dantechaves Daniel Chaves

Uma história que se passa no futuro onde a raça humana foi reduzida a um por cento do que já fora um dia, a maior parte da população humana reside em um planeta construído por máquinas e antigos terráqueos vivendo uma utopia, ao menos em aparências.


Science Fiction Futuristic Not for children under 13.

#amor #robots #robôs #heavy-battle #ficção-científica #301 #381 #258 #ficção #adventure #aventura #love
1
1.6k VIEWS
In progress - New chapter Every 10 days
reading time
AA Share

Cidade Mãe

No ano de 3500 antes de ocorrer a sétima guerra mundial os humanos trabalhavam no espaço construindo um enorme planeta artificial que mais tarde se chamaria Cidade Mãe, este planeta que estava sendo feito de metais extraídos de outros planetas e aprimorados com nanotecnologia para suportarem colisões extremas com meteoros e meteoritos tinha um propósito único, mas também assombroso. A ideia para criarem Cidade Mãe era de reunir as nações mais poderosas do planeta Terra em uma única grande nação humana espacial, no planeta criado por humanos, robôs, máquinas e androides seriam tomadas todas as grandes decisões políticas enquanto as disputas seriam feitas num campo de batalha que antes fora sua moradia, na própria Terra.

No ano de 3595 a sétima guerra mundial ocorreu e seus efeitos foram devastadores para o planeta Terra, humanos lutavam ao lado de robôs e androides e disparavam armas nucleares em todos os cantos do planeta o tornando por muitas eras um local quase inabitável. Com essa guerra a população mundial reduziu-se a apenas um por cento do que já havia sido anteriormente, a humanidade ficou dividida entre os humanos que habitavam o planeta Terra e os pouquíssimos que moravam em Cidade Mãe, aqueles que não desejavam permanecer no planeta devastado pela guerra ajudavam na construção quase interminável do planeta artificial.

Boa parte da humanidade permaneceu no planeta Terra para sobreviver e criar uma nova era já que não haviam mais meios de poderem se mudar para a Cidade Mãe com as poucas tecnologias que restavam na Terra, houve a necessidade de milhares de construtores humanos e artificiais serem mandados para o planeta natal afim de construírem novas cidades para seus irmãos. Assim ergueram-se inúmeras construções colossais pelos céus chamadas Cidadelas, essas obras alcançavam a estratosfera com a intenção de fazer o povo da Terra sentir-se mais próximo de seus irmãos que moravam no espaço. A adaptação dos humanos para seus novos ambientes foi bastante demorada levando milhares de anos para que ocorressem as primeiras mudanças em suas vidas, mudanças essas que chegaram pelos bebês, os médicos e cientistas perceberam que muitas crianças começaram a apresentar um novo órgão em seus corpos, essa mudança permitiu que o novo órgão fizesse o trabalho de filtrar as moléculas de água absorvidas durante a respiração levando o oxigênio necessário para todo o corpo, os pulmões acabavam tendo o seu valioso oxigênio e um reforço na hidratação de todo o organismo que agora aproveitava melhor as moléculas de água, tal órgão ficou conhecido como diágrama por ter sua localização bem próxima ao diafragma.

Tais mudanças ocorreram tanto nos humanos que vivem no espaço quanto nos que vivem na Terra já que as novas formas de moradia se tornaram verticais e a altura deixava o ar rarefeito, a necessidade de mais oxigênio fez com que os humanos da terra também desenvolvessem um diágrama. Com a mudança no modelo das cidades com elas sendo verticais a Terra passou a ter mais espaço geográfico para exploração e plantio, porém, desta vez os moradores de Cidade Mãe ou também chamada de Matriarca, começaram a ter leis que impediam a exploração desenfreada como no passado, grandes fazendas eram construídas ao redor das cidadelas e ao longe centros de exploração de minérios, madeiras e até mesmo de várias canalizações de rios para abastecer cada Cidadela. Após o término da construção das colossais fortalezas que abrigariam os seres humanos terráqueos passou-se a dar continuidade as obras da Matriarca, Cidade Mãe foi construída seguindo a ideia da forma mais simples de vida, um pequeno ovo, onde existe sua casca para a proteção da membrana e de sua vida que está sendo gerada, assim funciona Matriarca tendo gigantescos escudos circulando as colônias, após os escudos existiam enormes placas de aço nano tecnológico que faziam a filtragem da água e a transformava em oxigênio para os humanos que ainda não eram evoluídos como os atuais. Com a evolução passando pelos milhares de anos de construção as placas de aço se tornaram apenas um grande reforço de segurança cumprindo um papel de membrana defensiva, e assim as cidades dentro destas construções seriam a vida sendo gerada dentro das proteções de Cidade Mãe.

Tendo agora um regime de governança cuidando com responsabilidade do planeta Terra a humanidade espacial e a terráquea puderam prosperar uma vez mais, as tecnologias avançavam muito rápido em relação ao desenvolvimento que se tinha no período de Antes da Renovação, o avanço se deu primeiramente com o desenvolvimento de novas máquinas para os trabalhadores, os trabalhos que antes eram braçais passaram a ser automatizados necessitam somente a gerência e manutenção humanas. O passo seguinte foi a criação de robôs para auxiliar as máquinas em trabalhos pesados demais para os humanos fazerem ou que na época não poderia ser feito dadas suas limitações, assim começaram a surgir as primeiras cidades que iriam compor a Cidade Mãe, após os robôs vieram os primeiros androides com inteligências artificiais estes que se mostraram o maior acerto da criação humana. Infelizmente mesmo tendo ajuda de robôs, máquinas de alta tecnologias e androides foram necessários vinte mil anos de dedicação de várias gerações de máquinas e de humanos que não puderam ver o majestoso planeta ser terminado, Matriarca se tornou um planeta gigantesco ao ponto de fazer o Sol parecer ser seu pequeno satélite.


Em Cidade Mãe existem inúmeras famílias de grande importância para o governo do planeta, dentre elas é possível destacar as cinco principais sendo elas Doregan, Shepiniack, Gottys, Ferrenyr e Garz, cada família representa sua casa oriunda de seu nome, exemplo disso é a Casa Shepiniack liderada por Victor Shepiniack Mestre de Leis e Conselheiro do Grande Conselho de Cidade Mãe. As casas menores se submetem às casas de mais prestígio e servem-nas como vassalos, atualmente aquela que se encontra no poder sendo auxiliada pelo Grande Conselho é a Casa Doregan tendo como líder e Imperador de Cidade Mãe Deryck Doregan, este que vem de uma linhagem muito nobre de Imperadores, Matriarca sempre fora governada por um Doregan desde seus primeiros anos de vida.

O primeiro homem a governar Cidade Mãe fora Édurt Doregan um homem firme e justo que foi o idealizador do Grande Conselho que reuniria outras quatro casas para lhe ajudar a tomar as melhores decisões para a humanidade terráquea e espacial, junto ao Grande Conselho Édurt foi capaz de por um fim as guerras mundiais que devastavam o planeta Terra, porém, seu tom de voz firme ainda ocasionava inúmeras rebeliões entre aqueles que ainda não aceitavam sua forma de governar e com isso novas batalhas eram travadas ano após ano. Quando as batalhas mais decisivas chegaram ao fim fora decretado o novo calendário trazendo o Ano Um, ou Ano da Renovação, que iria marcar para sempre o período que Édurt Doregan trouxe a paz para o planeta Terra e para Matriarca.

Jan. 12, 2022, 2:16 a.m. 0 Report Embed Follow story
2
Read next chapter Movimentações

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 3 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

Heavy Battle
Heavy Battle

Heavy Battle é um universo futurístico onde a raça humana fora reduzida a 1% de sua população total e agora está dividida entre um planeta artificial utópico e o planeta Terra que está irreconhecível após a quase extinção humana. Read more about Heavy Battle.