxa mais pervertida que conhecemos.

Espero que um dia você realize o seu sonho de encontrar uma bruxa tão pervertida quanto essa. Você merece, Sasuke!

Beijos e obrigada pelas dicas, é bom saber que mexo com o imaginário masculino :)

— O quê? Sasuke!

Eu já tinha marcado de me encontrar com minhas amigas para um sorvete. Ás vezes fazemos isso no sábado e depois vamos em uma sessão de cinema. Elas estão atrasadas.

Pedi um sorvete de chocolate com uma calda de morango e chantilly, eu estou nervosa e quando estou assim eu me atolo no sorvete.

— Oi cunhadinha! — Konan é a primeira a chegar. — Trânsito muito caótico.

— É; — eu concordei com ela. — E a Hinata?

— Vindo. Itachi foi para Chicago hoje.

— Chega quando? — pergunto, tento disfarçar minha tristeza. Meu noivo tem desejos reprimidos por uma personagem de um romance erótico.

— Foi um servidor de uma empresa que deu pane, acho que de tarde ele chega ou depois.

— Bom. — comento e dou uma colherada no meu sorvete.

— Desculpa o atraso, trânsito e o meu bebê está com dor de ouvido, fui na pediatra. Tudo bem meninas? — Hinata chega, nos levantamos para cumprimentá-la. Ela acabou de dar a luz ao filho dela com o Naruto.

— Ele está lindo! — Konan fala.

— Um príncipe loirinho. — digo.

A nossa conversa flui, Hinata conta como é a sua nova vida de mãe, Konan fala do trabalho, fofocamos um pouco sobre celebridades, séries. O tempo passa quando eu estou com as meninas, minhas melhores amiga, só faltou a Ino.

— Quem será que a Ino vai escolher? — Konan pergunta. Nossa amiga Ino está vivendo um triângulo amoroso, tem dois homens maravilhosos atrás dela.

— Do jeito que ela é, os dois. —Hinata fala. Sorrimos juntas. — Sakura, você está calada hoje, aconteceu algo?

— Eu e o Sasuke. — falo com uma pitada de drama.

— O que houve? —Konan me pergunta.

— Tem umas coisas acontecendo.

— Brigaram? — Hinata pergunta curiosa. Eu nego. — É o quê?

— Ontem o Sasuke disse que eu sou fofa. —falo como se fosse o fim do mundo.

— Você é fofa. — Konan diz.

— Não assim, ele disse que sou fofa em tudo sabe.

— E qual é o problema? —Hinata pergunta.

— Eu acho uma pessoa fofa sabe, tão sem sal. Tão…sei lá. Ele disse que eu era fofinha.

— Só por causa disso?

— Eu o perguntei se ele me achava fofa na cama e ele disse que sim. — falo como uma perdedora.

— Eu não vi nada de errado. — Konan fala e continua: — O Sasuke tem cara que gosta de fofas. Sakura, sem paranóias.

— Super de acordo com ela. — Hinata fala.

— Eu não estaria paranóica até encontrar isso. — eu abro minha bolsa e mostro os livros.

— Está lendo livro adulto? — Konan me pergunta.

— Esse é bem pesado. — Hinata fala. Olho para ela. — É um dos bons, nossa a Bulma é uma bruxa que vai ensinar numa escola de magia, dai encontra o Vegeta, um professor da escola de magia e eles vivem um romance sexual. A Bulma o provoca tanto que ele não tem escapatória.

— Hm.

— É bem safado. Não sabia que você gostava desse gênero.

— Eu não gosto, mas o Sasuke sim. Olhem. — mostro o livro com a dedicatória. — Meu noivo deseja essa bruxa fictícia.

Konan lê atenta e Hinata sorri.

— Dos sonhos dele? Sacou? Então o Sasuke sonha com um tipo de mulher assim, safada na cama.

— Bulma está mais para puta na cama. — Hinata me corrige.

— Ótimo, Sasuke deseja uma bruxa puta.

— Para de drama, então você acha que o Sasuke prefere a sacanagem que a sua fofura na cama, além do mais Sakura, qual o seu nível de fofura na cama?

— Hm… — penso.

— Você é safada na cama? —Hinata me pergunta.

Eu pondero sobre isso.

— Palavrões, apelidos sujos? — eu nego e Konan ergue as sobrancelhas surpresa.

— Nenhum cadela, puta, vadia?

— Uma vez ele me chamou de puta, “vai sua puta” eu não curti muito e disse que não era. É bem mais amor, Sasuke.

As meninas batem com a mão no rosto.

— Pior que eu achava que era assim, te falei não foi Hinata?

— Hey! — protesto.

— Amiga você é sempre fofinha, já imaginávamos isso tia Sakura. — Konan fala. — Você leva a sério sua profissão de educadora infantil e carregou para vida. — ela está certa, parece que eu estou sempre no modo On da tia Sakura.

— Sakura? Você é a puritana na cama? — Hinata me questiona. — Você tem cara.

— Quem que toma a iniciativa? — Konan emenda uma outra pergunta.

— Sasuke. — respondo. — Puritana na cama seria?

— Conservadora na cama. Papai e mamãe. Isso?

— De ladinho também. Gostamos. — falo sorridente. — Sabe, minha relação com ele é mais que carnal.

— Frequência?

— Duas na semana. O trabalho nos mata.

— Céus e eles são noivos. — Hinata fala pasma.

— Minha relação com ele não é apenas sexual. Somos companheiros.

— Tanto que ele deseja uma bruxa fictícia. — Hinata me joga essa. — Sakura, você precisa se desligar da tia Sakura.

— Magoou.

— Amiga, é verdade. Por exemplo, eu com o Itachi somos companheiros, mas ele gosta de me foder valendo e eu amo. Sexo é essencial.

— O Naruto também. Eu era um pouco tímida de início, mas ele me pediu e conversamos. Sou a puta do meu marido. — ela diz orgulhosa.

— Vocês acham que eu deveria mudar um pouco? Sasuke não falou comigo sobre isso, que dizer, a vez da puta, ele até tentou explicar, mas eu não cedi.

Konan revira os olhos.

— Ser um pouco mais safada? Sim. — Minha cunhada fala. — Homens gostam de algo novo e que os façam virar a cabeça Sakura, gostam de mulheres safadas na cama. Isso é histórico. — ela é historiadora, então não posso duvidar. — Talvez, o Sasuke só estava esperando o momento certo para falar.

— O Halloween está chegando, por que você não dá um presente ao Sasuke? — Hinata sugere com um semblante safado.

— São sete dias para o Halloween, acha mesmo que eu tenho condições de virar uma puta na cama para o Sasuke?

— Vamos te ajudar Sakura. — Konan fala.

— Se você conseguir ler a trilogia de magia erótica, vai sair formada.

Eu passei a minha semana lendo os benditos livros. Se a fantasia do meu noivo é uma bruxa pervertida, bruxa pervertida terá e essa serei eu, ou não me chamo Sakura Haruno.

Quando eu cheguei em casa coloquei os livros nos exatos lugares de antes, meu noivo safado tarado não percebeu nada. E agora eu sei o porquê dele demorar no banheiro, prisões de ventre nada, Magia Erótica!

Eu agi normalmente, baixei os livros no celular e fiquei lendo. Salvei as partes importantes. Sasuke mal podia esperar. Durante a semana as minhas amigas me deram lições de putaria aplicada e isso incluía uma aula de palavras sujas para dizer na cama e teve a aula de evitar a paranoia, fiquei pensando se o Sasuke realmente gostava de mim, que se uma dia ele iria enjoar de mim e que só não me largou porque tinha medo de me magoar. Eu quase surtei, as meninas me apoiaram e Konan me deu um tapa na cara. Me ajudou.

— Que pau gostoso, Sasuke. — treinei em frente do espelho. No início eu ficava sorrindo, admito que caía na risada, eu nunca diria isso para ele na vida, mas…

Terminei de sair do banheiro e vi que meu pervertido Sasuke tinha chegado. Ele estava na cozinha fazendo um lanchinho da tarde saudável dele.

— Oi. — ele me cumprimenta. — Sabe, acho que irei com você na festa da Ino.

— Hm…

— Vi que você comprou até uma fantasia de bruxa. — finjo que nadaaaa, nadinha aconteceu. Eu Comprei a fantasia idêntica do livro, eu acho que ele percebeu. — Você vai de que horas?

— Acho que não vou.

— Por que?

— Indisposta.

— Sua fantasia é tão bonita amor, deveria ir. Eu vou com você. — ele se oferece. — Sua Fantasia de bruxa é bem madura.

— É? Foi um erro, vou devolver. — disse descarada.

— Hm… — Sasuke diz como quem não quer nada. — Tudo bem.

São nove da noite e Sasuke está decepcionado comigo por não ter ido na festa, que ele mesmo odeia. Ele já me disse mil motivos para irmos, mas no fundo ele está dizendo que tudo que queria era me ver naquela fantasia. Estamos assistindo um filme de terror, Anabelle está aterrorizando menininhas órfãs e Sasuke revoltado do modo dele.

— Aonde vai? — ele me perguntou ao me ver levantando.

— Banheiro, não precisa pausar o filme. — eu estou morrendo de medo dessa boneca. Acho bom essa futura noite de sexo selvagem ser boa, ou terei pesadelo de noite.

— Certo.

É a minha vez. Minha fantasia está no banheiro e vou vesti-la, me preparar para a noite. Visto às pressas a roupa e até a bota no meio da coxa. Eu nunca usei fio dental antes, é complicado. Ataco bem o corselet e ela se ajusta no meu corpo. Solto meu cabelo.

— Sakura, está bem?

— Estou amor.

Agora é a hora da maquiagem, ela usa batom vermelho. Hm.

Vamos lá Sakura, libere a puta interior que existe em você. Termino a transformação e quem é essa vadia no espelho?

Eu nem me reconheço, eu estou vejamos, gostosa. Cacete!

Poderosa!

Saio do banheiro e apago a luz sem ele perceber.

— A lâmpada queimou? — Sasuke perguntou.

— Abracadabra! — eu ligo as luzes.

— Sakura?! — o queixo dele caiu. — Amor?

— Não Sasuke, eu sou a realização da sua fantasia. — ele coça os olhos.

— Do que você está falando? Eu estou por fora.

— Seu safado, não negue. — eu mostro o livro para ele. — Seus desejos foram ouvido, seu bruxo safado.

— Eu posso explicar.

— Não quero suas explicações, agora não. — eu caminho em direção da cama. — Essa bruxa aqui está tão exausta, precisando de um consolo. — Puxo Sasuke e dou um sinal para ele se levantar. O infeliz ainda está bem incrédulo.

— Pode me explicar o que está acontecendo?

— Nessa noite de Halloween, eu serei a sua bruxa de Magia Erótica Sasuke, serei a travessura da sua noite.

— Sakura, eu acho que, bem. — esperando pela desculpa esfarrapada dele. — Amor, eu sei que suas intenções são as melhores, mas eu acho que você é. — o corto.

— Fofa demais para isso?

Ele se põe de pé e eu o derrubo na cama. — Cala a boca, Sasuke.

Eu subo por cima dele e me sento bem em cima do seu predicado, começo a me esfregar em cima do seu pau, causando um atrito entre nós. Percebo que Sasuke vai começar a falar e eu o corto novamente. — Cala a boca seu pervertido. Esse seu Halloween será inesquecível. — minha mão começa a massagear as bolas dele e toda sua extensão por cima da sua cueca.

Resolvo abaixar as calças dele, retirando-a e Sasuke pareceu colaborar com a minha brincadeira, mesmo seu rosto demonstrando um alto nível de ceticismo.

— O que você quer que faça com você seu bruxo safado? — sigo instigando aquela área dele com a minha mão, sinto o seu pau já ficando duro.

— Vai me chupar amor?

Desfiro um tapa no seu rosto que seu óculos até sai do rosto

— Não me chama de amor, amor um caralho Sasuke! Me chama de tudo o que você quiser, menos amor, entendeu seu porra?

Percebo um leve grau de susto na cara dele.

— Ahaam.

— O que você quer, Sasuke?

— Me chupa caralho, sua bruxa gostosa. — dou um sorriso malicioso e passo as língua em meus lábios os umidificando.

Abaixo a boxer de Sasuke até o seu pau pular para fora livre. Tão grosso. Eu envolvi em minhas mãos a base do pênis dele, deslizando para cima e para baixo de forma tão natural, fazendo crer que eu já era a maior experiente em masturbar o pau dele.

Sasuke jogou os braços para trás da cabeça, enquanto eu bombeava o pau dele. Coloquei o meu dedo na boca dele para que ele chupasse e ficasse úmido.

— Puta que pariu Sakura.

Passei a ponta do meu dedo molhado na cabecinha do pau dele em movimentos circulares e comecei a observar as reações do meu noivo. Sasuke mordia os lábios e falava palavrões. Me inclinei e abocanhei aquele membro delicioso, eu nunca tinha pensando que isso seria tão bom, que eu teria tanta vontade de chupar o pau de Sasuke. Depois do meu intensivo com os livros, passei a desejar o pau de Sasuke como se fosse um oásis no deserto. Quando abocanhei aquele glorioso pau, meu noivo gemeu aprovando. Passei a sugar sua glande como se ele fosse um picolé gostoso de um dia quente. Senti a mão dele na minha cabeça enrolando meu cabelo. Aproveitei e passei a ponta da língua sobre a glande já rígida. Sasuke urrou.

Continue a sugá-lo com intensidade para cima e para baixo, chupando e tocando com minhas mãos em suas bolas o massageando.

Passei meu olhar para Sasuke que contemplava aquilo estupefato.

Meu olhar demonstrava o quanto eu estava amando chupar o pau dele, senti o gosto salgado do pré-gozo vindo. Comecei a bombeá-lo com minha mão. Seu pênis parecia pulsar, meu pervertido estava entregue.

— O que quer Sasuke? — fazia essa pergunta pertinente para ele.

— Gozar na sua cara.

— Goza então na minha cara, Sasuke. Bota esse pau gostoso para gozar em mim. — fiquei ajoelhada e ele levantou-se tocando o pau dele, o masturbando. Fechei meus olhos e senti o líquido quente de Sasuke escorrendo no meu rosto. Passei a ponta do meu dedo no que escorria e lambi o encarando com um olhar felino.

— Caralho! — ele esbravejou passando a mão no rosto. — O que foi isso? Porra! Quem é você e o que fez com a minha noiva?

Sorri.

— É a noite de travessura Sasuke e eu acho bom que a sua varinha aí, — eu seguro o pau dele. — Tenha um bom truque para mim.

Sasuke sorriu cinicamente para mim. Ele retirou a camisa dele, expondo o seu abdômen para mim e a sua tatuagem, meu homem é muito gostoso, posso dizer? Puta que pariu.

Me deito na cama e coloco o travesseiro atrás apoiando minhas costas.

Sasuke me olha maliciosamente, como nunca vi.

— Sinto muito que você tenha descoberto meu pequeno segredo dessa maneira. Eu ia te contar, mas você é tão meiga e gentil que eu não quis… — eu novamente o corto.

— Sasuke? — levo minha mão até minha intimidade e enfio.

— Hm?

— Eu vou ter que cuidar da minha buceta molhada sozinha? O que está esperando?

O deixei sem palavras.

Sasuke puxa minhas pernas para ele um pouco agressivo e as abriu dando uma tapa no meu monte.

— Eu espero que você tenha creme para assadura, Sakura. Sua boceta vai precisar, depois que eu fode-la hoje.

Sasuke puxa a minha calcinha com violência e logo arranca, me deixando desnuda. Seu polegar chegou em meu sexo, eu estava tão molhada que ele nem precisou umidificar os dedos. Sasuke deu um pequeno beslicão em meu clitóris e seu dedo escorregou vagarosamente para minha entrada, seu dedo polegar acariciava o meu clitóris enquanto seus dois dedos grossos me fodiam lá dentro.

Eu gemi alto o nome dele e seus dedos começaram a se movimentar depressa dentro de mim, me deixando insana. Apenas com a porra dos dedos.

Sasuke debruçou-se sobre mim tomando meus lábios em um beijo envolvente enquanto ele me masturbava lá. Eu não sabia o que fazer. Sua língua se deliciava brincando em sintonia com a minha e ele me estocava lá.

Meu corpo estava quente e pulsante, completamente fora de mim. Seu dedo entrava e saia dentro de mim em uma velocidade insana. Sasuke foi descendo o beijo pelo meu pescoço, me deixando totalmente ao prazer, seus lábios encontraram meus seios. Ele apertou eles por cima do corselet preto, me fez arfar e abaixou a parte de um dando uma chupada calorosa nele. Sua língua passeou pelo meu mamilo endurecido e ele deu uma pequena mordida ali, me fez ir ao céu e voltar de prazer. Ele abaixou-se e deu um sopro quente próximo de meu sexo, eu me arrepiei de prazer.

— Observa bem, amor. — ele soltou sarcástico. — Eu chupar sua buceta até você se derramar na minha boca.

Só ele falando eu senti um aperto e ele nem tinha começado ainda. Quando sua língua molhada entrou em contato com meu sexo eu dei um gemido alto. Senti a língua habilidosa subindo e descendo, ora devagar, ora numa velocidade intensa. Sasuke com os dedos foi abrindo espaço nos pequenos lábios e me fodendo com a sua língua.

Segurei o travesseiro com força e quis colocá-lo sobre o meu rosto, afundá-lo nele tamanho prazer proporcionado naquele instante. Era algo irracional!

E ele continuava sem nenhum pudor, vertiginoso. Meu quadris o chamavam, eu rebolava de prazer na cara dele.

Sasuke parou os movimentos com a língua, mas continuava a me chupar como se eu fosse uma barra de chocolate em sua boca. Era a melhor sensação do mundo.

— Não para! — disse choramingando, eu sentia minhas pernas tremerem, meu corpo parece que reagia ao que estava prestes a vir. Sasuke não dava um segundo de trégua e foi ai que eu me despejei em sua boca, senti um alívio ao expelir aquilo, parecia que minha alma abandonaria o meu corpo. Sasuke foi chupando meu líquido ali e tremi quando vi que sua língua chegou próxima do meu ânus e ele passou o dedo afoito naquela região. Seu dedo ainda me dava carícias, eu não sabia como reagir, era um sentimento de tortura.

Estava tão rendida, tão plena.

Não esperava mais nada quando vi sua boca se abrir e cobrir o meu clitóris, chupando-o com força.

Choraminguei como uma criança mimada. Sentia meu corpo entrando em uma combustão sem limites, aquilo era mágico.

Seus movimentos enfim me deram uma pausa.

Sasuke deitou-se sobre mim e me beijava. — Gostosa, cadela, cachorra, vagabunda. — ele deu uma leve batida no meu rosto.

Sasuke deitou-se ao meu lado, era a minha deixa para voltar encarnar a bruxa da sua fantasia. Seu pau estava ereto e eu caminhei até ele de quatro, me virei para que ele tivesse a bela visão da minha bunda em sua frente, fiquei de quatro por cima dele, rebolei a minha bunda e ele deu um tapa.

Esse é um lado de Sasuke que pouco conhecia, eu tenho uma fera na cama. Ele segurou a minha bunda e praticamente me derreto quando ele a beija e segue em direção ao meu sexo e preenche com um beijo, intenso praticamente me sugando, eu a pressiono bem para ele e volto a bombear o seu pau.

Eu engatinho até o seu pau, onde me posiciono para sentar bem vagarosamente sobre o seu pau, subindo e descendo. Sentindo um prazer intenso, Sasuke arfa e eu gemo quando sinto meu sexo no fogo.

— Mexe essa raba Sakura. — ele a aperta com força e eu grito até ganhar o movimento ideal com Sasuke a segurando.

— Está gostando de ver?

— A mais bela imagem que já vi.

Vou fazendo o movimento e levando tapas do Sasuke que está veloz em me estocar, quando menos espero ele me pega pela cintura me deixando de quatro. Ele ergueu o meu quadril para ele, meu corpo estava inclinado, novamente senti seu dedo passando em minha fenda o esfregando e do nada volta a me preencher com a delícia de seu pau gostoso. Noto que ele está desfazendo o laço do meu corselet e quando dou por mim, ele cai na cama me deixando pelada. Sasuke segura os meus seios e dá um urro e em seguida uma bela de palmada, que deixou marcas.

— Puta que pariu! — esbravejo.

Ele puxa o meu cabelo para trás e pareço fincar mais em seu pau. Sasuke gemeu baixinho e se inclinou para beijar minhas costas.

— Não consigo mais Sakura, vou despejar dentro.

— Despeja tudo. — eu tomo anticoncepcional, estou bem. Sasuke me vira de frente para ele me posicionando em seu pau.

Sasuke beija minha testa. Estamos ofegantes e suados nessa loucura.

Meus seios balançam, arranho as costas dele.

— Me fode assim, não para. Mete fundo.

Gemo e ele arfa, Sasuke despeja dentro de mim e tombo mole para frente dele.

— Isso foi bom. — ele diz, Sasuke afasta a minha franja que está pregada de tanto suor. Ele me deita na cama e cuidadosamente pega a fronha do travesseiro para me limpar. Eu que tenho que lavar essa merda.

Sasuke sorri e acho que depois de todo euforia, a onda de vergonha me bate, boto a mão no rosto envergonhada.

— Hm. — ele puxa a minha mão. — Agora eu quero explicações.

— Sobre?

— Minha mulher recatada ter virado uma femme fatale gostosa e boca suja na cama.

— Então, eu fiquei paranoica com o fofa e quando encontrei seus livros surtei com medo de você me trocar por uma bruxa pervertida. Basicamente isso.

Sasuke sorriu de mim.

— Sua boba, gosto de você do jeito que você é, sei que eu deveria ter dito algumas de minhas preferências antes, mas eu realmente gosto do que temos, no entanto não nego que amei essa Sakura bruxa pervertida, foi uma agradável surpresa.

— Você gostou?

— Amei. E você? — perguntei, satisfeita eu nunca me senti tão completa na minha vida. Eu deveria ter feito isso muito antes.

— Além de Magia erótica, eu leio outros livros.

— Que outros livros, Sasuke? — pergunto um pouco preocupada.

— Tem um conto que eu leio de um rei que encontra uma concubina.

— Continua, parece ser legal. — digo.

— Então quando ela chega no palácio, descobre que ele é um sadomasoquista. Chicotes, algemas, um monte de coisa do universo BDSM. — meu queixo cai, eu deveria ter desconfiado depois de tanta palmada.

Estreito meus olhos cética.

— O que acha? — ele me pergunta com um brilho no olhar. Eu e Sasuke teremos muitas coisas para falar sobre nós, principalmente sobre ele e seus gostos. — Hein, minha putinha?

— Que vou levar chicotada. — me fodi, literalmente.

26 de Febrero de 2018 a las 01:02 1 Reporte Insertar 7
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
. garradasaguas . garradasaguas
Eu li essa one no SS e a li novamente quando a encontrei por aqui. Ver meus dois shipps preferidos em uma unica one é demais para o meu core. Acompanho suas fanfics, você é demais! Se por um acaso escrever algum conto BxV inspirado no livro do Sasuke, pode ter certeza que irei ler correndo. Beijos!
26 de Febrero de 2018 a las 05:36
~