Short tale
0
2.7k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Vivência inexistente

GATILHO: TENDÊNCIA SUICIDA, RELACIONAMENTO ABUSIVO ETC

Hoje é mais um dia em que eu penso em como me matar

Já pensei em ser atropelada

Em ingerir metano

Em pegar uma faca, tesoura

Em me enforcar

Mas nada disso acontece, pois eu não tenho coragem

Coragem de ver meus pais ainda mais instáveis

Coragem de acabar com a vida dos meus melhores amigos

Quando eu vi um carro sair do estacionamento, pensei em aproveitar a chance, ou melhor, pensei que poderia utilizar essa chance,

porém vi meu professor de inglês dentro do veiculo

Na hora eu entrei em choque comigo mesma, afinal, eu queria mesmo isso?

Queria morrer nas mãos dele?

Não, eu não queria e eu pensei em chorar naquela hora

Diante do choque imenso naquela situação

Diante de eu não estar mais batendo bem da cabeça

Principalmente por eu pensar em morrer nas mãos de qualquer um

Contudo não era bem assim, eu não queria aquela morte

Eu queria morrer nas mãos de um estranho

De alguém que não sentiria remorsos

De alguém que não se importa comigo

De alguém que me veria chorar e não se importaria

Isso sim seria meu ideal de morte, afinal, eu não deveria estar viva até hoje

Era para eu ter morrido no final do meu primeiro namoro

Do meu relacionamento abusivo de 364 dias

Eu saí destruída! Não tinha mais eu, tanto que até hoje eu não existo, mas sim uma nova eu com sequelas, com danos horríveis ao meu psicológico

Hoje eu sinto que uso algemas dentro de mim, que me puxam, que me prendem a uma dor sem fim

E a cada crise elas aumentam de grossura, de força para me prender

Mas eu gostaria que elas pudessem ser quebradas em um amor novo

Não, não ajuda, continuo morta por dentro até hoje

Continuo a chorar bastante por dentro, já que eu não consigo chorar com alguém me olhando

E bem, na última aula de inglês o tema foi bullying e suicídio no Japão, adivinha só, eu queria chorar muito quando ele tocou no assunto, porque eu sei como é querer a morte

Sei como é pensar todo dia em formas de me matar

Em formas de não precisar mais viver nessa vida hostil

Nessa vida em que meu ex abusivo vai voltar e vai estragar tudo

Porque ele sabe como me controlar

Sabe as palavras certas, os tons certos, os gestos certos

Tudo para me ver mal de novo, tudo para me usar de novo como uma boneca

Ai quando eu e meu namorado conversamos sobre sexo, eu fico mal por achar que se a gente não falar sobre isso depois de uma, duas, três semanas ou meses, o perderei

Tudo por conta do meu ex abusivo

Estamos no dia onze de agosto de dois mil e dezessete, eu ainda estou viva, mas não se sabe o amanhã

Talvez eu ainda esteja viva

Talvez eu morra de vez.

March 1, 2020, midnight 0 Report Embed Follow story
0
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

More stories

Poetry: Rhymes of Evil Poetry: Rhymes of Evil
Covid -19, We can overcome. Covid -19, We can ov...