Meu Sol Seguir historia

way_borges229 Way Borges

"Dizem que as feridas vão cicatrizando ao longo do tempo e as coisas ruins vão caindo no esquecimento, mas eu não acredito nisso, tudo o que o destino faz é de caso pensado, ele coloca obstáculos em nosso caminho como uma lição e posso afirmar que aprendi a minha." #ShiIta #Itashi (+18) (UA) (Capítulo Único)


Fanfiction Anime/Manga Todo público. © Naruto e seus derivados pertencem ao Kishimoto, porém a história é inteirinha minha. Capa editada por mim - créditos da imagem ao(s) autor(es).

#fanfic naruto #itashi #shiita #shisui #itachi #way_borges229 #BL #boylove #fanfic #LGBT #yaoi #drama #romance
Cuento corto
3
6615 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Acordei e senti o vento frio arrepiar todos os pelos do meu corpo, me remexo na cama a procura da criatura irritante que deveria estar ao meu lado. Abro os olhos, inconformado, por ele não estar mais deitado ao meu lado, dividindo comigo o calor de seu corpo. Percorro meus olhos pelo quarto e não o encontro, mas noto a porta da varanda aberta e mesmo sentindo muito frio, levanto da cama, cato minhas roupas, que ficaram espalhadas pelo chão, as visto e vou em direção à varanda, sendo presenteado com a luz alaranjada do nascer do sol refletindo na água do mar. Um espetáculo incrível da natureza.

Sentado na areia, assistindo a esse esplêndido nascer do sol, está o homem que mudou a minha vida, o qual aceitou meu amor há quase 10 anos. Mesmo com tanto tempo de relacionamento, somos casados oficialmente apenas há 4 anos e foi aqui, nessa praia a duas horas de carro de Konoha, que tivemos nossa lua de mel.

Esse cenário combina perfeitamente com ele, mesmo que seu cabelo esteja mais curto do que o de costume, o corpo mais esguio que o normal e sua pele mais pálida do que costumava ser, para mim, ele sempre representou o nascer de um novo dia, um recomeço, ele sempre foi meu sol.

Shisui sempre brilhou mais do que o sol, desde pequeno ele tem esse brilho imperativo, ele conseguia conquistar a todos com seu sorriso radiante e feliz. Quando estávamos juntos eu sempre sorria sem saber o porquê, quando ele me convidava para caminhar no campo, ele sempre saia correndo sem rumo e vivia dizendo que o sol lhe dava vontade de correr e rir ao mesmo tempo. Sem ele eu voltaria a ser o que eu sempre era, um Uchiha frio e infeliz.

Mesmo que eu nunca admita em voz alta, sempre ficava nervoso com sua presença, perto ou longe, ele fazia meu coração frio esquentar. Sempre soube que meus sentimentos por ele não eram algo passageiro, mas no início fui um tolo e neguei de todas as formas esse sentimento em meu peito. Confesso que tinha medo de admitir que sou completamente dependente do idiota barulhento do meu primo. Para um Uchiha é difícil admitir esse tipo de coisa, ainda mais para mim, que vivo sobre a ditadura de Uchiha Fugaku e que sou considerado o gênio dos Uchihas. Uma grande bobagem, mas Shisui nunca me viu por esse lado, ele sempre enxergou o Itachi, e não o filho genial do magnata Uchiha.

Foi um inferno quando confessei para minha família que amava meu primo e que estávamos namorando, meu pai ainda não aceitou minha orientação, mas a respeita. Meu irmão caçula, Sasuke, saiu no braço com o Shisui, porém, não foi por não aceitar minha sexualidade, mas por ciúmes do meu relacionamento com o mesmo, até hoje eles vivem em pé de guerra e disputam entre si quem é o meu preferido. Essa implicância – infantil – dos dois já me causou muita dor de cabeça.

Caminho pela areia branca e me sento ao seu lado, ficamos em silêncio sentindo o vento frio da manhã bater em nossos rostos, enquanto seus belos olhos continuam cravados no horizonte.

– Aconteceu alguma coisa? - quebro o silêncio e ele balança a cabeça negando – Por que você está aqui fora? Tá frio.

– Eu fiquei com medo de nunca mais poder ver o nascer do sol, de não ver mais a minha família, de passar a noite, fazer amor, de não estar com você - respondeu depois de uns minutos de silêncio.

– Isso já passou Shisui. - Sinto meu peito apertar.

– Eu sei, mesmo assim, tive e ainda tenho tanto medo, Itachi. Nunca mais quero passar por aquilo de novo - confessou tristonho.

Não era a primeira vez que ele demonstrava fraqueza, mas era a primeira vez que ele admitia sentir medo da morte.

– Acabou Sui, você está bem - falei segurando sua mão e ele olhou nos meus olhos. Sempre fui fascinado pelos seus olhos, porque quando vistos mais de perto, parecia existir uma galáxia inteira dentro deles. – Nós estamos juntos e é isso que importa, o agora é a única coisa que importa.

O câncer quase o tirou de mim, eu não saberia viver se a leucemia o tivesse levado depois de tanta luta, porque ele é a única razão que me mantém vivo e dá sentido à minha existência. Fora meses difíceis, mas ele sempre sorria, mesmo com a dor o consumindo por dentro e não havendo motivos para sorrir, ele sabia que eu não aguentaria, que a possibilidade de vê-lo morrer estava acabando comigo, então em vez de ser confortado, era ele quem confortava a todos e dizia repetidamente, mesmo não acreditando muito nisso, que ficaria bem.

Todas as vezes que lhe perguntava o porquê dele sorrir tanto, mesmo estando morrendo, ele respondia “mesmo que a dor esteja me consumindo por dentro, ninguém precisa saber, então eu sempre carrego um sorriso no rosto”, eu o chamava de idiota e dizia que se estivesse no lugar dele, estaria brigando com o mundo, chorando, gritando, amaldiçoando a todos os deuses por estar doente, mas ele não, seu coração é gentil demais para fazer isso, ele é melhor. Sempre soube que ele era melhor que eu e é isso que me fez seguir em frente, ele me faz querer ser melhor, é por ele que acordo todos os dias e tento fazer o meu melhor, só para merecer todo o amor que recebo de uma maneira tão desinteressada.

Depois de um tratamento intensivo e agressivo, que tirou todas as suas forças, transformando a pessoa mais energética que conheço em alguém que não se aguentava nas próprias pernas, ele melhorou.

– Eu te amo, Tachi - falou com olhos marejados.

Meu coração disparou e então selei nossos lábios. O meu amor sempre fora silencioso, nunca consegui expressar em palavras o quanto eu também o amava, mas ele sabia que era amado por mim; sempre deixei bem claro por minhas ações que o amo com todas as minhas forças e que não importava o lugar ou as circunstâncias, quando as nossas línguas se envolviam em um beijo doce, apaixonado e carinhoso, eu me apaixonava ainda mais. Ele sabia que meu sorriso, mesmo durando alguns míseros segundos, se devia ao fato de amá-lo mais que minha própria vida.

– Nenhuma palavra no mundo pode explicar meu amor por você, Itachi. Agradeço todos os dias por ter você na minha vida, por nunca ter desistido de mim. Logo eu, quem sempre faz tudo errado, acertei em cheio em escolher você - disse emocionado.

Meu coração começou a bater mais forte e mais rápido de acordo com as palavras que saiam de sua boca.

– Você é irritante, sabia? Pare de falar essas coisas - resmunguei envergonhado e virei o rosto para que ele não visse minhas bochechas coradas – É você, sempre foi e sempre será você... Mesmo que eu não consiga expressar com todas as palavras o que sinto, tudo sempre se resumiu a você - acrescentei depois de alguns instantes em silêncio.

Meus olhos estavam direcionados para o horizonte, ao passo que meu cabelo escondia minhas bochechas avermelhadas. Senti sua mão no meu rosto e procurei seus olhos mesmo sentindo a vergonha queimar minha face, em seguida ele selou nossos lábios. O beijo tinha mais que amor, paixão ou necessidade por contato, existia uma doçura e inocência, não havia urgência, luxuria ou ganancia por toque, só havia carinho.

– Eu conheço os seus sentimentos, Tachi, você sempre foi muito transparente para mim. - Beijou a ponta do meu nariz. – Fuinha.

Em um movimento rápido, ele se levantou e me puxou pela mão até o mar e começou a brincar com a água molhando nós dois, seu sorriso infantil também me fez sorrir e entrar na brincadeira.

Dizem que as feridas vão cicatrizando ao longo do tempo e as coisas ruins vão caindo no esquecimento, mas eu não acredito nisso, tudo o que o destino faz é de caso pensado, ele coloca obstáculos em nosso caminho como uma lição e posso afirmar que aprendi a minha.

Antes do Shisui adoecer, quase destruí o nosso casamento por causa de ciúmes, deixei que uma pessoa ardilosa, que só queria destruir nossa relação, envenenasse minha cabeça com mentiras. Parei de acreditar na pessoa que conheço desde os meus 5 anos para acreditar em uma louca que tinha a patética ilusão que ao me separar de Shisui iria correndo para seus braços.

Por sorte, descobri seu plano maluco (de me separar dele) quando ela fora visitá-lo no hospital e lhe falou absurdos, consegui ouvir só um pouco da conversa, mas esse pouco foi suficiente para ver a cobra que ela era, tivemos uma discursão feia, a mandei ir embora e nunca mais chegar perto de nós dois. Infelizmente, toda a confusão armada foi demais para o Shisui, que sofreu uma parada cardíaca e os médicos decidiram que seria melhor colocá-lo em coma induzido.

Quando ele acordou do coma, pedi perdão por minha desconfiança, falei que fui um tolo manipulável e prometi, não só por ele, mas por mim também, que nunca mais deixaria alguém me influenciar daquele jeito novamente.

Todo esse sofrimento me fez entender que devo dar mais valor a esses pequenos momentos com o homem da minha vida e nunca mais deixar para depois, porque o amanhã pode infelizmente não chegar.

Depois que ficamos totalmente encharcados, o abracei como se minha vida dependesse disso – de fato dependia - e escondi meu rosto na curvatura de seu pescoço e aspirei seu cheiro.

– Oe, Tachi, eu preciso respirar - resmungou divertido.

Desfiz meu aperto e me afastei um pouco para segurar seu rosto em minhas mãos, beijei carinhosamente seus lábios com a intenção de transmitir todo o meu amor, paixão e alivio, e ele apertou minha cintura. Encerrei o ósculo mordendo o seu lábio inferior.

– Que tal a gente ir tomar um banho quente e bem demorado? - sugeri e sorri malicioso.

– Eu topo - confirmou e também sorriu malicioso.

Em seguida, voltamos correndo para o quarto. Iria aproveitar a companhia do meu marido ao máximo, vivendo o amor em toda a sua plenitude.

A vida é frágil demais e eu não quero mais perder tempo com coisas pequenas, aprendi isso da pior maneira possível e não irei cometer o mesmo erro novamente.

27 de Febrero de 2018 a las 01:10 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Way Borges Nome: Waynne Borges Idade: aí depende da ocasião Sou um universo em constante expansão, sempre aprendendo coisas novas e aberta a novas experiências. Tímida no primeiro contato, mas depois o difícil vai ser me fazer parar de falar. Sou gentil, atenciosa e educada com todos e espero a mesma cortesia, entretanto, isso não significa que eu não saiba ser grossa quando necessário. Adoro chocolate, séries, filmes e desenhos. Cachorros e gatos sãos meu ponto fraco, fico toda derretida.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~