Countdown to The Authors' Cup 2020. Sign up now for chance to win prizes!. Read more.
mari-tagarro Sandy Lane

Ana Paula Guimarães está desempregada, sem sonhos, sem perspectivas, sem nada. Ela só quer que tudo se acabe o mais rápido possível. - obs: caso tenha depressão, não é recomendável ler essa história.


Drama All public.

#morte #desesperança #tristeza #depressão #gatilho #drama
9
4.8k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

1. Realidade bate à porta

Havia duas listas de nomes de funcionários penduradas no enorme painel da entrada da fábrica e cada nome contido ali era uma economia de salário, encargos sociais, vale-transporte, vale-refeição, etc... Todos mandados embora por uma justa causa: a crise. A crise na fábrica, a crise no país do desemprego galopante, a crise no bolso do patrão. Não espera, essa última crise não existia, Pepa tinha certeza. Uma pessoa que ostentava viagens e carros caríssimos não podia estar passando por alguma dificuldade. Duvidava que o patrão soubesse o que era ter uma geladeira quase vazia, apenas com água e um litro de leite disponíveis. Não, esse tipo de gente não sabia.

Com a vantagem de um nome com a letra A, Pepa encontrou facilmente o seu. Ana Paula Guimarães, a mais nova desempregada do Brasil. Iria engrossar uma fila de milhões. Pepa balançou a cabeça, desanimada. Porque ela tivera que nascer num país miserável como aquele, onde as oportunidades eram escassas e quando se conseguia um emprego, ainda vinha gente com um discurso de que trabalhar até destruir a saúde física e mental era um privilegio? Normalmente quem falava isso nunca enfrentara um ônibus cheio às 4:30 hrs da madrugada.

Pepa saiu, mas de cabeça erguida, mesmo que estivesse se sentindo mal por dentro. Perder uma fonte de renda, ainda mais num país tão instável, era algo que tiraria o sono de qualquer um. Mas tinha que ser forte e tratar de procurar um novo emprego. Infelizmente não tinha mais os seus queridos pais e a única familiar mais próxima era sua irmã, Daiane, mas preferia que elas só se vissem ocasionalmente. Daiane não era má pessoa, só que ela gostava de palpitar demais na vida da irmã mais velha e Pepa não tinha mais paciência para isso.

Pepa entregou o crachá de acesso da fábrica e então cortou definitivamente os laços com aquele lugar. Entrou no ônibus, pensou que era um milagre ele estar vazio, mas fazia sentido, já que não era um horário de pico, recostou a cabeça no banco, fechou os olhos e respirou fundo, soltando o ar ruidosamente, enquanto segurava com força as alças de sua bolsa falsificada da Gucci.

Aug. 5, 2019, 5:01 p.m. 4 Report Embed Follow story
5
Read next chapter 2 . Então é isso, vida

Comment something

Post!
Eduardo Miranda Eduardo Miranda
Olá! Faço parte do Sistema de Verificação e venho lhe parabenizar pela Verificação da sua história. Antes de mais nada quero dizer que estou realmente surpreso com o que li até o momento, o roteiro em alguns momentos parece estagnar, porém no final vem aquele fato surpreendente que praticamente me obriga a ao menos espiar o próximo capítulo. O ponto fundamental da personagem principal, a eminente depressão em um momento que na verdade é a repetição de outras épocas de nosso país, este fato pode até tornar a história atemporal, pois no Brasil vivemos vários momentos altos e baixos e assim passa a ser um ponto chave que alavanca a história o tempo todo. Depressão é um assunto complicado com muito tabu, tornando-o um assunto delicado, que aliás até o momento você tem conduzido muito bem. Outro fator que me chama a atenção é a relação entre Pepa, Diane e seu cunhado, neste contexto há algumas vertentes interessantes a serem exploradas deixando a trama com um ar de suspense, e isso me cativa muito. Em alguns momentos observei a repetição da conjunção “,mas” é interessante que você diversifique com outras conjunções como , porém, entretanto, contudo etc. Se possível também procure enriquecer um pouco mais nos detalhes da aparência dos personagens, como cabelos, roupas, tatuagens, cicatrizes ou qualquer outra particularidade que marque cada um deles. A Vovó Nani é uma fofa..rs Detalhes de objetos que circundam os personagens podem também determinar exatamente a época que ocorre os fatos. No todo, estou adorando e vou torcer muito por uma reviravolta de Pepa, parabéns Sandy pelo belo trabalho realizado.
4 weeks ago
Cris Torrez Cris Torrez
interesante quiero saber como sigue
August 15, 2020, 02:37
Cris Torrez Cris Torrez
interesante quiero saber como sigue
August 15, 2020, 02:37
Nathaly L. Nathaly L.
muito bem
November 27, 2019, 18:46
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 4 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

More stories

Silver Silver