destinathy nathy cor-de-rosa

Park Jimin nunca pensou que seu vizinho chato fosse ser um substituto tão bom para seu brinquedo favorito. [KOOKMIN/JIKOOK] [JK TOPS] [JM BOTTOM] [PWP] CAPA POR @PJMSOOUL (twitter)


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#gay #yaoi #hot #lgbt #sexo #bts #jungkook #jimin #lemon #jikook #pwp #kookmin #jiminbottom #jungkooktops
5
2.1mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

BRINQUEDO COR-DE-ROSA: ÚNICO

olá! alguns já devem saber, mas cinco histórias minhas foram excluídas no app laranjinha e não sei se vou recuperá-las. Por causa disso, começarei a postar aqui também aos poucos. Por favor, me apoiem <3


🍑🍑🍑🍑🍑


Parte I

Park Jimin nunca reclamou da vida que tem. Seus amigos são legais, sua família era ótima, o apartamento que assiste é grande o suficiente para ele e mais outra pessoa. Mas ele não tinha com quem dividir. E o pior: detestava ter que aturar certa pessoa.


Jeon Jungkook é seu nome. O vizinho irritante que passava cantadas baratas, já que também era homossexual, que vivia entrando em sua casa sem motivo aparente, dando a desculpa que a casa dele era maior do prédio e que coloca músicas altas até duas da manhã e atrapalhava seus estudos, ou seus momentos mais íntimos com o seu amor maior.


Um vibrador cor-de-rosa.


O melhor brinquedo que já tivera, era espesso e tinha quinze centímetros. O suficiente para Jimin ir nas alturas. Era possível que todos do mesmo andar escutasse os gritos nada discretos de Jimin. Ele era um garoto escandaloso.


Queria principalmente que Jungkook escutasse, para ver se assim, ele se tocava que nunca terá chances com Jimin.


Mas é Jeon Jungkook, ele pode te surpreender.


Era início de noite de uma sexta feira. Todos se preocupavam em sair para se divertir. Mas Jimin não. Ele queria apenas sentar no seu brinquedo, como fazia toda segunda, quarta, sexta e sábado. Perdia horas e horas apenas com aquele pênis artificial, já que não teria coragem de fazer isso com algum cara de verdade pela sua timidez.


Depois de jantar e lavar a louça, o Park tomou um breve banho morno e sequer vestiu as roupas, abriu a última gaveta e pegou o vibrador e o lubrificante. Colocou-os sobre a cama e pegou o computador, afim de usar algum conteúdo que o excitasse. Ele tinha a impressão de ter esquecido alguma coisa, mas não sabia o que era.


Entrou num link com coisas proibidas e seu membro deu sinal de vida.


Começou uma leve masturbação e fechou o computador, gemendo baixinho. Deitou na cama e continuou assim, ele precisava de algo dentro dele. Tinha a necessidade de ser invadido.


O barulho da porta foi ouvido, se assustou, mas imaginou ser algum vizinho sem noção saindo de seu apartamento.


Pegou o lubrificante passou no brinquedo sexual, colocou com cuidado e devagar aquele vibrador, gemendo alto. Ligou-o na última velocidade, gostava daquilo. Passou a movimenta-lo, aumentando a velocidade dos movimentos a cada vez que fazia. Aumentando também o volume de seus gemidos altos e exagerados..


Depois de mais alguns segundos se divertindo, a porta de seu apartamento foi batida. Quem iria incomodar um vizinho tão tarde? Contra sua vontade e até um pouco assustado, tirou sua diversão de dentro de si e vestiu uma blusa folgada e sua cueca, sem se importar com a vestimenta inadequada. Era melhor que receber seja quem for sem roupas.


— J-jeon? O que está fazendo aqui? Sabe que horas são? — Jimin o repreendeu. Seu vizinho chato era sem noção, mas não sabia que era tanto assim.


— Oi, Jimin. Desculpa vir tão tarde, eu estava fazendo um bolo e descobri que não tenho açúcar. Como ouvi sua voz, imaginei que estivesse acordado. — O vizinho sorriu, com uma xícara na mão. — Te atrapalhei?


— Você quer açúcar, Jungkook? — Park perguntou, desconfiado.


— Sim, mas, se possível, quero a sua bunda também. — Jeon investiu. O inquilino gelou. — Ei, tá ouvindo esse barulho estranho? — Jungkook entregou a xícara para Jimin e adentrou a casa. — Com licença.


— Toda, né. — Park fechou a porta, vendo o outro ir diretamente para o seu quarto.


— Caralho, você se diverte com isso? Que decadência, Jimin... — Jeon menosprezou a diversão de Park.


— Ah, e com quem deveria fazer essas coisas se eu não namoro? — Park indagou.


— Comigo, é claro. Posso te foder? Esses dez centímetros não são o suficiente para você.


— Quinze — corrigiu. — Não. Eu não quero.


— Por favor, Park. Considere isso um agradecimento por pegar um pouco do seu açúcar.


Jimin pensou. Ele queria, mas não ia se entregar de primeira.


— Depende. Quantos centímetros? — Park perguntou se referindo ao pênis de Jungkook.


— Vinte e um.


— Uau. Isso não cabe em mim.


— Será mesmo? Vamos tentar, Chim.


— O que eu ganho se eu deixar?


— A melhor noite de sexo da sua vida.


— Tudo bem. Mostre-me o que você sabe fazer. — Foi a última coisa que Jimin disse antes de ser atacado pelos lábios de Jeon.


Parte II


Jimin estava deitado na cama, observando cada detalhe do corpo de seu vizinho gostoso que terminava de tirar a calça.


— Eu vou te chupar bem gostoso — Jungkook avisou antes de se aproximar do pênis ereto de Jimin.


No primeiro contato Jimin já gritou, era sensível naquela região, onde apenas suas mãos o tocavam.


— Me responda quanto tempo você não recebe um boquete — Jeon mandou.


Nada foi respondido. Lambeu a glande do mais velho e repetiu:


— Me responda!


— Desde quando eu terminei com meu namorado. Há uns oito meses.


— Mas eu te chupo melhor, não é?


— E-eu...


— Eu sei que sim. Eu sou ótimo.


— Você é bem dotado, diria.


Jungkook sorriu e voltou a chupar o menor de dezesseis centímetros.


— Aah Jeon, que delícia aaah...


Jimin gozou e Jungkook engoliu todo aquele líquido viscoso com aparência leitosa.


— Tá na hora de alguém ser fodido — disse.


Tirou a cueca e bateu nas nádegas de Jimin.


— Que bunda linda que você tem. Onde está o lubrificante?


Apontou com o pé onde ele estava, jogado no chão e Jungkook o pegou, colocando uma quantidade razoável dele em sua mão. Jimin virou de bruços e esperou.


Colocou em três de seus dedos e inseriu um em seu orifício anal. Colocou os outros dois com facilidade.


— Se doer me fala que eu vou devagar.


— Não quero devagar.


— Tudo bem então. É preciso te preparar? Você já foi bem preparado, consigo deslizar facilmente meus dedos em você.


— Vai logo, por favor.


— O que você quer?


— Quero que você enfie logo.


— Meus dedos?


— Idiota! Anda logo.


Jeon deu uma risadinha e tirou os três dedos do interior do Park, substituindo por algo bem maior. Jimin gemeu com o primeiro contato, o que fez Jungkook se motivar e se excitar mais com os barulhinhos do mais velho.


Quando Jungkook o penetrou por inteiro, esperou um pouco, dando beijos no pescoço e na cabeça dele. Jeon sentiu as reboladas tímidas de Park, avisando para continuar. É o que fez, moveu-se primeiramente devagar, mas meteu com força.


— JEON JUNGKOOK A-Ah...


Outra estocada. Outro gemido. Lágrimas saíam dos olhos de Jimin pela excitação.


— Está gostando? Eu sou suficiente para você? — Jungkook perguntou, mesmo sabendo da resposta óbvia.


— Porra, Kook! Eu poderia ter gozado umas três vezes só de olhar pra você. Por que você tinha que ser um vizinho tão irritante? Eu poderia ter transado com você antes!


— Acho que alguém está gostando então...


Começou a ir com mais velocidade, se isso era possível. Jeon tinha pena de Jimin, não poderia sentar por no mínimo duas semanas. Quem mandou ser tão pequeno? Soube que acertou o ponto fraco de Jimin quando o gemido veio mais agudo. Como uma high note.


— Mais, Jeon!


— Onde? Aqui? — Tentou acertar de novo aquele lugar. Com sucesso.


— Sim! A-aah eu vou gozar.


— Vai, eu deixo. Goza gemendo meu nome.


— Jungkookie...


Jimin ejaculou e arfou. Jungkook saiu de dentro do mais velho e sentou na cabeceira da cama, ainda ereto.


— Vem, eu cansei — disse para Jimin quicar em seu colo.


— Não quero. Já consegui o que queria.


— Então é assim? Venha aqui, Park Jimin. Vou transformar o seu sonho num pesadelo.


Jimin riu e engatinhou até Jungkook. Antes de se colocar dentro dele, beijou o pescoço dele e deixou algumas mordidas.


Sentou com tudo no mesmo e ambos gemeram alto. Jimin brincou de sentar por um tempinho, parou e perguntou:


— Posso te chupar? Faz muito tempo que não faço isso.


— Sim, pode. Mas vai ter que engolir todo o meu gozo.


Jimin levantou da cama e Jungkook fez o mesmo. O Park ajoelhou e começou o trabalho. Lambeu como se fosse um sorvete de morango — seu favorito — e chupou com vontade.


Minutos depois ele engoliu a porra de Jungkook, que infelizmente não tinha gosto de morango. Jimin empurrou Jungkook para a cama e deitou em cima dele, mas sem malícia.


— E aí, gostou? Eu sou o melhor? — Jungkook perguntou.


— Sim, foi ótimo. Não exagera, tá se achando demais, não?


— Eu não me acho. Eu tenho certeza.


Jimin riu e bateu no peito dele.


— Idiota. Kookie...


— Kookie? Gostei. O que foi, Jiminie?


— Quer ser o meu novo vibrador?


— Eu vou poder te beijar?


— Sim.


— Saber mais sobre você?


— Sim.


— Ser seu namorado?


— Si... espera, o quê?


— Você fica todo diferente depois do sexo, tenho que fazer isso sempre com você.


— Mentira, eu só conheci o seu lado legal.


— Por que eu não sou legal?


— Você não sabe conquistar as pessoas! Eu vou te dar uma segunda chance para me conquistar, porque eu mereço.


Jungkook riu.


— Ok. Vou fazer isso do jeito certo dessa vez.


Se beijaram pela última vez antes de dormirem, do jeito que estavam. Dessa vez Jimin não precisava tomar tanto cuidado com seu vibrador. Preferia ter um Jungkook.


Parte III

"O que é isso?" Jimin pensou quando viu uma caixa deixada em frente à porta de sua casa.


Abriu e teve uma surpresa. Algumas cartas com envelope rosa, algumas pétalas de flores e um quadro com uma foto sua com uma cara de raiva.


Se lembrava daquele dia, Jeon havia o irritado, como de costume, então ele tirou foto da feição raivosa de Jimin, já que julgou ser fofa.


As cartas haviam títulos, mas o que o interessou foi a flor que estava lá.
Era cravo riscado, sua flor favorita.


🍆🍆🍆🍆🍆


pra entender tem que ler minha outra fanfic, a pirâmide da destinathy


obrigada por (re)lerem! As próximas histórias serão postadas em breve.

14 de Mayo de 2021 a las 21:35 0 Reporte Insertar Seguir historia
1
Leer el siguiente capítulo BRINQUEDO COR-DE-ROSA: O RETORNO

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión

Historias relacionadas