Lembranças Seguir historia

way_borges229 Way Borges

"Lembranças, boas ou ruins, não há como escapar delas, e na maioria das vezes, elas vem nós perturbar quando estamos aconchegados em nossa cama tentando ter uma boa noite de sono..." SasuSaku (UA)


Fanfiction Anime/Manga Todo público. © Naruto e seus derivados pertencem ao Kishimoto, porém a história é inteirinha minha. Capa editada por mim - créditos da imagem ao(s) autor(es).

#tragédia #drama #fanfic naruto #romance #sakura #sasusaku #way_borges229 #sasuke #fanfic
Cuento corto
7
7.1mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Lembranças

Um homem e uma mulher, enamorados, estão deitados no chão sob uma manta no jardim de uma grande mansão que era a casa de campo da família do namorado, a moça se encontrava encantada com a imensidão do céu estrelado, sua devoção estava tanta que nem percebia que o jovem ao seu lado admirava encantado a sua face.

Para ele, não existia mulher mais bonita nesse mundo, seu rosto delicado, pele macia, suas íris grandes e brilhantes que sempre transbordava suas emoções, lábios grossos e convidativos; simplesmente perfeita. Nunca pensou ser capaz de amar uma mulher da maneira que ama a mulher que se encontrava ao seu lado.

– Uma estrela cadente. A jovem o tirou de seu momento de contemplação.

O rapaz voltou suas íris negras para o céu e viu o risco de luz que o cortava a imensidão celeste.

– Faz um pedido. A moça solicitou ao namorado.

– Não preciso, pode fica para você. Ele respondeu perdido nos olhos de sua amada.

– Por quê? Não há nada que você queira muito, tipo, muito mesmo?

– Tem respondeu simples.

– Então por que você não pediu para estrela cadente?

– Não preciso dela para realizar o que mais quero.

– E o que você mais quer? Os olhos na moça brilhavam de curiosidade.

O jovem a olhou intensamente, perdendo-se na grandeza dos olhos da amada, ele só enxergava amor ao olha-la. Viu sua face ficar corada, ele adorava isso, então deu um simples sorriso, nada mais que um pequeno levantar dos cantos da boca e depois tomou os lábios viciantes de sua amada, dando-lhe uma resposta muda a sua pergunta.

– Eu te amo Sasuke-kun.



Abriu os olhos verdes focalizando o teto branco acima de si, mais uma noite que Sakura tinha seu sono era atormentado por um sonho que, na verdade, era uma lembrança de muito tempo atrás.

Lembranças, boas ou ruins, não há como escapar delas, e na maioria das vezes, elas vem nós perturbar quando estamos aconchegados em nossa cama tentando ter uma boa noite de sono, Sakura sabia desse fato como ninguém, a muito tempo que as lembranças veem surripiando o seu sono.

– MAMÃE. Um grito a despertou de seus devaneio.

Levantou-se rapidamente da cama, quase tropeçando nos lençóis, correu em direção ao quarto da filha.

– O que foi Sarada, teve um pesadelo? perguntou aflita.

– Sim mamãe – choramingou.

– Não precisa mais chorar, a mamãe tá aqui meu amor.

A criança morena de apenas 5 anos chorava agarrada a um ursinho de pelúcia. A mãe se aproximou da garotinha e passou os dedos levemente e em seu rosto enxugando as lágrimas que rolavam pela pele alva, para depois abraça-la de forma protetora e beija o topo da cabeça da mais nova aspirando o cheiro de bebê que vinha de seus fios negros.

– Vem dormir com a mamãe.

Nem ao menos esperou o consentimento da mais nova e já a pegara no colo levando para o seu quarto, ao chegar acomodou a pequena em sua cama. Deitou-se ao lado da moreninha e a abraçou, a pequena adormeceu rapidamente nos braços protetores da mãe.

Com um olhar afetuoso, observou os traços da menor, olhos levemente puxados lhe dando uma aparência oriental, cabelos negros e extremamente lisos e curtos, pele leitosa e sem nenhuma mancha, traços aristocráticos, olhos tão negros e penetrantes. Não negava ser filha de quem era.

– Ela se parece tanto com você, Sasuke-kun, até na personalidade ranzinza. – Sorriu de leve.



Estavam com 3 anos de casados, mas mesmo assim a notícia que daria ao marido a deixava apreensiva. Não é como se nunca tivessem falado sobre o assunto, mas era algo que os dois não planejavam no momento, a sua carreira como advogada estava começando e o esposo acabou de assumir a vice-presidência da empresa dos pais, ainda estava se acostumando com o trabalho.

Preparou uma bela refeição, fez a torta de tomate que tanto agrada seu marido, enfeitou a casa com velas e deixou o ambiente a meia luz. Aguardou ansiosamente o marido chegar vestida na roupa que mais agradava o seu amado, seus cabelos rosados estavam soltos e em seu rosto apenas um leve batom cor-de-rosa.

Não demorou para o marido chegar em casa, depois de tomar um banho relaxante e vestir uma roupa menos formal, jantaram conversando coisas banais do dia.

– Tá Sakura, agora para de me enrolar. indagou depois da sobremesa, essa que foi dispensada por ele.

– Do que você está falando Sasuke-kun? – tentou desviar o assunto, não se sentia pronta para contar, tinha medo da reação do marido.

O moreno revirou os olhos pela atitude da esposa.

– Eu te conheço o suficiente para saber que você quer-me conta alguma coisa.

– Sasuke eu... Eu estou grávida.

Mesmo hesitante, mas sabendo que seu marido não a deixaria em paz até saber o que ela queria lhe contar, desistiu de tentar enrola e resolveu que ir direto ao ponto e viu os olhos de negros do marido se arregalarem.

– Eu vou ser pai? perguntou ainda em choque com a notícia.

– Sim, você vai ser pai. respondeu incerta.

O moreno em sua frente a beijou com toda a emoção que aquela notícia o trouxe, estava tão feliz que rodou no ar a pequena mulher em seus braços.



Um pequeno sorri brotou em seus lábios quando se lembrou da primeira reação de Sasuke ao saber que seria pai, nunca o viu tão feliz, o sorriso aberto em seu rosto era a prova disso. Logo após a revelação da gravidez, ele espalhou para todos os amigos que teria um filho, começou a comprar roupas para bebês, não perdeu nenhuma consulta com o obstetra e vivia dizendo que teria uma linda menininha, mesmo não sabendo ao certo já que queriam ter uma surpresa.



Sasuke mostra a esposa um pequeno conjuntinho de blusa e short com o símbolo de seu time de coração, comprara dizendo que a sua filha não seria como essas menininhas mimadas e cheias de frescura, ela seria uma mulher forte, fanática por futebol e esportes radicais como ele. A criança ainda nem nasceu e o pai já estava planejando as diversas aventuras que teria com sua pequena cria.

Sakura encarou o marido e sorriu alisando a barriga de 7 meses de gravidez.

– O que achou?

– Sasuke-kun, você sabe que pode ser um menino, não é?

– Está enganada, esse bebezinho aqui, vai ser uma linda menininha. – disse passando a mão na barriga avantajada da esposa.

Está apenas aumentou o sorriso.

– Eu te amo.

Sua declaração foi prontamente retribuída com um beijo urgente e cheio de amor.



Um leve suspiro escapou de seus lábios, afinal era uma das últimas lembranças que tinha do Sasuke antes daquele fatídico dia. O pior da sua vida, mas o mesmo tempo o mais importante, já que também foi o dia do nascimento de sua filha.



Um jantar tinha sido preparado e arrumado sob a mesa, Sasuke tinha avisado há alguns dias que faria um jantar especial em homenagem à filha que estava preste a nascer, onde convidaria o irmão mais velho Itachi e o namorado dele Shisui, que também era seu primo, para comemorarem a vinda da herdeira.

Enquanto lia um livro qualquer, aguardava pacientemente a chegada do marido e de seus convidados. Lá fora chovia bastante, então ela não se incomodava com o atraso.

O barulho irritante do telefone interrompeu a sua leitura.

– Moshi moshi(alô).

– Saky? Tô ligando para avisar que vamos demorar um pouco para chegar, a chuva tá muito forte e o trânsito parou por causa dela.

– Eu já imaginava que era esse o motivo do atraso de vocês. Só tome cuidado, está bem? Te amo.

– Daqui a pouco eu chego ai. Beijos.

Sentiu um aperto no coração assim que encerrou a ligação, uma sensação ruim tão forte se apossou de si que foi preciso que ela se sentasse. E assim as horas foram passando, uma, duas, três horas e nada; a angústia já tomava conta de seu ser. O telefone já estava em mãos, iria ligar para o marido, precisava saber o que estava acontecendo, mas antes que pudesse discar o numero que já sabia de cór; atendeu ao telefone afoita e com o coração batendo acelerado.

– Sasuke?

– Boa noite, me chamo Senju Tsunade e sou medica do Hospital Central de Konoha. Por favor, gostaria de falar com Uchiha Sakura.

– Sou eu. Sua voz saiu vacilante.

– Preciso que a senhora venha imediatamente ao hospital.

– Aconteceu alguma coisa com meu marido? Cadê o Sasuke? Sentiu seus olhos arderem e um nó se forma em sua garganta.

– Sinto muito senhora, mas o carro do seu marido capotou devido à chuva... Ele e o irmão não resistiram ao acidente, o rapaz que estava com eles está em estado grave, não sabemos se ira resistir a médica informou complacente.

O telefone cai de sua mão tremula e bateu no chão com um baque surdo. Sua respiração se tornou ofegante, seu estômago embrulhado, sentia como se seu coração estivesse sendo esmagado, as lágrimas já caiam livremente pelo seu rosto delicado.

– Sasuke balbuciou.

Praticamente correra em direção a porta de casa, iria para aquele hospital de qualquer maneira, aquela médica só podia está de brincadeira consigo. Seu Sasuke não estava morto. Eles vão ter um filho. Ele não pode está morto.

No entanto, ao colocar a mão na maçaneta da porta, sentiu uma dor excruciante em sua barriga, curvou-se para frente com as mãos no ventre e não conseguiu segurar um grito de dor. Sentiu a visão ficar turva e logo depois tornar-se negra.



Sakura olhava a filha com lágrimas escorrendo pelo rosto, mesmo após 5 anos da sua partida, a dor dentro de si continuava viva assim como no dia que perdeu o único homem que amou.

Respirou fundo e secou as lágrimas em seu rosto, fez um leve carinho na bochecha da moreninha adormecida ao seu lado. Mesmo com a dor ainda presente em seu peito, também existia o amor que não morreu junto com o outro. Ao contrário, tornou-se mais forte na pequena criança deitada ao seu lado.

Pouco a pouco estava aprendendo a lidar com a falta que Sasuke faz em sua vida, Sarada é o principal motivo para ir em frente vivendo um dia de cada vez, sua pequena filha e a única razão para continua vivendo, está reaprendendo a sorrir com os dias que passa ao lado de sua pequena.

– Eu sinto tanto a sua falta Sasuke, é uma pena você não está aqui para vê-la crescer. Eu te amo. Boa noite anata.

Aconchegou sua filha em seus braços e fechou os olhos, adormecendo logo em seguida.


♦◊♦◊♦◊♦◊♦◊♦◊♦◊♦


Não se sabe se é pelo fato dela está dormindo, ou por não ter a sensibilidade necessária para tal, mas não sentiu alguém deitar-se na cama ao seu lado, ou que ele a abraçou junto com sua pequena filha. Esse alguém era possuidor de cabelos revoltos tão negros quanto uma noite sem estrelas, pele pálida, expressão sempre sisuda e olhos pretos tão penetrantes que pareciam ser capaz de lê a alma da pessoa. Demorou um certo tempo nessa posição, depois sentou-se e beijou levemente a testa da garotinha entre eles, deu a volta na cama e pela última vez, selou os lábios daquela que tanto ama.

– É bom vê que finalmente está se recuperando Saky. Eu também sinto a sua falta e também te amo. Me desculpa por nunca dizer o quanto eu te amo, mas isso nunca foi necessário entre nós, né rosadinha? Sempre foi você Sakura, nunca existiu outra em meu coração, nunca ninguém chegou perto dele, por que ele sempre foi seu. Eu sei que queria ouvir da minha boca o quanto eu te amo, mas nunca fui capaz de falar e apesar de esse ser o meu maior arrependimento, eu sei que você sempre soube o quanto eu te amo, afinal, ninguém me conhece melhor que você. Sabe, eu não posso mais vim te ver, você tá seguindo em frente, eu também tenho que seguir, mas saiba que não deixa de cuidar das duas. Enfim, boa noite tsuna, nós vemos daqui alguns anos.

Ao encerrar a sua despedida, Sasuke foi aos poucos se tornando opaco, até que esvaneceu.

24 de Febrero de 2018 a las 20:44 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Way Borges Nome: Waynne Borges Idade: depende da ocasião Sou um universo em constante expansão, sempre aprendendo coisas novas e aberta a novas experiências. Tímida no primeiro contato, mas depois o difícil vai ser me fazer parar de falar. Sou gentil, atenciosa e educada com todos e espero a mesma cortesia, entretanto, isso não significa que eu não saiba ser grossa quando necessário. Adoro chocolate, séries, filmes e desenhos. Cachorros e gatos sãos meu ponto fraco, fico toda derretida.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~