Após O Expediente Follow story

estherliz96 Esther Liz

Izuku tinha o plano perfeito para fazer seu crush cair nos seus encantos


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only. © Todos Os Direitos Reservados

#yaoi #lemon #boyslove #bnha #shindeku #myheroacademy #midoriya-izuku #DekuShin #Hitoshi-Shinso
Short tale
3
4.9k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

OneShot

Mais um expediente acabando e Midoriya suspirava desanimado. O motivo? Simples, o atendente gostoso da sorveteria em que trabalhava não estava na sua cama.

Não que estivesse na seca, nada disso. Mas o boy simplesmente não saia de sua cabeça. Mesmo quando estava fodendo com outro, imaginava como seriam os gemidos dele, o quão vermelha sua pele ficaria ao levar um delicioso tapa.

Foi para casa desanimado, andava assim desde o dia que ele foi anunciado como novo funcionário. Já tentou todas as abordagens que podia, mas até agora não conseguiu nada. Iria reverter essa situação ou não se chamava Midoriya Izuku!

No dia seguinte, ficou decepcionado quando chegou no trabalho e não encontrou seu crush lá. Suspirou e foi guardar sua mochila, já que alguns clientes esperavam por atendimento, então não podia demorar.

Estava atendendo um cliente quando sua atenção foi atraída para a porta. Era ele. Hitoshi Shinsou havia chegado no trabalho.

Tinha os cabelos roxos, olheiras abaixo dos olhos - mas que o davam certo charme - vestia uma calça surrada preta, coturno marrom e uma regata branca. Um pecado vivo.

Não notou quando suspirou, só percebeu quando notou o sorrisinho no rosto do arroxeado. Ah, mas ele iria se vingar!

O dia passou tranquilo bom, o máximo possível já que Hitoshi estava mais ousado que o normal, então teve que esconder uma crescente ereção que se formava toda vez.

-Izuku, vou ter que sair então preciso que você feche a loja - o dono, Toshinori pediu já pegando suas coisas. Claro, porque não faço mais nada da vida, então posso ficar aqui - E Hitoshi, a máquina deu problema de novo, preciso que fique também e ajude o técnico que vai vir - Olha, agora eu vi vantagem

-Certo - Hitoshi murmurou e foi cuidar do caixa

Continuou os afazeres sem grandes problemas. Pensava em como seduzir o moreno que acabava consigo quando uma gritaria chamou sua atenção. Caminhou devagar até lá, notando dois clientes quase batendo em Hitoshi.

-Boa tarde senhores, posso saber o que está acontecendo? - Questionou, já sentindo seu sangue ferver por estarem ameaçando-o

-Esse maldito derrubou o milk shake em mim - cliente, que era ruivo dos olhos azuis gritou já levantando a mão para bater em Shinsou

-Por favor, se acalme - Pedi o segurando - Hitoshi, o que houve?

Ah, ele corou. Que fofo

-Foi um acidente. Senti um deles apertando minha bunda, quando vi a bebida já havia caído

-Ok senhores, vou refazer seu pedido e peço desculpas mais uma vez. - Anunciei, já sem paciência por simplesmente imaginar alguém tocando no que me pertence

-Vamos embora dessa merda - O ruivo murmurou e puxou seu amigo, desaparecendo em pouco tempo

Hitoshi voltou para o balcão, ainda meio corado com o acontecido, faltava uma hora para fecharmos. Eu precisava por meu plano em prática assim que ficarmos sozinhos.

Quando finalmente fechei as portas, vi Hitoshi ir ajudar o técnico, mas primeiro ele teria que resolver outra coisa.

Caminhou calmamente para o fundo da loja, afinal tudo estava indo como queria. Viu Shinsou explicar para o funcionário o problema e depois ir para o vestiário, não teve dúvidas e o seguiu.

Quando abriu a porta, viu o menor sem camisa - uma visão deliciosa - sentindo seu corpo esquentar. Mas precisava ir com calma.

Foi até ele e colou seus corpos, viu o corpo do menor se arrepiar e sorriu com aquilo. Esticou a mão e puxou sua mochila. Agradeceria por tê-la largado ali e não no seu lugar de sempre.

Quando se afastou, ouviu Hitoshi suspirar. Sorriu e decidiu brincar um pouco.

-Algum problema Hitoshi? - Tirou sua blusa devagar, sentindo o olhar do menor em si

-Hm, nada - murmurou e continuou a se trocar

-Que bom, tem planos para de noite? - Seu sorriso denunciava todos os pensamentos inapropriados que estava tendo, mas o arroxeado não conseguia ver e assim como uma mosca é presa na teia de aranha, ele estava sendo preso e não notava.

-Até que não. Acho que vou ler - Respondeu e fechou o armário, suspirando cansado

-Quer ir lá em casa? Isso é, se seu namorado não se importar - Sim, sabia a orientação sexual do menor, mas precisava saber se ele ainda estava com o embuste

-Me passa seu endereço, não se preocupe com ele. Nós terminamos - Hitoshi comentou simplista. Pegou seu celular e estendeu para o maior. Ficando totalmente preso no olhar hipnotizante de Izuku

-Algum problema Hitoshi? - Deu seu melhor sorriso malicioso e caminhou devagar até o arroxeado, sentia-se um predador encurralando sua presa e gostava desta sensação.

Segurou o rosto do menor, vendo-o corar e aproximou seu rosto até seu ouvido e sussurrou

-Se continuar me olhando assim, vou presumir que me deseja Hi-to-shi

Beijou seu pescoço no fim da frase. Se deliciou com o perfume que o menor exalava e aquele suspirar… ah, aquele homem ia levá-lo a loucura.

-E quem disse que não quero? - Conseguiu dizer quando o breve torpor abandonou seu corpo. Sempre se sentiu desejado pelo maior e não seria hoje que iria se controlar.

Ah, aquela frase foi a carta branca que precisava. Mordeu o pescoço do arroxeado ao mesmo tempo que suas mãos apertaram possessivamente a cintura do menor.

Beijava, lambia e chupava toda a área, arrancando suspiros sôfregos do menor enquanto suas mãos massageavam cada pedaço de pele que encontrava.

A sanidade já não se fazia presente, não se importava mais onde estavam ou se alguém iria encontrá-los. Ele o desejava e era desejado. Nada mais importava.

Levantou seu rosto e olhou o menor, a boca entreaberta puxando o ar com dificuldade, o rosto corado, os olhos semicerrados… Era a imagem da luxúria e estava amando, queria mais reações, simplesmente queria mais.

Tomado pelo desejo, aproximou seus rostos e o beijou. Um arrepio percorreu seu corpo, como duas peças que finalmente se encaixam.

Lambeu seu lábio, pedindo para que os abrisse e não encontrou resistência. Sua língua dançava com a dele, explorava aquela deliciosa cavidade enquanto sua mão subiu para seu mamilo, apertando, massageando e arrancando suspiros que o levava cada vez mais a loucura.

-Se continuar assim, não vou conseguir me controlar - Comentou assim que separou suas bocas, contemplando a face corada do arroxeado.

-E quem disse que é para se controlar? - Hitoshi respondeu, tomado por uma coragem quase inexistente, empurrou o maior até o banco que havia ali e sentou-se no seu colo, dando pequenas reboladas em cima do membro do esverdeado que já dava sinais de vida.

Seu corpo esquentou com a ousadia do menor, queria muito mais. Sua mão direita prendeu-se nos fios roxos e os puxou, deixando o pescoço do menor a sua mercê, enquanto a esquerda desceu até sua bunda e começou a acariciar o local.

Atacou novamente aquela pele branca que tanto chamava sua atenção e quando ouviu o primeiro suspiro, fez o que sentia vontade há muito tempo: deu um tapa na sua bunda. O que era um suspiro, transformou-se num gemido manhoso e totalmente necessitado.

Soltou seu cabelo e retirou a blusa do arroxeado. Não esperou nem um segundo, atacou os mamilos, sentindo as mãos do menor ir para o seu cabelo e pressionar seu rosto naquela região, sorriu com esse ato. Ele estava totalmente entregue.

Como uma tentativa de conter os gemidos, Hitoshi mordeu o ombro do esverdeado. Mas sentiu um tapa mais forte ser desferido contra sua bunda e a voz de Izuku próxima ao seu ouvido:

-Não se contenha. Quero ouvir tudo.

Não teve tempo de responder, pois assim que terminou de falar, sentiu uma das mãos do maior descer para o seu membro e começar uma lenta - e torturante - carícia.

-Eu quero… Ahh - Hitoshi não conseguiu terminar a frase, pois o esverdeado apertou seu membro. Uma pressão deliciosamente excitante

-O que você quer? - Izuku murmurou contra a pele do menor, estava adorando tortura-lo.

-Você - Respondeu e apertou o membro do maior, sentindo o mesmo se arrepiar e um gemido rouco escapar de seus lábios.

Empurrou o menor, vendo o olhar confuso, não conseguiu deixar de sorrir, abaixou sua calça e cueca juntos e o olhou novamente

-Vem, tô louco pra sentir essa boquinha

Não perdeu tempo, sentiu sua boca salivar ao ver aquele membro ali, todinho pra si. Abaixou e começou a lamber as bolas, sugando e acariciando com a língua. Subiu devagar, lambendo como se fosse o melhor doce que experimentou na vida. Rodeou a glande com a língua e sem esperar mais, engoliu o máximo que podia, sentiu a mão do esverdeado no seu cabelo, mas não se importou. Estava se deliciando com o gosto e os roucos gemidos que ouvia. Sentiu-se bem em dar prazer ao maior.

Instintivamente, desceu suas mãos até sua calça, a abriu e colocou seu membro para fora. Começando a se masturbar enquanto chupava com vigor o esverdeado. Assustou-se quando sentiu o maior puxar seu cabelo e tirar sua boca de seu membro num estalo totalmente erótico.

-Eu deixei você se aliviar? Não se toque - Izuku ordenou, vendo pequenas lágrimas escorrerem dos olhos de Hitoshi, estes que estavam tomados de prazer. - Se apoie no banco

Observou o menor o obedecer sem nem questionar e empinar a bunda para si, sentiu seu membro latejar com a visão. Aproximou- se e sem avisar enterrou seu rosto ali, lambendo aquela entrada que pulsava para si.

Forçou sua língua a entrar e estocava, sentindo o arroxeado se contorcer e rebolar contra seu rosto. Decidiu acelerar as coisas, já estavam demorando demais. Colocou um dedo junto com sua língua e se concentrou em alargar o menor. Quando sentiu ser o suficiente, se levantou.

Ouviu o muxoxo do menor e sorriu, segurou seu membro e se posicionou, entrando devagar, seu membro sendo engolido por aquela cavidade apertada.

Esperou o tempo de Shinsou, não queria machuca-lo, começou uma masturbação no menor enquanto beijava suas costas, tudo para fazer a dor sumir.

Começou a estocar quando sentiu o arroxeado rebolar, segurou seu quadril e lentamente começou a ganhar espaço. Mas estava difícil manter o autocontrole quando tudo no menor o levava a loucura.

-M-mais rápido - O menor pediu no exato momento em que sua próstata foi acertada, não conseguindo conter um gemido mais alto de sair pelos seus lábios - IZUKU

-Isso, geme meu nome - ordenou e puxou seu cabelo, colando seus corpos

Assim como foi pedido, acelerou. Fodia com vontade o menor, se concentrando em maltratar bem seu ponto de prazer. Sentiu o menor apoiar sua cabeça em seu pescoço e sem pensar duas vezes, mordeu seu ombro. Marcando-o, para que soubessem a quem o arroxeado pertencia.

Ah, lembrou-se dos dois idiotas e não conseguiu conter a raiva, o ciúmes. Arremeteu-se com mais força, sentindo o corpo do menor estremecer anunciando que estava chegando ao orgasmo.

Soltou o corpo do menor, vendo-o se apoiar no banco novamente e empinar a bunda para si, sorriu e desferiu um tapa naquela pele branquinha, seguido de outro.

-Izuku! Eu v-vou - Hitoshi tentou avisar, mas não conseguia formular uma frase, somente gemer e rebolar contra aquele membro que estava levando-o a loucura.

Com uma mão, puxou o cabelo do arroxeado e a outra desferiu outro tapa na bunda -agora avermelhada - de Shinsou.

-Isso, goza pra mim Shin - ordenou, fodendo com mais vontade o menor.

Não foi preciso falar mais nada, sem nem tocar o seu membro, simplesmente entregou-se ao orgasmo, sentindo seu corpo tremer e suas pernas perder a força.

Izuku segurou o quadril do menor, evitando assim que caísse e estocou mais duas vezes, gozando dentro do menor que estrangulava seu membro. Segurou o menor no colo e sentou no banco, entregando-se ao torpor pós orgasmo enquanto acariciava os fios sedosos do menor.

-Precisamos nos limpar, o técnico ainda está aqui - Hitoshi murmurou, mas sem fazer menção de se levantar.

-Verdade. Quer ajuda Shin? - Izuku abriu os olhos e afastou o menor de seu peito, notando o rubor que tomou conta de sua face por conta do apelido

-Shin? Não quero, consigo andar ainda - Hitoshi murmurou a última parte, mas foi ouvida pelo maior que sorriu maliciosamente

-Oh, posso resolver isso em casa - Respondeu beijando os lábios do arroxeado

-Vou adorar Izu - Hitoshi sorriu e se entregou ao momento, só queria aproveitar aquele homem que o tinha na palma da mão. - Por falar nisso, não me deu seu endereço.

-Não se preocupe, nós vamos direto pra lá Shin - Izuku sorriu e acariciou a face do menor, se perdendo naqueles olhos violetas

Aug. 28, 2018, 9:36 a.m. 0 Report Embed 1
The End

Meet the author

Esther Liz "Os livros acolhem a alma e enriquecem a mente..." Oii! Bem vindos ao meu perfil! Espero que aproveitem! ∆Amo Yaoi ∆Multishipper ∆Bissexual ∆Sofrer com filme pra que? Vamos ler fic que os Mozão morre .. sqn Tenho perfil em outras plataformas, Dá uma olhadinha lá https://getinkspired.com/pt/u/estherliz96/ https://www.wattpad.com/user/EsterLiz Dêem asas a imaginação, quanto mais, melhor! "Um livro, uma caneta, uma criança e um professor podem mudar o mundo" - Malala Yousafzai Xoxo

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~