phoenix Phoe nix

Naruto Uzumaki Namikaze, alto, loiro, olhos azuis e ... FEIO. Muito feio. Veste-se como se fosse um avô, mas é muito mais que isso. Inteligente com um excelente currículo está em busca de uma recolocação no mercado de trabalho. Hinata Hyuuga, linda, inteligente, noiva e... DEVASSA. Muito devassa. Sai com quem deseja, sem se importar com seu noivo, Neji Hyuuga. A sua maior preocupação, é atingir a sua meta impossível em UM ANO para que assim possa ser a presidente definitiva da empresa Hyuuga Design. O caminho dos dois se cruzarão, quando Hinata depender unica e exclusivamente de Naruto para que seu plano dê certo, entretanto, como não esperado o amor se meterá no meio dos dois, sorrateiramente, sem licença, sem pressa. Pois ninguém sabe onde está o amor, é sempre uma surpresa.


Fanfiction All public.

#naruhina
13
7.1k VIEWS
In progress
reading time
AA Share

Eu sou Naruto Uzumaki Namikaze, o feio


Era um dia como outro qualquer. Mas não para o rapaz de madeixas loiras e olhos azul intenso. Aquele era um dia crucial para ele. Seria sua entrevista na empresa de alta costura para homens, a Hyuuga Design. Estava muito ansioso, não era para qualquer um ser o secretário da presidente da empresa. Mal acordou e já havia uma mensagem de sua amiga no seu celular, mas antes mesmo que pudesse visualiza-la, observou uma cabeleira rosa entrar como um furacão em seu quarto. E claro, ela já estava com um pão doce na boca.

– Você tem sorte que gostamos muito de você, Sakura, se não minha mãe já tinha lhe metido o pé na sua bunda por comer antes de nós. – Falou aos risos com a sua melhor amiga. Sakura Haruno era sem dúvidas a sua pessoa número um em todo o mundo.

– Naruto Uzumaki Namikaze, levanta logo, pois hoje é um dia especial. Vá tomar um banho, fique cheiroso e use a sua roupa menos feia. Depois a gente vê essa situação do pão, Deus me livre apanhar da Kushina. – Falou fazendo sinal da cruz. Estava tão orgulhosa do seu amigo, finalmente alguém reconheceria seu valor.

Naruto foi tomar banho, enquanto Sakura escolhia suas roupas. Mas a verdade é que ambos tinham gosto duvidoso. Na verdade todos daquela casa tinham um dedo podre para esse tipo de situação. Por isso, o rapaz estava tão apreensivo.

Naruto Uzumaki Namikaze: Nota máxima em todas as escolas que passou. Bolsa integral nas melhores universidades. Aos vinte e cinco anos era graduado em economia, com pós graduação em finanças e com uma oportunidade para fazer mestrado e doutorado, estava esperando apenas se recolocar no mercado de trabalho para tal. Falava fluentemente pelo menos três idiomas que aprendeu sozinho. Enfim, um currículo impecável. Porém, seu problema era outro.

Após o banho, sorriu ao notar a roupa que a amiga separou, era exatamente a mesma que escolhera em sua cabeça, vestiu-se e foi até o espelho ver o resultado.

A sua frente estava um rapaz alto, 1,87 de altura, cabelos loiro, naturalmente bagunçados, olhos azuis turquesa, tão lindos, mas ainda assim... era FEIO. E esse era seu maior problema. Seu rosto esbanjava espinhas por todas as partes, estava acima do peso com uma barriga bem saliente, seus dentes eram tortos e encavalados, mas isso o aparelho enorme e grosseiro escondia, já seus olhos claros eram como um feriado no domingo que ninguém notava, estavam escondidos pela sua armação preta dos óculos. O que mais o irritava não era ser feio, era sua aparência se sobressair as suas qualidades, principalmente do que se tratava a parte profissional. No seu último emprego, perdeu seu cargo para um secretário mais apresentável. Naruto trabalhava no Banco Central e, apesar de ser mais competente, perdeu seu posto por sua aparência.

Por isso estava nervoso! Mal havia saído do banho e estava suando. Passou duas vezes o anti-transpirante para não ficar com mal cheiro e causar pior impressão do que já passava. O mais difícil de tudo isso, era o local de sua seleção: uma empresa de roupas para homens! E não era qualquer empresa, era a empresa. Todos queriam um autêntico Hyuuga, menos ele, que não se importava com isso, achava-se feio demais para usar roupas boas, por isso era considerado brega. Mas como conseguiria pleitear a vaga tão sonhada, se não encaixava nos padrões daquele mundo? Era um empresa de moda, exalava moda, vivia moda. Naruto era seu oposto, por isso estava morrendo de medo.

Como se já soubesse da luta interior do seu amigo, Sakura entrou em seu quarto, e parou atrás do amigo, que estava na frente do espelho. O abraçou por de trás, passando seus braços pela cintura e, para poder se olhar no espelho, tombou sua cabeça para o lado, pois seu amigo era muito alto.

– Olha só, o nanico cresceu. Nem acredito. Estou tão orgulhosa de você, Naruto. Não sinta medo. Seu currículo é tão lindo, quanto você. Quer dizer... o quão bonito é por dentro né. Consiga esse emprego e vença os padrões, chamando a mim para trabalhar lá também. – Disse sorrindo.

Agora os dois, de frente ao espelho, eram muito semelhantes.

Sakura Haruno: Cabelo rosa, também usava óculos com armação grossa e preta daquelas que não combinam com o rosto. Era magra, pois apesar de comer muito, principalmente a comida da casa do amigo, precisava correr da mãe dele para não apanhar e tinha que andar muito para entregar currículos. Também se vestia de forma antiquada, os dois amigos pareciam usar as roupas dos pais, apesar que as vezes era isso mesmo que acontecia. Sakura era muito inteligente. Se formou em economia com pós em finanças, poderia cursar mestrado e doutorado, assim como seu amigo, mas de que adiantava se estava desempregada?

Se para Naruto era ruim arranjar emprego por ser feio, para Sakura era imensamente pior. O mundo era difícil para os dois.

Ainda assim, tinham esperanças, eram felizes e esbanjavam sorrisos, apesar de muitas ofensas que escutavam, principalmente no bairro. O que amenizava um pouco era Kushina, mãe de Naruto. Ela bateu em muita gente e todos tinham medo dela no bairro, todos. Minato era pai de Naruto, e era muito parecido com o filho, sendo apenas mais magro e mais velho.

Naruto e Sakura se sentaram na cama, e a moça pegou uma revista onde na capa estava estampado uma foto da família Hyuuga, com cinco pessoas. A manchete falava: De pai para filha: Hinata Hyuuga a nova presidente da Hyuuga Design.

– Olha Naruto, se você conseguir o emprego, essa moça será sua chefe. Que linda!

Foi admiração à primeira vista. Hinata era simplesmente a mulher mais linda que já havia visto. Não que tivesse visto muitas moças, e ainda mais bonitas, mas as que vira na televisão e em revistas não se comparava a morena de cabelos preto azulados, compridos até a cintura, tinha franja próxima aos seu olhos que era lindos, acinzentados, sua pele era tão branca que parecia porcelana. E seu corpo, ah, seu corpo, era curvilíneo. Deusa grega, foi a conclusão que chegou. Mas se controlou, afinal, poderia ser sua chefe e, acima de tudo, Naruto era profissional.

Folearam as páginas da revista e descobriram o nome das pessoas da foto, estavam nessa ordem: Kaguya Otsutsuki, Hanabi, Hiashi, Hinata e Neji Hyuuga.

Kaguya Otsutsuki, usava o sobrenome de seu falecido marido. Uma mulher elegante, de longos cabelos pretos e lisos, alta, trinta e dois anos, dona de olhar sério e expressão fechada. Foi quem disputou a presidência com Hinata, uma disputa acirrada pois ambas tinham muita capacidade para tal cargo. Kaguya não ficou satisfeita com a decisão e demonstrou o desagrado de todas as maneiras possíveis. Tinha outros investimentos e sua própria empresa, por isso, não quis pleitear outro cargo na Hyuuga Design e só aparecia no local, nas reuniões gerais. Seu objetivo era conseguir a empresa daqui um ano, quando seria o final do teste de Hinata. Caso passasse, venderia suas ações, pois não confiava na prima como presidente.

Hanabi Hyuuga, irmã mais nova de Hinata, esbanjava através da foto simpatia e um olhar malicioso, tão libertina quanto a irmã, porém não era apenas um rosto bonito, aos vinte e cinco anos de idade tinha um belo currículo profissional e foi nomeada por Hinata como vice-presidente da empresa e além de auxiliar nas atividades rotineiras da presidência, seria encarregada das relações internacionais.

Hiashi Hyuuga, um homem viúvo e muito bem apanhado de cinquenta e cinco anos, fundou a empresa com seu irmão gêmeo Hizashi, construíram tudo do zero, sem influências. Depois de quinze anos, conseguiram chegar ao topo, mas pouco tempo depois, num acidente de carro, seu irmão e sua cunhada, pais de Kaguya e Neji, vieram a falecer. Com isso, o já viúvo adotou os sobrinhos e cuidou como se fossem seus filhos. O carinho entre a família era real e recíproco, exceto por Hinata e Kaguya que sempre disputavam quem era a melhor. Depois que seus sobrinhos alcançaram a maioridade, entregou-lhes a parte de direito na empresa, mas ainda administrava as finanças até que ambos se sentissem capazes de fazer isso sozinhos. Agora, depois de trinta anos como presidente, anunciou sua aposentadoria e, depois de uma votação conturbada, passou a presidência para sua filha mais velha. Mas ficaria de olho, participando das reuniões gerais durante um ano, até que a filha tomasse posse oficial do cargo.

Hinata Hyuuga, uma mulher deslumbrante e muito carismática. Conquistava todos por onde passava, mas esse sorriso era sua forma de conquistar o que ou quem lhe interessava, geralmente os modelos lindos da sua empresa. Mas seu maior interesse real, era dar continuidade no trabalho de seu pai e provar que ele estava errado em julgar seu plano de presidência como insano. O que na verdade era. Ela tinha consciência disso, mas queria arriscar, era capaz de conseguir inovar, afinal já era mestre em Gestão de pessoas e desenvolvimento organizacional, fora toda sua formação profissional com a graduação em Administração de empresas e duas pós-graduações. Tudo isso aos vinte o oito anos de idade. Apesar de ser concupiscente, era noiva do seu primo.

Neji Hyuuga, um homem lindo, de longos cabelos compridos, mas de olhar rígido e sério, assim como sua irmã. Tinha um currículo também excepcional aos seu vinte e nove anos, mas o que mais marcava toda a sua personalidade era o imenso amor que nutria por sua noiva, fazendo vistas grossas para suas infidelidades, que apesar de não serem comprovadas, eram óbvias. O que lhe confortava era saber que nenhum de seus casos eram sérios. Todos apenas de uma noite e nada mais. Era com ele que iria se casar, era para ele que Hinata voltava afinal. E isso, por enquanto, lhe bastava. Na empresa, era o diretor de Marketing, cuidava de toda a parte pública que envolvia a empresa, inclusive a área de comunicação.

Sakura continuou a folhear a revista, até que se deparou com o melhor amigo de Neji, Sasuke Uchiha. Isso sim foi uma paixão à primeira vista. Sua pupila dilatou, era um deus grego? Sim, com certeza ele não era um ser humano normal. Aquele olhar negro e profundo, contrastando com sua pele pálida, seus cabelos repicados, rebeldes e escuros como a noite, seu porte físico atlético, perfeito trajando um terno Hyuuga, perfeito. Era essa a palavra! Perfeito!

– Naruto, estou apaixonada por Sasuke Uchiha, por favor, entre nessa empresa, seja muito amigo do Neji Hyuuga e, principalmente, me apresente Sasuke Uchiha.

– Sakura, você ficou maluca?

– Não. Leia aqui, ele precisa de uma esposa e eu estou aqui para isso.

Sasuke Uchiha: Vinte e seis anos, alto, bonito, inteligente, de boa família. Porém não gostava de usar sua inteligência para algo produtivo, por isso, para poder voltar a receber a gorda pensão do seu pai, precisa achar uma esposa. Isso seria fácil, se não dependesse da aprovação do senhor Fugaku e da dona Mikoto Uchiha. Várias rejeições, nenhuma passou nos testes, com isso, suas economias estavam acabando, o que lhe obrigou a procurar um emprego.

* Dia das fotos da revista *

– Parabéns irmã, você conseguiu a presidência! Hoje é seu dia. – Hanabi estava feliz pela conquista de sua irmã, mas estava receosa também. Porém naquele momento pensaria apenas na alegria de estarem na presidência da empresa da família.

– Não comemore ainda Hanabi, veremos se sua irmãzinha será capaz de fazer esse plano ABSURDO dar certo. – Hinata revirou os olhos com a fala de sua prima. Essa exibia um olhar carrancudo, mas com sarcasmo velado, era como uma cobra esperando para dar o bote. Fingiu não se intimidar e respondeu com a sua melhor versão displicente.

– Você é muito amargurada mesmo, não é Kaguya. Está irritada porque eu provei ser a melhor que você.

– Hinata, não se vanglorie. Você conseguiu o voto do meu irmão, apenas por ter aceitado ficar noiva dele, você é realmente suja, traiçoeira. Eu tenho muita pena do meu irmão. Um homem tão inteligente, apaixonado por uma safada igual você. – Apesar de estar irritada, Kaguya mantinha sua postura.

Observando de longe a cena, Hiashi sabia no que daria a conversa, por isso se aproximou de supetão das suas filhas.

– Olha só, minhas meninas conversando, fico imensamente feliz.

– Tio, não se empolgue, estávamos discutindo, mas o senhor sabe disso, afinal veio intervir, não é mesmo? – Kaguya esbanjou um sorriso ao seu tio, ela tinha imensa estima pelo homem.

– Sempre perspicaz, Kaguya. – Disse a abraçando pelos ombros, enquanto Hinata revirava os olhos.

– Já vou me retirar. Aproveitarei que tiramos as fotos necessárias e vou para a minha empresa. Tchau Hanabi. – disse beijando-a. – tchau Titio. – Disse abraçando-o e depositando um beijo em seu rosto. Então virou-se para Hinata e a contragosto disse – Tchau.

– Hinata, você poderia tentar ser mais amiga de sua prima, ela é praticamente sua irmã, não deveria ser assim a relação de vocês.

– Papai, isso não depende única e exclusivamente de mim, o senhor sabe bem disso. E eu sei que ela é minha irmã, eu a considero assim também, porém, é a minha irmã mais detestável. – Disse torcendo o nariz em uma cara de desgosto.

– Então seu irmão preferido é o Neji? – Perguntou Hanabi com malícia, o que fez Hinata balançar a cabeça em negativa.

– Ele é meu noivo, meu primo. Não dá para considera-lo irmão, seria nojento. Você é minha favorita e sabe disso, Hanabi.

– Eu vou conversar com alguns investidores, afinal, essa conversa está tomando rumos muito obscuros para mim. – Despediu-se de suas filhas, beijando-lhe as têmporas e partiu para conversar com seus conhecidos.

– Agora falando sério, como vamos botar seu plano em ação Hinata, eu não acredito que alcançaremos aquela meta tão facilmente.

– Hanabi, depois falamos disso, olhe ali, o Toneri, cunhado da bruxa branca, aquele modelo é uma delícia. – disse ao perceber que o rapaz lhe direcionava um olhar malicioso, em troca, Hinata piscou um olho. – Agora está na hora de nos divertir, minha irmã.

Hanabi riu da constatação da irmã e passou a observar o ambiente em busca de uma diversão para essa noite, deparou-se com um rapaz de cabelos pretos e repicados que conversava com Neji.

– Por favor, Neji. Você precisa me arrumar esse emprego. – Dizia Sasuke enquanto Neji revirava os olhos. – Eu preciso de algo fácil de se fazer e que eu ganhe bem.

– Você é muito folgado Sasuke! Mas amanhã terá uma seleção para secretário da presidência, e você seria bem útil, afinal, cuidaria da agenda pessoal da Hina, o que seria ótimo para mim. Vá amanhã, mesmo não tendo participado das outras etapas, eu te coloco lá. – Obrigada Neji, você é um grande amigo.

Ao finalizar, cada um direcionou seu olhar a uma mulher. Sasuke encarou com seus olhos negros os claros de Hanabi, e pensou “Essa é a nora que meus pais querem. Rica e bonita, não poderia ter melhor”, e ao notar o mútuo interesse se direcionou a ela. Já Neji, observava Hinata piscando para Toneri, e antes que ela pudesse pensar em direcionar-se até o homem de cabelos claros e pele pálida, sentiu alguém abraçar-lhe pela cintura. Aquele toque e perfume ela reconheceria em qualquer lugar.

– Oi Neji, meu amor, veio me parabenizar pela presidência? – Disse de costas, com uma voz despreocupada, mas silabou muda à Toneri “Depois a gente se fala”, recebeu em troca um sorriso, e finalmente virou-se para olha Neji. – Você sempre sabe que sou eu. Como faz isso?

– Eu sei como é o seu toque, mas principalmente pelo seu perfume que adoro.

Hinata sorria como se nada tivesse acontecido, e isso quebrava o coração de Neji, pois, por mais que detestasse toda aquela situação, amava sua noiva demais, por isso passava por cima de todas essas coisas. Entretanto, alfinetava sempre que dava.

– Você só aceitou ser minha noiva para eu votar em você não é? Já que o titio votou no plano da minha irmã e Hanabi votaria em você de olhos fechados, aceitou a minha proposta de noivado agora por causa disso.

– Neji, você me pediu em casamento a primeira vez, humm – disse fingindo pensar – no nosso primeiro beijo. – olhou com sarcasmo para Neji, que ficou desconcertado – Então eu achar que estamos maduros e prontos agora, não significa que é por causa da presidência, isso foi apenas uma coincidência. Porém, se achar que foi por causa disso, eu posso voltar atrás e a gente termina o noivado por aq...

Antes que pudesse finalizar a frase, Neji a beijou com todo o sentimento que tinha guardado dentro de si.

– Não, não, não. Não precisa disso, eu acredito em você.

Eles se abraçaram e Hinata sentiu uma pontada de culpa em tudo que Neji falou, já ele, sentia um aperto estranho em seu peito, mas ambos decidiram não dar muita importância para isso.

– Olá, Hanabi, é um prazer conhecer você. – Disse segurando a mão da garota, depositando um beijo e olhando para cima com um olhar lascivo.

– Você é o Sasuke, certo? O Neji fala de você as vezes. – proferiu as palavras analisando o olhar do rapaz, se faria de difícil. Por enquanto.

– Espero que tenha falado bem. – Esboçou um lindo sorriso, fazendo a Hyuuga se arrepiar internamente, afinal não era sempre que aquele belo rosto ranzinza se enfeitava com uma risada.

– Digamos que sim. Mas eu prefiro comprovar as coisas pessoalmente.

E aquela conversa foi o suficiente para após a festa de aposentadoria, os dois fossem para um lugar mais privativo.

Quando Neji deixou Hinata sozinha para conversar com investidores em potencial, sua noiva sinalizou com o olhar para Toneri ir a um lugar isolado, ele a respondeu com um sorriso malicioso.

– Olá Toneri, fico imensamente feliz com a sua contratação para a nossa campanha. – Com um olhar malicioso, insinuou destacando as palavras imensamente feliz, para que ficasse mais do que claro suas intenções. Toneri foi se aproximando mais a cada palavra que lhe pronunciou.

– Eu espero poder satisfazer todas as suas expectativas. – Já a milímetros de distância, Hinata o respondeu:

– Acho que poderíamos começar agora.

Depois de aproximadamente trinta minutos, Neji conseguiu mais um contrato para a empresa. Feliz com os novos e importantes clientes, procurou Hinata para contar-lhes seu feito. Mas a face que esboçava felicidade, agora era tomada pelo desgosto. Mais uma vez, a presidente interina das empresas Hyuuga Design lhe deu um perdido. E como esperado, Toneri não estava ali. Sentiu seu celular vibrar e com ansiedade leu a mensagem. “Amor, me senti mal e saí da festa, te encontro as 20h no seu ap. Beijos.” Novamente se contentaria, afinal, sua noiva dava migalhas aos outros, mas era com ele que Hinata casaria afinal.

* Dia atual *

– Naruto, olha para mim. – os olhos azuis temerosos encararam com profundidade os olhos esverdeados confiantes da amiga. Um era o porto seguro do outro, mesmo quando ambos tinham receio, um se fazia de rocha, para sustentar o outro. Agora era a vez de Sakura fazer isso. – Vai dar TUDO CERTO. Se você não for contratado, eles é que perderão o profissional incrível que você é. Não deixe que a sua aparência se sobressaia a tudo o que você é! Façam com que eles te enxerguem. – Puxando o amigo para um forte abraço, completou – te amo, e eu conheço todo seu potencial, agora mostre para o mundo!

E com esse incentivo, Naruto se encheu de energia, pulou o café para não perder essa confiança e foi para sua entrevista.

Seu coração palpitava acelerado durante todo o trajeto do ônibus, inconscientemente se imaginou tendo a oportunidade de fazê-lo todos os dias. Desceu no ponto, que era a poucos metros da empresa. Observou, se aproximando cada vez mais. Ela era enorme. De um lado ficava a fábrica das roupas, onde muitos funcionários, com aspectos mais humildes trabalhavam. Eles estavam chegando, era início do turno, usavam jalecos largos de cor azul petróleo, que era a cor mais evidente da marca. Já ao lado havia um grande prédio empresarial, ele era largo, as janelas pareciam espelhos, um bela arquitetura. Pelo que lhe falaram, lá haviam salões para os lançamentos das coleções, com passarela e tudo, algumas propagandas eram gravadas lá até, também havia o ateliê da renomada estilista Ino Yamanaka, que era a designer da empresa, os ternos dela eram os mais bonitos e modernos de todas as outras marcas, ela era o coringa da Hyuuga. Após se aproximar, deparou-se com uma mulher muito bonita, de cabelos marrons presos em dois coques. Trajava um uniforme todo preto, escrito Chefe de Segurança – Mitsashi, se portava de maneira rígida e estava atenta a toda movimentação às voltas da empresa. Naruto se dirigiu a ela, mostrando todo aparelho que encobria seus dentes. Apesar de não demonstrar nenhuma reação, Tente, que era chefe da segurança, sentiu um pequeno desconforto.

– Olá senhora Mitsashi, sou Naruto Uzumaki Namikaze e vim fazer uma entrevista.

– Mostre seu documento, por favor. – Naruto estendeu seu documento, o que provou a segurança que aquele rapaz poderia ficar mais feio do que se mostrava ali.

– Já estava ciente de sua entrevista, pode subir senhor Namikaze.

– Obrigada pela recepção. Tenha um bom serviço.

Com um aceno de cabeça, Tenten o respondeu e ficou pensando que era um rapaz muito educado, apesar de ser muito feio. Poucos minutos se passaram e um porche 911 preto parou em frente aos portões da Hyuuga Design. Um rapaz branco de cabelos repicados preto e olhar arrogante, parou e abaixou o vidro. Tenten não saiu do seu posto.

– Pois não?

– Abra o portão. – respondeu friamente.

– Apenas após sua identificação E caso tenha a permissão. – A moça respondeu dessa forma, por saber se tratar de Sasuke Uchiha. Como não era um cliente ou sócio, se deu ao luxo de uma resposta ríspida. Apesar, que nem mesmo os investidores tinham tamanho ego. Sasuke estendeu seus documentos e a Mitsashi ergue uma sobrancelha.

– Traga-o até mim. – O cara é muito gostoso, mas que ego gigante. Pensou.

Sasuke se levantou a contragosto e mostrou o seu documento. Diferente de Naruto, o cara consegui ficar ainda mais bonito em uma foto 3x4, mas ainda assim, Tenten torcia para que o rapaz loiro conseguisse a vaga. Como estava liberado, a segurança liberou a entrada do Porche, pois Neji já havia pedido. Sem olhar para trás ou agradecer, Sasuke adentrou os portões, deixando a moça com um revirar de olhos.

Ao entrar na portaria, Naruto se deparou com um rapaz que tinha uma expressão de tédio estampada. Era alto, cabelos compridos preso em um rabo de cavalo. Usava um terno muito bonito, o que completava a sua bela aparência. Olhou no crachá e leu o nome Shikamaru Nara.

– Olá senhor Nara, eu vim para participar do processo seletivo para secretário da presidente.

O rapaz levantou seu olhar desinteressado e analisou o candidato à sua frente. Internamente pensou que não conseguiria passar na entrevista, mas logo imaginou que o currículo deveria ser maravilhoso, talvez tivesse alguma chance.

– Mesmo que Tenten tenha visto seu documento, preciso averiguar também. Ninguém escaparia dela, mas é melhor evitar problemas. – Naruto assentiu e entregou o documento. Shikamaru suspirou ao ver a foto do documento, mas não se importava com essas coisas. – Senhor Namikaze, suba até o 5º andar, ao sair do elevador irá se deparar com uma sala portando uma placa escrito Sala de reuniões. Lá poderá aguardar suas avaliadoras. Boa sorte.

– Obrigada senhor Nara. Tenha um bom dia de serviço.

– Obrigada senhor Namikaze.

O elevador já se encontrava parado no andar e logo Naruto entrou, ao virar-se de frente para Shikamaru, deu um aceno com suas mãos, que foi correspondido com um aceno de cabeça. Alguns minutos depois, Sasuke entrava pela portaria e rumava diretamente ao elevador. Shikamaru torceu os lábios em descontentamento e chamou a atenção do sem noção.

– Primeiro deve apresentar seu documento. – Já o fiz na portaria. - Sem se virar respondeu.

– Ainda assim, preciso do seu documento. Traga-o até aqui, por favor. Ou deverei avisar aos seguranças que estão lá em cima, para que expulsem do prédio.

Sasuke virou com um olhar raivoso e a passos duros parou em frente a recepção. Olhou o nome do recepcionista e disse. – Shikamaru, sabe quem eu sou, por acaso?

– Saberia se me mostrasse seus documentos.

Com os olhos cerrados, Sasuke estendeu o documento. Shikamaru analisou, lendo o nome do rapaz. Apesar de não vê-lo com frequência, sabia que era o inconveniente amigo de Neji e o Uchiha que precisava casar, segundo as fofocas que rolavam pela empresa.

– Senhor, Uchiha, suba até o ...

– No documento não está escrito, mas sou melhor amigo de Neji Hyuuga, um dos donos dessa empresa, ele saberá de suas atitudes.

– Eu agradeço senhor Uchiha, assim ele saberá pessoalmente pelo senhor que sigo fielmente as normas empostas por ele. Fico grato que faça isso por mim.

Sasuke escutou o som do elevador, e com um olhar fuzilante apertou o número do andar. Shikamaru suspirou um problemático e suspirou pela infelicidade do candidato Naruto, ter de enfrentar justamente aquele ser arrogante, no processo seletivo. A sorte não estava a favor do rapaz.

Ao abrir as portas do elevador, Naruto se deparou com um amplo andar. Pode ver várias salas e cada uma delas contendo uma placa. No canto esquerdo estava a sala da Diretoria Financeira, ao lado dela estava o Recursos Humanos, depois dessa sala havia um corredor, na parte visível estava a Vice-Presidência e ao lado a Presidência, seu coração imediatamente disparou ao olhar aquela sala. No meio, como indicado a Sala de reuniões e ao lado direito Diretoria de Marketing. Direcionou-se até a sala indicada por Shikamaru, mas ao notar os secretários mas mesas os cumprimentou desejando bom dia e bom serviço. Primeiro desejou bom dia a um rapaz de pele bronzeada e cabelos morenos espetados, ao seu lado, um moço mais sério, de óculos redondos, em uma meça um pouco mais distante um rapaz gordinho que comia babatas, do outro lado um secretário extremamente feliz e agitado, com cabelos pretos de tigela, desejava boa sorte. Se sentiu entusiasmado e motivado, finalmente entrando na sala, sentando-se e aguardando as avaliadoras.

Sasuke chegou após Naruto, mas diferente do rapaz passou pelos secretários sem cumprimenta-los ou até mesmo olha-los, entrou na sala de reuniões e se assustou com a figura sentada. Deu um sorriso sarcástico, isso tá no papo, pensou. Toda a sua aura imponente, apesar de inicialmente ter causado desconforto em Naruto, não foi o suficiente para intimidá-lo, o que deixou Sasuke irritado. Pouco tempo depois, entrou uma mulher loira, muito bonita, vestindo uma saia lápis e camisa de seda. Ela analisou os candidatos de cima a baixo, deixando clara sua preferência por Sasuke.

– Olá, me chamo Shion e sou a Diretora do R.H da empresa. Senhor – olhou de cima a baixo com desdém – Naruto. Agora entendo porque não anexou uma foto. – Direcionou o olhar para Sasuke que riu junto a ela. – Vejo que seu currículo é amplo. Boas notas, bolsas em universidades de renome. Fala fluentemente três línguas. Muito bem. Sasuke, - direcionou um sorriso-lhe malicioso – você é um Uchiha, estudou em uma boa universidade e tem notas excelentes também, apesar de falar apenas uma língua com fluência e não ter feito especializações, você tem o perfil de nossa empresa. Senhor Naruto, agradeço a disponibilidade, mas assim que uma vaga, de acordo, surgir, entraremos em contato.

O olhar reservado a Naruto, era aqueles que estava acostumado, desprezo, julgamento, pré-conceito, olhares estereotipados onde era analisado por sua aparência. Estava farto de tudo isso, mas não desistiria. Saiu de cabeça erguida e dando tchau aos outros secretários, enquanto Sasuke assinava seu contrato no R.H. Fez reversivamente todo o processo que iniciara na empresa, despediu-se de Shikamaru, mas quando passou por Tenten, essa pediu que esperasse, enquanto escutava algo em seus fones.

– Senhor Uzumaki, estão pedindo para que volte à sala de reuniões.

Uma nova chama se acendeu em seu peito, não sendo capaz de responder coordenadamente a Mitsashi, apenas meneou com a cabeça e seguiu ao lugar indicado, novamente cumprimentou Shikamaru estendendo seu documento, mas disse que não era necessário, cumprimentou novamente os rapazes e quando abriu a porta da sala, pensou que estava no ceú, pois seu olhar se deparou com o de um anjo, um anjo que possuía duas luas em seus olhos, um anjo maravilhosamente ASSUSTADOR.

– Que merda Neji, eu não sou obrigada a ficar com esse seu amiguinho incompetente como secretário.

– Você não quer que ele saiba das suas traições, não é Hinata?

Foi aí que Naruto percebeu não estavam sozinhos, além de Hinata, estava a irmã dela e seu noivo na sala, que discutiam fervorosamente, a ponto das veias perto do olho dos dois estarem saltadas. O Namikaze ficou parado na porta, com medo de entrar, então um grito lhe tirou do transe.

– Entre agora senhor Namikaze. – De olhos arregalados, Hinata percebeu que estava assustando o rapaz de olhos, apenas OLHOS bonitos. O encarou de cima a baixo e entendeu porque a burra da Shion contratou Sasuke. – Infelizmente, seu salário será menor do que propomos, pois contrataram um funcionário errado. Mas se tiver interesse, será meu funcionário. Você quer, Naruto? – E sem que houvesse tempo para que Neji protestasse, Naruto aceitou. – Agora você será meu secretário PARTICULAR. Tome, cuide dessa agenda como se fosse sua vida e não deixe NINGUÉM pegá-la. NINGUÉM. Você começa a trabalhar agora.

E foi a partir desse dia, que a vida de Naruto Uzumaki Namikaze mudou drasticamente.

July 26, 2018, 5:08 p.m. 0 Report Embed Follow story
5
Read next chapter Você é meu anjo

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!