papironauta Rodrigo Borges

Queria escrever, mas nada mais passava em sua cabeça além de paixão. Sentia-se vivo, mais vivo que tudo, mais verde que a jovem muda, mais cheiroso que as flores do jardim por ter estado tanto tempo com seu corpo. Sentia-se mais sedento pelo amor do que abelhas por pólen. Ele resistiu, não queria pensar muito enquanto longe dela, isso seria autodestruição; ademais, sentia tanto medo em dar corda para esse sentimento, que parecia jardineiro orgulhoso temendo a chegada duma peste.

  November 28, 2019, 03:43
AA Compartir

Comenta algo

0 Comentarios
Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!

Más microrrelatos