A escuridão que me cerca Follow story

th_taegguk Thayla Kim

Até que ponto a tristeza pode levar uma pessoa? Umas aprendem a conviver com aquilo, mas outras... desesperadamente tentam se livrar da dor.


Memoir & Life Stories For over 18 only.

#suicídio #depressão
Short tale
0
436 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Sinto o ar faltar em meus pulmões. Remexo-me entres os lençóis tentando acalmar minha respiração, porém não serve de nada. Sentando na cama, encosto minha cabeça na parede do lado enquanto lágrimas escorrem pelo meu rosto. Não consigo controlar o fluxo, elas tomam vida e saltam dos meus olhos sem permissão.


Esfrego minhas mãos com força sobre as bochechas tentando tirar a umidade delas. Abro os olhos vendo somente a escuridão, não definindo a diferença entre aquela escuridão de dentro do quarto e de dentro de mim, da minha alma. A solidão me preenche, sentindo-me familiar daquele sentimento.


As vozes na minha cabeça não se calam, a palavra "fraco" sempre ecoando em minha mente. Abaixo a cabeça agarrando firmemente meus fios, desejando mais que tudo que eles se calassem e me deixassem em paz. Entretanto, parecia que isso só fazia com que gritassem mais alto.


Fraco.


Inútil.


Decepcionante.


Gritam mais e mais alto.


— Para, por favor, para. — sussurros desesperados saem da minha boca e mais lágrimas escorrem.


A dor emocional aumenta, me fazendo gemer doloroso. Só quero que isso passe, não quero ouvir palavras que me machucam. Cenas da minha vida — as que sempre me atormentam, me magoando e fazendo a dor aumentar — passam diante dos meus olhos, relembrando o quão desprezível sou. Lembrando como decepciono e magoou as pessoas ao meu redor.


Substituível.


Desprezível.


Sujo.


Gritam eles na minha mente.


Afundo minha cabeça no travesseiro tentando abafar as vozes, contudo, nada surte efeito.


— C-cala a boca. — peço em soluços sufocantes.


Não precisamos de você.


Ninguém se importa com você.


Ninguém lembrará de você.


Repetem e repetem. Mais e mais alto.


Cansado, é essa palavra que me define.


Sem forças para lutar contra esse inferno dentro de mim.


Não aguentava mais essas vozes, essa dor, esse sufoco.


Estava sufocado. Não conseguia sair do buraco negro em que entrei e estava sem vontade e forças para tentar sair.


Estava sendo vencido.


Derrotado.


Jogando o travesseiro que não servia de nada ao chão, ligo o abajur iluminando parcialmente o quarto, encaro meus pulsos cicatrizados. Já não é o suficiente.


Tendo isso em mente, me levanto cambaleante.Entro no banheiro, me sentindo esgotado. Não queria mais resistir.


Queria me livrar de tudo isso.


Abro o pequeno armário pegando alguns remédios aleatórios de lá. Não vejo quais eram, jogo todos na minha mão. Enchendo um copo com água da torneira mesmo, engulo todos de uma vez. Só então, volto para minha cama.


Deitado e olhando para o teto, ainda escuto as vozes.


Perturbador, simplesmente perturbador a forma como aquilo me enlouquece.


Todavia, abro um mínimo sorriso. Aquele tormento iria passar e nunca mais sofreria.


Mais algumas lágrimas descem pela minha derme, enquanto sinto calafrios que me fazem tremer sem parar, minha respiração falha e as batidas do meu coração diminuem.


E então, fecho os olhos.


Não se ouvia mais vozes.


Finalmente estava livre da dor.

April 23, 2019, 11:33 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Related stories