Traição Trocada Seguir blog

roberto-ornelas1608100811 Roberto Ornelas Traição Trocada Traição Trocada conta a história vivida pela empresária Magnólia, proprietária da Boutique Mag Fashion Woman no Shopping da cidade, tem um casal de filhos Maria Clara e Matheus, Magnólia tem a sua vida transformada literalmente, desde que descobre a traição do marido. Cristiano, coincidentemente a sua amante se chama Magnólia, mas as coincidências e surpresas não terminariam por ai, Magnólia pede a separação. Cristiano entra de férias, viaja só para o litoral por uma semana, queria dá um tempo ao casamento... Por obra do destino, Magnólia se envolve com Cristian, um homem bem jovem, lindo e misterioso, que fazia compras na sua boutique, despertando seus desejos sexuais mais obscuros, incomuns, adormecidos... Cristiano por sua vez se envolve com uma mulher casada e esquisita na pousada, Magali, sentindo que corre perigo, ele abortar a viagem, no retorno resolve revê a esposa, porém ele vê Magnólia saindo do shopping no carro de um desconhecido... Magnólia tem uma tarde maravilhosa de muito sexo e orgia com Cristian como nunca tinha tido, pensou que era a hora certa de se separar e viver esta paixão louca, gostosa. No entanto no outro dia ela quase tem um ataque do coração ao ver em sua casa Cristian,. Ele alisava as pernas de sua filha Maria Clara, que o apresenta como um amigo da faculdade, mas Magnólia desconfia que ele era mais que isso, e agora? O mundo parecia desabar em sua cabeça e com ele os seus planos e desejos. Depois de uma tarde de sexo com Cristian no Motel Traição Trocada, estava agora envolvida neste labirinto de sentimentos. Disputaria com a filha ou renunciaria a sua paixão? Como iria conviver com este segredo insano? Se Cristiano descobrisse? Como olhar para sua filha ao lado de Cristian? Muito Suspense, drama, vingança, mortes, reviravoltas, brigas, revelações com uma pitada de humor e muito sexo....Cristian se revelaria um homem frio, calculista, mentiroso, mas sobre tudo muito sedutor, ele tem um segredo bem guardado e um plano diabólico. Magnólia fraqueja não resistindo aos encantos de Cristian, ela não esqueceu aquela tarde de prazer e queria mais. Um segredo terrível estava preste a ser revelado e que abalaria a todos, Traição Trocada tem um final caótico e surpreendente. Obs: Esta é uma obra fictícia, fruto da imaginação do seu autor (Roberto Ornelas), qualquer semelhanças com nomes, pessoas ou lugares será mera coincidência. Roberto Ornelas
Historia No Verificada

#romance #suspense #crime #amor #morte #erotismo #traição #casal #paixão #namoro #motel #orgia
AA Compartir

Cristiano, Clara e Cristian

Cristiano, Clara e Cristian

Cristiano pega um papel no bolso, ouve uma voz masculina do outro lado. Magnólia estava traindo ele, ontem ela chegou tarde e cheirando a álcool, ficou nervoso, quase joga o celular no chão, olhou para os lados procurando talvez apoio para suas suspeitas, foi beber em um bar, afogar as mágoas.

— Alô, alô – Cristian fala – por isso não gosto de atender número sem identificação, desligaram.

— Cristian pensou ser Magnólia retada, sorriu para si. -


— Desligue o celular – Clara alisava suas coxas por baixo da bermuda.quadriculada, tocando em suas partes.

— Não Clara, pode chegar alguém – Cristian falava pensando em Magnólia voltasse de repente.

— Ninguém vai aparecer Cristian, o Matheus está na faculdade, meu pai quando sai só volta pela tarde e minha mãe está na loja, quem pode aparecer é esse aqui. Clara abri a bermuda de Cristian, tirando seu membro.

— Não Clara, agora não, eu estou sem vontade, precisamos estudar – Ele tenta se compor, mais clara segura apertando com força. Ela queria agora.

— Vai ficar com vontade daqui a pouco, eu garanto. – Clara se ajoelha, Cristian fica olhando a filha de Magnólia trabalhar, ele vai se excitando, seu membro fica enorme. Clara olha para ele.

– Viu que falei, já está no ponto e grandona — Fala orgulhosa de sua proeza, continuado a sugar...

Cristian pensava na mãe de Clara, que loucura gostosa era aquela, ele coloca Clara na mesa de estudo, já tinha transado com ela muitas vezes, mais pela primeira vez enfiou na sua bunda morena.

Pensando era parecida com a bunda da mãe, e foi até mais fácil conseguir, enterrou toda com vontade.

— Tome – ele dizia, segurando em seus quadris – Eu vou agora, aiiiiiiiiiiii! Aiiiiiiiii! Quero de lascar. -Uiiiiii!


Está gostoso demais Cristian, espere aíii, oiiiiiiiiii gozou? Goze amor. - Ela dizia se retorcendo para olhar Cristian atrás dela.


— Agora vai, oi! Oi! Ah! Duas vezes Clara, que gostoso, ai! — Ele goza pensando em Magnólia também, uma para cada, ela também gosta de dar a bunda, safada.

Mais tarde foram tomar banho, ele comeu o rabinho dela de novo.

15 de Enero de 2021 a las 22:22 0 Reporte Insertar 0
~

Magnólia, Clara e Cristian


— Pai já chegou, está no quarto — Clara fala ligando a TV, tirando Magnólia dos pensamentos pecaminosos.

— Oi! Filha cadê o Matheus? — Magnólia fala se jogando no sofá, estava cansada realmente.


— Oi! Mãe, Matheus está no quarto dele, estudando — Clara fala comendo um pedaço de queijo — Você demorou hoje — ela fala olhando para a mãe.


— Hoje foi complicado filha e este trânsito louco então – Magnólia diz para filha, pensando em Cristian e sorri ligeiramente.


— Pai já chegou, está no quarto — Clara fala lingando a TV, tirando Magnólia dos pensamentos pecaminosos.

— Cristiano já chegou? Bom, vou tomar um banho. Magnólia falou indo para o quarto, Cristiano estava no computador, agora teria que aturar Cristiano.


— Oi, chegou que horas? — Ela fala tirando a blusa e a calça.


Estava com uma calcinha minúscula linda de renda branca, correu para o banheiro, deixando a porta entre aberta, Cristiano chega próximo à porta.


— Cheguei pela manhã – Diz vendo a mulher se olhando no espelho, nua, estava toda raspada, a bunda morena apetitosa, ele entra no banheiro.


— Por favor Cristiano, saia daqui — Ela fala entrando no box, ligando o chuveiro.


— Fui na sua loja e Raquel me disse que você saiu — Ele fala preparando o terreno e sentido cheiro de álcool.


— Tive que sair, problemas — Ela diz, controlando as palavras, que porra, Cristiano voltou logo agora, pensando em ter Cristian outra vez.


— Você disse ter muito trabalho? Você bebeu Magnólia? Liguei hoje para você varia vezes.


— Fui resolver um assunto, não posso? —Ela fala colocando a cabeça pra fora do box. — Cristiano onde eu estava não podia parar para falar com você, era uma reunião de fornecedores, no final ofereceram um coquetel, tomei uns drinques com outras empresárias, agora deixe eu tomar meu banho, descansada — Ela explica batendo a porta do box com força. Tentando terminar a conversa.


Cristiano sai do banheiro, talvez não fosse o momento certo para falar que a viu passar no carro de um homem, aproveitou que Magnólia estava no banho e olha sua bolsa procurando alguma pista, viu um número de telefone num papel dobrado, anotou o número e foi deitar.


O telefone toca na sala. Magnólia não conseguia dormir, estava tensa, pensava na sua aventura pela tarde, como foi gostoso, assustada sai para atender, seria Cristian? Mais lembra que não deu o número de casa para ele. Clara atendia a ligação.


— Sim, claro amor, pode vir, essa hora está bom, não vai ter ninguém em casa, estaremos só nós dois, tchau, beijos — Maria Clara desliga rindo.


— Quem era Clara? Novo namorado? Magnólia pergunta rindo, entrando na cozinha para beber água.


— Quem sabe? A senhora é muito abelhuda — ela responde dando um beijo na mãe — Vou deitar, preciso descansar um pouco.


— Boa noite, filha, durma bem — Ela responde, olhando a filha subir a escada que daria para os três quartos, Clara tinha um corpo lindo.


Magnólia vai deitar pensando em Cristian, queria ligar para ele, trocar umas palavras, estava agitada e excitada só em pensar no prazer que sentiu, mas Cristiano estava ao lado dela dormindo, adormeceu como uma pedra, estava cansada da orgia pela tarde, sonhou com os anjos.


Pela manhã Cristiano saiu cedo sem te dizer nada, nem viu ele levantar, estava exausta ainda, tomou um banho frio para ir trabalhar. Maria Clara descia a escada com alguns livros na mão.


Iria estudar na sala nos fundos, estava com um short preto, curto e folgado que mostrava suas coxas grossas e blusa creme, não usava sutiã, era muito bonita, tinha a quem puxar.


— Bom dia, Clara, e o Matheus? Foi para faculdade? Não vejo este menino faz tempo. — Magnólia falou rindo e reparando a filha.


— Pai foi deixar Matheus na faculdade, disse que depois ia resolver umas coisas no trabalho, eu vou estudar lá no fundo com um “colega” para prova de amanhã


— Clara fala andando rápido e rebolando..


Magnólia termina o café, olha pela janela ver um carro branco bonito na porta, vai até à sala dos fundos se despedir da filha e conhecer esse “colega”, ela vê o rapaz de costas alisando as pernas de Clara, ela era de maior, sabia que gostava de namorar, normal na sua idade.


— Hum! Hum! Clara estou indo, filha – Ela fala com a filha e quase tem um ataque do coração.


— Mãe, este é Cristian meu colega da faculdade, ele veio me ensinar química — Clara fala sorrindo, puxava o short se arrumando.


Cristian se vira sorridente e ver Magnólia que quase cai dura de susto, nervosa não dava uma palavra.


— Muito prazer senhora — Cristian fala tentando ser natural, mais com um ar de cinismo.


— O prazer é meu, Magnólia – Ela consegue falar, olhando nos seus olhos, não aperta sua mão e depois olha para filha.


— Mãe, o carro branco lá fora é dele, dá para

sair? — Clara pergunta olhando uns livros e anotações.


— Suponho que sim, eu preciso ir, filha — Magnólia sai apressada, olha para Cristian, pasma, não acreditando no que via.


— Tchau! Minha mãe está estranha, desde alguns dias... — Clara comenta folheando um livro.


— Não deve ser nada, olha! O que estávamos procurando, Clara — Cristian mostra algumas fórmulas no livro, mudando de assunto.


Magnólia e Raquel

— Bom dia, Raquel – Magnólia diz.

— Bom dia, D. Magnólia, aquela cliente chata…– Raquel abria a porta

Magnólia entra na sala feito um foguete, Raquel observa a patroa, o que está acontecendo pensava.

— Por favor, Raquel agora não, estou com dor de cabeça – Magnólia fala fazendo sinal para ela sair.

Magnólia não sabia como consegui dirigir até o trabalho de tão nervosa, queria chorar, as pernas tremiam, será que ele namorava Maria Clara, mais que merda.

Meu Deus eu sabia isso era loucura, pensava, era muita coincidência, era bom demais para ser verdade, tentou trabalhar mais não se concentrava.


Pensando na tarde maravilhosa que teve e agora pela manhã cai um raio em sua cabeça, como iria resolver esta situação agora?



8 de Enero de 2021 a las 00:00 0 Reporte Insertar 0
~

Magnólia e Cristian

Em casa a noite, Magnólia pega o telefone na bolsa, toma coragem e liga:

— Alô — Fala uma voz jovem masculina.
— Boa noite, aqui é Magnólia da loja, você é o rapaz do restaurante…

— Olá! Que surpresa, sim sou eu. — Ele a corta educadamente, torcia por esta ligação.

— Queria pedir desculpas por minha atitude hoje no almoço — Magnólia diz.

— Pensei em aparecer na loja, me preocupei com sua saída do restaurante. Só desculpo com uma condição — Ele fala firme, jogando seu charme.

— Condição? Kkk — Magnólia fala sorrindo.

— Sim uma condição, você almoça comigo amanhã. — Ele diz determinado, jogando as cartas na mesa.

— Eu não sei, tenho muito trabalho na loja — ela fala, mas sentindo um frio na bariga, uma sensação estranha, porém gostosa.

— Conheço um restaurante que serve um peixe maravilhoso, você gosta de peixe? — Ele fala tentando convencê-la, não dando importância ao seu trabalho, ela estava sedendo.

— Claro que gosto, está certo, amanhã às 11:30 — Ela fala jovialmente tomando coragem.

— Espero você no estacionamento do “shopping”, amanhã, tchau! — Ele diz sorrindo, estava tudo dando certo.

— Até amanhã então — Magnólia desliga o celular, pensativa: — O que iria conversar com um rapaz tão jovem, e um estranho, não sabia nada sobre ele, bom seria apenas um almoço, mais não estaria dando confiança para ele? Era jovem mais era um homem, e que homem, pensou.

Pela manhã acordou disposta, foi tomar seu banho, se olhava no espelho depilando as coxas, aparou bem os cabelos, olhou no espelho mais não gostou, raspando tudo, passou a mão estava lisinha e molhada, resolveu parar, colocou uma das melhores roupas, se perfumou, tomou um café simples e como sempre os filhos já foram para a faculdade, saiu para o trabalho.

— Bom dia, D. Magnólia, a senhora está linda, maravilhosa — Raquel fala espantada, vendo Magnólia entrar na loja.

— Bom dia, obrigada Raque, e eu não sei — Ela fala rindo entrando na sua sala se rebolando. Já era quase, onze da manhã. Magnólia levanta e fala com Raquel.

— Estou indo, acredito que não vou demorar — Magnólia diz, não contaria os detalhes para Raquel, ela já estava sabendo demais, Raquel a olhava desconfiada.

— Pode sair tranquila — Raquel fala tentando adivinhar onde ela iria.

Eram 11:10, Magnólia caminhava para as escadas de acesso ao estacionamento, o celular toca, pensou no rapaz, mais ainda era cedo.

— Alô — ela para e atende sem olha o celular, fala um pouco ansiosa.

— Magnólia? Sou eu, tudo bem – Cristiano fala vendo Magnólia de longe perto das escadas que dá acesso ao estacionamento.

— Está tudo bem com você? — Ela responde rápido.

— Tudo bem, estava pensando em voltar — Ele mente, observando a reação da esposa.

— Por quê? Você não disse estar tudo bem, Cristiano? Eu preciso desligar tem alguns clientes na loja. Depois nos falamos. — Magnólia falava impaciente olhando para os lados.

— Tchau! Magnólia, conversamos depois — Cristiano desliga o celular, vendo a esposa sumir nas escadas do “shopping”, por que ela mentiu? Pensou.

Vai até à loja, andando rápido e entrar.

— Bom dia, Raquel, Magnólia está? — Cristiano fala testando a funcionária.

— Bom dia. Sr. Cristiano, não ela saiu para resolver um assunto — Raquel responde preocupada, olhando para Cristiano.

— Obrigado, Raquel – Cristino sai rápido da loja.

— Meu Deus! O que será que está acontecendo? Raquel pensava.

Olhado Cristiano andar rápido para as escadas do estacionamento. Dona Magnólia está muito estranha, deve está escondendo algo, e eu vou descobrir. — Raquel fala baixinho entrando.

Cristiano chega no estacionamento, fica olhando procurando o carro da esposa, encontra mais ela não está, fica reparando um casal conversando era Magnólia e um desconhecido, não consegui visualizar o homem, seu coração disparava, não podia andar de nervoso.

O carro todo preto passou a alguns metros dele, não dando para ver o seu interior, mas tinha certeza que era Magnólia, tentou ligar de novo mais ela não atendeu, Cristian repara um homem perto de um pilar, observando eles.

— O que foi, não vai atender o celular? — O rapaz pergunta para Magnólia.

— Telefonema sem identificação eu não atendo — Magnólia mente vendo o nome do marido no visor.

— Eu também não gosto de atender, ontem atendi o seu por um acaso — Ele diz mentindo, torcia pelo telefonema dela, que aconteceu.

— Belo carro o seu – Ela fala puxando assunto, estava nervosa.

— É de minha mãe, o meu o mecânico vai deixar em casa à noite — Ele diz parando no sinal vermelho.

— Estou aqui no carro de um estranho, você não me disse seu nome – Ela diz olhando para ele.

— É verdade, me desculpe, meu nome é Cristian, pode me chamar de Cris — falou olhando para ela com seus olhos lindos estendendo a mão, ela apertou rindo nervosa, o sinal abriu. Ele segue calado e Magnólia fica pensativa.

— Chegamos — Ele fala desligando o carro.

— Estou morrendo de fome — Ela brinca, ele se chama Cris parece brincadeira, mais uma coincidência, pensou.

Ele desce do carro abri sua porta gentilmente, ela desce e fica olhando tudo, tinha já passado por ali, viu o mar, algumas casas comerciais, tinha um motel em frente com um nome colorido do outro lado da rua, algumas outras casas comerciais, um posto de gasolina e alguns restaurantes.

— Vamos? — Ele diz, vendo ela olhando tudo.

— Sim vamos – Ela responde, olhando a entrada do restaurante.

Eram 12:07 da tarde. O restaurante estava com poucos clientes, que reparam a sua beleza e seu acompanhante novo, Cristian escolheu uma mesa no fundo, que dava para o mar, talvez fugindo dos olhares dos curiosos, ela aprovou.

— O que vamos comer? Peixe? — Ela fala um pouco atrapalhada, parecia uma adolescente no primeiro encontro.

— Boa Tarde — O garçom fala entregando o cardápio a Cristian e outro a Magnólia.

— Por favor me trata uma garrafa de vinho tinto suave bem gelado — Cristian pede sorrindo para ela. Eles bebem tranquilamente, conversando sobre várias coisas, da loja, de roupas, até de futebol conversaram, politica, ele era muito inteligente, riram muito, almoçaram.

— Eu preciso voltar para o trabalho, Cristian — Magnólia fala olhando o relógio. Era quase, duas da tarde.

— Precisamos ir mesmo? — Ele fala e segura sua mão — Vamos tomar mais uma taça de vinho.

— Fico alta cedo e você está dirigido esqueceu, Cristian? — Magnólia fala sem tirar a mão de Cristian da dela.

— Tenho uma ideia — ele fala bebendo o vinho — iremos quando o efeito do vinho passar, ficamos conversando.

— Vai demorar a tarde toda, beba água depois desta taça, e vamos — ela sugere.

— É isso mesmo Magnólia, eu quero passar a tarde toda com você – Cristian fala olhando fixo para ela, desconcertando-a.

Ela olha para ele séria e ver por trás do ombro de Cristian o letreiro luminoso “Motel Traição Trocada” do outro lado da rua.

— Não sei se posso, preciso ligar para a butique, falar com Raquel

— Ela fala baixo, sem tirar a mão de Cristian da sua.

— Claro que pode, Magnólia — Ele fala, fazendo sinal para o garçom trazer a conta, vira olhando o motel, como se fosse um sinal, ela entende.

Já no quarto do motel, eles bebiam e conversavam, começaram com as preliminares.

— Isso é loucura Cristian, você é um garoto, eu tenho dois filhos de sua idade – ela fala olhando ele nos olhos, mas ela sabia que era tarde demais.

— E o que tem isso? Você é linda e jovem ainda, veja? — Ele fala tirando sua blusa, mostrando o sutiã branco, ele coloca os peitos de Magnólia para fora e alisa, eles se arrepiam, ele beija um dos seus seios e depois o outro demoradamente deixando Magnólia super excitada.

— Pare Cristian, por favor – ela o afasta, vendo sua ereção. — Eu não posso, acredite, desculpe.

— Você não precisa fazer nada que não queira – ele levanta da cadeira, tira a cueca e fica em pé na sua frente.

— O que é isso? — Ela pensou, olhando o membro rígido de Cristian a sua frente.

Ela olha para Cristian, encosta a boca devagar, lentamente vai engolindo todo o membro de Cristian, queria aproveitar cada centímetro deliciosamente. Cristian olhava para Magnólia, sorria para ela, um sorriso lindo, mas cínico, — Para quem não queria ela estava indo muito bem, pensou.

Magnólia já estava desesperada engolindo um pedaço de Cristian, não queria parar, aumentando a sucção. Ele se deliciava com a cena, mas estava na hora de penetrá-la, consumar, ele a coloca na cama. Magnólia vai se abrindo gradualmente olhando aquele homem lindo, foi recebendo o mastro dele todo, se encaixando perfeitamente, penetrando fundo em seu corpo.

Ela gemia muito, perdeu o medo e vergonha, a compostura, ele a colocou de costa, deitou por cima da sua bunda quente e enfiou na sua anca, ela mexia feita louca, Cristian estava surpreso com a desempenho de Magnólia, a esposa de Cristiano.

— Aiiiii! Quero gozar, oiii! Quero mais, Aiiiiiiiii — Cristian dizia, colocava pressão em Magnólia.

— Goze Cris, vai Cristian, dentro, uiiiiiiiiiiiiiiii! aiiii! Tá Gostoso, como está quente. — Ela suava recebendo o jato quente de esperma e goza também.

Já estava anoitecendo, ficaram namorando, Cristian se animava, Magnólia incentivava fazendo todos os caricias nele, fizeram sexo de novo bem gostoso, Magnólia parecia está insaciável, pedia mais, ele não podia negar, ela se revela uma bela amante, Cristian ria para si.

Tomaram banho com tudo que tinha direito, depois Cristian a levou para pegar o carro no “shopping”.

— Queria te vê amanhã Magnólia, mais não posso, tenho que estudar, tenho provas — Cristian fala se despedindo dela, passando a mão em suas coxas grossas.

— Depois nos falamos, teremos tempo, quero mais, quero você Cristian — Ela beija ele alisando seu membro, saiu rápido do carro não queria deixar ninguém vê-la.

Cristian ficou olhando Magnólia pegar o carro e sair do estacionamento do “shopping”, ele se olha no espelho do carro, dá um sorriso enigmático, coloca o cd do Pink Floyd.

Aumenta o som, sai do “shopping” também, sorrindo cinicamente.

1 de Enero de 2021 a las 00:00 0 Reporte Insertar 0
~

Magnólia e Raquel

Magnólia estava fazendo a contabilidade da loja, quando pegou o canhoto de compra do rapaz moreno de dias atrás, viu o número do telefone e pensou em ligar pra ele perguntando se as roupas ficaram boas na sua mãe, mais pra quê, Magnólia?

-Magnólia, Magnólia, olha o que você vai fazer –Fala consigo mesma.Anota o número do telefone rápido, olhando para Raquel que vinha na direção de sua sala.

-Vai almoçar agora D. Magnólia? — Raquel entra perguntando, percebendo que Magnólia guardava um papel na bolsa.

-Vou sim, já estou com fome, depois eu termino isso, não bula em nada, ok? —Magnólia levanta e sai para almoçar.

Magnólia costumava almoçar sempre no mesmo lugar, resolveu mudar de restaurante, estava até vazio, estava comendo tranquila.

-Que coincidência, posso sentar aqui – Um rapaz fala já sentado.

-Sim– Magnólia fala sem olhar, pensando que fosse qualquer pessoa. Depois confere quem era, vendo o rapaz misterioso do outro dia.

-Eu passei na sua loja para agradecer pelas roupas, ficaram lindas, mais você não estava, falei com uma moça muito gentil, Raquel é isso, Raquel. – Ele fala, bebendo um gole do suco de melancia, olhando pra ela.

-Não recebi o recado, ela deve ter esquecido, mesmo assim obrigada – Magnólia fala nervosa.

-Você está nervosa, está acontecendo alguma coisa? – Ele pergunta.

-Não é nada não, eu preciso ir – Magnólia fala levantando-se, nem terminou o almoço.-

-Espere – Ele segura sua mão – parece que você está fugindo.

-Não é nada, Tchau – ela diz e pensou: estou fugindo é de você.

O rapaz ficou rindo olhando Magnólia sumir apressada.

-Raquel tem algum recado pra mim? —Magnólia entra na loja perguntando.

-Não, hoje não – Raquel responde distraída.

-E ontem? E por esses dias? - Magnólia fica perto de Raquel.

-Sim, agora lembro, aquele rapaz bonitão, esteve aqui procurando pela senhora, agradeceu e foi embora, disse que voltaria uma outra hora.

-Se ele aparecer, diga que não estou, ouviu? - Magnólia fala entrando em sua sala.

- Ok, quer me contar o que está havendo, é alguma coisa com a loja, o que aconteceu, sou sua amiga, Dona Magnólia – Raquel fala.

-Eu tenho que contar, falar com alguém – Magnólia olha pra Raquel – Desde o dia que este homem apareceu aqui que ele não sai de minha cabeça Raquel, estou ficando louca, sou casada, já estava esquecendo dele, mais o encontrei no restaurante agora...Contou tudo para Raquel, ela era amiga, meio maluquinha, mais discreta.

-Fala alguma coisa Raquel – Magnólia pede.

-Posso ser sincera? Eu não deixaria ele escapar– Raquel coloca Magnólia mais confusa.

-Eu sou uma mulher casada, você me deixou foi mais confusa, ele é novo de mais Raquel e não é só isso... — Ela fala.

-Talvez ele seja só um rapaz educado, querendo só ser gentil D. Magnólia, não que a senhora não desperte o desejo nos homens, a senhora é bem gostosa, viu? Ainda dá um bom caldo. – Raquel fala rindo, colocando a mão na boca.

-O que é isso Raquel, sai daqui, sua pestinha – Ela fala rindo também, gostava de Raquel.

Todos os direitos reservados

Roberto Ornelas

17 de Diciembre de 2020 a las 14:14 0 Reporte Insertar 0
~
Leer más Página de inicio 1 2