Queime, Ember, queime Follow einer Story

kitsune_1545768127 Kitsune 狐

Ember, uma garota estranha e reclusa. Quase ninguém sabe nada sobre ela, na verdade, nem ela mesma sabe. Na escola é chamada de estranha, anormal. Tem como apelido "Fogo" e "Chama" devido aos cabelos ruivos alaranjados. As pessoas não se aproximam dela, ela não se aproxima das pessoas. Viveu e cresceu num orfanato onde sofria constantemente bullying, agressões físicas e verbais das freiras e dos "colegas". Nunca tivera uma vida boa ou fácil, mas, incrivelmente, ela descobriu que tinha como piorar.


Drama Nicht für Kinder unter 13 Jahren.

#fantasia #fogo #elementos #suspense #drama
0
1.9k ABRUFE
Im Fortschritt - Neues Kapitel Alle 30 Tage
Lesezeit
AA Teilen

Capítulo 1 – Fogo

Há chamas em suas mãos e tudo à sua volta está em brasa, as árvores ainda crepitam, o solo permanece quente e sua pele arde.

Ember: era esse seu nome, e fazia todo o sentido agora.

Nunca entendeu porque foi deixada para trás. Pelos seus pais, por sua família, por aqueles a quem achou que poderia chamar de amigos.

Ela se sentia só, abandonada, esquecida. Sentia ódio, sentia dor.

Suas roupas queimaram com a combustão, seu corpo permanecia quente, pronto para uma nova explosão e Ember sabia que viria logo.

Suas pernas falharam e seus joelhos se dobraram, jogando-a ao chão. Suas mãos com chamas quase mortas foram ao rosto, lágrimas insistentes tentavam escorrer pelas bochechas, mas evaporavam instantaneamente ao simples contato com a pele.

O arrependimento a atingiu, não bastasse todos os pensamentos e sentimentos, agora teria que lidar também com a culpa.

Ela queria gritar, mas quem a ouviria? De nada adiantaria.

Ember tremia, carregar o fardo do seu nome e de seu poder era grande demais, ela não conseguia simplesmente lidar com aquilo.

Era apenas uma garota, no auge dos seus 17 anos, queria uma vida normal, uma adolescência como a dos outros.

Mas ela fora privada de tudo aquilo, aqueles que deveriam ser responsáveis por ela, protege-la, são tão culpados quanto ela. Quanto a chama que queima em seu coração e, que agora, exala por sua pele irrompendo por todo seu corpo.

Sua vida era o próprio inferno, aquilo tudo era demais para aceitar, para processar, para continuar.

E ela não queria continuar. Não queria seguir em frente, levantar dali, voltar a sua vida. Não queria mais viver.

Mas como morreria? O fogo que crepitava em seu interior não permitiria sua morte, e agora ela entendia isso. Ninguém poderia matá-la, nem ela mesma. Ela era insaciável, intocável, incansável, inalcançável. Ela era fogo e chamas. Ela queima e consome tudo e todos. E ela nunca se apagará, sua chama jamais se apagará.

Ela está fadada a viver para sempre com essa maldição.

Ember olhou para cima, para o céu carregado de nuvens que rugiam e brilhavam com os raios e os trovões. A chuva estava próxima, mas nem ela poderia esfria a garota o suficiente.

Tudo o que tocava se tornava brasa, se resumia a cinzas. E essa conclusão só a deixava mais angustiada, irritada e confusa.

- Por que? - sussurrou aos céus, esperando por uma resposta que sabia que não viria.

Voltou a encarar o chão quando começou a soluçar, as lágrimas jamais terminariam o trajeto pelo seu rosto.

O cheiro de fogo, de grama e troncos queimados era incrivelmente forte quando as primeiras gotas de chuva atingiram, finalmente, sua pele nua. As gotas se transformavam em vapor instantaneamente, sua pele permanecia seca e intocável.

Ember apoiou os braços sobre o solo queimado e fechou as mãos em torno de algumas folhas e gramas úmidos, secando-as e queimando-as. Ela temia a si mesma e as coisas que poderia causar, afinal, acabara de reduzir a cinzas a mansão na qual morou a muitos anos, quando era ainda uma criança inocente e sem medos, uma criança que não esperava ser abandonada pelos pais, pela família e pelos amigos. Uma criança desprovida de ódio, de desespero. Apenas uma criança que não entendia nada sobre o mundo.

Seu corpo estava cada vez mais quente, o vapor que antes emanava agora se transformara em fumaça. As folhas sob ela queimavam e as chamas outrora apagadas voltavam a queimar ao seu redor vencendo a água que caia do céu.

Ember não sentia frio pois, assim como as chamas, o ódio, o desespero e o medo queimam e consomem. Uma sensação quente e dolorosa.

31. Dezember 2019 17:23:25 0 Bericht Einbetten 0
Lesen Sie das nächste Kapitel Capítulo 2 – Brasa

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~

Hast Du Spaß beim Lesen?

Hey! Es gibt noch 3 Übrige Kapitel dieser Story.
Um weiterzulesen, registriere dich bitte oder logge dich ein. Gratis!

Verwandte Stories