christtmaskv christtmas kv

Jungkook era só mais um nerd comum naquela escola que gostava de um garoto popular chamado Kim Taehyung. A diferença então entre ele e os outros nerds em busca de um amor impossível? Simples! Ele tinha um melhor amigo chamado Jimin e um plano mirabolante para por em ação.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18. © Todos os direitos reservados a autora. Não permito uso ou adaptações dessa história sem minha permissão.

#highschool #bottomjungkook #toptaehyung #gay #yaoi #Jikookfriends #Jeongguk #Jungkook #Taehyung #BTS #kookv #taekook #Vkook
3
1.5mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Prologue: planos

— Eu deveria virar astronauta pra conseguir ver o seu mundo? Talvez estudar astrologia para conhecer o universo no seu olhar? Ou-


— Cara, cala a boca!


Ouvir Jimin interrompendo minha pequena conversação própria fez-me resmungar alto. Oras, quem aquele ser minúsculo achava que era?


— Olha, eu realmente não me importo em andar com você nos corredores da escola, mas se for pra ficar me cantando com toda essa breguice, te mando daqui pra sua casa — Jimin cruzou os braços enquanto revirava os olhos pra mim.


— Não é pra você! — resmunguei enquanto ia em direção ao meu armário e colocava a senha. — É pro Taehyung.


— Quem?! — Jimin perguntou incrédulo, o sorriso de quem não tem nem um pouco de confiança em minhas tacadas. — Aquele popularzinho do terceiro?


— Esse mesmo — retirei um livro de matemática — odeio essa matéria, deixo claro — e fechei o armário novamente.


— Olha, Jungkook... — Jimin me secou dos pés à cabeça antes de sorrir de canto. — Tem certeza?


— É claro que tenho. Por que não teria? — indaguei inconformado quando passamos a caminhar de volta para nossas turmas.


— Sua cara de nerd deveria responder isso — disse simplório. — Escuta, são vários obstáculos até ele, sabe?


— E você não pode me ajudar nisso, senhor popular? — parei apenas para encará-lo. — Ah, vamos, Minnie! Você é bom nessas coisas!


Jimin suspirou pesado enquanto olhava para qualquer canto que não fosse a minha cara. Não deveria ser fácil para ele, eu realmente deveria necessitar de uma repaginada daquelas bem feitas.


— Você realmente quer algo com ele? Tipo, sério mesmo? — Jimin me perguntou meio descrente. Não que fosse novidade. Eu já tinha um crush por Taehyung fazia tempos e Jimin sabia muito bem, mas era novidade eu resolver por isso em ação. — Eu posso tentar te dar algumas dicas e... mudar essa sua cara de nerd. Que tal?


— Vou poder ficar com os óculos?


— Foi a primeira coisa que pensei em tirar.


— Ah, não! Você sabe que vou me arrebentar nas paredes se não usar isso! — fiz um bico inconformado, sorrindo quando o Park simplesmente assentiu, vencido.


— Você fica com o óculos. Mas saiba que suas chances caem de 70% para 20%.


— Tudo isso?!


— Estou brincando — Jimin sorriu enquanto me cutucava na bochecha. — Mas sim, elas caem um pouco. Você é bonito e... — franziu o nariz antes de continuar. — Fofo.


— Já sabia disso.


— Nada humilde e irritante.


— Certo, preferia não saber disso.


Observei o professor adentrar a sala de aula, me despedindo do Park e entrando na turma. O horário passou rápido como era de costume, e eu me vi pensando em uma única coisa: Taehyung.


Ah, aquele garoto. Em algum momento deve ter sido o sonho de consumo de qualquer um que estudava naquela escola. Sem exceções. As vezes eu me perguntava o quanto deveria ser bom ter simplesmente as mãos dele na minha cintura ou seus lábios junto aos meus. Esses pensamentos bobos de quando começamos a gostar de alguém e sentimos nosso mundo indo de um lado para o outro. E digo mais, meu estômago pode confirmar o quanto Taehyung já me fez passar por alguns transtornos, e olha que nem convivemos juntos! Além de algumas olhadas nos corredores, é claro.


Tipo quando eu estava chegando atrasado no prédio escolar — isso também é normal —, e tropecei no chão derrubando eu e tudo que carregava nas mãos. A turma dele estava no horário de Educação Física, e Taehyung estava falando com alguns garotos quando viu esse exato momento em que desejei enfiar minha cara no chão e morrer de vergonha lá mesmo.


Ele correu e me ajudou a levantar e juntar meus materiais, além de sorrir gentil e pedir que eu tomasse cuidado para não me machucar novamente.


Aqueles clichês que só vemos em histórias e filmes, mas que me caiu muito bem. E digamos que foi aí que eu conheci meu crush supremo.


Depois daí, ainda nos esbarramos enquanto ele ia para a sala ou quando precisei entregar alguns documentos para o professor que estava dando aula na turma dele, entre alguns outros acontecimentos que faziam as borboletas do meu estômago ficarem a mil. Aquelas coincidências da vida... ou quase isso.


Nem percebi quando deu o horário do intervalo, mas Jimin, pela porta da sala, me fez lembrar disso com um "Acorda, meu príncipe!", bem alto. Felizmente não havia ninguém na sala naquele momento.


— Escuta, descobri que garotos populares gostam de nerds. Fonte, eu — Jimin colocou uma das mãos no meu ombro enquanto caminhávamos juntos pelo corredor. Deu um breve aceno para duas garotas que chamaram seu nome, sorrindo pequeno antes de voltar sua atenção a mim.


— Você gosta de nerds? — perguntei quando fomos em direção ao refeitório.


— Isso não importa, mantenha o foco — Jimin pagou algum lanche simples para nós dois, e acabamos por ter que sentar em uma mesa no centro do refeitório. — Precisamos descobrir se ele é gay primeiro. Vai ser péssimo você chegar lá mostrando todo o seu amor e o cara simplesmente te dar um pé na bunda.


— Ele não parece ser rude assim, Minnie — bebi o suco de laranja, mordendo o hambúrguer em seguida.


— Mas também não parece ser daqueles garotos bonzinhos. É, nem faria jus aquela carinha também. Você já viu o olhar intenso dele? Até eu fiquei sem ar.


— Certo, Jimin. Agora você está passando dos limites.


— Foi uma brincadeira, Jungkook — o mais velho revirou os olhos enquanto bebia o refrigerante na lata. — Taehyung não faz meu tipo. Mesmo assim foi impossível não ficar de boca aberta por alguns segundos quando eu o vi. É isso que quis dizer.


— Ele faz o meu.


— Percebe-se.


— Ok, continua — mantive-me focado enquanto Jimin explicava mais algumas coisas sobre aquela parte. Como eu descobriria que o garoto é gay ou não? Isso é loucura! "Seria simples se você chegasse e perguntasse na cara", Jimin disse como se fosse moleza. Será que ele não percebeu que minhas pernas provavelmente iriam derreter se eu fizesse algo como aquilo?! Que absurdo!


— Não vou deixar você jogar verde pra ele te cortar na hora — Jimin retrucou. Não julgava a revolta de Jimin, tínhamos passado por aquela mesma história antes, só que ele é quem gostava do garoto, não eu. A questão é que tinha tudo para dar certo, e ele realmente estava acreditando naquilo. Só que acabamos esquecendo daquele pequeno detalhe sobre a orientação sexual, e lá se foi aquela paixonite que Jimin tinha alimentado pelo garoto. Mas ele superou como se estivesse trocando de caderno, sabe? Coisa que jamais aconteceria comigo. No mínimo, choraria pela manhã tarde e noite por semanas. Dramas à parte, mas eu realmente sairia bem machucado.


— Não vou perguntar isso a ele.


— Tudo bem então — Jimin terminou seu lanche e se levantou com pressa da mesa. Misericórdia, que garoto nervoso.


— Minnie, espera! — coloquei o último pedaço do hambúrguer na boca com pressa, correndo até ele e quase me engasgando com a belíssima atitude. Assim que ele parou de caminhar e me olhou, eu finalmente mastiguei direito e forcei todo o resto do suco de laranja garganta abaixo. — Você não tem nenhuma outra ideia? Vamos, Jiminie! Você é tão bom nisso...


Jimin pareceu pensar enquanto me observava recuperar o ar por ter me forçado correr atrás dele. Eu era um sedentário, então me esforçar daquele jeito era demais para mim. Felizmente meu corpo era bem agradável, e vez ou outra Jimin reclamava da injustiça de eu comer tanta besteira e não engordar, quando ele precisava de academia para manter aquele corpinho de luxo dele. Só não perdia as bochechas, claro. O que seria de Park Jimin sem as bochechas cheinhas e fofas? Um charme!


— Eu tenho sim. Mas se você vai gostar, aí eu não sei.


Abri um sorriso de orelha a orelha com a afirmação, abraçando o mais velho de forma desengonçada.


— Qualquer que seja a sua ideia, eu vou aceitar!


✁........................................


— Eu me recuso! — resmunguei e fiz um bico inconformado quando Jimin me mostrou aquelas roupas. Era só o que me faltava. — Deixa que eu mesmo pergunto pra ele sobre ser gay ou não.


— Certo.


— Não! — disse a contragosto quando Jimin pegou as roupas que joguei na cama e foi em direção do guarda roupa para guardar sem me dar a devida atenção. Gostaria de deixar claro que Jimin só cede aos meus dramas quando quer, e pelo visto, ele não queria. — Me devolve!


— Você vai usar ou não? Vamos, é melhor do que perguntar a ele. Afinal, você não vai fazer nada além de usar essa roupa.


— Mas... ela é apertada!


— Claro que é, suas coxas são maiores que a minha, dã — Jimin brincou, sentando na cama enquanto me oferecia a calça para que eu vestisse. — Te dou um minuto pra se trocar antes que eu te coloque pra fora da minha casa.


— Você sim é rude — balbuciei, retirando a minha própria calça e a camiseta que usava, tomando sem cuidado nenhum a calça que me era oferecida pelo mais velho. — Te odeio.


Jimin apenas revirou os olhos enquanto entregava a camiseta que admitira ser novinha em folha. Ele sorriu quando finalmente me viu usando aquilo, e não deixou de ironizar quando eu reclamei com um drama básico.


— Isso não está tão desconfortável assim, menos Jungkook — Jimin se levantou da cama e me levou até o espelho grande do seu quarto. — Percebe?? Ficou ótimo.


— Sinto meu pau sendo esmagado aqui, cara — dramatizei, verificando a calça pelo espelho. Era preta e de couro, e Jimin provavelmente não deveria ter nenhuma bela alternativa com aquilo. — Pronto, satisfeito?


— Eu que pergunto — ironizou, tratando de voltar a cama e se sentar ali. — Vamos ao meu plano.


— Já se tornou um plano?


— Na verdade, eu nomeei de Operação Namore o Garoto Popular, ou simplesmente, ONoGP. Para os íntimos, é Desencalhando o Jungkook — Jimin riu e foi impossível eu não fazer o mesmo, o riso soprado escapando sem eu nem planejar.


— Você é um idiota — revirei os olhos enquanto mordia o inferior da bochecha, tentando conter o riso que não queria cessar mais.


— É bem simples, Jeon. Você vai amanhã pra escola com essa roupa que eu dei a você, já que as suas são umas tralhas que misericórdia, sinto pena. Mas enfim...


— Você está aqui pra me ajudar ou me colocar pra baixo?


— O correto é: te mostrar o obstáculo e trazer uma solução. Estou fazendo isso começando por essa roupa. Você vai pra escola amanhã com ela, e eu como o belíssimo amigo que sou, vou dar um jeito de você se esbarrar com o Taehyung.


— Certo, e depois daí? — perguntei, entediado.


— Não parece óbvio? — Jimin me olhou apenas para revirar os olhos com minha cara confusa. — Vamos ver a reação dele com a sua calça.


— Você tá brincando?


— Não.


— Essa janela é alta?


— Estamos no segundo andar, Jungkook.


— Serve. Vou me jogar dela.


— Jungkook, você só precisa dar um "foi mal" e cair fora. Se ele for hétero, duvido que vá simplesmente se virar pra olhar sua bunda.


— E se ele fizer isso?


— Então, meu caro amigo, Taehyung já está na mão — Jimin sorriu convencido antes de me mandar retirar a roupa. — Leve para casa e vê se não chega atrasado na escola. Vou tentar passar na sua turma lá pelo intervalo, então não dorme.


— E quanto ao meu cabelo?


— Ainda não mexeremos nisso — o Park foi até a porta do quarto quando eu terminei de me vestir, e passamos a descer as escadas até estarmos fora da casa. — Por enquanto, você só quer descobrir a fruta que o Taehyung gosta. Depois disso, pensamos em todo o resto.


— Tudo bem — falei meio incerto, mordendo o lábio inferior com toda aquela solução maluca. — Espero que isso ao menos funcione.


— É claro que vai! Agora vá para casa e me mande mensagem quando chegar. Tome cuidado.


— Te vejo amanhã.


— Amanhã é o grande dia!


Revirei os olhos antes de rir soprado. Era bom que Taehyung gostasse da mesma fruta que eu!

9 de Mayo de 2021 a las 01:59 0 Reporte Insertar Seguir historia
0
Leer el siguiente capítulo Passo um: uma calça

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 16 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión