lee-diniz Leticia Diniz

Quando o desejo de ter uma família ultrapassa as barreiras da morte.


Short Story All public.

#sobrenatural #suspense #terror #fantasma #
Short tale
2
3.3k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Chovia torrencialmente, Fábio desceu do carro e correu pra varanda da casa, devia ter ligado pra desmarcar, mas precisava ver logo a casa, a mudança do atual apartamento precisava ser feita em poucas semanas.

Tudo parecia quieto na casa, a corretora não devia ter conseguido chegar.

— Droga! — praguejou.

No instante seguinte a luz da sala se acendeu, ele olhou curioso, só podia ser ela, devia ter chegado mais cedo e estava preparando a casa para a visita. Bateu na porta, nenhuma resposta, colocou a mão na maçaneta e girou, estava aberta, colocou a cabeça para dentro.

— Olá! — silêncio, entrou.

Andou até a sala, avistou um vulto na cozinha, caminhou devagar até a porta, avistou distraída na cozinha, uma bela mulher, ela tirava um tabuleiro de biscoitos do forno.

— Olá!

Ela se assustou, mas no minuto seguinte abriu um belo e radiante sorriso.

— Você chegou! Estava a sua espera, espero que não tenha se molhado muito.

A princípio ele estranhou um pouco as roupas, parecia que ela tinha saído de um filme dos anos 50, mas logo relaxou quanto a isso, o vintage está na moda, e ela era perfeita com sua saia xadrez vinho e sua blusa perfeitamente ajustada com decote de coração, que realçava muito bem seus seios, ele tentou não ser indelicado, mas era difícil resistir.

— Fiz biscoitos! sirva-se!

Ele pegou, sem tirar os olhos dela que permanecia com um sorriso nos lábios, seus olhos eram de um verde penetrante, e junto com sua pele muito alva contrastavam com seu cabelo escuro, de um preto brilhante como as asas de um corvo.

— Falei com você pelo telefone, não queria desmarcar por causa da chuva, se eu gostar da casa eu fecho hoje mesmo.

— Você falou com a corretora, eu sou a dona da casa, Amélia. — estendeu a mão num cumprimento, ele apertou sua mão que era fria mas macia.

— E será que ela vem? a corretora, está caindo o mundo lá fora.

— Talvez, mas posso te mostrar a casa. Mas antes você precisa tirar esse casaco molhado, ou vai se resfriar. — logo ela estava atrás dele tirando seu casaco, ele ficou sem ação, ela pegou o casaco delicadamente, deslizando pelo braço, em seguida colocou cuidadosamente em uma cadeira na frente do aquecedor.

— Ela me falou que a dona da casa tinha falecido, o neto estava responsável pelo imóvel e a procurou querendo vender. — A luz da sala atrás dele piscou, Helena deu um sorriso, ela era encantadora.

— Não, ela deve ter se enganado, a minha falecida mãe era dona da casa, e realmente faleceu a alguns anos, mas a casa ainda é minha. — Ele parecia desconfiar da resposta dela, ela sorriu novamente e fez um gesto com a mão indicando o corredor. — Vamos? tenho certeza que vai amar a casa. — Ele assentiu.

Amélia mostrou cada cômodo, ela era de uma delicadeza nos gestos e na fala, mas tinha uma sensualidade contida, cada vez que seus olhares se encontravam ele se sentia um pouco mais preso, enfeitiçado, desejou aquela desconhecida.

— Obrigado pela companhia! eu realmente gostei muito da casa, entrarei em contato com a corretora, farei uma proposta.

— Fico feliz.

Fábio saiu pela porta, a chuva havia parado, quando chegou na metade do caminho entre a porta e a rua, o celular tocou.

— Oi, sou eu Márcia! eu estou tentando te ligar a uma hora, eu fiquei presa no trânsito, por causa da chuva, podemos marcar outro dia para a visita?

— Ah não se preocupe! a Amélia me mostrou.

— Amélia?

— Sim a dona!

— Já te disse, a dona morreu tem 30 anos.

— Não é possível...

— Olha, eu preciso desligar agora, mas falo com você mais tarde, tenho que estacionar.

Fábio olhou na direção da casa, a luz da cozinha ainda acesa, hesitou, não se moveu, então andou em direção a casa, tocou a maçaneta, a porta abriu, hesitou novamente, mas entrou.

— Amélia?

A porta se fechou lentamente atrás dele sem que notasse, o ar ficou frio, um espectro branco, fantasmagórico se aproximou sinuoso pela sala, rodando em volta dele, tinha uma forma feminina, o rosto se ergueu a sua frente, ainda com o corpo esfumaçado o envolvendo numa espiral fria, esticou os dedos longos e translúcidos até seu rosto, um toque tão frio que ele sentiu a pele arder, mas não conseguia se mover, o corpo não obedecia, e sua mente brigava entre a vontade fugir, seu instinto racional contra um desejo inexplicável de se entregar.

— Eu sabia que voltaria pra mim, esperei tanto por você. — A voz era suave e doce. — Ela o beijou, era tarde de mais pra fugir.

Uma jovem e seu filho estavam a porta.

— Será que ela já chegou? — Disse a mulher para o filho, que investigava pela janela.

Ouviram uma música vindo do interior, se olharam, ela encostou na maçaneta e a porta se abriu.

Entraram tímidos, sentindo o cheiro de biscoitos, o ambiente estava aconchegante.

— Olá?

Logo apareceu na sala um belo casal.

— Olá! estávamos esperando por vocês! — Disse a bela mulher de olhos verdes e cabelos muito escuros. — Quem é esse jovem rapazinho? — Perguntou.

— Ahh esse é Davi, meu filho, ele tem 8 anos.

A mulher se aproximou, e levantou o rosto do menino com um toque suave no queixo, levantou e olhou para a mãe do menino.

— Ele é perfeito! Eu e meu marido ainda não temos filhos, não é querido? — Ela olhou para Fábio, ele sorriu. Ela se enroscou no braço dele.

— Estamos ansiosos para aumentar a família. — Respondeu Fábio, dando um beijo na mão de Amélia. — Ele é perfeito querida. — Completou.

O menino se agarrou a mãe assustado e a sala inteira ficou fria.






Nov. 26, 2022, 12:48 p.m. 9 Report Embed Follow story
3
The End

Meet the author

Leticia Diniz Um pouco de romance, terror e angústia. Todas as minhas histórias tem algo de mim, experiências vividas, algo de verdadeiro misturando a ficção.

Comment something

Post!
Carlos Magno Franco Carlos Magno Franco
Olá Leticia, prazer em conhecê-la. Caramba usa história tem muito potencial, uma pena que ela acabe rapidamente assim... Sei que é pro desafio de escrita, mas depois se tiver com mais tempo por favor escreva mais, sei que vai ficar ainda melhor a história =)
October 27, 2022, 15:12

  • Leticia Diniz Leticia Diniz
    Obrigada! Sim, eu pensei num desenvolvimento pra história, mais ainda estou amadurecendo. October 27, 2022, 15:42
Caio Vinícius Caio Vinícius
Gostei!! Me lembrou de certa forma o filme "Os outros" Amo essas histórias ❤️👏
October 25, 2022, 23:15

  • Leticia Diniz Leticia Diniz
    Esse filme é muito bom! A minha história como no filme também foge daquele clássico de histórias de fantasmas que só acontecem durante a noite. October 26, 2022, 13:35
Amanda Kraft Amanda Kraft
Eu gosto de contos que remetem ao passado e tendo um fantasma no meio, fica melhor ainda. Parabéns.
October 25, 2022, 19:45

  • Amanda Kraft Amanda Kraft
    Gostei do final sinistro. O próximo da lista a se juntar à família. October 30, 2022, 14:38
  • Leticia Diniz Leticia Diniz
    Obrigada! Que bom que gostou! Também gosto dos dois October 25, 2022, 20:25
Caio Dutra Caio Dutra
Fascinante! Me prendi totalmente a todos os detalhes, esse foi um dos contos que mais me encantou, parabéns por essa obra tão linda <3
October 10, 2022, 01:00

  • Leticia Diniz Leticia Diniz
    Obrigada! Fico muito feliz de saber que gostou! October 10, 2022, 01:38
~