2minpjct 2Min Pjct

Min Yoongi era um bom jogador, conhecido por suas habilidades e quando ele estava não havia chances para ninguém. Era observado por todos inclusive Jimin, seu vizinho, que o mais velho sequer notava. Estava encantado, o garoto bonito e marrento chamava cada vez mais sua atenção. Park Jimin tinha uma vida ordinária, até que em uma noite, ele descobre que tem que tomar muito cuidado com o que deseja, se não sua vida viraria de cabeça para baixo.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#troca-de-corpos #2minpjct #2min #suji #sugamin #minmin #minimini #yoongi #jimin #sujim #yoonmin #bts #btsfic #btsfanfic #gay #yaoi #romance-gay #bl #boyxboy #fluffly
8
726 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Parte 01

Escrito por: @yglovesz

Notas Iniciais: Olá anjos. Voltei com mais uma história mas desta vez com uma short fic! Espero que gostem e boa leitura!


~~~~


O som em seu fone estava alto o suficiente para fazer Park Jimin esquecer tudo ao seu redor. Seus pés descalços batiam no chão gelado do quarto conforme o ritmo da música, vez e outra cantarolando, mas sem perder o foco no que fazia.

A canetinha com a ponta azul bebê deslizava pelo papel do caderno, colorindo suavemente os traços do desenho enquanto apertava os lábios, concentrando-se em não borrar sua mais nova obra de arte. Quando, enfim, terminou, abriu um enorme sorriso, batendo palminhas para si mesmo.

Soltou um longo suspiro e aproveitou para finalmente se esticar, pois não sabia há quantas horas já estava sentado naquela cadeira dura e, como sempre, perdia totalmente a noção do tempo. Olhou mais uma vez para o caderno enquanto cutucava a caneta em sua bochecha. Parecia que estava faltando alguma coisa.

Logo voltou a escrever no caderno, desta vez destacando várias vezes o nome de uma certa pessoa com diversas cores de canetinha, deixando corações em volta de todo o nome.

— PARK JIMIN! — alguém gritou assim que arrancou o fone de um de seus ouvidos, fazendo com que ele involuntariamente fechasse o caderno. — Estou te chamando faz tempo, parece que é surdo!

— Eu estava de fone, mãe! — defendeu-se, passando a mão em sua orelha enquanto bufava. — Você poderia ter sido um pouco calma, me assustou!

— Você se tranca nessa droga de quarto com esses fones e quer que eu te chame com calma?

— Sim?! — disse como se a resposta fosse óbvia, e a mulher respirou fundo.

— Uma tarde de domingo linda dessas e você trancado nesse quarto escrevendo seja lá o quê! — ela repreendeu. — A propósito, Jungkook e Taehyung estão lá embaixo.

— Hum... Legal. — Ele bocejou, sem animação. — Diga a eles para subirem.

— Não, você vai sair daqui e cumprimentar os garotos de forma decente! — reclamou, puxando Jimin para que se levantasse. — Pode ir descendo!

— Mãe…! — ele protestou já fora do quarto, observando a mãe fechar a porta e sinalizar para que descesse.

Desceu as escadas, emburrado, com a mãe logo atrás, e, assim que chegou à sala, notou os dois amigos sentados no sofá esperando-o. Jungkook estava, como sempre, jogando o mesmo jogo em seu celular enquanto brigava com Taehyung, que reclamava de seu vício.

Quando Taehyung percebeu a presença de Jimin, empurrou os pés de Jungkook, que estavam na mesinha, fazendo com que o outro quase caísse do sofá.

— Puta que... — Jungkook quase disse, mas respirou fundo.

— Bom dia, bela adormecida! — Taehyung brincou, o que fez Jimin dar uma leve risada e abrir os braços, já esperando o abraço, que rapidamente veio. Taehyung sempre foi muito amoroso. — Viemos te ver, já que você nunca sai de casa!

— Parece um vampiro, sempre fugindo da luz do sol — Jungkook brincou, rindo da sua própria piada e guardando o aparelho no bolso.

— Eu estava arrumando o meu quarto — mentiu. — Estava uma bagunça.

— Deixe de ser mentiroso, Jimin, você nunca arruma o quarto — Taehyung falou, dando tapinhas no ombro do amigo.

— Devia estar desenhando, como sempre — Jungkook adivinhou, e Jimin forçou um sorriso na mesma hora.

— Vamos dar uma volta! Eu e o Jungkook estávamos pensando em passear no shopping.

Jimin formou um bico em seus lábios, pensativo. Olhou para a janela e percebeu os raios solares um pouco fracos, indicando que era quase o final da tarde. Não estava disposto a sair de casa. Estava tão imerso em seu mundinho que nem ao menos percebeu as horas passarem.

Respirou fundo, olhando para a rua, a preguiça dominando completamente seu corpo.

— Ah... Sei não... — Fez uma careta, sentando-se no sofá, e Taehyung cruzou seus braços, esperando a desculpa que Jimin usaria. — Parece estar tarde pra sair. E se formos assaltados?

— Nossa, vai se foder! — Jungkook reclamou, incrédulo. — São seis horas da tarde, falando assim, parece que vamos sair de madrugada!

— Vamos dar uma volta e depois voltamos com o meu irmão — Taehyung insistiu, dando uma risadinha com o que diria: — Pode ficar despreocupado, não temos riscos de ser assaltados.

Jimin suspirou, jogando-se no sofá de maneira desleixada.

— Estou com preguiça... — Ele fechou os olhos brevemente.

— Convida ele pra ver aquele jogadorzinho de basquete. Qual é mesmo o nome dele? — Jungkook fingiu pensar, e Jimin abriu os olhos rapidamente. — Ah, Yoongi! Vamos ver se ele não vai!

— Cala a boca! — Jimin cerrou os dentes, irritado, jogando a almofada em sua direção. — Já disse milhares de vezes que não sou afim dele!

— Então por que fica espionando ele pela sua janela? — Jungkook agarrou a almofada e jogou-a de volta, sorrindo malicioso. — Principalmente quando ele está trocando de roupa, você costuma adorar!

— CALA A BOCA!

Naquele momento, foi a vez de Taehyung gargalhar.

— Me poupe, você vai em todos os torneios, sendo que nem gosta de basquete!

— Eu estou torcendo para a vitória da escola, sou um aluno participativo!

— Sim, um exemplo de aluno! — Jungkook debochou, tirando o celular do bolso, o qual logo foi tomado por Taehyung. — Ei!

— Você não vai pegar esse celular e jogar aquela droga de jogo! Nós vamos sair agora — avisou, e as bochechas de Jungkook ficaram vermelhas de irritação.

— Esse moleque não vai sair de casa! — Apontou para Jimin, que estava jogado no sofá e acabou fazendo uma careta.

— Olhe o jeito que você fala com seu hyung, Jungkook! Eu nasci primeiro que você, seu merdinha!

— Calem a boca! — Taehyung gritou, irritado. — Seu celular vai ficar comigo até o final da tarde, você fica a porra da semana inteira nessa droga de jogo só porque quer passar de nível e comprar mais armas! — Jungkook revirou os olhos, bufando. — E você vai sair, sim! — Apontou para Jimin. — Você é outro que passa todos os dias trancado no quarto sem ver a luz do sol, só pra ficar escrevendo várias vezes o nome daquele jogador no seu caderno! — Após ouvir aquilo, o rosto de Jimin começou a criar leves tons de vermelho, e Jungkook não conseguiu conter sua gargalhada alta.

— Olhe só o que você fez, Jungkook! — reclamou Jimin, levantando-se para bater em Jungkook, que se escondeu atrás de Taehyung. — Que saco! Eu vou!

Taehyung sorriu quadrado, abraçando o amigo que não estava nem um pouco contente, ameaçando matar Jungkook com o olhar.

Após várias reclamações, claro, vindas de Jimin, o passeio no shopping foi melhor do que o esperado. Isso é, tirando o fato de Jungkook ter provocado Jimin a maior parte do tempo com a história do caderno, quase fazendo com que o garoto o matasse no meio do shopping.

— Você quer morrer? — Jimin perguntou, enquanto Jungkook dava de ombros, mostrando a língua.

— Você é todo esquisito, garanto que é um daqueles que lê histórias românticas e imagina vocês dois aos beijos! — falou com um sorriso provocativo moldando seus lábios, mas logo correu quando percebeu Jimin ir em sua direção com uma expressão nada agradável.

Depois de andarem em diversas lojas de roupas, voltaram de carro com o irmão mais velho de Taehyung, Seokjin. Jimin e Jungkook não eram muito próximos de Jin, já que, depois que entrara para o Ensino Médio, ele mudou completamente seu jeito de agir para se adaptar melhor e, na faculdade, estava pior. Mas Jin nunca deixou de chamá-los de pirralhos, apelido que usava desde que ambos eram muito pequenos.

Quando Jimin finalmente chegou à sua casa, jogou-se na cama, enrolando-se nas cobertas quentinhas enquanto seu corpo relaxava aos poucos. Estava terrivelmente cansado fisicamente, com os olhos pesados se entregando ao sono.

Acordou no dia seguinte com seu celular tocando ao seu lado. Bateu em todos os cantos da cama com o rosto enfiado no travesseiro até achar o aparelho e desligar o alarme.

— Eu odeio segunda-feira — murmurou.

Jimin nunca foi um garoto muito sociável na escola, mas agradecia todos os dias por ter Jungkook e Taehyung como seus amigos. Eles se conheceram no pré. Jimin entrou na escola no meio do ano, devido ao trabalho de seu pai, e, assim que chegou, passou dois dias sozinho em um canto da sala, negando-se a fazer qualquer tipo de interação com toda a turma. Quando Taehyung ofereceu um pedaço de seu sanduíche no intervalo, desde então, tornaram-se inseparáveis.

Conheceu Jungkook um ano depois, mas, claro, com a ajuda do jeitinho amigável de Taehyung.

O jeito reservado de Jimin não o impediu de se relacionar com algumas pessoas. Seu primeiro beijo, por exemplo, foi com uma garota loira do Fundamental; não se lembrava exatamente de seu nome, mas se lembrava de ser uma das garotas mais bonitas da turma.

Seus amigos já tinham beijado, e Jimin era o único do grupo que não tinha experiências o suficiente para compartilhar. Quando contou que havia beijado uma menina, Jungkook e Taehyung só faltaram soltar fogos de artifícios.

Com o passar do tempo, começou a ter dúvidas acerca de sua sexualidade, mas Taehyung o ajudou com tudo que passava em sua cabeça. Depois de entender melhor sobre o assunto, após muitas pesquisas e conversas, decidiu não se rotular por enquanto, porém sabia que seu interesse por homens seria um fator decisivo.

Principalmente quando se viu completamente caidinho pelo jogador de basquete e seu vizinho, Min Yoongi.

Eram vizinhos há mais de quatro anos e nunca conversaram. Não por vergonha, mas por não saber sobre o que falar. Mesmo assim, Jimin nunca deixou de torcer todos os dias para que o outro aparecesse magicamente à sua frente e iniciasse um assunto. Contudo, é claro que isso nunca aconteceu.

E mesmo que acontecesse, Jimin sabia bem que nunca conseguiria trocar nem ao menos uma palavra com ele sem parecer um tremendo idiota.

No corredor, Yoongi paralisou por alguns instantes. Com suas provas em mãos e os olhos arregalados, estava atento a cada nota, na esperança de ser algum erro de computação.

— E aí? Como foi? — seu amigo, Namjoon, perguntou ao seu lado.

— Meu pai vai me matar — disse apenas. Os papéis foram arrancados de suas mãos por Hoseok, que acabou soltando uma risada.

— Caralho!

— Pare com isso, Hoseok. Não deve ser tão ruim assim! — Namjoon defendeu, pegando o papel das mãos dele e dando um longo suspiro. — Cara…

— E agora, o que você vai fazer? — perguntou Hoseok, depois de se recompor. — O treinador foi bem claro em relação às suas notas.

— Eu sei, porra! — Bufou, irritado, passando as mãos por seus cabelos. — Tô completamente fudido! Nem me matando de estudar, eu vou conseguir atingir a média.

— Não seja tão pessimista, é claro que consegue! Só vai precisar se dedicar mais aos estudos por enquanto, até as recuperações.

— Eu não sei nada de Física. Essa matéria não entra na minha cabeça! — Yoongi choramingou, com suas mãos cobrindo seu rosto.

— Sua única solução é rezar. — Hoseok encolheu os ombros. — Ou fazer uma boa magia, pois seu caso tá feio!

— Hoseok! — Namjoon chamou a atenção dele, balançando a cabeça enquanto suspirava. — Olha, Yoongi, choramingar também não vai te ajudar. Se você reprovar na recuperação, não participa do torneio e, pra piorar, pode ser expulso do time!

— Eu sei disso... — murmurou, pegando o papel de suas mãos e olhando as notas novamente. Era inacreditável.

Enquanto discutiam sobre o que fariam com a situação, Jimin passou correndo por eles, quase caindo, por sua maneira desajeitada.

— Bom dia! — A voz do amigo com o sorriso quadrado chamou sua atenção. — Preparado para mais uma semana?

— Não. — Jimin respirou fundo, encostando suas costas no armário. — Não aguento mais essa tortura. Quero que a escola acabe logo!

— Você não disse que o terceiro ano seria o seu ano? — Jungkook perguntou, arqueando suas sobrancelhas.

— Disse, mas até agora ganhei apenas sofrimento.

— Pare de reclamar! — Taehyung exclamou, e Jimin olhou em sua direção.

— Deveria estar como? Contente? — ironizou, e Jungkook soprou uma risada.

Seu olhar desviou do rosto calmo de Taehyung para uma cabeleira loira que caminhava no meio do corredor, com uma expressão séria no rosto. O cabelo grande estava quase cobrindo seus olhos, e sua camisa branca destacava perfeitamente sua pele pálida. Min Yoongi era perfeito pra caralho.

Jimin continuava o seguindo com o olhar como sempre fazia, mas quase se engasgou ao notar que ele se aproximava de seu grupinho. Seu coração parecia martelar contra o peito a cada passo que o outro dava em sua direção.

Por que ele estava fazendo aquilo? Ele percebeu que Jimin estava encarando? Será que ele sabia de alguma coisa? Se Jungkook tivesse contado sobre algo, ele provavelmente o mataria ali mesmo.

Ele parou à sua frente com uma feição normal em seu rosto, o que tranquilizou um pouco os pensamentos de Jimin.

Mas o que ele estava fazendo ali, afinal? Ele nunca tinha chegado tão perto quanto naquele momento. Será que Yoongi iria beijá-lo na frente de todos, igual às histórias que lia?

Não, aquilo já era absurdo demais.

— Com licença — Yoongi disse de repente, e Jimin quase desmaiou quando escutou sua voz tão perto. Nunca imaginou que ela fosse tão bonita assim.

Jimin foi um pouquinho para trás, quase sendo engolido pelo armário atrás de si, fugindo da proximidade de Yoongi.

— Meu armário.

— Como? — Jimin perguntou, confuso, vendo-o arquear uma sobrancelha.

— Você está na frente do meu armário. — Yoongi apontou, e o rosto de Jimin ganhou pequenos tons de vermelho. — Poderia sair da frente?

— S-sim, senhor! — Jimin gaguejou, e Yoongi o olhou estranho, percebendo, pelo canto de seus olhos, Jungkook bater com a palma da mão em sua própria testa.

Yoongi pegou os cadernos do armário e saiu sem dizer mais nada, deixando Jimin sozinho com sua vergonha.

— Isso foi patético! — Taehyung comentou, observando Yoongi caminhar para longe deles antes de olhar para o amigo. — Esse foi seu primeiro diálogo com ele, e pareceu que estava no filme Cinquenta Tons de Cinza.

— "Sim, senhor", que merda foi essa? — Jungkook perguntou, incrédulo.

— E-eu não sei, ok? Eu travei, que inferno! — Jimin retorquiu, abanando seu rosto, que continuava vermelho.

— Você perdeu a chance de ouro. — Taehyung balançou a cabeça negativamente, cruzando os braços. — Agora ele vai achar que você é um daqueles que gosta de ser dominado por um daddy.

Jimin paralisou na hora em que ouviu aquilo, com seus olhos arregalados.

— Você acha, Tae? — indagou com medo da resposta. Jungkook continuava balançando a cabeça como se estivesse em total negação.

— Bom, é bem possível.

— Você meteu um "sim, senhor". Como você quer que o cara aja? — Jungkook perguntou, e Jimin só faltou chorar.

— Mas nada está perdido! — Taehyung tentou animá-lo. — Vai que ele gosta de dominar mesmo.

— Isso era para me tranquilizar? — Taehyung o olhou como se a resposta fosse óbvia.

— É pior do que pensar nessa vergonha que acabou de passar — Jungkook voltou a dizer, fazendo Taehyung cobrir os lábios.

Jimin cobriu seu rosto vermelho com as mãos, balançando a cabeça em negação. Analisando melhor o que havia acontecido, foi realmente uma cena patética.

“Como eu gostaria de apenas sumir…”

— Vocês viram isso aqui? — A voz de Jungkook fez Jimin levantar sua cabeça, voltando sua atenção para os dois garotos à sua frente. — Parece que vai cair uma chuva de meteoros.

— Cair?! — Taehyung exclamou, puxando o celular para ver melhor a notícia. — Meteoro não foi o que matou os dinossauros?! Vamos morrer?!

Jungkook fez uma careta.

— Aquilo foi um asteroide, gênio! — Tomou o celular das mãos dele. — É uma estrela cadente!

— Ah, bom! — Ele sorriu, suspirando aliviado. — Uma estrela cadente é bonita! Quando vai acontecer?

— Acho que hoje à noite.

— Talvez eu possa ver, a janela do quarto me dá uma visão ótima do céu! — Jimin deu um enorme sorriso, e o rosto de Jungkook se virou para olhá-lo.

— Aproveita pra fazer um pedido, como, por exemplo, que esse dia vergonhoso nunca tenha acontecido. — O sorriso provocativo fez Jimin quase pular em seu pescoço, mas, antes que pudesse, Taehyung se pôs na frente.

(...)

Após jantar e ajudar sua mãe a arrumar toda a louça, Jimin subiu os degraus correndo até seu quarto. Não sabia exatamente a hora exata que começaria a chuva de meteoros, mas queria estar livre de tudo que o pudesse impedir de vê-la.

Abriu a janela e seus olhos foram automaticamente até a janela do quarto de Yoongi. Acabou suspirando aliviado por essa se encontrar fechada. Ele provavelmente já estava dormindo, isso era bom.

Depois do ocorrido, queria estar bem longe da atenção do loiro por um bom tempo, até que pudesse esquecer a situação vergonhosa que havia passado.

E sabia que não esqueceria tão facilmente.

As mensagens animadas de Taehyung rodavam na tela de seu celular, arrancando-lhe risadas junto aos xingamentos de Jungkook, por ele estar atrapalhando seu jogo. Não demorou para os dois começarem a discutir.

Quando voltou seu olhar para o céu estrelado, seus olhos brilharam admirados. Jimin sempre gostou de observar o mundo além de sua janela, esse era seu momento de relaxar ou apenas pensar no que ignorou ou não pôde durante todo o dia. Especialmente naquele dia.

Naquela noite, seu coração martelava um desejo que sua mente preferia ignorar. O céu estava lindo e ele não conseguia parar de encarar todas aquelas estrelas.

Até que, como num passe de mágica, pareceu chover no céu estrelado. Meteoros.

Brilhavam como diamantes, ou os diamantes brilhavam como eles? Deixaram o céu mais bonito, e Jimin se lembrou de algo que costumava ouvir.

“Faça um pedido.”

Seu coração desejou.

“Não seja idiota”, sua mente lhe avisou.

Mas alguém já tinha ganho a batalha, e ele sabia muito bem quem fora quando seu coração bateu naquele compasso.

— Gostaria que Yoongi me notasse.

Era bobo? Talvez, mas se sentiu tão mais leve e esperançoso expondo os sentimentos para o meteoro rasteiro no céu, que não se importou se Jimin parecia um idiota apaixonado.

Olhando as estrelas uma última vez, o Park fechou a janela e se jogou em sua cama macia, voltando para seu mundo particular e imaginando que o que pediu poderia mesmo se realizar.

Ou talvez não, afinal uma estrela não seria capaz de realizar um desejo tão bobo como aquele.

~~~~


Notas Finais: O caos está apenas começando KKKK Me digam o que estão achando e até o próximo capítulo!

14 de Enero de 2023 a las 03:01 0 Reporte Insertar Seguir historia
0
Leer el siguiente capítulo Parte 02

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 3 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión