Merry Christmas Seguir historia

way_borges229 Way Borges

"Nunca gostei do Natal, até conhecer o Naruto e sua família louca, o natal para mim não passava de uma data para onde os comércios lucravam e as pessoas usavam como desculpa para se empanturrar de comida." #NaruSasu (+18) (UA) (Capítulo Único)


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © Naruto e seus derivados pertencem ao Kishimoto, porém a história é inteirinha minha. Capa editada por mim - créditos da imagem ao(s) autor(es).

#natal #fanfic naruto #snschurch #minato #kushina #way_borges229 #narusasu #sasuke #naruto #fanfic #yaoi #drama #romance
Cuento corto
11
7.0mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Feliz Natal

Nunca gostei do Natal, até conhecer o Naruto e sua família louca, o natal para mim não passava de uma data onde os comerciantes lucravam e as pessoas usavam como desculpa para se empanturrar de comida.

Mas acho que essa opinião que eu tinha era pelo fato de nunca ter comemorado de verdade essa ocasião, na verdade, nunca comemorei essa data com a minha família. Meu pai, pode-se dizer, está mais para um bloco de gelo do que para um ser humano, ele não demonstrava ter qualquer interesse em passar um tempo com a família, minha mãe parece mais com uma boneca de louça que serve de enfeite para a sala, uma mulher totalmente sem opinião e voz, ela aceita tudo que venha do meu pai, já meu irmão mais velho, mesmo sendo distante de mim, era o único que parecia se importar comigo, mas infelizmente ele morreu há 3 anos.

Há cerca de 5 anos que comemoro o Natal com a família do Naruto, eles são loucos e barulhentos, mas nunca vi pessoas mais calorosas, mesmo eu não sendo da família, eles me receberam de braços abertos e me acolheram como filho. Mesmo com toda simplicidade, os Uzumaki’s são mais minha família do que o tão prestigiado clã Uchiha.

– Um beijo pelos seus pensamentos Sasuke - uma voz grossa e muito conhecida me tira dos meus devaneios.

Olho para o loiro sorridente ao meu lado, não consigo segurar o riso ao ver o dele, o puxo para mais perto de mim, passo o braço por cima de seus ombros, ele envolveu minha cintura com o seu, dou um selinho demorado em seus lábios e volto-me para a árvore de Natal que está toda enfeitada na sala de estar da casa dos pais dele.

– Estava lembrando da minha infância, sempre quis ter uma dessas - respondi sua pergunta sentindo a melancolia toma conta de mim e aponto para a árvore.

Essa data sempre mexe comigo por que me lembra de que não tenho uma família de verdade.

– Agora você tem meu amor, não só uma árvore de Natal, você também tem uma família barulhenta, mas que sempre vai está ao seu lado, assim como eu.

Meu sorriso aumentou, fiquei de frente para o loiro que sempre faz questão de me lembrar de que eu os tenho, olhei em seus olhos de um azul intenso e cheios de carinho, segurei seu rosto com as mãos, senti as dele da minha cintura e beijei seus lábios bem devagar e com muito sentimento. Encerramos o beijo depois de alguns instantes, colei as nossas testas, fechei os olhos e aspirei seu perfume.

– Obrigada Naruto, por ter me tirar da escuridão - sussurrei e em seguida o abracei escondendo meu rosto na curvatura do seu pescoço.

– Eu te amo Sasuke e iria até o fim do mundo por você. - O apertei mais em meus braços sentindo o meus olhos arderem.

– Eu também te amo. - Minha voz saiu abafada e baixa.

Nunca tinha dito a ele que o amava, mas o loiro merece saber, ele me salvou da solidão, me amou sem pedir nada em troca, me ensinou a amar e a ser livre das amarras do meu clã, o Naruto fez de mim um homem livre, mostrou que nem tudo que dá medo é necessariamente ruim, mostrou-me, sem arrependimento, que amar alguém não significa lágrimas e dor. Se hoje eu sei o que é felicidade, devo a ele e a todo o amor que recebo dele.

O som de um clique e um rápido flash de luz fez com que nós distanciamos, enxuguei as lágrimas teimosas que rolaram no meu rosto, o Naruto também enxugou as dele, nem sabia que ele estava chorando, ele sorriu sem graça e com as bochechas rosadas, as minhas não estavam diferentes das dele. Procuramos a pessoa responsável por quebrar o clima, nos deparando com uma Kushina - mãe do loiro - pulando alegre olhando para a tela do celular.

A Uzumaki veio correndo até nós e saltou agarrando os nossos pescoços, como ela é mais baixa, tivemos que curva um pouco o corpo por causa do seu agarre, depois de quase nós sufocar com um abraço de urso, ela se distanciou para olhar em nossas faces rubras.

– Vocês são tão lindos juntos - falou com uma mão no meu rosto e a outra no rosto do Naruto, senti as minhas avermelhar ainda mais.

– Obrigado mamãe. - O loiro agradeceu.

– Obrigado Kushina. - Também agradeci.

– Agora vamos ceia. - Informou e saio nós puxando pelo braço.

A ceia na casa dos Uzumaki’s é farta e cheia de alegria e confusão, esse Natal não foi diferente, Menma - irmão gêmeo do Naruto - provocando o loiro, Nagato - irmão mais velho - tentando amenizar as coisas e sorrindo da implicância dos menores, Minato - pai - tentando evitar que a Kushina cometa um assassinato, as cunhadas (Sakura, esposa do Menma, e Konan, esposa do Nagato) do Naruto tentando parar seus maridos, tudo muito normal para essa família.

Depois da ceia, veio a troca de presentes, ganhei do Naruto a primeira edição do meu livro favorito e dei um relógio para ele, também distribui pequenas lembranças para os outros.

– Tenho outro presente para você. - Naruto informou me entregando uma caixa embrulhada para presente, seu rosto tinha um sorriso sapeca.

Abri a caixa e dei de cara uma gravata laranja com listras de um azul escuro, sorri balançando a cabeça em negação, ele sempre implicou com as cores das minhas gravatas, já que elas são da cor azul escuro ou preto.

– Para dar uma corzinha as suas gravatas - falou e depois sorriu mais amplamente.

– Idiota.

Tirei a gravata da caixa e passei no seu pescoço, depois o puxei para um beijo intenso e apaixonado. Suas mãos passeavam pelo corpo, as minhas também não ficavam paradas, as coisas estavam esquentando a medida que o ósculo se intensificava.

– Vamos para casa, estou doido para me enterrar bem devagarzinho nessa sua bundinha gostosa - sussurrou no meu ouvido e apertou minhas nádegas, mordi o lábio inferior para não gemer excitado.

– E melhor se preparar, eu quero sentar em você a noite toda - falei sussurrando e mordi o lóbulo de sua orelha, um gemido baixo escapou de seus lábios.

Nós despedimos dos demais e fomos para casa, à noite de Natal terminou como vem terminando há 5 anos, nós amando de uma maneira louca e perdidos um nos braços do outro.

25 de Febrero de 2018 a las 17:14 0 Reporte Insertar 7
Fin

Conoce al autor

Way Borges Nome: Waynne Borges Idade: aí depende da ocasião Sou um universo em constante expansão, sempre aprendendo coisas novas e aberta a novas experiências. Tímida no primeiro contato, mas depois o difícil vai ser me fazer parar de falar. Sou gentil, atenciosa e educada com todos e espero a mesma cortesia, entretanto, isso não significa que eu não saiba ser grossa quando necessário. Adoro chocolate, séries, filmes e desenhos. Cachorros e gatos sãos meu ponto fraco, fico toda derretida.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~