Ninfomaníase Follow einer Story

nonna.ayanny Nonna Costa

Na falta de um termo, utilize este: ninfomaníase - o desejo mórbido e compulsivo pelo ato sexual com um ou mais parceiros; comportamento sexual constante de caráter patológico que prejudica o bem-estar social do paciente; condição psicoatípica de anseio exaustivo pelo êxtase do orgasmo. Naruto não me pertence, mas o enredo sim. Evite plágio, é um atestado de babaquice e é crime. Contém Yaoi, se não gosta, não leia. R18, se não gosta não leia.


Fan-Fiction Anime/Manga Nur für über 18-Jährige.

#lemon #yaoi #sasunarusasu #r18 #naruto
Kurzgeschichte
4
3.8k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Capítulo Único

Não precisavam de um motivo, apenas de uma desculpa. Nenhum dos dois precisava saber por quê, apenas viviam. Quando o sol nascia, cada um voltava para sua vida como se nada tivesse acontecido. Não faziam perguntas, não se questionavam, não sentiam dúvidas, pois estava acontecendo como deveria.

As únicas certezas que tinham era de quando aquilo havia começado e que nunca iria acabar. Estavam viciados. Dois homens viciados na mesma droga e nenhum deles queria tratamento. Como todas as drogas, quanto mais eles tinham contato, mais queriam ter, precisavam de mais e agora, os momentos breves da adolescência só serviriam para aumentar o desejo que tinham antes de usá-las.

Quando Naruto chegou, abrindo a porta do quarto alugado numa pousada existente à beira da pista, ouviu os passos do seu parceiro de vício. Sempre pontual, nunca deixava de ir a uma sessão, a menos que esta fosse adiada. Deixou-a encostada com a chave presa na fechadura para que Sasuke cumprisse sua parte inicial do trato. Ele entrou em silêncio e trancou o ambiente.

As luzes nem foram acesas e nem precisava. Não estavam ali para fazer algo certo. Os dois se fitaram e começaram o ritual, que fora iniciado há quase 15 anos, quando ambos estavam no Ensino Médio.

Era uma tarde quente, dessas que fazem você ficar de molho na água, dessas que te causam muita sede. Naruto estava treinando vôlei com o time da escola e o professor decidiu encerrar mais cedo por medo de que os jovens se desidratassem. Por causa do vestiário lotado demais, Naruto teve que atravessar toda a escola para ir até o outro vestiário a fim de se banhar. Passou pelo campo de futebol americano e se deparou com os alunos do curso preparatório num treinamento especial.

Só tinha algo como sete alunos ali. Um deles fez Naruto parar a caminhada e se esconder atrás da arquibancada. Havia um jogador ali que merecia sua atenção. Era Sasuke Uchiha, que hora era o Quarterback, hora era o Fullback, dependia do que o treinador precisasse e da disponibilidade dos jogadores. Ele era o queridinho das líderes de torcida e o sonho molhado de quase todo mundo na escola, e seria na universidade.

Os treinos recomeçaram e aparentemente, os exercícios eram de resistência, correndo de um lado para o outro enquanto carregavam objetos pesados. Fez sentido. Era um treino especial para os principais jogadores mais fortes do time.

Naruto foi tomar seu banho, pois já não suportava mais o calor. Como era de seu costume, já que não tinha tanta privacidade em casa, pensou em se masturbar um pouco, mas desistiu por estar sem “motivação psicológica”. Decidiu apenas terminar o banho e ir para casa estudar para a prova de química do dia seguinte. Seguiu para dentro do colégio depois de passar uns 40 minutos no vestiário, procurando a rota mais curta até o ponto de ônibus, foi quando algo lhe chamou atenção.

Um som, na verdade. Vinha das salas de estudo particulares. Como o bom curioso que era, Naruto foi atrás e ao se aproximar da sala em questão, percebeu que eram os sons de uma transa. Tinha alguém transando ali. Era adolescente, portanto, movido por hormônios. Chegou-se pertinho da brecha da porta semiaberta e vislumbrou o inesperado.

Era Sasuke e ele estava fazendo um oral muito guloso numa aluna. Esta estava deitada sobre a mesa do professor e seminua, gemia alto e se contorcia enquanto afagava os próprio peitos. Naruto meneou a cabeça negativamente e pensou em ir embora, mas algo fugiu do seu controle e não foi o seu pênis. Não era esse tipo de coisa que excitava Naruto. Os olhos. Sasuke lhe vira e lhe olhava enquanto sugava a intimidade da aluna.

Naruto gelou até a sua alma, pensou em sair correndo, mas novamente foi impedido por um gesto. A mão de Sasuke que não estava ocupada afagando as coxas dela se posicionou bem as vistas de Naruto e simulou uma felação. O jogador de vôlei arregalou os olhos, preocupado com aquele pedido, e negou. Sasuke encurtou o olhar e afastou a boca dali, girou a moça sobre a mesa e empurrou devagar dois dedos dentro dela, fazendo-a gemer alto. Sua boca se moveu em palavras bem entendidas por Naruto. “Eu quero ver”. Ele negou de novo e saiu dali.

Era um louco por pedir algo do tipo e Naruto era mais ainda por cogitar se expor. Passou-se um mês desde aquela inusitada cena e nenhum dos dois teve algum contato depois, posto que eram de salas diferentes e praticavam esportes diferentes. No entanto, a imagem de Sasuke transando e pedindo para que Naruto se masturbasse não saía de sua mente. Perseguia-lhe até nos sonhos.

E foi de tal maneira, que aquelas energias atraíram ou evocaram Naruto para uma cena inusitada. Ele estava trocando-se naquele mesmo vestiário distante da quadra de vôlei, depois de um semelhante treino como daquele dia. Tomara banho e estava só de cueca. Foi quando ouviu vozes. O problema daquele vestiário era que ele pertencia aos jogadores de futebol americano e existia uma rixa entre os dois times por causa da pouca fama e o pouco investimento que o de vôlei recebia por parte da escola.

Naruto se espantou e tentou se esconder em algum lugar, mas todos os armários estavam fechados, tudo o que lhe restara, então, foi uma brecha entre os dois armários de ferro, que cabia uma pessoa de lado e que só um olhar muito atento permitiria que alguém visse por causa de sua posição estrategicamente escondida. Ele observou quem eram os donos daquelas vozes e percebeu que eram Sasuke, outro jogador e mais duas alunas, sendo que uma delas era a que Naruto vira ser chupada. Mas que merda, pensou nervoso. O que faria para sair dali? Se os jogadores o vissem, e só de cueca, iriam matá-lo na porrada.

Curiosamente, o único que deu por sua presença fora Sasuke, pois ele ouviu o seu suspiro de espanto. Seu olhar se estreitou e manteve um semblante muito sério por alguns segundos. Naruto achou que ele lhe entregaria, mas tudo o que Sasuke fez foi se afastar.

Naruto teve que ficar ali ouvindo o quarteto começar a se pegar dentro do banheiro. Seus ouvidos e sua mente focaram na voz de Sasuke e no quanto ela era excitante. Quem ele queria enganar? Naruto estava dentro daquele grupo “quase todo mundo” que tinham Sasuke como sonho molhado. Seria idiotice sua dizer que seu pau ficando duro por ouvir a voz rouca do jogador era acidente.

Tocou-se por cima da cueca, abafando sua voz com a outra mão, enquanto imaginava Sasuke lhe fodendo. Ah não, Naruto era homem. Gostava de delicadezas, mas com Sasuke, sempre imaginava-o fodendo com força, deixando marcas de dedos por sua pele. Queria saber se o que ouvia das suas colegas era verdade, queria saber se aquele jogador era capaz de lhe dar o melhor dos orgasmos.

Os barulhos das duas transas ficaram mais altos e a voz de Sasuke estava mais perto. Movido pela curiosidade, Naruto permitiu-se apenas uma olhadela para saber o que acontecia. Ele estava ali, com a aluna encostada no armário que ficava perpendicular ao esconderijo de Naruto. Sasuke olhou sutilmente para o lado e se deparou com o rosto corado e espantado do outro.

De novo? Poderia até se irritar com aquela coincidência maldita, mas quando o viu apertar a ereção por cima da cueca, achou melhor fazer outra coisa. Naruto tornou a se esconder, mas agora não seria deixado impune. Quando pensou que talvez aquela encarada houvesse sido apenas um movimento involuntário, sentiu uma mão entrar dentro de sua cueca. Seu quase grito foi acobertado pelo grito de uma aluna ao gozar. Era a mão de Sasuke e isso foi desesperador.

O outro sentiu o membro duro e umedecido em sua mão e lambeu os lábios enquanto olhava para a adolescente gemendo sob suas investidas. Começou a masturbá-lo, imaginando como ele estaria delicioso todo vermelho e se contorcendo diante de si. Desde aquele dia em que fora pego no flagra, não conseguia tirar a ideia de ter sexo com Naruto da cabeça. Chegou ao ponto de ao transar com suas ficantes, imaginá-las como sendo o jogador loiro e isso só lhe deixava mais duro.

Masturbou-o com vontade, apertando a glande e espalhando o gozo por toda a extensão. Naruto se moveu para ficar mais perto dele, para que sua mão tivesse mais acesso a si. Seus gemidos abafados eram engolidos pelos da aluna, mas seus olhos não conseguiam não olhar para o ir e vir desejoso daquela mão em seu pênis. Sasuke acariciou a fenda com demora, excitando mais ainda o outro, e fez algo ousado demais: aproveitando que estava bem úmido e escorregadio, entortou sua mão para que seu dedo mindinho roçasse a fenda enquanto os outros apertavam a extensão. Queria penetrá-lo.

Naruto arregalou os olhos e gemeu com a ideia. Queria, por mais doloroso e estranho que fosse, queria. Ajudou o dígito a se encaixar no canal da sua uretra e o empurrou para dentro, apenas a ponta, mas foi o suficiente para os dois sentirem-se ainda mais desejosos. Naruto ansiou arrancar aquela menina dali e assumir seu lugar, sentir Sasuke dentro de si como o sentia agora.

O dedo investia devagar em sua fenda, alargando-a aos pouquinhos, com muito cuidado. Naruto estava todo arrepiado e agora usava as duas mãos para abafar a sua voz. Sasuke endireitou sua mão depois de alguns segundos e roçou a ponta do indicador ali. O loiro assentiu, mesmo que o outro não pudesse ver, para o intento dele. A ponta do indicador entrou até sumir e a felação ficou mais intensa assim. Naruto apertou os olhos e focou em suas pernas bambas, pois sentia que ia cair caso se desconcentrasse.

A mão se afastou dele depois de quase um minuto inteiro naquela loucura. Naruto achou que era o fim, mas ao ouvir o baque no armário e voz de Sasuke dizendo que ia comer a moça por trás agora, teve certeza que os dois iriam mais além. Do contrário, por que ele anunciaria aquilo em voz alta?

Naruto virou-se e abaixou sua cueca, observando em qual momento a mão viria. Ficou bem mais perto da beirada do armário para que Sasuke visse que ele também estava pronto para ser comido por trás. Ao ver aquela bunda redonda aparecer, aliás, só uma pequena parte, Sasuke riu baixo, deliciado. Chupou muito dois dedos e procurou pela fenda quando Naruto voltou para as sombras. Teve ajuda e rosnou no ouvido feminino ao sentir o aperto característico do canal masculino.

O outro, por sua vez, começou a se empurrar contra os dedos que lhe penetravam, tapando ainda sua boca com uma mão e com a outra afagando o seu pênis, roçando sua glande como anteriormente fora feito. Imaginava Sasuke lhe comendo com toda potência e isso só lhe excitava mais, pois os dedos em seu interior não tinham pudor algum, procuravam por todos os seus pontos débeis e os pressionava com muita força. Em dado momento, Sasuke parou de lhe penetrar, mas deixou seus dedos tão fundos em Naruto, que este achou que os estavam conectados para sempre. Rebolou com sensulidade, contraindo seus músculos para que o outro soubesse do que era capaz e que estava perdendo de não comê-lo propriamente.

Sasuke investia com delicadeza na moça, mas estagnou quando sentiu Naruto lhe provocar com aqueles movimentos pélvicos sinuosos. Não via, mas sentia bem. Seu pau estava maior só de se imaginar enterrado naquele lugar, recebendo o mesmo tratamento.

Depois de quase dois minutos naquela loucura, os três gozaram juntos, mas Sasuke aproveitou os segundos em que beijava a garota para massagear mais daquele interior pulsante que lhe tragava.

Por mais estranho que possa parecer, Naruto passou a esperar Sasuke no vestiário do time de futebol para aquela particularidade e esse, por sua vez, sempre dava um jeito de transar com sua parceira em dia de treino, pois sabia que aquela bunda macia, que já lhe pertencia, estaria lhe aguardando.

No entanto, nunca dava certo, de modo que Sasuke parou de sair com a moça. Terminou o que quer que houvessem começado e disse que não sentia mais tesão por ela, o que era bem verdade. Desde o começo, o acordo era só para eles transarem, mas a jovem ficou ofendida, achando que namoravam, mas Sasuke apenas deixou passar. Seu interesse maior lhe esperava.

Foi ao vestiário do campo no dia do treino do vôlei e percebeu que Naruto tomava banho. Esperou pacientemente do lado de fora que ele terminasse e fosse se vestir. Quando aconteceu, Sasuke agarrou-o por trás e sussurrou no ouvido alheio o que queria. O loiro simplesmente ficou nu novamente e os dois se trancaram ali pelos próximos quinze minutos. E assim começou aquela relação.

Eles se encontravam para foder, pura e simplesmente. E com o passar dos dias, o tempo juntos aumentava posto que estavam mais viciados naquele ato. Não conversavam e nem se olhavam durante o resto do dia na escola, nem trocavam mensagens e nem se tornaram amigos. O único contato que tinham era quando um enviava para o outro uma mensagem informando seu desejo, o horário e o local da próxima foda. Era assim que funcionava.

Foram para faculdades diferentes, formaram famílias, seguiram com suas vidas, mas o hábito escolar profano ainda se mantivera. Era como se aquela fosse a única coisa que podia garantir que estavam vivos. Sasuke e Naruto se casaram e essa foi a única vez que pensaram em parar de se encontrarem naquele sentido. Trocaram de celular para que não tivessem mais nenhum contato possível e se despediram com um simples aperto de mão educado. Não durou. Por mais que lutassem contra o vício, não durou mais que três anos. No começo, eles davam conta de suas vidas, mas a abstinência foi tanta que não conseguiam mais ir para a cama com suas esposas e nem parar de pensar no outro.

Seus corpos estavam praticamente condicionados, então eles não podiam mais resistir. Divorciaram-se antes que o estrago fosse maior, mas não abandonaram seus filhos. Tudo era uma questão de que não podiam mais assistir suas mulheres enquanto maridos. Aquilo passou a interferir na vida profissional de ambos e Naruto chegou a ir a um psicólogo, que lhe disse que ele era uma “espécie” estranha de ninfomaníaco exclusivista. Era viciado em sexo, mas em sexo com uma única pessoa. Como isso era possível? Ninguém sabia dizer e isso só era mais preocupante.

Como saciariam o vício uma vez que deram fim aos seus contatos? No meio daquela loucura, uma luz surgiu. Os antigos alunos da última turma do Ensino Médio fizeram uma pequena reunião para matar a saudade. Era uma chance em um milhão de se reverem.

Não deu outra. Quando Naruto chegou e mostrou-se o mesmo simpático brincalhão de sempre, decepcionou-se momentaneamente por não ver Sasuke. Ele era jogador profissional de futebol americano, não tinha tempo para bobagens assim, ou pelo menos foi essa a desculpa que ficou em sua mente até o momento que o restaurante foi irrompido pela presença sempre forte de Sasuke. Todas as mulheres se animaram, os homens ficaram surtados ao verem a celebridade, mas Naruto foi o único que manteve-se… Calmo.

-Naruto. Como vai? - ele veio lhe cumprimentar por último, não por alguma razão obscura, apenas aconteceu de ser assim. O loiro sorriu com simpatia e apertou forte a mão.

-Bem, obrigado. Meu trabalho paga bem, meus filhos são uns amores e eu estou divorciado, infelizmente ou felizmente. Não sei. - riu baixo e outro assentiu, sorrindo de lado. - E você?

-Igual. Exceto pelo fato de que sou um bom quaterback e ganho muito bem mesmo. - deu de ombros quando os dois se encaminharam para o balcão do restaurante, pedir comida e bebida. Depois de conseguirem uma mesa e ficarem um do lado do outro, o silêncio reinou por alguns minutos.

Não por constrangimento, apenas porque realmente não sabiam o que dizer. Não havia outro assunto entre eles além do sexo, eles nunca conversaram na adolescência sobre qualquer coisa e não era diferente uma vez adultos. Quando a comida chegou, trocaram poucas palavras sobre o quanto os pratos eram gostosos e como muitos dos seus colegas de turma estavam diferentes. No meio do papo, Sasuke sentiu seu pênis ser apalpado com intimidade e isso o fez encarar o homem ao seu lado.

-Eu fui para o psicólogo, sabe? - Naruto comentou enquanto revirava uns grãos de arroz com o garfo em seu prato sem parar de apertá-lo. - Ele me disse que sou ninfomaníaco. - sussurrou.

-Viciado em sexo? - Naruto assentiu e arregalou os olhos quando sua mão foi retirada dali. - Deve ser difícil ter essa doença. - comentou e franziu o cenho ao vê-lo se entristecer.

-É sim, bem complicado. Por causa disso eu nem consegui manter meu casamento porque eu só queria transar, mas não com a minha esposa. - explicou-se ao continuar comendo. Sasuke lhe rejeitara, o que significa que superou aquela fase e ele continuava preso. O que faria agora?

-E com quem você queria? - ele lhe questionou num sussurro e tudo o que Naruto fez foi olhá-lo intensamente. Sasuke assentiu para o pensamento que não foi dito. - Entendo. Vou ao banheiro agora. - avisou e suas palavras foram seguidas por um toque pouco sutil no pênis de Naruto e isso fez o loiro o encarar com expectativa.

Seguiu-o para o banheiro minutos depois e foi puxado para dentro de um dos boxes. Beijaram-se assim que se olharan. Não disseram nada, pois nem era preciso: as calças foram abertas o suficiente para que os pênis se encontrassem e eles começassem o ósculo. Naruto gemia sem pudor contra a boca faminta de Sasuke enquanto o ajudava na masturbação conjunta. Seu vício estava de volta e nunca foi tão bem-vindo. Nem se importava caso alguém os ouvisse ou os visse, só queria transar com Sasuke até não aguentar.

Mas algo deu errado, ou deu muito certo. Sasuke parou, arrumou suas roupas e saiu do box. Naruto ficou sem acreditar que ele lhe deixaria naquele estado, quase tendo uma crise de ansiedade sexual. Não conseguiu sequer se mexer, mas quando viu a porta ser aberta e Sasuke aparecer, conseguiu pensar em alguma coisa.

-Mas o que pensa que está fazendo? - foi o melhor que conseguiu. Sasuke tocou o seu pau e lhe fitou ainda sério. - Volta para cá. - mandou.

-Tem um beco por trás do restaurante. - ele comentou. - Se ajeita aí e vai para lá. - disse e saiu de fato.

Naruto demorou-se apenas uns dois minutos para se acalmar e o seu pênis duro não ficar visível demais. Seguiu para o local indicado depois de saber que Sasuke pagara toda a conta e não se fez de rogado quando foi chocado contra a caminhonete parada ali para ser beijado com fome. Estava muito escuro ali, então ninguém os veria enlouquecendo enquanto se aliviavam do vício. Dessa forma, retomaram.

Sasuke sugou o ar por entre os dentes quando suas mãos entraram em contado com a bunda de Naruto e, principalmente, seus dedos se enterraram no cu dele. O outro, por sua vez, lhe beijava e lhe masturbava com vigor, rebolando para os dedos dentro de si, quase lhe fazendo chorar de saudade. Não tinham tempo e nem queriam fazer preliminares, então Sasuke buscou uma camisinha em seu carro enquanto Naruto continuou se alargando como podia.

De frente mesmo, apoiados melhor no veículo, Naruto abafou o grito de dor causado pela primeira investida, pois fora sem nenhuma delicadeza. Começou a choramingar quando as estocadas fortes começaram e sua boca foi beijada. Pareceu-lhe que uma eternidade passou desde a última vez que transou com Sasuke e essa era a razão das suas lágrimas.

-Saudade de te foder… - Sasuke falou rouco e Naruto quase rosnou de desejo, agarrando-se ao homem forte para rebolar contra as estocadas duras. Os dois se olharam quando o jogador se apoiou melhor no carro e golpeou seguidas vezes no ponto de prazer alheio. - Deixa eu te foder, Naruto?

-Você é o dono do meu cu. - falou firme ao entender o questionamento. Era um convite para retomar a antiga vida de promiscuidade que os dois tinham. Sasuke lhe beijou com fogo ao ouvir aquilo e meteu com mais vontade, fazendo Naruto se contrair mais desejoso.

-Meu pau é seu. - ele sussurrou e Naruto sorriu ao gemer alto, completamente entregue. Aquela era a declaração que sempre quis ouvir: o pau de Sasuke era seu e só seu. A droga era sua, teria seu vício para sempre.

Engana-se que ali havia amor ou paixão. Não. Eram dois animais tendo relações sexuais e falavam de posse exatamente como a palavra significava: a ideia doentia de possuir. Depois do episódio no beco escuro, foram para um motel dar cabo de toda a tensão sexual e ao fim da madrugada, trocaram telefones para manter o contato.

Pelo menos uma vez por semana, eles se encontravam para foder com vontade. Alugavam quartos de hotel, pousada ou motel em locais diferentes, só retornando a eles depois de três meses ou mais, numa espécie de rodízio para impedir as suspeitas. Não havia pudor ou limites para os dois, eles só queriam gozar e gozar, mas um com o outro. E nenhum sabia quem era mais ninfomaníaco pelo outro.

Naquela noite, os dois quiseram ir devagar, pois era o fim de semana que tinham para si. Dois finais de semana eram dedicados aos filhos, bem como dois dias durante a semana, enquanto os outros dois fins de semana eram para o vício. Quando questionados individualmente, diziam estarem namorando com alguém e por isso não saiam com outras mulheres. Aquela prática já durava dez anos.

Naruto não precisou mais do psicólogo, pois já não pensava em sexo no trabalho ou quando estava com seus filhos. Sua mente só era tomada pelo desejo quando esses dois momentos findavam. Sasuke não sofria mais com abstinência e se tornara um dos melhores do seu time, pois tinha sua droga de volta e ela estava mais acessível do que antes.

Estava tudo certo entre os dois. Enquanto mantivessem a discrição e a aparência, ninguém os chamaria de doentes e nem interferiria. Porém, nem sempre fora assim. No começo, foi difícil manter a calma depois de tantos anos de afastamento. Uma vez, Naruto passou por um constrangimento no ônibus, que só fora notado por ele mesmo. Enquanto segurava na barra cilíndrica de ferro do metrô que tomara para ir até o seu local de trabalho, ele a apertou involuntariamente durante o freio. A rigidez e a grossura o fez lembrar de Sasuke. Fazia duas noites que eles não transavam.

Começou a afagá-la, de olhos fechados, fantasiando com Sasuke lhe comendo ali mesmo, na frente de todos. Teve que parar ao se recordar que estava em um metrô lotado, mas o bojo em sua calça, que foi coberto pelo casaco, deixava claro que precisava de uma dose. Foi ao banheiro da estação que descia e ligou para Sasuke, pedindo para transarem pelo telefone. Enviou uma foto do seu estado para ele apenas para provar o que dizia.

Fora bem preocupante aquela época, mas ela estava no passado agora. Os dois eram viciados com tudo sob controle. Sabiam esperar pelo momento de se aliviarem, aliás, aprenderam a fazer isso.

Os dois se fitaram, Sasuke só de calça e aberta, enquanto Naruto estava apenas vestido em sua camisa. Ofegavam, desejosos por mais, mas estavam pacientes. Soltaram-se e saíram de perto da parede, depois do primeiro orgasmo, apenas para desligarem seus telefones e irem comer algo. A pizza que pediram estava na mesa esfriando.

Era um acordo silencioso entre eles: quando estivessem no vício, ficariam exclusivos para o vício. Quando saíssem do quarto ou do local onde estivessem, poderiam voltar à normalidade fingida. Claro que tomavam precauções importantes, como nunca marcarem em dia de jogo de Sasuke ou em dia que Naruto estivesse abarrotado de trabalho da empresa onde era secretário, ou quando os dois estivessem com seus filhos. Se já não bastassem ser ninfomaníacos, não precisavam serem dois malucos irresponsáveis.

Sentaram-se para comer e até ligaram a televisão para acompanhar as notícias da noite, ainda com todo o quarto no escuro. Sem que percebesse, Sasuke deixou sua cadeira perto da de Naruto, colada a ela, e foi lavar suas mãos. Iria parar de comer? Não, ainda não, mal terminara a sua fatia. Apenas queria uma mão livre para masturbar seu amante. Naruto fez o mesmo e quando os dois se sentaram, tornaram a comer e a assistir ao jornal da noite, as mãos foram para os pênis escondidos pelas roupas.

Não era carinho ou amor, eram apenas os instintos reagindo à presença do outro. Naruto foi o primeiro a terminar de comer e tomou um gole de água para limpar a garganta. Deu um beijo em Sasuke, pois era assim que conversavam ali, e foi para debaixo da mesa, chupar o seu amante. Sasuke relaxou e suspirou audivelmente. Parou de comer no segundo pedaço, quando viu o outro sair dali e ir para o banheiro se preparar.

Os dois só se masturbaram até agora, precisavam de mais. Sasuke ajeitou sua calça e foi lavar a louça enquanto esperava Naruto se aprontar. Catou suas roupas e as dele, deixou num local acessível e tornou a se sentar para assistir ao jornal. Cinco minutos depois, ele ouviu o barulho da descarga. Sasuke levantou-se, tirou sua calça, ficando só de cueca, e viu Naruto sair do banheiro.

Pela cara dele, fez aquilo apenas para garantir que nada de errado estragasse a noite, pois ele era bem prevenido nesse sentido. Naruto não queria perder um só minuto da transa com qualquer outra coisa que não fosse a transa. Retirou sua camisa e desligou a televisão, para poder sentar-se na frente de Sasuke, entre suas pernas.

Os dois se deram um selinho. Era hora de começar. Mais um selinho. Decidiam como fariam naquele começo de fim de semana. Outro selinho. Concordaram de irem devagar, sem tanta violência como no último encontro. Como Naruto havia acabado de se limpar, Sasuke optou por começar acariciando os mamilos com seus dedos em pinça enquanto o amante lhe beijava demoradamente. Naruto chupou a língua alheia enquanto sentia seus mamilos serem tão estimulados que já estava duro.

Os dois se fitaram e se voltaram para o membro ereto. Sasuke se afastou dele para ir buscar, em sua bolsa, talco e uma luva cirúrgica. Colocou-a assim que sua mão ficou pronta, para voltar à cama, acomodando-se atrás do ex-jogador. Naruto pegou um pouco de lubrificante que havia num tubo e passou no dedo mindinho de Sasuke enquanto trocavam beijos rápidos e era masturbado pela mão sem luva dele.

Devagar e com cuidado, o Uchiha meteu um dedo na fenda, fazendo um vai e vem lento para dilatar e acostumar Naruto. Sempre era dolorido no começo, os dois não faziam aquilo sempre, mas quando a dor passava, tornava-se um ato prazeroso. Enquanto isso, com uma mão atrás de si, Naruto masturbava Sasuke novamente e gemia alto por causa da invasão. Depois de alguns segundos, já não incomodava mais e ele estava pronto para o dedo “real”.

A cueca foi abandonada longe deles e os dois acomodaram-se melhor na cama, com Sasuke sentado em posição de índio e com a camisinha posta. Naruto apenas recebeu-o em seu interior, gemendo baixo, ao passo que sentia o indicador lubrificado de Sasuke penetrar sua fenda até o ponto suportável. Essa era a única prática de fato masoquista que Naruto realmente sentia algum prazer. Resquícios do Ensino Médio.

Começou a quicar, dobrando as pernas para ter forças de se impulsionar, e fitou Sasuke por cima do ombro, deixando claro o quanto gostava de ser penetrado por seus dois buracos, mas ainda faltava um para preencher. Naruto soltou-se dele e girou sobre o colo Uchiha. Este ocupou os dois lugares anteriores, arfando alto ao sentir seu pênis ser estrangulado em resposta a penetração na uretra. Reclinou sobre os travesseiros, esticou as pernas para deixar Naruto à vontade e deixou sua língua de fora, para que ele a sugasse como gostava de fazer.

Ficaram transando assim por quase quinze minutos, até que Naruto gemeu angustiado, sinal de que ia gozar. Com a fenda dilatada, mais esperma escapou, sujando a ambos quando o dedo foi afastado, pois se beijavam no momento. Tomaram banho juntos e transaram mais um pouco, com Naruto sendo sustentado por Sasuke contra a parede.

No dia seguinte, foram ao mercantil comprar algumas coisas para passarem o dia, além de se reabastecerem de camisinhas. Quem os visse juntos, não diriam que eram dois viciados em si mesmos, principalmente porque não os viram fugir até um beco mais afastado para saciar o desejo. Sasuke só esperou Naruto abaixar suas calças e se apoiar na parede, pôs a camisinha, lambeu rapidamente o orifício ainda dilatado da intensa noite anterior, levemente rosado por causa das fricções, e o penetrou rapidamente.

Os dois se abraçaram, beijaram-se enquanto as investidas massageavam o ponto sensível de Naruto. As bocas se afastaram para respirar e o loiro se soltou de Sasuke, girou, acomodando-se melhor contra a parede. Gemeu baixo quando o sentiu entrar devagar. Tirou seu celular e filmou os dois naquele momento, gemendo e arfando, a pélvis de Sasuke indo e vindo, seu pênis sacudindo e espalhando sêmen sem que fosse tocado. Filmou o abdômen rígido e depois o rosto de Sasuke lhe encarando com desejo. Aquele olhar queimava e lhe excitava mais que qualquer coisa nessa vida.

-Diz alguma coisa… - pediu entre gemidos, como sempre fazia ao gravar os dois transando. Os pôrnos dos sites nunca lhe excitavam porque eram falsos, com atores, por isso Naruto mantinha seu próprio acervo de fotos e vídeos de Sasuke para seu deleite pessoal quando não podia estar com ele. Era como um efeito placebo no vício.

Sasuke tinha semelhante coleção em seu computador pessoal, que ele sempre levava consigo. Tinha um verdadeiro book sexual de Naruto de todas as formas possíveis e vídeos curtos de suas transas com ele desde a época da escola. Não conseguia evitar aquele tipo de pornografia. Era excitante demais.

-Qualquer coisa…! - pediu e gritou quase alto demais quando Sasuke foi mais fundo. Por sorte conseguira filmar este momento. Os dois se aproximaram de novo e Naruto registrou o beijo deles.

-Eu fico maior só de pensar no teu cu. - ele falou rouco e Naruto gemeu. - Sou viciado nesse buraco apertado e que se contrai direto. Se eu pudesse, nunca mais saía de dentro dele. - falou quase em seu ouvido, quando os dois estavam próximos, e tudo Naruto registrou.

-Eu quero você dentro de mim para sempre…! - murmurou no ouvido alheio e então, o orgasmo atingiu os dois com força.

Precisaram de cinco minutos para se recompor e voltar para o quarto na pousada. Naruto caminhava devagar, sua bunda doía bastante porque não dera muito descanso a ela, mas isso não lhe importava. Sasuke vinha logo atrás de si, quieto, segurando as compras. Ligaram os telefones apenas por causa do vídeo e para que Naruto pudesse transferi-lo ao amante. Quando chegaram ao local, deixaram as compras, ligaram a televisão e se beijaram enquanto Sasuke espalhava um pouco de pomada anti-inflamatória no ânus de Naruto. Os dois não conseguiam fazer nada um com o outro sem se beijarem, era quase uma reação mecânica do corpo.

Deitaram-se na cama para ver o filme que passava por aquela hora. Naruto só queria que a ardência parasse. Era insuportável ver Sasuke andando sem camisa dentro do quarto e não poder montá-lo. Os dois eram ninfomaníacos, mas tinha uma regra de controle: com machucados, não há sexo, então transar sem machucar. Como Naruto estava dolorido, Sasuke não faria nada, ainda que quisesse muito.

Ele deitou-se ao seu lado na cama e o outro ficou por cima, aproveitando que a calça estava sem o cinto para simplesmente pegar no pênis alheio. Os dois se fitaram e se beijaram, mas não recomeçaram o ato sexual. Era apenas força do hábito.

Em poucos minutos, Naruto já estava chupando os mamilos de Sasuke enquanto o masturbava por dentro da calça. Lambeu e chupou aquela região com demora, saboreando-os de fato, quase como se saísse algo doce dali. Os dois se fitaram. Naruto ergueu um pouco o corpo para que Sasuke pudesse tocar seus testículos e tornou ao ato, acelerando a masturbação.

-Eu quero o seu pau. - falou rouco antes de beijá-lo. - Eu quero agora… - exigiu e Sasuke apenas negou. - Eu quero. - beijaram-se com desejo. Naruto abriu a calça alheia, expondo o membro duro e fitou Sasuke. - Mete ele ou eu mesmo meto em mim.

Por mais que exigisse, não conseguiu, mas o boquete que Sasuke lhe deu, chupando com demora o seu pênis, serviu de consolo. Ficaram nisso durante todo o dia até que tudo escurecesse. Decidiram sair. Conheciam uma boate interessante para os dois.

Era o único lugar que depois da meia-noite, era permitido transar em público. Como já haviam feito as preliminares no quarto, chegaram lá depois de tal horário com a única intenção de se gravarem transando em público. Sasuke fez questão de registrar tudo.

Encontraram uma parede vaga com boa iluminação e começaram a se beijar enquanto roçavam suas virilhas. O ânus de Naruto estava melhor, então ele já poderia usá-lo como realmente queria. Era ainda mais excitante fazerem aquilo enquanto sabiam que uma câmera estava por perto.

Naruto se ajoelhou e abriu a calça alheia, segurou o celular com cuidado e se filmou chupando Sasuke com muita vontade, empurrando-o ao fundo de sua garganta e depois voltando. Lambeu-o e beijou suas bolas, deliciando-se com os gemidos baixos dele. Os dois se fitaram quando o loiro dedicou-se a sugar só a ponta e a filmar as reações de Sasuke. Ele sorriu para a câmera e puxou Naruto para si. Sua vez.

Este último segurou-se na parede ao ter suas calças abaixadas e suspirou encantado quando seu amante começou a lhe beijar a pele, passando sua língua por todos os pontos possíveis. Gemeu alto quando teve seu pênis sugado nessa posição enquanto era penetrado gentilmente por dois dedos. Quando o viu rebolar no ritmo da música que tocava, teve certeza que ele já não sentia mais dor.

Posicionou-se atrás dele, colocou a camisinha e entrou bem devagar, causando um arrepio muito bem vindo naquele corpo quente. Naruto riu embriagado por sua droga ao passo que se empinava mais para senti-lo mais fundo. Suspirou satisfeito quando os braços Uchiha envolveram seu corpo por dentro de sua camisa para lhe dar carinho nos mamilos.

-Eu não me canso de você… - sussurrou quando ele chegou perto o suficiente para as investidas ficarem profundas. - Não consigo me cansar disso nunca…!

-Eu não consigo fazer com outro… - Sasuke sussurrou rouco. - Tesão é sinônimo de Naruto. - admitiu e isso fez o outro se contrair enquanto gemia languidamente.

-Prazer é sinônimo de Sasuke…! - complementou apressado. - Me fode! - pediu nervoso, sentindo-se em crise. - Me fode com força, Sasuke! Me fode!

Foi o que aconteceu durante toda a noite, sem mudarem a posição ou pararem de se beijar com furor. Sua cintura já estava marcada pelos dedos que lhe apertavam, mas Naruto só se sentiu melhor quando os braços lhe envolveram de novo e seu pênis foi sutilmente acariciado. Queria prazer, queria gozar, queria Sasuke.

Suas pernas tremiam, mas ele ainda conseguia rebolar e se contrair para provocar ainda mais o ativo, atiçando-lhe a estocar com mais força em seu canal. Naquele ritmo, não demorariam. Sasuke ainda conseguiu ter forças para filmar os dois, dando um jeito de apoiar a câmera na parede, pois não queria perder aquele momento por nada. Instantes depois, Naruto bradou um urro de prazer quando sentiu-se explodir, mas chegou a gozar de novo no momento que Sasuke alcançou o próprio clímax. O vídeo foi findado e eles acharam por bem curtirem um pouco da boate para se recuperarem do ato sexual.

Quando retornaram, já era por volta das duas da manhã e eles estavam exaustos. A fome pelo sexo os fizeram transar novamente no corredor, deitados no piso frio, e por isso não conseguiram fazer outra coisa senão dormir na enorme cama. Era o fim. O dia raiando veio avisá-los que sua sessão findara.

Sasuke tomou um banho, fez a barba, vestiu roupas limpas e tomou café da manhã. Naruto fez o mesmo e quando foi comer, apenas viu a comida pronta sobre a mesa e a parte de Sasuke do pagamento do quarto. Depois de comer e pegar suas coisas, foi quitar a conta. Hora de voltar para casa com a alma mais tranquila, mas sabia que não ia durar muito tempo, já que seu celular estava, como protetor de tela, uma foto do abdômen de Sasuke sujo do seu sêmen.

13. April 2019 13:36:04 0 Bericht Einbetten 3
Das Ende

Über den Autor

Nonna Costa Outros perfis onde publico minhas histórias NyahFanfiction (onde posto fanfiction do fandom Naruto) - https://fanfiction.com.br/u/533620/ Watt: https://www.wattpad.com/user/Nonna2317 Nesses perfis, vão encontrar mais histórias minhas.

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~