lireas tiago líreas

Vejo-te aqui e ali, na cama e na cadeira, no sonho e na madeira, sem os olhos te tocarem. Imagino-te e desenho-te com carinho com os meus lápis e pincéis de produção de beleza fictícia. Determino mentalmente como cada sentido age ao entrar em contato com a tua saborosa mas angustiante falsidade; qual o sabor da tua voz, dos teus olhares, da tua vida em encontro com a minha. És perfeito e para além disso, mas também és inútil e para além disso. Não existes e nunca existirás. Deixa-me em paz.

  August 30, 2019, 23:13
AA Compartir

Comenta algo

0 Comentarios
Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!

Más microrrelatos