cecifrazier Cecília Frazão

Naruto gostava da vida de solteiro. Poder ficar com quem quisesse parecia ser libertador, entretanto, ele mesmo passou a se questionar sobre a própria sexualidade. Com uma mãozinha de Sakura, Naruto experimentaria algo novo.


Fan-Fiction Anime/Manga Nur für über 18-Jährige.

#narusaku #sasusaku #lemon #yaoi #naruto #narusasu #sasunaru
Kurzgeschichte
1
1.2k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Capítulo Único: Earned It

As gotas de suor percorriam toda a extensão de Naruto. Iam do peitoral torneado à virilha exposta. Os fios de cabelo grudavam na testa que era franzida hora ou outra, acompanhando os olhos fechados e a boca aberta, produzindo gemidos contidos. A mão direita de Naruto agarrava os cabelos rosados da mulher ajoelhada sobre um tapete felpudo que revestia o chão do quarto. De repente, Sakura interrompeu o boquete. Os olhos verdes encaravam os azuis de Naruto com agressividade. Ela parecia uma leoa prestes a devorar um antílope apavorado. Sakura foi para cima de Naruto e começaram a se beijar, entretanto, o homem parecia hesitante em dar o próximo passo. Percebendo isso, ela mesma deitou sobre o colchão e o puxou.

— Naruto... — Sakura tocou no rosto do loiro. — Me fode.

— Q-quê?! — Naruto teve um sobressalto. Afastou-se involuntariamente dela. — P-por que disse isso?

— Sinceramente, Naruto! — Sakura se levantou. Cruzou os braços na frente dele. — Eu não sei mais o que fazer!

— Como assim?! — Naruto abraçou a cintura de Sakura. — Você disse isso do nada! Eu me assustei!

— Eu pensei que gostaria, idiota. — Sakura se livrou do abraço. — Naruto... por acaso você é gay?

— Que pergunta é essa Sakura? Eu pareço gay pra você? — Ele indagou, indignado.

— Claro que parece! — Ela exclamou. — Você não me toca direito quando vamos transar e fica morrendo de vergonha quando falo sacanagem. Não sei se a cara que você faz é de prazer ou de desgosto.

— Sakura, veja bem...

— Tá tudo bem se você for gay, só para de me enrolar e diz logo que você não curte mulher! — Sakura começou a se vestir. — Essa não é a primeira vez, sabe? Eu gosto quando a gente transa, mas parece que tem algo de errado toda vez. Algo de errado com você!

Naruto nem sabia como agir naquela situação. Na verdade, ele não conhecia 100% a própria sexualidade. Ele gostava de mulheres, porém, empacava na hora dos ‘finalmentes’. Algo o impedia, e de repente, não se sentia mais tão empolgado ao ver uma mulher nua. Ele não queria contar à Sakura por serem amigos de infância. Não queria que ela se sentisse rejeitada, afinal, ela era muito, muito atraente.

— Eu não sei qual é o meu problema. Foi mal te decepcionar. — Naruto se cobriu com o lençol.

— Sabe qual o seu problema? — Sakura se sentou ao lado dele. — Você não fala o que sente. Você é muito permissivo, quer agradar todo mundo e no fim, é você quem se machuca. Eu quero transar quando você quiser. Não é pra você aceitar só porque eu quero, mas a questão não é essa. Você é gay? Não, deve ser bi. Você tá me deixando confusa!

— Eu não sei! — Ele exclamou. — Na hora não parece mais tão legal, pronto! Eu gosto de transar com você, gostava de transar com outras mulheres, mas, sei lá! Acho que falta alguma coisa. Não sei o que é.

— Experimente transar com um homem então. — Sakura deu um soco no ombro de Naruto. — Eu só não vou ficar com raiva de você, porque somos amigos, mas você fez eu me sentir lesada.

— Desculpa! — Naruto abraçou Sakura e a deu vários beijos pelo rosto. — Só que eu não conheço nenhum homem que goste de homens.

Sakura arregalou os olhos. Um sorriso de orelha a orelha se formou nos lábios avermelhados.

— Eu conheço alguém. — Ela deu uma risadinha, puxando o celular da bolsa tiracolo preta.

— Quem? — Naruto bisbilhotou o aparelho alheio, prestando atenção no que Sakura fazia. Quando ela abriu a foto do tal sujeito, o queixo de Naruto quase cai. — Não! Não pode ser! Ele é gay?!

— Ele pega o que cai na rede. Homem, mulher... ah, ele é um gato. — Sakura suspirou apaixonada. — Mas não me serve como namorado. Ele é muito frio, nunca sabia o que se passava pela cabeça dele. Por isso terminamos.

— Espera aí... você quer que eu fique com o teu ex-namorado? Isso não é antiético? — Naruto catou do chão a camisa laranja que usava antes de ser atacado pela rosada. — Tipo, ele sabe quem eu sou e tudo mais!

— Naruto, relaxa. — Sakura passou o contato do homem para Naruto. — Eu faço todo o esquema pra vocês, mas depois você vai ter que me dizer, de uma vez por todas, do que gosta!

x x x

Naruto estava prestes a ter um ataque de nervos. O encontro foi marcado em uma cafeteria requintada, com preços acima do orçamento do Uzumaki, entretanto, o homem em questão disse que pagaria a conta. Mesmo desconfortável, Naruto aceitou, afinal, o tal sujeito quem o convidara. Mesmo sabendo no que ia dar, Naruto aceitou.

O dia frio era propício para uma xícara de chocolate quente, mas, nada podia ser tão quente quanto o corpo de Naruto ao avistar o homem caminhar na direção dele. Foi como se o mundo rodasse em câmera lenta. Foi como se Sasuke Uchiha caminhasse na passarela. O cabelo balançando devagar por conta do vento, os olhos negros penetrantes e o estilo refinado derreteram o Uzumaki por completo. Ele não conseguia parar de encarar. Estava hipnotizado.

— Naruto? Boa tarde. — A voz grave de Sasuke ecoando daqueles lábios finos que emolduravam o sorriso perfeitamente alinhado foi suficiente para Naruto se arrepiar dos pés à cabeça.

— Boa tarde, Sasuke! — Naruto sorriu, caloroso, apesar do coração bombear acelerado.

— Eu demorei muito? Te fiz esperar, não é? — Sasuke parecia preocupado. Em que planeta aquele homem poderia ser frio, como Sakura disse?

— Não, você chegou no horário. Eu que cheguei mais cedo, porque geralmente me atraso para compromissos, mas esse eu não queria perder. — Aquela cantada foi involuntária. Naruto se sentia estranho, pois nunca tinha tentado ‘chegar’ em alguém do sexo masculino.

— Nem eu. — Dessa vez, o sorriso que Sasuke deu foi mais sedutor. — Bom, então, vamos entrar?

Naruto assentiu com a cabeça. Assim, adentraram a cafeteria e escolheram uma mesa próxima à janela. Logo que se sentaram, foram atendidos e fizeram os pedidos.

— O que você faz da vida, Naruto? — Sasuke puxou conversa.

— Eu sou professor de inglês em uma escola primária. — Naruto coçou a nuca.

— Já? Mas você parece tão jovem.

— Eu me formei cedo e não demorei para encontrar emprego. Tenho 25 anos. — Ele sorriu. — E você, o que faz?

— Sou redator publicitário e fotógrafo profissional.

— Nossa! — Naruto arregalou os olhos. — Até perdi o ar. Deixa esse humilde professor no chinelo.

— Pois eu acho a sua profissão a mais honrada que existe. Você passa conhecimento às crianças, que serão o futuro da nossa nação. Você tem uma enorme responsabilidade em mãos, então, não é um trabalho que qualquer um pode exercer. — Sasuke ajeitou o próprio cachecol que pendia para baixo. — A propósito, tenho 28. Não somos tão diferentes em idade.

O Uzumaki não disse nada, apenas sorriu e agradeceu com um gesto. Ele estava lisonjeado demais para agradecer verbalmente, e constrangido demais para prosseguir com a conversa. O jeito que Sasuke olhava era intimidador, mas atraente. Era sensual. Extremamente sensual. Naruto tinha vontade de acabar com aquela tensão e conversa desnecessária e agarrá-lo ali mesmo, no chão da cafeteria. Oh, céus... Naruto tinha acabado de ter desejos por um homem! E nem se deu conta disso! Efetivamente, ele desejou um homem como desejava uma mulher, ou quem sabe, mais que uma mulher. Será que ele era bi? Ou, de fato, gay? Naruto estava confuso...

x x x

Pegaram o metrô. Nem Sasuke, nem Naruto tinham ido ao encontro de carro. Um gosto em comum que descobriram no diálogo, era pelo transporte público. Naruto preferia pegar o metrô para economizar gasolina, e Sasuke para não se sentir tão sozinho. Ele gostava de estar entre as pessoas, porém não com as pessoas. Se é que isso fazia sentido. Naruto pôde perceber a solidão presente na fala do Uchiha, mas nada comentou sobre o detalhe. Achou que o momento não seria oportuno, e realmente, não era. Eles estavam a caminho da casa de Sasuke, pois o loiro fez questão de fazê-lo companhia. Mesmo achando estranho a empatia, o jornalista aceitou a proposta.

Desceram na estação, vazia por ser final de semana. O chuvisco caía discreto do céu, como quem não quer nada. Sasuke e Naruto tiveram que correr para não serem encharcados pela chuva traiçoeira, que se disfarçou de garoa e por fim, acabou desabando forte.

— As coisas não saíram bem como planejamos, não é? — Sasuke riu. Trancou a porta do apartamento e tirou os sapatos antes de adentrar a sala de estar. — Deixe seu casaco no cabide. Pode tirar as meias também, devem estar molhadas.

— Tudo bem. — Assim, Naruto o fez. — Seu apartamento é pequeno, mas é aconchegante. Eu gostei.

— Eu também gosto. Acredito que passa a sensação de confiança. — O moreno ligou o aquecedor e se sentou no sofá. — Quer ver algo na televisão?

— Eu acho que... — Naruto acompanhava Sasuke em passos lentos. — Podemos pular as formalidades. Concorda?

— Claro... — Sasuke espero o loiro também se sentar no sofá para pousar a mão sobre a coxa dele. — Prefere aqui ou no meu quarto?

— No seu quarto... — O mais novo mordeu o próprio lábio inferior involuntariamente. — Acho que tem mais espaço.

Sasuke segurou a mão de Naruto e o guiou em direção ao cômodo. As luzes apagadas e o quarto gelado fizeram Naruto ficar ansioso. Iria mesmo se relacionar com um homem? Será que não estava sendo precipitado demais? Deveria ter escutado Sakura? Deixado ela marcar aquele encontro às cegas?

Quando bem se deu conta, o rosto de Sasuke pairava sobre o dele, por ser ligeiramente mais alto. Naruto decidiu se entregar, fechando os olhos e beijando os lábios do outro, que o correspondeu de imediato. Sasuke o conduziu à cama, fazendo Naruto se sentar e ficando no colo alheio. Dessa vez, o Uzumaki não teve um sobressalto. Muito pelo contrário, o loiro pôs as mãos por baixo do suéter do Uchiha e tateou a pele alva como a areia da praia beijada pelo Sol. Era como se os movimentos de Naruto fossem involuntários, pois despiu o homem da peça superior que trajava. Contemplou com atenção o corpo desconhecido até então, guardando na mente os novos detalhes. De certo, era muito diferente dos traços delicados de uma mulher.

Sasuke, percebendo o fascínio de Naruto, sorriu de canto. Na hora soube que ele nunca havia ficado com um homem, pois reagiu da mesma forma na primeira vez que o fez. Sendo assim, o moreno deitou Naruto em cima do colchão e começou a beijá-lo. Não demorou muito para que Sasuke sentisse o alvoroço nas calças do loiro, entretanto, esse não estava diferente.

— Já posso tirar suas calças? — Sasuke sussurrou.

— Pode. — Naruto disse em meio a um suspiro.

Naruto se sentiu exposto por Sasuke estar vendo a ereção que teve, mas esse parecia não se envergonhar de tocá-lo sem pudor algum. Gemeu com os dedos hábeis adentrando a cueca box e em seguida, retirando a peça. De repente, o quarto se encontrava quente demais. Naruto tirou a própria camisa e resolveu tomar uma atitude. Segurou Sasuke pela cintura, trocando de lugar com ele. Deleitou-se com a lamúria do moreno. Isso fez com que ficasse mais excitado do que já estava. A calça que Sasuke usava logo se encontrou com o chão, entretanto, Naruto não sabia mais como prosseguir a partir daquele ponto.

— Deixa comigo. — Sasuke falou, como se tivesse lido os pensamentos de Naruto. — Fica relaxado.

Naruto assentiu. Sasuke pegou um tubo de lubrificante que guardava no pequeno armário ao lado da cama e encarou os olhos turquesas.

— Você nunca fez isso antes, não é? — Indagou. Não mediu esforços para começar a derramar o conteúdo do tubo em cima do pau de Naruto, que arfou com o toque gelado.

— Com um homem nunca... — Naruto apertou as coxas de Sasuke. — Mas eu posso pegar o jeito.

Sasuke sorriu. Entregou o recipiente ao Naruto, sugerindo o próximo passo a ser tomado. O loiro lubrificou os dedos e, devagar, os introduziu na cavidade anal de Sasuke. Ele manejava tão bem, que o Uchiha sentia prazer em todos os movimentos — e olha que aqueles eram apenas os dedos de Naruto.

Eles acharam suficiente as preliminares. Não se tocaram muito, entretanto estavam tão sedentos pelo prato principal, que nem quiseram degustar das entradas. Sasuke revirou os olhos quando Naruto o penetrou. O calor de ambos os corpos podia ser sentido. O Uchiha passou a rebolar no pau do loiro, fazendo-o envergar as costas. Era bom. Mais que bom. Naruto não tinha palavras para descrever a sensação, afinal, nem sequer conseguia pensar em nada. A mente estava em branco, que nem a de Sasuke. Os movimentos se tornavam mais necessitados e menos tímidos à medida que a quentura aumentava. O Uzumaki posicionou o Uchiha de quatro — a pedido do mesmo — e começou a fodê-lo com força. Sasuke persistiu em manter os gritos de prazer guardados, porém, não foi capaz de continuar. Ele simplesmente gritava e apertava os lençóis entre os dedos. Naruto sentia estar à beira da loucura. Eles pingavam de suor, mesmo a chuva resfriando o vidro da janela.

Sasuke foi quem gozou primeiro. A voz rouca, fazendo sons desconexos, enquanto a roupa de cama era maculada pelo gozo quente do Uchiha. Isso fez com que o pau de Naruto fosse pressionado com tanta força, que ele arfava e gemia alto. O loiro gozou logo em seguida, despejando todos os fluídos dentro de Sasuke. Esse se viu totalmente preenchido por dentro. Ele esperou Naruto sair, para se virar e deitar na cama. Olhava aturdido para o homem. O rosto tão branco se encontrava vermelho, detalhe que não era muito visível em Naruto por esse ter a pele bronzeada, mas o suor refletia na tez.

— Foi muito bom... — Naruto disse entre suspiros.

— Sim, foi mesmo. — Sasuke fechou os olhos.

De fato, havia sido incrível.

x x x

Mais tarde naquele domingo, Naruto saiu do apartamento de Sasuke. Durante todo o caminho, as cenas se repetiam na mente do homem. Não conseguia parar de pensar. As imagens de Sasuke sentando ficaram marcadas. As costas de Sasuke ficaram marcadas. O coração de Naruto acelerava ao se lembrar do que sentiu no ato.

Quando chegou em casa, foi recebido por Kyuubi, o gato laranja de estimação. Acarinhou o animal com um sorriso no rosto. Pelo menos, tinha “alguém” para recebê-lo, enquanto Sasuke passaria o resto da noite sozinho. Não precisava se importar com isso, não é? Eles não se conheciam. O que tiveram foi sexo casual. Foi uma experiência para Naruto, nada mais. Não queria se apegar, logo, preferiu não continuar pensando sobre o assunto.

Tarde demais. O celular tocou. Era Sakura, provavelmente querendo saber do encontro.

— Eu quero saber de tudo! — Foram as palavras ditas pela mulher assim que Naruto atendera.

— Bom, nada demais. Nós tomamos café, comemos, conversamos, fomos ao apartamento dele e transamos. Só. — Naruto se jogou em cima do sofá.

— Como assim “só”?! Eu quero detalhes! Quem comeu quem? — Sakura riu. — Anda, me fala!

— Ele meio que se deu conta que eu nunca tinha feito aquilo, então... digamos que eu fui o ativo. — Naruto teve que afastar o celular do ouvido, tamanho grito que a rosada deu. — Menos, por favor.

— Poxa, mas você ainda não sabe o que é ser fodido por um cara.

— Sakura, meu Deus!

— É verdade! Marquem um novo encontro e deixa ele te comer.

— Não sei se quero um novo encontro. — O loiro suspirou. — Eu não quero me apegar. Foi uma experiência nova, admito que muito boa, e se nós nos encontrarmos de novo, talvez eu...

— Vai apaixonar?! Pelo amor de Deus, né, Naruto! Você não pode namorar meu ex-namorado, isso é antiético! — Sakura exclamou.

— Mas quando você me jogou pra cima dele, não foi antiético?! — Ele estalou a língua. — Não quero criar expectativas, só isso.

— Tá, tá... — Ela se deu por vencida. — Descobriu se é gay ou não?

— Talvez eu seja bi...

— Quer fazer outro teste? — Ela sugeriu. — Eu não estou fazendo nada.

— Sakura, eu... — Naruto riu. — Eu acabei de “testar”, e estou acabado.

— Bora, você nunca me recusou. — Disse com a voz manhosa. — Eu sei que quer também.

— Que tal terça-feira? É o dia que eu recebo, vou poder te levar pra jantar.

— Nossa, como ele é romântico! — Sakura gargalhou. — Naruto, o que a gente tem, hein? Transamos, saímos juntos, eu te conto tudo, você me conta tudo... você me chama pra almoçar, jantar, tomar café, comer lámen... o que temos é quase um namoro, mas não é namoro, porque você e eu ficamos com outras pessoas de vez em quando. O que é isso?

— Nós... somos amigos. — Naruto se arrependeu assim que disse, pois percebeu o descontentamento na voz da rosada. — Melhores amigos!

— Você é ridículo. — Ela revirou os olhos, mas ele não saberia. — Ultimamente tenho pensado em parar com essas aventuras. Quero algo sério com alguém. Quero dividir não só uma cama, mas uma vida. Você é a pessoa mais próxima de mim, mas não sei se você tem essa mesma vontade ou se quer fazer isso comigo.

— Você gosta de mim?

— Gosto.

— Eu também gosto. — Ele suspirou. — Mas acho que você merece alguém melhor. Eu nem sequer me conheço inteiramente. Eu acabei de ficar com o seu ex e gostei. Você sempre valorizou a sinceridade, então estou sendo sincero.

— Entendo. Ah, quer saber? Esquece tudo o que eu disse. Não daria certo mesmo. — Sakura riu baixo. — Somos muito diferentes. E acho que é por você ser a pessoa que mais confio, que pensei em te namorar.

— Isso não afeta em nada a nossa amizade, não é?

— Não, relaxa. Agora eu preciso ir. Vou aproveitar o resto do meu domingo sozinha, já que você não quer ficar comigo.

Naruto riu. Eles se despediram e a ligação acabou. O que acabou de acontecer?

x x x

No dia seguinte, segunda-feira, Naruto seguiu normalmente com a rotina. Acordou às 5h, tomou banho, se arrumou, preparou o café e dirigiu à escola primária. Era dia de prova em 4 turmas, da segunda à quinta série. As crianças gostavam muito de inglês, até aquelas que falavam embolado ou trocavam as palavras. Ele amava os alunos como se fossem os próprios filhos e amava lecionar. Tinha 20 crianças em cada turma, logo, teve de carregar consigo 80 folhas de prova, o que causou uma confusão no meio da manhã, pois fazia provas diferentes para cada turma, porém, tudo deu certo no final. Perto do expediente terminar, recebeu uma ligação. O nome de Sasuke Uchiha apareceu no visor. Naruto ponderou se atendia ou não.

— Hmmm, é a namorada do professooor!!! — Um menininho da primeira série exclamou para a sala toda, e os colegas fizeram “hmmmm” uníssono.

— Nada disso, podem parar! — Naruto deu uma risada. — Com licença, preciso atender.

Ele saiu da sala. Respirou fundo antes de atender à ligação.

— Oi, Sasuke.

— Olá, Naruto. Como vai? — Sasuke perguntou com aquela voz que causava arrepios em Naruto.

— Vou bem. Eu estou na escola no momento. — Naruto coçou a nuca.

— Ah, sinto muito em te atrapalhar. É que eu quero te convidar para jantar comigo.

— J-jantar? — O pobre professor se engasgou. — Hoje?

— Sim... você tem outros planos? Se tiver, tudo bem.

— Não, não tenho. Apenas fiquei surpreso pelo convite. Eu quero jantar com você sim. — Na cabeça de Naruto, a frase soou como “eu quero jantar você sim”.

— Perfeito então. — Sasuke sorriu. — Eu te busco ou nos encontramos lá?

— Nos encontramos, não se preocupa! — Naruto exclamou. — Eu estou de carro. Onde vamos jantar?

— Eu te passo o endereço por mensagem.

Naruto concordou e finalizaram a chamada. O coração do loiro batia apressado. Ele mesmo concluíra que não criaria nenhum vínculo com Sasuke, mas lá estava ele, aceitando mais um convite. Quem poderia culpá-lo? O corpo do moreno era viciante. Naruto ajeitou a gravata.

x x x

O lugar que Sasuke escolhera não era refinado. Era, na verdade, um food truck especializado em comida coreana. Naruto estacionou do outro lado da rua. O relógio de pulso marcava 19h. Bem no horário. O coração do loiro palpitou mais forte quando viu Sasuke sentado em uma das mesas. O Uchiha acenou ao avistá-lo de volta. Naruto acenou também e foi até ele.

— Você não parece ser do tipo que se atrasa. — O moreno se levantou da cadeira. — É bem pontual.

— Eu teria chegado mais cedo se não fosse pelas provas para corrigir. Acabou não sobrando tempo. — Naruto sorriu. — Como você está?

— Melhor agora. — Sasuke puxou uma cadeira. — Por favor.

O rosto de Naruto esquentou.

— Eu nunca comi comida coreana. — O loiro disse ao se sentar, para quebrar o clima. — Ouvi dizer que é bem apimentada.

— Sim, é sim. Aliás, meus pais são da Coréia. Vieram para cá assim que se casaram.

— Sério?! — Naruto arregalou os olhos. — Mas você fala japonês muito bem!

— Você também. Visivelmente não é daqui. — Sasuke observava as opções do cardápio.

— Na verdade, é uma história complicada. — O Uzumaki coçou a cabeça. — Meu pai é estrangeiro, veio ao Japão para estudar economia. Minha mãe nasceu aqui, mas minha avó também é estrangeira. Meu avô é o único “nativo”.

— Ah, entendo. Por isso você não tem muitos traços asiáticos. — O moreno o olhava com atenção. — Enfim, vamos pedir? Eu recomendo esse: costelinhas mergulhadas em uma frigideira de queijo derretido. É o Deung Galbi.

— ...’Dun Gabi’? — Naruto tentou repetir o nome.

— Quase isso. — Sasuke riu.

— Eu gosto muito de queijo. E porco também. — Ele mal conseguia olhar para o Uchiha. Aquele sorriso...

Fizeram o pedido que rapidamente chegou à mesa. Escolheram também suco e refrigerante, pois estavam dirigindo e não poderiam consumir álcool. Naruto acabou se soltando mais ao longo da conversa. Falaram sobre família, trabalho e relacionamentos, até que o rumo da prosa mudou. Sasuke mandava indiretas provocantes que Naruto entendeu imediatamente. Esse convidou o moreno para visitar a casa dele, convite que Sasuke não recusou. Então, quando terminaram de comer e dividiram a conta — Naruto quis pagar dessa vez — o Uzumaki entrou no próprio carro e foi na frente, indicando o caminho. Sozinho, no carro, ele estava ansioso. Mal esperava para chegar em casa e ter Sasuke nos braços.

x x x

Estacionaram os carros em fileira na frente da casa de Naruto. Ele não tinha garagem, mas o bairro era tranquilo, logo não tinha risco de vandalizarem os veículos. Com as chaves em mãos, Naruto abriu a porta da residência. Deixou com que Sasuke passasse na frente, imitando o gesto do moreno no encontro.

— Por favor. — O loiro sorriu. Sasuke entrou e tirou os sapatos.

— Não sabia que você tinha um gato. — Sasuke disse, enquanto Kyuubi se esfregava nas pernas das cadeiras.

— Ah, é o Kyuubi. Meu filho, por assim dizer. — Naruto trancou a porta. — Fica à vontade.

Sasuke pôs o sobretudo no respaldo de uma das cadeiras de jantar. Observou o gato ir até Naruto e se esfregar nas pernas do mesmo.

— Ehh, Sasuke, eu vou tomar um banho. Você me espera? — Naruto disse, de repente.

— Claro. — Sasuke assentiu. — Posso ligar a televisão?

— Pode sim! — O loiro sorriu.

Em passos rápidos, o Uzumaki foi ao banheiro. Ele realmente estava com vontade de usá-lo para fins... fisiológicos. Justo naquela hora! Entretanto, melhor do que sentir vontade durante o ato. Seria terrível, com certeza. Após terminar o que tinha de fazer, tomou um banho bem tomado, lavando todas as partes do corpo. Todas. Por precaução. Acabou se distraindo e demorando mais que o previsto. “Droga, certeza que o Sasuke vai querer ir pra casa agora! Eu sou uma lesma mesmo”, foi o que pensou. Quando Naruto saiu do banheiro, Sasuke estava parado em frente à porta. O Uzumaki gelou.

— O que foi...

Sasuke o interrompeu com um beijo. Pressionara-o contra a parede, explorando a boca do loiro em um ósculo molhado. Naruto ficou surpreso. Não esperava aquilo. O submisso Uchiha do dia anterior havia desaparecido. Os toques eram firmes e dominavam Naruto de tal forma, que as pernas bronzeadas tremiam. Eles se beijavam voraz, desesperados para ter mais daquela sensação estonteante. Naruto parou o beijo por falta de ar.

— Acho que agora é minha vez. — Sasuke sussurrou. Percebeu o outro se arrepiar e sorriu. — É justo.

Naruto não conseguira responder, estava em êxtase. Foi virado de bruços para a parede. A toalha que cobria o quadril voou para o fim do corredor. Sasuke mordia o pescoço amorenado enquanto o masturbava. O Uzumaki se apoiou na parede com ambos os braços.

— Sasuke, eu quero... — Arfou.

— Quer o que? Fala pra mim...

— Me... fode... — Naruto fechou com força os olhos. Estava com receio de dizê-lo, mas a vontade falou mais alto. As palavras escaparam por conta própria.

— Com prazer. — Sasuke puxou o lóbulo do homem com os dentes.

O Uchiha começou a se despir ali mesmo, não se importando em largar as roupas no chão. Enquanto o loiro estava no banho, ele aproveitou para ir ao carro pegar o tubo de lubrificante. Era óbvio o intuito do encontro, logo não hesitou em levar o material consigo. Naruto arregalou os olhos ao ver o recipiente nas mãos de Sasuke, e a encarada na virilha desse também não foi nada discreta.

— Calma. — Sasuke beijou o maxilar de Naruto. — Se você estiver nervoso, não vai dar certo. Confia em mim.

Naruto assentiu. Todo aquele cuidado, toda aquela gentileza... o moreno poderia tirar tudo do Uzumaki com simples palavras bem ditas. Ele não sentia mais as próprias pernas. Estava quase flutuando enquanto iam ao quarto. Como quem adivinhou, o cômodo estava organizado e limpo. Geralmente, durante a semana, Naruto não arrumava o quarto por estar sem tempo. Ele deu muita sorte.

— Fica de quatro pra mim? — Sasuke disse ao pé do ouvido de Naruto.

— A-assim? — Naruto se posicionou, mesmo morrendo de vergonha.

— Você ainda tá tenso... — O moreno ajeitou o corpo do Uzumaki, fazendo com que esse se expusesse por completo.

— D-desse jeito mesmo, Sasuke? — Murmurou.

— Sim... — O Uchiha mordeu o lábio inferior.

Sasuke melou os dedos com lubrificante e adentrou a cavidade de Naruto. Quase gozou com o gemidinho do loiro. Ele era tão másculo, mas estava se contorcendo nos dedos do Uchiha. Quanto mais os toques se intensificavam, mais Naruto se agitava.

— Você quer... Naruto? — Sasuke ficou próximo ao rosto do Uzumaki. Esse, que o olhou de baixo, submisso, nem sequer respondeu. E não poderia, pois logo ocupou a boca com o pau quente de Sasuke. O moreno abriu um sorriso. Não esperava aquela atitude. Sasuke segurou as madeixas de Naruto e fechou os olhos. Apesar da visível falta de experiência, aquilo não deixava de ser excitante. — Tá... bom...

Naruto arfou. O coração batia acelerado e a temperatura não parava de subir. O lubrificante que Sasuke trouxera era justamente daqueles que esquenta!

— Me fode logo, Sasuke... — Naruto lamuriou. Não desejava outra coisa.

Sasuke, rapidamente, despejou o conteúdo do tubo sobre o próprio pau e mais um pouco em Naruto. Vendo que o Uzumaki estava bem relaxado, começou a penetrá-lo com cuidado.

— Naruto, calma... — Sussurrou, e pôs uma das mãos na cintura do homem.

Não demorou para que Sasuke estivesse por inteiro dentro de Naruto, que precisava se acostumar, afinal, nunca tivera o contato antes. Porém, o loiro tinha pressa. Ele quem começou a mexer os quadris primeiro, mais uma vez surpreendendo Sasuke. Com aquele pedido silencioso, o Uchiha não se conteve nas estocadas.

E quanto mais ele metia, mais Naruto pedia por mais.

Naruto viu outro lado de Sasuke. Um lado muito diferente da primeira vez que transaram. Naquele momento, Sasuke se mostrou dominante, e Naruto gostou disso. Gostou dos tapas na bunda, do puxão de cabelo e dos beliscões, mas gostou ainda mais de ter Sasuke gozando dentro. Ambos ficaram tão malucos um pelo outro, que não mediram forças para repetir. Naruto não tinha mais vergonha de gemer o nome de Sasuke enquanto ele o fodia em várias posições, e nem de ser mais bruto com o Uchiha, que de vez em quando, gostava de ser submisso.

x x x

Como ficou tarde, Sasuke acabou passando a noite na casa de Naruto. Ele não conseguia dormir, enquanto o homem do outro lado da cama dormia que nem um anjo. Naruto o observou por longas horas, gravando os detalhes do rosto fino. Antes de finalmente se deitar, pegou o próprio celular para mandar uma mensagem à Sakura:

“Desculpa, Sakura, eu me apaixonei”

18. März 2020 04:41:21 1 Bericht Einbetten 2
Das Ende

Über den Autor

Cecília Frazão Hey, eu sou a cecifrazier, mas, pode me chamar de Ceci/Zezi, já que praticamente todo mundo me chama assim. Eu escrevo fanfics e de vez em quando uma história original, poema, conto, etc. Já me viu por aí? Pois é, eu estou em vários lugares da internet mesmo. Fui do Nyah, depois fui do Social Spirit e agora estou testando novas plataformas, como o Inkspired, Wattpad e Sweek. Relaxa aí e vem ler as coisas que eu escrevo.

Kommentiere etwas

Post!
Way Borges Way Borges
Narutim, meu lindo, quem não se apaixonaria por um deus grego como o Sasuke? Eu sou cachorrinha dele, toda entregue para esse macho 2D, então não se preocupe com isso. Adorei os lemons, a historia, o Naruto como professor de crianças foi muito kawaii de se imaginar
~