Dia das Bruxas em Konoha Follow einer Story

jennifer-n J Neves

Com as mudanças no Mundo Ninja, as tradições de Dia das Bruxas estavam chegando em Konoha. Os jovens, além das responsabilidades como ninjas, também estavam efervescidos com as questões próprias da juventude. Haveria uma grande festa a fantasia e eles só pensavam sobre qual monstro ou figura sinistra escolheriam para se fantasiar e quem os acompanharia. Contudo, nem imaginavam que mesmo numa circunstância de descontração, haveria também uma missão.


Fan-Fiction Anime/Manga Alles öffentlich.

#konoha #DiadasBruxas #nejihina #SasuIno #narusaku
1
1.8k ABRUFE
Im Fortschritt - Neues Kapitel Jeden Freitag
Lesezeit
AA Teilen

Capítulo I: Convite

O mundo ninja enfrentava um período de transição. A tecnologia progredia cada vez mais! As formas de comunicação se ampliavam, bem como a disseminação de informações. E foi a partir disso que as celebrações de Dia das Bruxas chegaram em Konoha.

Os jovens ninjas eram os mais empolgados, especialmente com a grande festa a fantasia que iria acontecer.

O mais hiperativo e ansioso deles, Naruto, caminhava com a cabeça para trás, utilizando os braços de apoio. Ele pensava sobre qual fantasia usar e estava tão imerso nessa ideia que acabou por esbarrar em alguém. Tratava-se de Sakura, que logo pôs-se a esmurrá-lo.

— Presta atenção quando estiver andando, Naruto! — Ela cruzou os braços. Naruto resmungou.

Já tinham 18 anos e ainda assim, Sakura seguia tratando-o como uma criança levada.

— Me desculpa, Sakura-chan! Tava tentando decidir com qual roupa vou pra festa. Cê já escolheu a sua? E se usar alguma fantasia combinando com a minha?! — Propôs ele, com os olhos brilhando e as mãos unidas, em um gesto de súplica.

Sakura ficou em silêncio, cogitando a possibilidade. Havia algum tempo que andava notando uma mudança no que sentia. Já não era mais dominada pela forte paixão que nutriu tantos anos por Sasuke. Já o jeito divertido e afetuoso de Naruto andava provocando-lhe um calor no coração que não se recordava de já ter experienciado antes.

— E se eu aceitasse, Naruto?! Qual seria a sua sugestão?

Naruto arqueou as sobrancelhas e corou. Não esperava que a kunoichi aceitasse a sua proposta. Mal soube como responder ou reagir, apenas balbuciou frases um tanto atrapalhadas, sem muito sentido.

Ela então sorriu e deu continuidade:

— Tive uma ideia. E se eu for de médica assassina e você, todo ferido e ensanguentado, como meu paciente e vítima?

O jovem ninja empolgou-se em demasia com a sugestão.

— Sakura-chan? É claro que eu topo! Vai ser como um encontro?! — Indagou Naruto, com um largo sorriso nos lábios. O rapaz encheu-se de esperança. Sentia que a antiga companheira de time estava mais receptiva aos afetos dele.

Sakura riu, não respondeu e pôs-se a caminhar rumo ao Hospital. Foi seguida o percurso todo por Naruto, que tentava obter uma resposta concreta para a sua pergunta.

Era dia 31 de Outubro e ao invés de sombrio, o dia encontrava-se ensolarado, com um vibrante céu azul. Shikamaru adoraria observar os variados formatos das nuvens naquela manhã.

O mundo ninja enfrentava um período de transição. A tecnologia progredia cada vez mais! As formas de comunicação se ampliavam, bem como a disseminação de informações. E foi a partir disso que as celebrações de Dia das Bruxas chegaram em Konoha.

Os jovens ninjas eram os mais empolgados, especialmente com a grande festa a fantasia que iria acontecer.

O mais hiperativo e ansioso deles, Naruto, caminhava com a cabeça para trás, utilizando os braços de apoio. Ele pensava sobre qual fantasia usar e estava tão imerso nessa ideia que acabou por esbarrar em alguém. Tratava-se de Sakura, que logo pôs-se a esmurrá-lo.

— Presta atenção quando estiver andando, Naruto! — Ela cruzou os braços. Naruto resmungou.

Já tinham 18 anos e ainda assim, Sakura seguia tratando-o como uma criança levada.

— Me desculpa, Sakura-chan! Tava tentando decidir com qual roupa vou pra festa. Cê já escolheu a sua? E se usar alguma fantasia combinando com a minha?! — Propôs ele, com os olhos brilhando e as mãos unidas, em um gesto de súplica.

Sakura ficou em silêncio, cogitando a possibilidade. Havia algum tempo que andava notando uma mudança no que sentia. Já não era mais dominada pela forte paixão que nutriu tantos anos por Sasuke. Já o jeito divertido e afetuoso de Naruto andava provocando-lhe um calor no coração que não se recordava de já ter experienciado antes.

— E se eu aceitasse, Naruto?! Qual seria a sua sugestão?

Naruto arqueou as sobrancelhas e corou. Não esperava que a kunoichi aceitasse a sua proposta. Mal soube como responder ou reagir, apenas balbuciou frases um tanto atrapalhadas, sem muito sentido.

Ela então sorriu e deu continuidade:

— Tive uma ideia. E se eu for de médica assassina e você, todo ferido e ensanguentado, como meu paciente e vítima?

O jovem ninja empolgou-se em demasia com a sugestão.

— Sakura-chan? É claro que eu topo! Vai ser como um encontro?! — Indagou Naruto, com um largo sorriso nos lábios. O rapaz encheu-se de esperança. Sentia que a antiga companheira de time estava mais receptiva aos afetos dele.

Sakura riu, não respondeu e pôs-se a caminhar rumo ao Hospital. Foi seguida o percurso todo por Naruto, que tentava obter uma resposta concreta para a sua pergunta.

Era dia 31 de Outubro e ao invés de sombrio, o dia encontrava-se ensolarado, com um vibrante céu azul. Shikamaru adoraria observar os variados formatos das nuvens naquela manhã.

Todas as tardes no campo de treinamento que havia na mansão do Clã Principal dos Hyuuga, as filhas de Hiashi e o filho do falecido Hizashi reuniam-se para treinar e aperfeiçoar suas habilidades.

Ao encerrarem o treino do dia, Hanabi, a mais nova, saiu apressada e chateada por ter de partir para uma missão justamente na noite da festa. Neji e Hinata permaneceram juntos na mansão, e o rapaz, constrangido, tinha algo a falar para a prima e não sabia ao certo como abordá-la. Ainda assim, manteve a pose como se tivesse total controle de si e da situação.

— Hinata-sama, o seu pai pediu que eu a acompanhasse na festa hoje, que tomasse conta de você. Sei que é capaz de se cuidar sozinha, mas aceitei porque assim ele ficaria mais tranquilo quanto a deixar você ir. E sei que você está precisando relaxar e se divertir.

Hinata não gostava quando Hiashi agia como se ela fosse incapaz de tomar conta de si e se proteger. Entretanto, podia compreender que o homem já havia perdido a amada esposa e o irmão, também. É fato que seria doloroso demais para ele ainda perder alguma das filhas.

Por esse motivo, a jovem kunoichi apenas assentiu e respondeu até mesmo com certa empolgação:

— Certo, Neji-niisan! Já ouviu falar em vampiros? Acho que uma fantasia dessas poderia ficar legal na gente.

Hinata sorriu e os olhos dela quase fechavam-se ao acompanhar o movimento da boca. Ela era o tipo de pessoa que sorria com o rosto todo. E isso provocava um frio na barriga que Neji condenava-se por sentir.

Ele procurou se dominar, espantar esses pensamentos e emoções. Concordou com ela e então começaram a conversar sobre vampiros e as festividades de dia das bruxas que estavam chegando em Konoha. Era muito bom vez ou outra serem apenas jovens comuns, abdicar por alguns momentos das tantas responsabilidades como ninjas.

Ino estava encerrando o expediente na floricultura quando avistou Sasuke. Desde que retornara à vila, ele esteve realizando algumas tarefas dentro da Divisão de Inteligência. Ela também ocasionalmente participava de algumas missões do mesmo departamento. Chegavam a conversar algumas vezes.

Ino esperava que após tantos anos já não ficasse mais intimidada com a presença do Uchiha; nem mesmo Sakura mantinha mais o sentimento de quando eram crianças. Contudo, nas profundezas do coração da Yamanaka, ainda tinha esperanças de que o seu amor infância viesse a ser o homem com quem — sem abandonar a vida ninja — iria casar e ter lindos filhos talentosos.

— Sasuke-kun! — ela chamou-o.

O Uchiha direcionou a Ino os puxados olhos negros.

— Aconteceu algo na Divisão de Inteligência?

Ao ouvir essa pergunta, a ligeira garota logo bolou um plano para que tivesse uma oportunidade de se aproximar dele em um ambiente menos sério e formal.

— Sim. Teremos uma missão hoje na festa de Dia das Bruxas. Vamos juntos, disfarçados de dois jovens comuns em um encontro. Quando estivermos lá, darão um jeito de nos achar para dar o restante das orientações.

Sasuke analisou a expressão dela com atenção. Ficou bastante desconfiado, mas a jovem ninja não hesitou e sustentou o olhar dele. Uma vez que Ino manteve uma postura firme, resolveu dar o voto de confiança.

Por fim, combinou o local e o horário que se encontrariam e logo em seguida retirou-se.

Ino suspirou aliviada e sorriu como uma criança que teve sucesso ao fazer alguma travessura.

Todas as tardes no campo de treinamento que havia na mansão do Clã Principal dos Hyuuga, as filhas de Hiashi e o filho do falecido Hizashi reuniam-se para treinar e aperfeiçoar suas habilidades.

Ao encerrarem o treino do dia, Hanabi, a mais nova, saiu apressada e chateada por ter de partir para uma missão justamente na noite da festa. Neji e Hinata permaneceram juntos na mansão, e o rapaz, constrangido, tinha algo a falar para a prima e não sabia ao certo como abordá-la. Ainda assim, manteve a pose como se tivesse total controle de si e da situação.

— Hinata-sama, o seu pai pediu que eu a acompanhasse na festa hoje, que tomasse conta de você. Sei que é capaz de se cuidar sozinha, mas aceitei porque assim ele ficaria mais tranquilo quanto a deixar você ir. E sei que você está precisando relaxar e se divertir.

Hinata não gostava quando Hiashi agia como se ela fosse incapaz de tomar conta de si e se proteger. Entretanto, podia compreender que o homem já havia perdido a amada esposa e o irmão, também. É fato que seria doloroso demais para ele ainda perder alguma das filhas.

Por esse motivo, a jovem kunoichi apenas assentiu e respondeu até mesmo com certa empolgação:

— Certo, Neji-niisan! Já ouviu falar em vampiros? Acho que uma fantasia dessas poderia ficar legal na gente.

Hinata sorriu e os olhos dela quase fechavam-se ao acompanhar o movimento da boca. Ela era o tipo de pessoa que sorria com o rosto todo. E isso provocava um frio na barriga que Neji condenava-se por sentir.

Ele procurou se dominar, espantar esses pensamentos e emoções. Concordou com ela e então começaram a conversar sobre vampiros e as festividades de dia das bruxas que estavam chegando em Konoha. Era muito bom vez ou outra serem apenas jovens comuns, abdicar por alguns momentos das tantas responsabilidades como ninjas.

Ino estava encerrando o expediente na floricultura quando avistou Sasuke. Desde que retornara à vila, ele esteve realizando algumas tarefas dentro da Divisão de Inteligência. Ela também ocasionalmente participava de algumas missões do mesmo departamento. Chegavam a conversar algumas vezes.

Ino esperava que após tantos anos já não ficasse mais intimidada com a presença do Uchiha; nem mesmo Sakura mantinha mais o sentimento de quando eram crianças. Contudo, nas profundezas do coração da Yamanaka, ainda tinha esperanças de que o seu amor infância viesse a ser o homem com quem — sem abandonar a vida ninja — iria casar e ter lindos filhos talentosos.

— Sasuke-kun! — ela chamou-o.

O Uchiha direcionou a Ino os puxados olhos negros.

— Aconteceu algo na Divisão de Inteligência?

Ao ouvir essa pergunta, a ligeira garota logo bolou um plano para que tivesse uma oportunidade de se aproximar dele em um ambiente menos sério e formal.

— Sim. Teremos uma missão hoje na festa de Dia das Bruxas. Vamos juntos, disfarçados de dois jovens comuns em um encontro. Quando estivermos lá, darão um jeito de nos achar para dar o restante das orientações.

Sasuke analisou a expressão dela com atenção. Ficou bastante desconfiado, mas a jovem ninja não hesitou e sustentou o olhar dele. Uma vez que Ino manteve uma postura firme, resolveu dar o voto de confiança.

Por fim, combinou o local e o horário que se encontrariam e logo em seguida retirou-se.

Ino suspirou aliviada e sorriu como uma criança que teve sucesso ao fazer alguma travessura.

25. Oktober 2019 15:17:40 0 Bericht Einbetten 0
Fortsetzung folgt… Neues Kapitel Jeden Freitag.

Über den Autor

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~