maxrocha Max Rocha

A predação é algo natural e compreensível... exceto para a presa.


Horror Literatura de monstruos Sólo para mayores de 18.

#maldição #caça #caçador
Cuento corto
11
2.1mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

TRESPASSADO

Cresceu sem oportunidade de escolha. Ainda bem jovem, em sua nona década de vida, dominou a arte da caça solitária. Mas não a caça desprezível, onde matar representava apenas prazer mórbido, mas a caça instintiva do predador nato, em comunhão com suas presas, impedindo a proliferação excessiva destas, ao mesmo tempo que garantia o futuro alimento. Sem saber, respeitava a lei natural... cruel, mas também necessária ao perfeito equilíbrio ecológico.


O problema então surgiu à medida de seu crescimento; talvez motivado pela revolução de hormônios desconhecidos, próprios da terceira ou quarta centena de anos, mudou sua forma de atuar: já não mais se contentava em satisfazer apenas a fome, passando a torturar suas presas de forma abominável... infringindo terror e agonia indescritíveis aos sentidos humanos. Matando indiscriminadamente. Não conseguia entender aquela diabólica compulsão, mas lhe era impossível dominá-la.


Tal comportamento passou a ser visto com grande polêmica entre seus pares: enquanto os mais conservadores veementemente o condenavam, as alas mais jovens e rebeldes procuravam imitá-lo, gerando grande pânico na comunidade. Sua perversidade se fez sentir. A fuga em massa motivada pelo medo perturbou irreversivelmente o outrora equilibrado ecossistema.


Mas sua casta advinha de milenares regras de comportamento... não obstante as desesperadas súplicas de seus ascendentes, ele próprio e seus seguidores acabaram condenados à mais definitiva das mortes, sem qualquer possibilidade de retorno, uma vez que foram decapitados e trespassados em pleno coração por estacas de madeira de pinho, sendo então sepultados em caixões de chumbo, a muitos metros de profundidade.


A aparente harmonia voltou aos poucos ao vilarejo. O pavor até certo ponto controlado e tolerado pelos camponeses supersticiosos, onde apenas esporadicamente alguém não retornava de sua imprudente incursão noturna, retornou ao antiquíssimo desenrolar. Água benta, sementes de mostarda nos telhados, réstias de alho nas janelas, crucifixos...


Os moradores porém, jamais se acostumariam às tão simétricas mordeduras ostentadas pelas pobres vítimas: que espécie de predador ali atuava? Muitos juravam, sobressaltados, ouvir ruídos noturnos, semelhantes a um ruflar de asas. Em vão procuravam reflexos nos espelhos, estrategicamente colocados no exterior das portas; o sono intranquilo ladeava a vida bucólica, regada a resignação e fé. Como sempre havia sido. Como sempre haveria de ser...

5 de Mayo de 2021 a las 03:08 4 Reporte Insertar Seguir historia
14
Fin

Conoce al autor

Max Rocha Um Fantasma literário ou alguém que apenas gosta de escrever... me interesso por ficção histórica e científica, suspense, misticismo e mistério com um toque de humor. Às vezes enveredo pelo tom crítico e motivacional do cotidiano. Escrevo ouvindo música instrumental relacionada com o tema no Spotify, ao lado da Duda, minha cadela australiana de 5 anos. The Phantom (O Fantasma) foi criado por Lee Falk, em 1936.

Comenta algo

Publica!
Le McGarden Le McGarden
Falou pouco, mas falou bonito. Maravilhoso é pouco pra elogiar essa historia S2
anemonagguk :p anemonagguk :p
Eu devorei todas as palavras com gosto. Sua escrita é sensacional por conseguir transmitir em tão poucas linhas este cenário
May 20, 2021, 00:06

  • Max Rocha Max Rocha
    Obrigado por ler Ana Maria. Comentário sucinto e rico em conteúdo. Para quem se aventura como amador na escrita, tuas palavras são muito estimulantes. Abraços. May 20, 2021, 02:01
~