AA Compartir

Ansiedade

Sabe quem eu sou? Meu nome é Ansiedade. Eu sou o medo de não dar certo. De não saber responder. De cair e tropeçar na frente de todo mundo. Sua pior fantasia de coisas que podem acontecer, junto quando tudo precisava ser perfeito. Eu te torturo com perguntas internas: "Será que você estudou direito?!", "Conferiu a mala?", "Fechou tudo?", "Tem certeza?".

Eu posso ser absolutamente saudável! Eu sou o sinal de alerta, de que é preciso estar atento e pronto para o que está por vir. Quando tudo acaba e dá certo, eu viro uma sensação leve de dever cumprido. Uma espécie de: "Caramba! Eu consegui!". A grande questão é quando eu nunca diminuo. Continuo sempre no mesmo ritmo de cobranças, de preocupações. Uma tensão constante e crescente que vai minando a energia e a saúde da pessoa.

Férias! Sombra e água fresca! Era pra você estar feliz e descansado (a)? Era! Mas aí você olha pro mar, toma uma água de coco e pensa: "Se alguém morrer será que me contam? Ou me escondem até eu voltar? E o dinheiro? Será que vai dar até o final da viagem? E o meu trabalho? Será que está mesmo garantido?!". As preocupações são como as ondas do mar. Mais fortes, mais fracas, mas não param! Sempre brotam e atormentam a alma.

Os conhecidos dizem que você procura as preocupações. Não é verdade! Você não consegue fazer diferente! A ansiedade é como um elefante, que vem passando, te dá uma encarada, gosta de você, senta no seu colo, bem em cima de você. Até pra respirar é difícil. Às vezes, você vê uma pessoa na rua, tímida, que mal abre a boca e pensa: "Nossa, como ele é calmo, não é?!", talvez não seja. Não fala, mas pensa, pensa o tempo inteiro. E como pensa! Se preocupa o tempo todo! Controlado por fora, mas irritadíssimo por dentro. A mente que não para, também não dorme. A insônia é muito comum. Boca seca, suores excessivos, mãos geladas, tontura. As dores são muitas: nas costas, na barriga, em lugares diversos... Comem muito, ou não comem nada. Dormem muito ou, ao contrário, não dormem nada. Bebem demais, fumam demais. Os excessos frequentes costumam ser um sinal de alerta. Um sinal de que é preciso estar atento ao perigo. No medo de não fazer direito, acabam nem fazendo. Vão protelando, empurrando com a barriga. Os outros acham que é preguiça, que é má vontade. Mas não é, é angústia! A ansiedade corrói, destrói a alma. Se a ansiedade estiver atrapalhando no trabalho, ou nos relacionamentos, na escola, procure ajuda! Busque um psicólogo. Fazer terapia é um ato de coragem. Só para fortes. Tire este elefante de dentro da Alma.

9 de Junio de 2019 a las 20:10 0 Reporte Insertar 0
~