escritaerotica Krishna Grandi

Jonathan observava a aliança em sua mão com dor. “A minha sorte, foi não ter gravado nossos nomes aqui.” Sua ex-mulher o largara para viver aventuras com outros homens. Jonathan sentia ter perdido tempo nesse relacionamento, pois havia dedicado cerca de nove anos nele. O que Jonathan não esperava era encontrar um motivo para superar sua ex-mulher no seu bar favorito.


Erotik Nur für über 18-Jährige.

#fetiche #romance #feminino #literatura-erótica #cidade #escritora-brasileira #conto-erótico #literatura-feminina
Kurzgeschichte
17
480 ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Único

Jonathan observava a aliança em sua mão com dor. Sua ex-mulher o largara para viver aventuras com outros homens. “Me cansei de você”, em sua cabeça, a cena se repetia em tom de deboche com a alegação dela. Assim, do nada. Jonathan sentia ter perdido tempo nesse relacionamento, pois havia dedicado cerca de nove anos nele. “A minha sorte, foi não ter gravado nossos nomes aqui.” Tentou pensar positivo. Colocou a aliança pertencente à ex-mulher na caixinha e a guardou. Sentado no meio-fio da calçada e com o olhar fixo ao chão, Jonathan notou pequenas gotas se formarem e logo sentiu gotas geladas em suas costas.

-Merda, merda, merda! - esbravejou. - Levantou o rosto para as gotas que caíam grosseiras do céu. Algumas lágrimas se misturaram com esses pingos e Jonathan permitiu que toda a dor escorresse pelo seu corpo.

“Okay, eu devo seguir” - Seus pés já sabiam a direção para onde iria.

Não muito distante dali, existia um pub que Jonathan costumava frequentar com Helen, sua ex-mulher. Ele corria o risco de entrar lá e se deparar com ela paquerando outro cara? Sim, mas ele queria isso. E, de certa forma, precisava disso. “Talvez assim, eu acredite”.

O lugar estava lotado, avistou uma mesa com uma garota solitária e gentilmente perguntou:

-Se importa se eu sentar aqui? Prometo não puxar assunto. - afinal, nem queria mesmo.

-Pode. - Ela não levantou o olhar para responder.

Ao sentar-se à mesa, pôde enxergar a mulher. Uma garota com olhar imparcial lia um menu de bebidas sem interesse. Sua mão era coberta com uma luva branca rendada que cobria um pouco depois do cotovelo. Jonathan desviou o olhar e escorou a cabeça e uma mão, desolado.

-Helena. - Ela pronunciou virando o menu.

-Hm?

-Meu nome é Helena. - Jonathan revirou os olhos discretamente. Nomes parecidos… -Você prometeu não puxar assunto… Mas eu não prometi nada. - ela o olhou nos olhos e sorriu com o canto da boca.

Jonathan observou melhor a mulher que estava do seu lado. Uma loira de olhos azuis e bochechas redondas avermelhadas naturalmente. Ela lembrava uma garota pin up dos cinquenta. O batom vermelho e o delineado puxado. Os olhos estavam um pouco inchados e o rímel levemente borrado.

-Jonathan. - ele ajeitou a cadeira para o lado oposto ao dela. Era noite temática de Jazz e Blues. Enquanto a banda tocava músicas lentas que Jonathan não sabia o nome, Helena pedia ao garçom uma dose de uísque.

-A melhor que tiver. - O garçom anotou o pedido e dirigiu-se ao Jonathan.

-O mesmo que ela. - Ele nem ouvira o pedido dela. Estava concentrado em um instrumento que ele julgava ser um saxofone, mas poderia não ser.

-Então, Jonathan… O que fazia sentado no meio-fio? - ela apoiou a cabeça entre as duas mãos. Numa pose jovial e interessada.

-Eu não quero falar sobre. - olhou para porta. A sensação no peito de Jonathan era de que Helen ainda estava ali. Embora a chuva tenha ficado lá fora, quando ele entrou no pub com aquelas roupas de despedida, trouxe consigo o perfume dela em cada gota de água que insistia em penetrar por seu corpo ensopado. “Me cansei de você”, ecoaram pela mente dele. “Eu também estou cansado disso tudo”, respondia a si mesmo.

O garçom entregou e Helena estava com o copo perto da boca quando teve uma ideia.

-Quer apostar quem vira o copo mais rápido? - O espírito competidor de Jonathan despertou e ele nem esperou a contagem para virar o copo. Largou o copo vazio na mesa e pegou o dela.

-Aposto que não esperava por isso. - e também tomou o copo dela.

-Bem gentil da sua parte. - em deboche, ela riu da situação.

-Eu quero sair daqui. Vem? Eu compro uma garrafa para nós. - Jonathan levantou da cadeira um pouco tonto e foi até o balcão sem esperar algum retorno de Helena.

Helena olhou o celular. Eram dez da noite. Havia duas chamadas perdidas e algumas notificações de mensagens. Jonathan estava voltando para a mesa com a garrafa quando ela guardou o celular na bolsa. Antes de ir embora, Helena foi ao bar do pub e pediu uma dose de uísque. Tomou e limpou a boca no dorso da mão.

-Agora posso ir. - Deu a mão a ele e ambos saíram pela porta do pub. Ao passar pela porta, Jonathan esbarrou em uma mulher que chegava sozinha. Helena a cumprimentou enquanto Jonathan entrava no primeiro táxi que viu.

-Para onde vão? - o motorista perguntou.

-Só um minuto… - ela tirou da bolsa uma venda branca rendada para os olhos e fez menção para Jonathan colocar. Com os olhos dele tapados, ela entregou um papel para o motorista com um endereço.

-Vamos jogar um jogo? - Helena cochichou no ouvido de Jonathan.

-Acho que sim… - Ele estava inseguro.

-Ótimo. Essa noite, você vai ser o meu brinquedinho. - Ela apertou a coxa dele e deixou a mão pousada durante todo o percurso.

Helena ajudou Jonathan a sair do táxi, ela pagou a corrida e quando o táxi foi embora, ela tirou a venda dele. Ambos entraram em um hotel. Jonathan conhecia aquela região por ser um pouco perigosa.

No elevador, ela apertou o último andar. Jonathan estava começando a ficar bêbado e isso o deixava mais solto com mulheres. Colocou a mão no bolso e sentiu a caixinha de alianças ali. No elevador, viu o corpo de Helena. Ela estava com um vestido preto longo com uma fenda na lateral. Espiou a perna que estava levemente à mostra e quis colocar a mão por dentro da fenda e apertar a coxa dela. Sua garganta começou a secar com vontade de agarrá-la.

-Eu sei que está me olhando. Te vejo pelo espelho… - ela levou as mãos na alça do vestido. Jonathan agora observava pelo espelho ela tirar a vestimenta. Uma lingerie branca com espartilho se revelou. Na coxa direita, uma cinta-liga perolada servia como uma coroa para a pele pálida de Helena.

-Qual o nome do jogo? - Jonathan perguntou se posicionando atrás dela. Ele pegou o cabelo de Helena e ajeitou-o para o lado esquerdo. Beijou toda a lateral direita e as costas dela, apertando a cintura com seus dedos e deslizando para o quadril, puxando-o para perto do seu.

-A garota do Blues. - Helena virou-se de costas para o espelho. Jonahan contemplou a bunda de Helena. Ela usava uma calcinha rendada de duas tiras fio dental que estava quase enterrada.

-Vamos ajeitar isto. - Ele pôs uma mão em cada nádega e abriu para que a calcinha entrasse mais. Depois puxou-a para cima, fazendo Helena soltar um pequeno gemido.

O elevador chegou ao seu destino e Helena puxou Jonathan pela mão por um longo corredor. No caminho, cruzaram com um casal de idosos que apenas fingiram não ter visto nada, além de ficarem balbuciando reclamações incompreensíveis.

Chegando no quarto, Helena empurrou Jonathan para a cama. Colocou a bebida na boca dele e o beijou sugando o uísque de seus lábios. Desceu pelo pescoço tocando o torso dele. Jonathan estava excitado e abriu o seu zíper para colocar seu membro para fora.

-Você quer? - ela mordeu o lábio inferior e encarou os olhos embriagados de Jonathan. Ele fez positivo com a cabeça e deitou para relaxar enquanto ela devorava o pênis dele.

Ela continuou com os movimentos de vai e vem e alternando entre lambidas e mordidas. Jonathan estava prestes a gozar quando Helena subiu na cama e ficou de quatro.

-Ordeno que goze em mim. - Jonathan posicionou-se atrás dela e separou as tiras, uma de cada lado, penetrando-a com vontade. Helena gemia alto, estava gostando das investidas de Jonathan e logo gozou no pênis dele.

Jonathan viu Helena estremecer abaixo dele. Ela dava leves espamos de prazer. Estimulado por aquela cena, ele ejaculou no seu quadril, escorrendo pela coxa direita e se misturando à cinta-liga perolada.

Ele deitou ao lado dela e adormeceu. Em seus sonhos, Helena estava totalmente nua, envolta de laços brancos pendentes como nuvens celestiais. Um céu azulado, da cor de seus olhos. Um corpo alvo mesclado com leves nuances exóticos. Pérolas cobriam seu pescoço e pulsos. Apenas aqueles enfeites perolados entornavam a graciosidade do momento nostálgico de seu cérebro.

Amanheceu e a cama estava vazia. No criado-mudo ao lado da cama, estava sua caixinha de alianças, um papel dobrado e o celular de Jonathan.

Ele pegou o celular sonolento e viu uma mensagem de Helen. “Eu te vi saindo do nosso pub com aquela vadia.” Jonathan revirou os olhos e apagou a mensagem. Sentou na cama e olhou para o lado onde Helena dormira. Um par de luvas rendada branca estava posicionada em cima do travesseiro. Ele pegou as luvas e as cheirou. Um perfume forte emanou em suas narinas. Devia ser importado.

Pegou o papel dobrado que estava debaixo da sua caixinha de alianças e leu o que estava escrito.

Querido Jonathan, estava na cidade de passagem, finalizando os detalhes para o meu casamento. Testei contigo o que farei ao meu futuro marido nesta próxima noite. Quando você acordar, já terei partido. Vou gravar o seu nome na aliança que peguei, como uma lembrança. Por favor, faça o mesmo com a que ficou e a guarde com as luvas em cima do travesseiro. Com amor, Helena.

31. März 2020 23:05:12 5 Bericht Einbetten Follow einer Story
8
Das Ende

Über den Autor

Krishna Grandi Sou escritora, atriz e futura publicitária. Gosto de escrever sobre tudo um pouco, mas tenho focado em escrita erótica, contos de terror/horror e comédia. São os meus favoritos. Quero fazer amigos, contatos e parcerias. Contribuições sinceras e construtivas são sempre bem-vindas! Um beijo.

Kommentiere etwas

Post!
ML Maria Luiza
Ameiii, só tem esse capítulo?

  • Krishna Grandi Krishna Grandi
    Oii, amada! Siim, só esse capítulo! É um conto único. entretanto, tenho outros contos postados aqui na plataforma e comecei recentemente um romance novo: "Espionando Helena" <3 Beijinhos, seja bem vinda por aqui <3 2 weeks ago
Natan Donato Natan Donato
Adoro ler as tuas histórias! Quero mais!!!
May 24, 2020, 18:27

  • Krishna Grandi Krishna Grandi
    <3 Sempre pode ler mais, agora no meu Romance: Espionando Helena! <3 3 weeks ago
~