papironauta Rodrigo Borges

São gases cobertos por mares que refletem lua e sol, carregados com a ânsia de eruptir de forma impossível e amainados apenas com duras respirações de pulmões solitários. Nesse vazio, absortos em vontade e desejo cegos, os corpos estão próximos uns dos outros, mas suas almas tão pra lá, que as próprias estrelas caçoam do amante que as promete. São como águas cristalinas em copos pretos. Pêsames àqueles que os sentem, essa podridão que é enxergar um mundo distante.

  November 14, 2019, 02:01
AA Share

Comment something

0 Comments
Post!
No comments yet. Be the first to say something!

More microfictions