auraetheral aura etheral

Pandemia e quarentena mundial. O que resta para o professor e youtuber Namu fazer nessa crise? Continuar a postar vídeos em seu canal, ajudando pessoas a manter a calma e se ocuparem com atividades saudáveis. Uma dessas pessoas é seu melhor amigo Taehyung, com quem divide o apartamento e está confinado consigo tendo que aguentar a câmera ligada dia e noite. Hoje, Namjoon colocou na cabeça que queria sua participação na aula de Pilates e como o bom amigo devoto a admirá-lo se exercitando, não negou a oportunidade de assistir bem de perto e suar junto com ele na contração de músculos. { Vmon Week 2020 }


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only.

#bestfriends #vmon #taejoon #Vmonweek20 #stayhome #quarentena #oneshot #smut #taehyung #namjoon #bangtanboys #BangtanSoyeondan #bts
Short tale
1
4.1k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

with my best friend

— Meu preço é alto – ralhou Taehyung, esparramado na cama.

— Isso não vai te matar. Viverá mais e terá de me agradecer – Namjoon ficou batendo no colchão, sacolejando os dois.

— Ainda quero algo em troca – cerrou os olhos com força, fazendo pirraça.

— 'Tá bom, 'tá bom. Depois você me cobra. Troca logo de roupa, está quase na hora da live – o apressou, se levantando.

Taehyung bufou alto. Só queria ficar deitado como nos outros dias e dormir, assistir algo ou fazer nada. É quarentena, todas as coisas agitadas de sua vida pararam, por que não pode parar também e ter paz? Apesar de não saber quando essa falsa paz terá fim. Nem sabe se poderá voltar a trabalhar. Quando verá seus amigos? E seus pais? É desesperador, melhor analisando. Mas talvez não esteja sentindo tanto o impacto por ter Namjoon consigo.

Os dois se conhecem desde a adolescência. Foram para a mesma universidade e começaram a dividir o aluguel do apartamento no início de suas buscas por emprego, mas mesmo depois de estabilizados, optaram por não se separarem. Gostam da companhia um do outro, apesar de terem vidas bem diferentes.

— Não tenho o que vestir – Taehyung encarava seu guarda roupa repleto de peças que considera inapropriadas para atividades físicas.

— É só colocar algo confortável – a voz de Namjoon veio do além.

— Quer que eu apareça de pijamas numa live com centenas de pessoas? – não houve resposta.

Quase se jogou na cama em desistência, mas escutou passos se aproximando. Algo foi lançado em seu rosto, tampando-lhe a visão e o desnorteando.

— Veste isso e anda logo – e se afastou de novo.

São as roupas de exercícios que Namjoon usa no dia a dia. Tem cheiro de peônias, é muito bom. ? O que está fazendo? É algum tipo de pervertido? Céus, é seu melhor amigo, vivem juntos há anos, compartilham intimidades. É só a droga do perfume do amaciante que também usa. Qual o seu problema?

Mas o cheiro combina muito mais com ele...

— Taehyung! – Namjoon girou da sala.

Okay, está divagando. Essa quarentena não o está fazendo bem. Provavelmente a ninguém. Trocou de roupa rapidamente, sentindo que não devia estar fazendo isso. Está vestindo algo que faz parte do amigo, é como se estivesse invadindo sua pele e sendo abraçado pelo perfume e calor dele.

O moletom se encaixou bem e o short parece ser de seu tamanho. Já vestira outras roupas do amigo, mas estas eram bem largas como as dele. Essas são mais justas e moldadas ao corpo. Já tem a forma de Namjoon delineada nelas.

Não entende por que está incomodado por vestir as duas peças. São como qualquer outra, servem ao seu propósito de criação. Não só cobrem partes do corpo, como são apropriadas para atividades mais frenéticas. Proporcionam mais elasticidade e liberdade a quem usa. Namjoon já se alongou diversas vezes sem dificuldade. Suas longas pernas acobreadas se estendem com força e equilíbrio, brilham depois de algumas horas de exercícios intensos. O tecido se esfrega na pele suada e absorve a umidade grudando no tórax e nas coxas, formando desenhos perfeitos de esculturas artísticas.

Para, agora.

O que o está levando a pensar nisso? Por anos tem acompanhado o outro praticando. Nesse período, somente está vendo de perto três vezes por semana na sala do apartamento, já que não pode ir ao estúdio. Certamente que antes da pandemia Taehyung só acompanhava o dia a dia do amigo pelas redes sociais. Postagens no Instagram e as vezes parava para ver algum vídeo no canal. Era tudo muito corrido, o engenheiro civil tinha demandas absurdas, mas como boa parte das construções pararam, não tem o que fazer de grandioso no home office.

Foi para a sala. Namjoon está sentado em posição de lótus sobre um de seus tapetes, respirando devagar com os olhos fechados. Apenas um dos hábitos do amigo antes de fazer qualquer coisa. Reparou que está de moletom e shorts também, o último está encolhido devido a sua posição. Os músculos da coxas estão dando o ar da graça.

— Estava contando até cem para não ter que te puxar pela orelha – falou, abrindo os olhos.

— Quer agir como minha mãe agora? – Taehyung zombou.

Namjoon levantou e lançou lhe um olhar tão irritado que teve de engolir todas as piadas sobre ser seu pai ou "daddy". Ele foi até o notebook e se abaixou para abrir a página de seu canal. Taehyung se sentou no outro tapete, lembrando de quando o amigo começara a fazer vídeos. Já levava um estilo de vida alternativo desde a faculdade, então seu outro amigo Seokjin disse que devia compartilhar os conhecimentos para além das salas e do estúdio. Nisso, o professor de educação física Kim Namjoon criou o canal onde fala sobre ecologia, vida saudável e equilíbrio corporal.

— Não faça nenhuma gracinha, por favor – pediu, ainda de costas.

— Se está com medo de que eu faça algo, por que me chamou para participar? – Taehyung indagou, impaciente.

— Você fica o dia inteiro reclamando de tédio, se arrastando de um cômodo ao outro como se tivesse oitenta anos e problema na coluna. O máximo que faz é ajudar a regar as plantas e me dar apoio moral durante as gravações – se virou para ele. — Pensei que com o tempo se animaria, mas está se tornando um fungo.

— Obrigado, pela parte que me toca – revirou os olhos.

— Você come cogumelos – apontou Namjoon.

— Não quero ser o que como – retrucou Taehyung.

Ele não respondeu, voltou a mexer no notebook. O outro se deitou, desejando que a live não desse certo. Não quer suar na frente de centenas de pessoas que sequer devem fazer os exercícios e apenas admiram a beldade que seu melhor amigo é. Taehyung também faz questão de mover seu traseiro preguiçoso para a sofá só para assistir ao vivo o espetáculo.

Isso parece um pouco pervertido de minha parte...

— Okay, 'tá na hora – o professor youtuber se afastou da mesa. — Ei, levanta – deu uns tapas na coxa de Taehyung que levou um susto.

Se sentou de qualquer jeito e fitou a câmera no tripé, Namjoon fez o mesmo, só que sorrindo. Na tela do notebook, pode ver as covinhas fofas surgindo timidamente. Levantou a mão para as apertar, mas o amigo a segurou.

— Olá, árvores – cumprimentou os espectadores que provavelmente assistiram os últimos acontecimentos.

Taehyung sempre achou engraçada forma que o outro se referia a seus inscritos e não segurou o riso. Por mais bobo que pareça, o tom fofo de Namjoon ao pronunciar a palavra é simplesmente adorável.

— Como estão? Prontos para mais uma aula? – o melhor amigo já era acostumado a encarar a câmera e não se sentir um idiota, mas é impressionante como parece natural o fazendo. — Avisei nos stories que teria um convidado especial comigo e aqui está o senhor preguiça – indicou Taehyung ao seu lado. — Não tenho muito o que prolongar na apresentação, vocês já o conhecem pela voz e sendo o enfeite de fundo de alguns vídeo.

— Mas que falta de consideração – reclamou Taehyung.

— 'Tá bom, se apresente, bonitão – dei-lhe espaço.

— Olá, plantas. Sou o Taehyung – falou sem graça para a lente da câmera.

— É "árvores" – corrigiu-o Namjoon.

— Árvore também é planta – insistiu.

— Okay. Sem mais delongas, vamos começar a aula. Se é a sua primeira vez aqui como o Taehyung, não se preocupe. Vou pegar leve – sorriu gentil. – Primeiro, sentado ou deitado, comece a respiração de Pilates – mirou o melhor amigo todo largado, ele se ajeitou.

— Posso fazer deitado?

— Não, estamos gravando um vídeo. Você tem que aparecer – vociferou Namjoon.

— Que saco.

— Cala a boca – pigarreou. — Bom, para quem não sabe, a respiração é inspirar pelo nariz e expirar pela boca. Porém há outros detalhes. Enquanto respira deve contrair os músculos do abdômen, do períneo e dos glúteos. Inspire contraindo a barriga, a virilha e o bumbum. Vamos lá?

A voz de Namjoon estava tão calma e macia que Taehyung se distraiu e não fez o que foi pedido. Gosta muito de ouvi-lo falar, até mesmo em tom raivoso.

— Certo, façamos isso dez vezes – acrescentou.

Taehyung estava muito atento no peitoral alheio subindo e descendo. O pomo de Adão tremendo, os lábios carnudos formando um "o" e a covinha... Maldita seja.

— Ei – foi chamado. Levantou os olhos para os do outro. — Para de moleza e faz logo.

Acenou com a cabeça, desviando o olhar. Seu rosto começou a esquentar, então fechou os olhos e iniciou a respiração. É mais difícil do que parece. Seu corpo tremeu um pouco pela exigência que o fez passar depois de semanas parado e se enchendo de comida – saudável, graças ao melhor amigo.

— Okay, vamos nos exercitar – exclamou Namjoon se levantando, Taehyung o acompanhou.

Começaram com o básico de estender braços e pernas, entortar a cintura, curvar as costas. Taehyung ficou completamente perdido, não sabia se prestava atenção na explicação do amigo, na execução do exercício, se continuava a encarar o deslizar das roupas do outro mostrando partes de sua pele morena ou respirava, já que nem a inspiração básica, sem contração, estava conseguindo fazer tendo Namjoon o tocando e corrigindo sua postura a cada segundo. Não teve como definir o que o estava cansando mais; a atividade, seu sedentarismo ou o corpo quente de Namjoon lhe enviando mais calor.

Para o último exercício, o professor propôs elevação. Deita-se o corpo e flexiona as pernas, inspira elevando o quadril, lombar e coluna, deixando somente os ombros de apoio; expira voltando tudo na mesma velocidade e em ordem reversa a que elevou. Pareceu simples até ver repetidas vezes Namjoon subir e descer. A essa altura, sua pele brilhava e a roupa grudava, o moletom escorregou mostrando sua barriga lisa e fofa.

Bang!

Taehyung caiu de mal jeito no tapete, causando um som alto e estremecendo o chão de madeira. O amigo levou um susto e não tardou em ver como ele estava.

— Taehyung, você 'tá bem? – seu rosto surgiu no campo de visão limitado.

— Ai – foi o gemido que saiu de sua boca.

Está encharcado, com o corpo quente, os pulmões explodindo e a mente a mil com Namjoon por cima de si. Como ele pode ser tão lindo? Tentou mover o braço, mas seu ombro deu uma pontada. Soltou outro gemido. O melhor amigo foi na intenção de ajudá-lo, só que escorregou no próprio joelho molhado. Os dois caíram no chão e outro barulho irrompeu no local.

O professor evitou o pior, apoiando-se no cotovelo, porém seu pescoço estava muito perto do rosto de Taehyung. Sentiu o cheiro, o calor e o suor pingando em sua bochecha. Seu hálito bateu na pele alheia, ele se mexeu.

— A câmera – disse, falhado.

— Desliga – sussurrou.

As mãos de Taehyung automaticamente envolveram a cintura de Namjoon. Ele nada disse, se esticou e um clique foi ouvido. Voltou a fitar o amigo com um olhar perdido.

— Que foi? – não foi respondido.

Taehyung só o atacou nos lábios e o colou em si. Teve retribuição rápida e abertura para a língua ansiosa do outro entrar e o saborear. As mãos começaram a invadir o moletom e a dedilhar as costelas úmidas. Namjoon arfou entre o beijo e se separou.

— Não poderia ter escolhido uma hora melhor do que a da minha live? – o confrontou.

— E tem hora certa para isso? – rebateu.

— Na verdade, sim.

— Ah, cala a boca e me beija – ergueu o braço para pegar a nuca dele, mas seu ombro deu outra pontada. — Ai.

— Idiota – xingou-o Namjoon.

— A culpa é sua – Taehyung fechou os olhos, sentindo a dor latejar.

— Minha? Você que ficou babando ao invés de se concentrar no que fazia – exaltou-se.

— Você que me obrigou a fazer parte disso – retrucou.

— Obriguei nada. Ofereci – o amigo não se convenceu. — Olha, eu vou te pagar como você disse que queria antes. Posso fazer uma massagem – o outro bufou — na sua virilha.

Taehyung teve de abrir os olhos. O que ele tinha dito? Massagem onde? Nem foi permitido pensar muito. Namjoon levantou um pouco o moletom que o amigo usava e deu uma série de beijos em sua barriga. Taehyung riu surpreso com as cócegas que sentia e a leveza da língua alheia. Ela foi descendo para o cós dos shorts e, consequentemente, o da cueca.

— Você não ‘tá falando sério... – Taehyung não está entendendo as ações repentinas dele.

Namjoon continuou, desceu as mãos pelas laterais do corpo magro do melhor amigo. Puxou ambas as peças inferiores para fora do corpo, expondo a semi ereção entre as pernas.

— Ah!

— Shh... – pediu silêncio. Sabia que Taehyung tentaria impedi-lo.

Arrastou os dedos pelas coxas grossas, conseguindo arrepios e suspirares do outro. Então as ergueu para se encaixar e lamber toda a extensão do membro. Segurou as bolas, fazendo Taehyung gemer, abocanhou a cabeça ainda escondida e a sugou, a chamado para receber carinho.

— Porra, seu... – Namjoon foi xingado.

O punho sendo socado no chão, significa que sua massagem está surtindo efeito. Deve prosseguir.

Afundou a boca no pênis e lentamente a glande foi respondendo, saindo da casinha úmida e quente. Namjoon a circulou em recepção e recolheu o líquido escorrendo da fenda. Taehyung se contorcia e tentava contar os gritos, enquanto suas pernas balançavam afoitas.

Mais foi colocado na boca e expelido do falo. A cabeça sacudiu perto da garganta de Namjoon, sinalizando que está perto de explodir em branco. As súplicas alheias também contribuem para esse iminente evento. E não demorou.

Taehyung não conteve o grito. Namjoon sentiu e viu todos os músculos dele se contraindo de uma única vez até se desmanchar e amolecer por completo. Passou as mãos nos cabelos molhados de suor e saiu do meio, se deitando a seu lado.

— Isso foi aleatório pra caralho, Namjoon – Taehyung bradou, ofegante.

— Não mais do que você – rebateu.

— Quer mesmo comparar? – indagou incrédulo.

— Sim, moramos juntos há tempos e decidiu fazer isso justo em hora de live? Me poupe, Taehyung – fez um muxoxo.

— E por que eu que tinha que fazer isso primeiro? – virou o rosto para ele, indignado.

— Claramente porque é o mais desesperado entre nós – respondeu, indiferente.

— Você acabou de me pagar um boquete!

— Não, massageei sua virilha. Meu boquete é bem diferente – Namjoon arqueou a sobrancelha, insinuativo.

Taehyung não soube o que responder.

— Vai lá tomar um banho – o professor se levantou. — Vou preparar aquele macarrão vegano que você gosta.

— Espera, espera – o chamou. — Não consigo me levantar. Talvez nem consiga me ensaboar também – seu olhar é pidão.

— Argh... – Namjoon revirou os olhos. — Tudo bem, vou ter que te massagear mais, né? – ajudou-o a levantar.

— Quando se cansar, posso te massagear também – ofereceu Taehyung.

— Acho justo – sorriu.

— E nunca mais me faça participar de outra aula de Pilates – bufou, cansado.

— As aulas estão apenas começando, Taetae – falou Namjoon, o levando ao banheiro e arrancando-lhe uma gargalhada.

April 22, 2020, 11:10 p.m. 0 Report Embed Follow story
0
The End

Meet the author

aura etheral ╰╮ ⠀Ficwriter sim, surtada também ⌇ ele - elu - ela ⌇ Também estou no Wattpad, Spirit: @AuraEtheral

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~