0
3.6k ABRUFE
Im Fortschritt - Neues Kapitel Alle 30 Tage
Lesezeit
AA Teilen

Aliado X Apóstolos X Rocurt, Grulv e Smekopp

Já era por volta de uma da tarde, Ray antes de voltar para casa, passou em sua antiga toca, ele rapidamente pegou alguma carne dos corpos mortos e então finalmente retornou, essas eram tanto para ele, quanto para sua hospede, por falar nela, a gata deveria estar com bastante fome e cede, no fim quando Ray voltou, tudo parecia em ordem, como ele havia deixado, nada indicava que a gata havia fugido, sendo assim, logo ele deu um suspiro de alivio, o motivo deste era pensar, que talvez aquela gata, talvez possa ter ido embora, afinal ela estava em um local desconhecido e estranho, mas no fim, parece que nada aconteceu, então rapidamente Ray entrou para dentro, ele com certa rapidez passa pelo salão de entrada, entra em um dos buracos na parede e então vai rumo ao subterrâneo, passando pelas passagens e seguindo a linha no teto, no fim, após alguns minutos, o garoto finalmente chega no subterrâneo, tudo estava muito quieto e nem mesmo um respiro era ouvido, percebendo isso, logo o garoto vai rumo a plataforma de baixo, já que era ali que o gato estava. Antes disso é obvio, o lagarto põe os bambus, agua e a carne, que por sinal estava embalada em uma folha bem grande, no chão bem ao lado da entrada, após isso aí sim ele se dirige, a beirada do primeiro andar, para dar uma olhada, na gatinha que estava no andar de baixo, ele lentamente como quem não queria nada, andou até a borda, seus passos eram bem leves, mas ao contrário de antes, esses não estavam escondidos, pois não havia necessidade disso, já que ele estava em sua toca, no fim quando ele chegou na borda e olhou para baixo, Ray repentinamente foi surpreendido, além de quase morto, pois um vulto preto, tão rápido quanto o garoto, tenta acertar seu pescoço com um corte, esse ataque veio de baixo para cima e foi algo que deixou Ray assustado, mas ainda assim por sorte, nem um arranhão foi causado, já que com certa rapidez, o garoto consegue rolar para trás e escapar de um morte certa.

Após parar a cerca de cinquenta centímetros da borda, Ray novamente se vira para frete, seu olhar estava levemente arregalado, um suor frio seguia por seu corpo, mas o pior de tudo era essa presença ameaçadora, que estava bem diante de seus olhos, sim você não entendeu errado, o inimigo estava bem diante de Ray, mas ainda assim por que ele não atacou? Bom o motivo é simples, esse “inimigo” era a gata, essa já parecia bem melhor, além de bastante agressiva, pois logo em seguida, outro ataque é desferido, este foi com sua cauda, que por sinal era bem diferenciada, já que em sua ponta, havia uma espécie de lua crescente, esta brilhava em um tom dourado, além de parecer ser afiada, já que essa lua crescente, quase o segou, pois com um simples movimento em ziguezague bem rápido, foi o suficiente para Ray quase perde-la, além de dala uma oportunidade, de girar seu corpinho esbelto e flexível, fazendo assim um movimento com alta velocidade, que passou bem rente aos olhos de Ray, mas que por sorte não o acertou, no fim, após esse ataque o garoto com certo desespero e ironia fala:

-Espera! Espera! Gatinha! –Ray-

Após falar isso por um momento ela para, mas no fim isso só a fez parar de atacar, pois sua personalidade agressiva ainda continuou, já que ela grunhia e rosnava loucamente, para nosso protagonista, que por sinal voltou a respirar.

-Ok... (Respiração pesada), parece que finalmente você se acalmou, bom, eu sou Ray, qual seu nome? –Ray-

Novamente a gata rosna para Ray.

-Bom, esse não é o melhor jeito de tratar alguém que te salvou não é mesmo? –Ray-

-Cala a boca.... –Gata-

-O que? –Ray-

-Disse para calar a boca! Não quero saber quem é você! Só quero sair daqu-! –Gata-

Após isso o gato cai no chão, vendo isso rapidamente Ray vai até ela, mas antes mesmo dele se aproximar, algo o surpreende, isso era o estomago da gata, ele fez um barulho tão alto, que parecia mais um monstro, no fim Ray deu ao gato comida e ague, nesse momento, pareceu que as coisas começaram a fluir, pois enquanto o gato comia e ao mesmo tempo, olhava para o garoto com uma cara brava, ele começava a fabricar coisas com os pedaços de bambus, junto disso, logo eles começaram uma conversa saldável:

-Bom, pronta para me escutar? –Ray-

-Urg.... –Gata-

-Isso não foi educado sabia? –Ray-

-Quem liga? –Gata-

-AiAi, que sem educação…, você deveria pelo menos me agradecer, já que fui eu que salvei sua vida. –Ray-

-Sabia que ninguém tinha pedido sua ajuda? –Gata-

-Sim, mas ainda assim te salvei! Então um agradecimento é o mínimo que te peço. –Ray-

-Arg, ta bom! Muito obrigado…, qual seu nome mesmo? –Gata-

-Ray... –Ray-

-Muito obrigado, Ray, por me salvar de uma situação, que eu tinha total controle. –Gata-

Sim, sim, vi muito bem seu “controle”, hahahaha. –Ray-

-Não ria de mim! –Gata-

-Ok, Ok, foi mal. –Ray-

-Hump! –Gata-

Após isso, a gata começa a comer, ela estava bem apresada e vendo isso logo Ray cedeu sua parte para ela.

-O que é isso? –Gata-

-Minha parte. –Ray-

-Mas..., você não ta com fome? –Gata-

-Não esquenta eu como depois. –Ray-

-O-Ok! –Gata-

Nesse momento um grande sorriso se abre na face do gato e logo um sentimento familiar se instaura no ar, o garoto sabia muito bem que sentimento era esse, já que por muitos anos ele sentiu isso enquanto ficava ao lado de sua família, sim, esse era a felicidade, percebendo essa situação, logo o garoto pergunta:

-Ei gata, porque tanta felicidade em comer apenas uma simples carne? –Ray-

-Hum? Ei! Não fale assim de comida, ta bom? Todo alimento deve ser comigo com felicidade e gratidão, pois se você continuar assim você será PUNIDO! –Gato-

-Ok..., hahaha, que gata brava essa. –Ray-

-Ahhhh, por favor pare de me chamar de gata, eu tenho um nome sabia!? –Gato-

-Oh, é mesmo? Qual é então? – Ray-

-Catiwki é meu nome. –Catiwki-

Ouvindo esse nome, sem querer, uma pequena risada sai da boca de Ray, o garoto não queria rir, mas isso foi muito repentino e de certa forma, esse nome era bem engraçado, sendo assim sem querer, aquele risinho saiu, mas por conta desse, algo de muito ruim acontece, pois Catiwki acabou ouvindo essa risada, por causa disso, logo ela se virou para o lagarto e com olhos bastante assustadores, ela perguntou:

-Ei…, você acabou de rir do meu nome? -Catiwki

-Bem..., n-não, foi só imaginação sua. –Ray-

-Não! Tenho certeza que você riu! –Catiwki-

Lentamente a gata se levanta, seus pelos se arrepiaram e então logo, ela partiu para cima, vendo isso algo dentro de Ray, instantaneamente viu o que precisava fazer, nesse caso era correr, já que ele não bateria no seu hospede, no fim essa perseguição durou um bom tempo, pois eles deram várias voltas no primeiro piso, mas depois logo foram para o segundo e em seguida para o terceiro, no entanto não acabou por ai, eles após darem voltas parecendo gato e rato, acabaram por começar a pular de parede em parede, no fim, essa perseguição apenas acabou quando o garoto foi mordido, essa não o causou danos, mas o fez ver a cara de Catiwki, ela estava lacrimejando, percebendo isso no mesmo instante, o garoto olha para os ferimentos da gata, eles se abriram e estavam esguichando sangue, afinal ela se moveu muito por todo o lugar perseguindo Ray, no fim Ray se solta e então dá um leve cascudo, na cabeça da gata, que logo fala com um tom bem bravo:

-Ei, o que acha que está fazendo?! –Catiwki-

-Te dando uma dura, sua idiota! Se você está sentindo dor pare de me perseguir e sente-se! –Ray-

-Como você.... –Catiwki-

-Como eu sei!? Bom, primeiro você está lacrimejando, segundo seus machucados se abriram e terceiro sua respiração ficou pesada! –Ray-

-Tan-Tanto faz, um pequeno exercício na faz mal. –Catiwki-

-Cala a boca e deite ali! –Ray-

-O garoto aponta para onde havia o cristal com luz. –Catiwki-

-Na-Não vou seguir as suas ordens, você não é meu pai. –Ray-

Ouvindo isso, logo uma pequena veia pulsa na cabeça do garoto e então com apenas um de seus cinco dedos, Ray lentamente encosta em um dos machucados da gata, essa ao sentir isso apenas cai no chão e com uma cara de dor fala:

-Por favor, me ajude. –Catiwki--

-HeHeHe, claro que sim gatinha. –Ray-

Após isso o garoto com muito cuidado, carrega a gata para perto da pedra de luz, ele estava de certa forma feliz, pois parecia que eles finalmente estavam se entendendo, logo que desceu para a segunda plataforma, Ray a põem no chão e então fala:

-Fica aí e não se move, vou procurar mais da flor azul, beleza? –Ray-

-Ok, pode deixar…, mesmo se eu quisesse não posso ir para muito longe. –Catiwki-

-HaHaHa, ok, então já vou indo. –Ray-

-Ok... –Catiwki-

Logo após dizer isso, o garoto sobe para o primeiro andar e então logo vai para fora. Ainda era por volta das quatro da tarde, o sol não havia se posto, mas logo iria, então com isso em mente, Ray parte para procurar por mais plantas, já que todas que haviam em sua área, aparentemente acabaram, no fim ele saiu por aí andando e procurando essas plantas, que por sinal, o garoto percebeu que era um pouco rara, mas mesmo essas sendo difíceis de s encontrar, ele deu um jeito e acabou encontrando algumas, essas estavam no pé de uma arvore e deveriam ser o suficiente para ajudar Catiwki a melhorar, pelo menos por hora, pois as poucas plantas encontradas, não seriam o suficiente para dois dias, sendo assim, mesmo querendo mais, Ray teve que voltar para casa, essa estava a alguns minutos de seu atual local, sendo assim, o garoto tinha de ser rápido, pois o sol estava se pondo e a noite surgia, junto dela vinham os animais noturnos, esses eram mais perigosos que os diurnos, pelo menos em sua maioria, afinal haviam suas exceções, pois, ainda havia aquele macaco evoluído, que uma hora ou outra, Ray deveria enfrentar, já que além de ser uma ameaça para o garoto, ele não era apenas um animal simples, aquele macaco-tigre, era mais como um monstro, que provavelmente só pensava em matar, sendo assim, essa ideia ia contra os princípios de Ray, que era “mate apenas o necessário, sendo essas mortes, para uma evolução ou para consumo de comida”, sendo assim, se ele queria manter essa sua ideia, Ray deveria eliminar o macaco, mas infelizmente não por agora, pois nesse momento, o garoto deveria apenas se focar em levar as ervas, para Catiwki. Após alguns minutos, Ray já estava bem perto de sua casa, ele estava completamente focado em sua missão, pelo menos na maior parte, pois conforme escureceu, o garoto viu algo que o interessou muito, Ray viu mais pedras de luz, essas tinham diversas cores e tamanhos, mas havia um problema, elas estavam em um local bem complicado de se ir, esse local era uma caverna, essa tinha dois quilômetros de altura, além de ser bastante profunda, por conta disso, a mesma tinha um ar bastante sinistro, mas ainda assim não era nada demais, pelo não menos por fora, já que por dentro havia algo descomunalmente assustador. O garoto apenas descobriu isso, porque ele havia ido investigar, já que estava bem perto de casa, mas ao fazer isso ele viu uma criatura, que apenas tinha visto em filmes e jogo, essa era um dragão, mas não do estilo normal que todos conheciam, ele parecia ser um dragão chinês, pois seu corpo era de uma serpente, seus olhos eram como os de um tigre, seus chifres ondulados lembravam os de um veado e por fim seus bigodes que eram semelhantes a de uma carpa, comprovavam sua nacionalidade, no fim vendo esse ser e desconhecendo seu poder, Ray não quis incomoda-lo, pois obviamente, o pequeno lagarto não tinha o que era necessário, para enfrenta-lo e pegar algumas pedras, sendo assim Ray apenas foi embora e deixou o gigante dragão ali.

Já estando perto de casa, o garoto diminuiu um pouco o passo, pois ele de certa forma estava em uma região segura, logo ele se sentiu à vontade para diminuir um pouco, sendo assim quando o mesmo chegou em casa, já era noite, uma escuridão sem fim tomava conta do lado de fora e um sentimento maligno corria a solta, percebendo isso, logo o garoto soube, era “ele”, o macaco-tigre, esse deve ter saído para casar ou de ter acabado de acordar, bom isso não importa, pelo menos por agora, nesse momento Ray apenas deveria entrar em casa, além de se afastar da floresta a noite, sendo assim logo o garoto entra e então fecha a entrada, após isso ele simplesmente segue para baixo, rumo a Catiwki, o garoto estava de certa forma bem apresado, já que além de estar um pouco preocupado, com o estado da gata, Ray com toda certeza seria detectado por predadores, se o mesmo ficasse ali em cima, então em poucos segundos, ele já entra dentro dos tuneis e então vai rumo ao andar de baixo, nesse caminho, logo o garoto percebe que já estava na hora de começar a caçar, pois do jeito que as coisas estavam indo, esse precipício, em pouco tempo estaria cheio de evoluídos, esses seriam além fortes, complicados de mais, para se enfrentar, então nesse caminho Ray decidiu que no dia seguinte ele procuraria animais para enfrentar e evoluir. Após ter esse devaneio e se decidir no que iria fazer, Ray logo chega no segundo andar, tudo estava muito quieto, percebendo isso o garoto logo vai rumo a gata, ele achou que algo ruim poderia ter acontecido, mas ao chegar na borda, Ray a encontrou deitada, ela estava estática e prendendo a respiração, vendo isso logo o garoto com um tom meio bravo fala:

-Ei! Pare de fazer isso! Você vai acabar desmaiando! –Ray-

-Hum? Ah! Cale a boca idiota! –Catiwki-

-O que? Você ainda continu-!? –Ray-

Antes mesmo dele acabar de falar, a gata pula em cima dele, ela com suas patinhas peludas, tampa a boca do garoto e fala sussurrando:

-Escute com atenção. –Catiwki-

Após dizer isso um silencio se instaura e então…”BOOM”…isso não foi uma explosão, mas sim o passo de alguma coisa, ele ou ela era grande, além de feroz é claro, percebendo isso logo Ray suou frio, seu corpo congelou e ele não sabia o que fazer, afinal esse monstro, que estava andando acima deles, não era comum, ele provavelmente era um ser poderoso, que não eram desafiados por ninguém no precipício, com isso em mente, Ray sentiu medo, seu corpo contraiu, o pequeno coração do lagarto, instantaneamente acelerou, uma tremedeira irritante passou por ele, além disso sua respiração começou a variar de leve para pesada, isso era um saco, pensava o garoto, no entanto não havia não que podia ser feito, então logo o garoto apenas esperou o monstro ir embora. Após trinta minutos os barulhos se afastaram, percebendo isso, o garoto logo se acalma e então com certa seriedade pergunta:

-Mas que merda foi essa? –Ray-

-Provavelmente foi um apóstolo.... –Catiwki-

-Apostolo? Mas o que é isso? –Ray-

-Bom podemos dizer que esses, são os seres mais fortes, do precipício, além de serem aqueles abençoados, com a proteção de Jhormumtan. –Catiwki-

Após a gata terminar de falar isso, Ray de certa forma entra em choque, pois ele nesse momento, acabara de percebeu o quão fraco era, já que com apenas a presença daquele ser, o garoto acabou ficando praticamente de joelhos, afinal seu corpo e alma fraquejaram, sendo assim, logo ele deveria ficar forte, pois esses monstros, eram o que estavam a sua frente, pois mesmo que o garoto, não quisesse enfrentar um apóstolo, Ray de todo jeito iria uma hora ou outra dar de cara com um, além disso ainda havia sua promessa de matar Jhormumtan, por conta disso, logicamente eles sendo os apóstolos da serpente, não deixariam alguém matar seu senhor, sendo assim com isso em mente, o garoto apenas respirou fundo e com um sorriso no rosto, falou para gata:

-HaHaHa, então esse é um dos caras, que eu almejo matar? –Ray-

-É...., pera! O que!? Tá maluco!? –Catiwki-

-HaHaHa, não mesmo, esses caras são minhas presas! –Ray-

-Cara…você sabe, que eles são os mestres desse lugar, não é? –Catiwki-

-Bom, agora claro que sei, mas ainda assim não é só por isso, que agora vou fraquejar! Já que esse era um de meus objetivos. –Ray-

-Você é mesmo um maluco, por ter um objetivo desses. –Catiwki-

-Não sou maluco! Apenas quero poder. –Ray-

-Pfff, você vai morrer, antes mesmo de conseguir o que almeja... –Catiwki-

-Bom, bom, bom, tanto faz..., mas agora me fala quantos apóstolos tem. –Ray-

-Você realmente na ta brincando né. –Catiwki-

O garoto sorri para a gata e fala:

-Claro que eu não estou, afinal desde quando eu brinco. –Ray-

-Véi..., como eu fui conseguir um mestre, que nem você? –Catiwki-

-Que? Mestre? Como assim? –Ray-

-Ah…, bom, podemos dizer que após você me salvar, automaticamente eu me endividei com você, sendo assim de acordo com a tradição de meu povo, uma dívida como essa, só pode ser paga com uma espécie de servidão, então logo euzinha aqui, estou presa a você pelo resto da minha vida. –Catiwki-

Após ela falar isso a expressão de Ray muda completamente, ele não sabia se ficava feliz ou bravo, pois aquela gata ali seria mais um problema, não que ela era chata, mas sim porque ela poderia virar um ponto fraco, para Ray, sendo assim ele logo toma um tempo para pensar, esse durou poucos segundos, pois logo em seguida, Ray pergunta:

-O que aconteceria se eu a jogasse para for agora? –Ray-

Ouvindo isso a gata arregala seus olhos e então com uma cabeça baixa, além de um sorriso triste, ela fala:

-Eu apenas ficaria lá de fora, já que aqui dentro, eu não posso ficar. –Catiwki-

Vendo sua expressão e sua fala, Ray percebe os sentimentos da gata, ela realmente estava levando isso à risca, sendo assim logo o garoto, nunca a mandaria para fora, já que além de ela ser alguém que o mesmo salvou, Catiwki fraca como estava, não sobreviveria por muito tempo, afinal ela ficaria no escuro, em meio a predadores e ao frio da noite, sendo assim logo Ray com um tom mais alegre fala:

-Não se preocupa..., eu apenas queria ver se isso realmente era sério, com isso confirmado, parece que eu devo te dar boas-vindas! –Ray-

-O-O que? –Catiwki-

-Você não vai ser mandada para fora, eu aceito essa sua tradição, mas com apenas uma condição. –Ray-

Ouvindo isso, logo ela pensa: “Lá vem o trabalho escravo”. E então pergunta:

-Qual condição? –Catiwki-

-Não seja minha servente, eu quero você como uma amiga! –Ray-

Após ouvir isso a mente da gata por alguns segundos fica em branco, mas logo depois algo bem inesperado acontece:

-AHAHAHAHAHAHAH! –Catiwki-

-O-O que? –Ray-

-AiAi, essa é a primeira vez que eu vejo um animal assim, ahahahahahaha! –Catiwki-

-Ei como assim? –Ray-

-Bom, digo..., geralmente os que tem esse tipo de dívida, são forçados a serem escravos ou logo são devorados por seus mestres. –Catiwki-

-HaHaHa, bom não se preocupe, sou diferente dos outros, eu nunca faria isso com quem não merecesse, afinal agora realmente sei, quem eu serei nesse lugar! –Ray-

-Hm? Como assim? Que idiotices você está falando? –Catiwki-

-Como posso dizer? Ah! Bom, podemos dizer, que eu aqui, realmente decidi o jeito de me comportar nesse local. –Ray-

-... –Catiwki-

-Eu sei que isso é estranho, mas antes de nos encontrarmos, eu estava em um dilema, nesse eu estava indeciso em qual direção ir, já que nesse lugar, perdão, compaixão e coisas assim não existem, mas no fim eu não consegui seguir, o caminho da carnificina e da maldade, eu escolhi o caminho onde eu faço o que quero. –Ray-

-Que idiotice é essa? Isso é apenas uma desculpa, para poder salvar os outros e não ser a porra de um hipócrita, ao caçar e matar? –Catiwki-

-Sim! Com isso, posso fazer qualquer coisa, inclusive essas, já que com apenas isso, os outros não me julgaram tanto. –Ray-

-Você realmente se importa tanto assim, com o que eu penso sobre você? –Catiwki-

-Hum? Como assim? –Ray-

-Bom eu sou a única a sua volta. –Catiwki-

-Ah…, podemos dizer que sim, já que de certa forma, você é parte do meu ciclo social agora, então não quero passar uma imagem, de ser a porra de um hipócrita. –Ray-

-Você realmente é um idiota, sabia não precisava fazer todo esse discurso, ne? –Catiwki-

-Sabia, mas ainda assim é mais legal assim. –Ray-

AiAi, só para dizer que você não vai seguir a rodinha, foi preciso tanto tempo..., que desperdício. –Catiwki-

-Bom..., você está certa, já que nesse abismo ninguém ligaria, em dizer que não vai seguir o natural, mas ainda assim eu ligo, pois, minha índole, meu ser e quem eu sou, não é o mesmo de todos, por isso, vou seguir o que acho certo, sendo assim, pelo menos por enquanto vou tentar mudar esse lugar, já que vou ficar aqui por muito tempo, mas mesmo se não conseguir muda-lo, vou pelo menos dar a chance de todos terem o direito de viver e sonhar! –Ray-

-Que idiota, mas ainda assim, essa idiotice combina com você, afinal você realmente parece ser, alguém que não se importaria, de atrapalhar o ciclo da floresta, salvando alguém e dando o poder aos mais fracos. –Catiwki-

-AAHAHAHHA, viu só você já me conhece pelo menos um pouco agora! –Ray-

-Ok, ok…, mas agora, vamos ou não pôr o remédio em minhas feridas? –Catiwki-

-Ah! Sim vamos! –Ray-

Após isso Ray se ajeita para perto Catiwki e então lentamente, o pequeno cuidador pergunta:

-Como eu aplico isso? –Ray-

-Ham? Você não sabe? –Catiwki-

-Obvio que não! –Ray-

-Se você não sabe e nunca fez, como tu cuidou de mim? –Catiwki-

-Bom..., podemos dizer que foi sorte ou apenas tentativa e erro, já que eu tentei tudo ao meu alcance. –Ray-

-Ata, mas agora por favor aplique direito ok? –Catiwki-

-Tudo bem, mas como? –Ray-

-Só mastigue e então aplique. –Catiwki-

-Pode deixar, minha senhora! –Ray-

-HoHo, gostei disso, então por favor meu servo, continue com esse tratamento. –Catiwki-

-AiAi, nunca vi alguém que se acha tanto assim, que nem você. –Ray-

-E o que a de errado nisso, é apenas natural nos, nos acharmos e adorar nossa própria existência, quando somos permitidos, ter tais privilégios. –Catiwki-

-Saquei, mas ainda assim, acho meio egocêntrico de mais. –Ray-

-O que é egocêntrico? –Catiwki-

-Você não sabe o que é isso? –Ray-

-Não..., pode me falar o que é? –Catiwki-

-Claro! Bom, como posso dizer..., ser egocêntrico é quando você faz atitudes ou comportamentos, que são voltados a si mesmo. –Ray-

-Humm..., é eu talvez seja u pouco egocêntrica, hahaha. –Catiwki-

-Sim, você é um “pouco” egocêntrica. –Ray-

Após isso, o garoto e a gata conversaram mais, pelo menos até o começo do tratamento, já que nesse momento, Ray não podia falar nada, afinal sua boca estava cheia de ervas medicinais, no fim esse tratamento acabou bem sucedido e logo o garoto voltou a fazer, o que estava fazendo, isso era os objetos que Ray estava esculpindo, nos troncos de bambu azul, esses objetos não estavam prontos, mas logo estariam, afinal com o ânimo de Ray, esses seriam fáceis de serem terminados, antes da hora de dormir, no fim o garoto acabou o que estava fazendo e então logo, Ray estava em posse, dos primeiros materiais de cozinha, feitos nessa floresta, pois o garoto com as madeiras pegas, fez três objetos, esses foram dois pratos, feitos com as madeiras de vinte centímetros e um pilam que havia sido, confexionado com a única de dez, no fim já era muito tarde da noite, o garoto estava cansado, mas repentinamente, algo retorna a sua mente, esse era uma pergunta, que o garoto já havia feito, só que antes de ter uma resposta, essa acabou sendo esquecida, pois no meio de sua resposta, muitas duvidas surgiram e a conversa que antes ia para um lado, se inverteu para outro, sendo assim, logo Ray foi até a gata. Ela estava quita em um canto, bem ao lado da luz azul do cristal, mas mesmo quita, a mesma não dormia, ela estava sem sono, afinal sem muito exercício e acordando tarde, quem não ficaria sem sono, mas no fim essa falta de sono foi boa, pois novamente proporcionou ao garoto, uma ótima chance de conversa, sendo assim para aproveitar ao máximo o empo, Ray logo fala:

-Ei Iwki. –Ray-

-Iwki? Mas que porra é essa? –Catiwki-

-Não é nada é apenas um apelido, então não se importe muito. –Ray-

-Que merda. –Catiwki-

-Ei, no fale assim, demorei muito para escolher esse apelido! –Ray-

-Bom, já que é assim, demore mais da próxima vez, ok? E escolha um melhor. –Catiwki-

-De jeito nenhum, esse é seu apelido! Pronto e acabou! –Ray-

-Arg...., mas vamos, fala o que você quer? –Catiwki-

-Nossa como você sabia, que eu iria te pedir algo? –Ray-

-Bom, não sei, apenas dei sorte. –Catiwki-

-Ok, ok, vamos deixar na sorte então, mas já que você quer saber logo de cara…, quantos apóstolos existem? –Ray-

-Ah! É mesmo, não tinha tem respondido ne? –Catiwki-

-Não, mas agora você pode. –Ray-

-Bom…, para falar a verdade eu não sei ao certo. –Catiwki-

-Como assim? –Ray-

-Digamos que apóstolos surgem e desaparecem, no fim é quase impossível saber ao certo, mas de acordo com minha família, eles provavelmente passam os cem. –Catiwki-

-Ou! E todos estão aqui no precipício? –Ray-

-Não! Tá maluco?! -Catiwki-

-Bom, dependendo da sua definição de maluquice, talvez hehehehe. –Ray-

Após falar isso, Catiwki com suas patas de traz, dá um coice na cara do lagarto, esse logo caiu no chão e ouviu um pequeno sermão:

-Pare de ficar brincando, idiota! –Catiwki-

-Nossa que agressiva! Não precisava disso sabia? –Ray-

-Hump, claro que precisava, já que se não fizesse isso, você não pararia de fazer piadinhas. –Catiwki-

-Humm..., talvez você tenha razão... –Ray-

-Ha! Eu sempre tenho razão! –Catiwki-

-Ok, senhora sabichona, mas agora continua aí, por favor. –Ray-

-Ta! Bem, como eu falei, existem mais de cem apóstolos no mundo, esses não estão localizados apenas no precipício, muitos estão em locais escondidos, apenas dormindo, já outros estão por aí espalhando o caos e também há aqueles, que de certa forma governam regiões, como é o caso dos que estão aqui. –Catiwki-

-Interessante, mas temos como localiza-los? –Ray-

-Obvio que não! Os únicos que são fáceis de se localizar, são os que estão no precipício. –Catiwki-

-Hummm..., quantos há por aqui? –Ray-

-No precipício ou na nossa região? –Catiwki-

-No precipício. –Ray-

-Bom, tem o total de três, primeiro vem o Rocurt, a tartaruga do pântano, essa se localiza totalmente ao sul do precipício, em segundo lugar está a Grulv, o lobo da cascata gélida, esse se localiza na ponta norte, bem na nascente do rio e por último Smekopp, a aranha do centro, essa como já pode ter visto, se localiza no centro do precipício, em resumo, no nosso local atual. –Catiwki-

Após a gata terminar de falar, um silencio repentino se instaura no ar, percebendo isso, logo ela achou que talvez, Ray tivesse repensado sua ideia estupida, de enfrentar os apóstolos, mas infelizmente não era esse o caso, pois minutos depois da fala da garota, o pequeno lagarto com um grande sorriso fala:

-Ok! Já sei quem eu irei casar primeiro! –Ray-

Ouvindo isso, a gata dá um suspiro e fala:

-Como você é idiota. –Catiwki-

-Eu não sou um idiota, sou apenas um caçador! –Ray-

-Aham sei, mas enfim era só isso mesmo, não tenho mais nada para te ajudar. –Catiwki-

-Tudo bem só isso já foi de grande ajuda! Afinal agora a sei para que lado vou ir! –Ray-

-HaHa, bom tanto faz, já que de todo jeito você vai morrer mesmo. –Catiwki-

-Ei! Eu não vou morrer, acredite em mim! –Ray-

-Ok, ok, me fala isso de novo quando você matar um tigre-morcego, beleza? –Catiwki-

-Arg, como você é chata. Sabia que você é chata? –Ray-

-Sim e sabia que você é um idiota? –Catiwki-

-Bom, pelo menos eu sou um idiota poderoso! –Ray-

-HAHAHAHA, não se ache apenas por ter matado, míseros gatos do sol, existe muitos seres mais poderosos, que com toda certeza, você terá de enfrentar, para conseguir seu objetivo. –Catiwki-

-Por que você tem, que estragar minha felicidade tão rápido? –Ray-

-Bom, não é minha culpa, se sua felicidade é a morte. –Catiwki-

-Ahhh, tanto faz! Vou mostrar a você o quão forte eu posso ser! –Ray-

-Sim, sim, vai lá. Pelo menos essa toca, vai ser minha no fim! –Catiwki-

-Nesse caso nossa, porque eu não vou morrer. –Ray-

Esse discursão continuou por um bom, tempo, pelo menos até os dois dormirem e então passarem a noite, no conforto do subterrâneo, no fim essa foi uma noite fria, mas tranquila, já que nenhum barulho pode ser ouvido pelos dois, no entanto esse conforto e segurança, logo se acabariam, pois, um grande mal estava por vir, esse corria pela noite caçando, matando e devorando, seu objetivo até o momento era desconhecido, mas uma coisa era certa, esse ser tinha de ser eliminado o quanto antes, com isso em mente, certas tribos de animais, buscavam ajuda de um campeão, que fosse forte o bastante para ajuda-los em sua cruzada.

20. Januar 2020 18:32:51 1 Bericht Einbetten Follow einer Story
1
Lesen Sie das nächste Kapitel Reformas X Encontro X Reunião

Kommentiere etwas

Post!
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Olá! Escrevo-lhe por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para verificar o cumprimento das Regras comunitárias e ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se você não quiser verificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através de Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada "Em revisão" pelos seguintes apontamentos retirados dela: 1)Pontuação: Falta de pontuação para separar vocativo de frases. "Ray antes de voltar para casa, passou" em vez de "Ray, antes de voltar para casa, passou"; "Antes disso é obvio" em vez de "Antes disso, é óbvio"; "mas ainda assim por sorte" em vez de "mas ainda assim, por sorte". 2)Acentuação: "hospede" em vez de "hóspede"; "alivio" em vez de "alívio"; "obvio" em vez de "óbvio"; "agua" em vez de "água"; "ta" em vez de "tá". 3)Outros: uso de vírgula para unir frases que deveriam estar separadas por ponto, como "sua antiga toca, ele rapidamente pegou alguma carne" em vez de "sua antiga toca. Ele rapidamente pegou alguma carne" e uso de ponto seguido de uma nova frase que deveria estar em um parágrafo novo em vez de no mesmo — é algo presente em vários trechos da história. Uso de dois tempos verbais na narrativa, como "entrou" — no pretérito — e "passa" — no presente. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, e os betas do Inkspired, quando contratados, fazem uma análise detalhada da sua história e a enviam através de um comentário. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
February 05, 2020, 13:35
~

Hast Du Spaß beim Lesen?

Hey! Es gibt noch 1 Übrige Kapitel dieser Story.
Um weiterzulesen, registriere dich bitte oder logge dich ein. Gratis!

Mehr Stories