Transformação Follow einer Story

morangochan Saah AG

Após a morte do pai, Mulan é nomeada a nova líder da família Fa.


Fan-Fiction Filme Alles öffentlich.

#mulanxshang #mulan #viajaink
Kurzgeschichte
12
4.9k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Ritual da Passagem

+Senhoras e senhores, sejam bem vindos a fanfic-nostalgia. Com direito a gosto de infância e tudo mais!

Essa one está participando do mini-desafio Mapa-múndi, promovido pela embaixada do Inkspired.

País escolhido: China.

Dedico essa one a minha amiga @nathymaki que está fazendo aniversário hoje, de acordo com o horário de Brasília.

❅❅

Perante a situação, o cerimonialista coçava a testa devido ao nervosismo. Jamais orientara uma mulher para um Ritual de Passagem, tampouco achava que um dia teria de orientar. Lábios crispados; os tons serenos das roupas femininas o incomodavam, assim como a face contraída da mulher a sua frente e a petulância que não a abandonara desde a batalha contra os Hunos. Bom, pelo menos não estava, mais uma vez, disfarçada de homem. O que a desobediente Mulan havia feito, em sua opinião, era degradante, nojento… Ah, são tantas as coisas que poderia pensar. Não importava se tinha ajudado a salvar a China. O lugar de uma mulher não era no exército empunhando uma espada, e muito menos em sua sala de cerimônias.

—“E, assim prometo, ser um líder justo para trazer honra a nossa família”.

— E, assim prometo, ser umA líder justA – enfatizou Fa Mulan – para trazer honra a nossa família.

— Está errado! – o cerimonialista vociferou. – Pare de mudar as palavras e repita os votos como falei!

— Mas eu sou uma mulher, senhor. – explicou a moça. – A não ser que o senhor prefira que eu não me pareça com uma. – meneou com a cabeça. – Se for o caso, posso pegar minha armadura em casa, prender meus cabelos e engrossar a voz.

— Silêncio! – o cerimonialista guinchou, irado. – General Shang, não quer dar um jeito nessa sua esposa?!

Os olhos do general, porém, estavam fixos num pergaminho; mesmo que a atenção não estivesse entregue ao mesmo. Shang se divertia quando, em alguma situação, surgia algum homem ou mulher que tentava dizer como Mulan deveria se comportar. Ela derrotara Shan Yu e salvara a China. Não poderia se comportar como bem quisesse?

— Perdão? – disse Shang, fingindo distração. – Oh, vocês ainda continuam a ensaiar?! Estão demorando bastante.

Discretamente, a jovem esposa pôs a mão rente aos lábios a fim de abafar o riso. Quando a face monstruosa do cerimonialista virou para si, Mulan flagrou, por cima do ombro do homem rabugento, o sorriso do marido. Com a face séria voltada para si, a moça abriu ao máximo os olhos miúdos e disse:

— Dou toda a razão a meu marido. – Mulan apontou graciosa para Shang. – E não entendo o porquê de estarmos demorando tanto com isso.

— Não entende o motivo, senhora Shang?

— Prefiro Fa Mulan, senhor. – disse a guerreira em vão, o cerimonialista se pôs a atropelar a fala.

— Estamos demorando porque a senhora não quer recitar os votos da cerimônia como devem ser.

— Ah, senhor cerimonialista, não tenho culpa se o senhor quer que eu fale como se me identificasse como um homem. – ela deu de ombros. – Pois estamos insistindo nisso há horas, não? Veja, sou mulher! Por que tenho que falar como se fosse um homem?

— Porque os votos da cerimônia são para homens!

— E o que isso tem a ver comigo? Sou mulher! – insistiu a moça, impaciente. – Sou filhÁ, sou esposÁ. Veja meu rosto, veja minhas roupas, veja meu ventre. Sou mulher.

Uma lufada de ar escapou entre os dentes frouxos do ancião.

— A senhora nem deveria estar ocupando esta cadeira, só para início de conversa. – o cerimonialista continuou, mesmo que sua vontade fosse de baixar o cajado na cabeça daquela garota abusada. – Por que não tentamos com o senhor Shang?

— Porque o “Senhor Shang” não pôde assumir a liderança de minha família. – o tom de voz aumentou. Mulan via como uma atitude necessária, já que havia explicado essa questão três vezes em menos de duas horas. — As escrituras dizem que na ausência de homens ou de filhos, deve-se assumir a filha mais velha. E a filha mais velha sou eu.

— Hum… – resmungou o velho. – Agora consigo entender a razão pela qual a senhora é tão estranha, senhora Shang. Em toda a China, quando os homens mais velhos deixam as famílias sem varões, o marido da filha mais velha assume. Porém, a sua família faz diferente. Deve ser por isso que a senhora é uma desonra.

— Toda a China se curvou diante de mim, inclusive o imperador. Como posso ser uma desonra para minha família?

— Ah, senhora Shang… Todos estavam apavorados com os Hunos e ao pensarem que a senhora foi a pessoa que os salvou, se curvaram… Mas é claro que, no fundo, todos sabem que uma mulher não consegue fazer nada além do que servir chá e gerar herdeiros. É um milagre que ainda esteja viva.

O estômago de Mulan se contraiu; e não era por conta da gravidez. O olhar severo da jovem pairou sobre a figura do velho cerimonialista, que pouco se importava com o peso das palavras que acabara de proferir. O barulho irado das mãos de Shang contra a mesa reverberou pela velha sala, fazendo os ombros do velho saltarem de forma sutil devido ao susto.

— Mais respeito com a minha esposa, senhor! Acha que eu não posso trazer meus homens e fechar esse casebre?!

— Casebre?! Escute aqui, general…!

Impossível, inadmissível continuar naquele lugar! As mãos pálidas e calejadas da moça levantaram o robe e, como um raio, disparou porta a fora. Aquela não era a primeira vez, segunda vez ou terceira vez que alguém a ofendia, mesmo depois do ocorrido com os Hunos. Mulan não nascera para ser apenas uma esposa que serve chás e fica parada no canto dos cômodos como um objeto de decoração. Desde de que subira o mastro com os dois pesos e agarrara a flecha, Mulan soube que seu destino estava em outro caminho. Mas como segui-lo, se a cada passo havia uma pedra jogada contra si?

O vento gelado passou direto pela garganta, apertando ainda mais o nó angustiado que ali residia. Toda aquela roupa estúpida, maquiagem idiota, regras imbecis! Mulan esfregou as mangas claras da roupa contra o rosto; certamente a ida para casa seria cheia de tinta borrada e lágrimas advindas da fraqueza momentânea. Como poderia assumir o posto do falecido pai se nem ao menos conseguia manter o controle sobre si mesma?

— Mulan! – Shang gritou pela esposa.

— Não me olhe! – avisou cobrindo o rosto. – Afaste-se, por favor!

— Mulan… – o marido disse sereno como a brisa que de repente soprou. Logo, as mãos também calejadas envolviam os ombros da moça. – Você não precisa dele para ser líder de sua família. Podemos fazer a cerimônia de outro jeito.

— Como “de outro jeito”, Shang? – Mulan sussurrou. – A cerimônia deve ser feita no salão dos ancestrais. Com que cara os ancestrais vão me olhar?

— Ouça, Mulan. – com delicadeza, o marido tomou as mãos na esposa, expondo o rosto manchado, pouco confiante e com o lábio inferior que tremia. – Se você é uma mulher, mas conseguiu seguir um caminho diferente do de outras mulheres, significa que seus ancestrais acreditavam que sua vida deveria ser vivida com outro propósito. Não é por um milagre que está viva; seus ancestrais a protegeram e a trouxeram para casa em segurança.

A imagem de Mushu fez os cantos dos lábios de Mulan se elevarem, mesmo que as lágrimas da moça continuassem tão longas quanto a escadaria que levava ao topo da montanha em que o casal se encontrava. Os tons do céu, misturados às nuvens brancas, pareciam desabar em cima da pequenina vila que residia ao pé da montanha. A atmosfera daquele dia lembrava-a de uma batalha específica contra os Hunos, que se encerrou com o exército abandonando a pobre Mulan na neve. A China não passava pelo inverno, mas a humilhação a qual acabara de passar era tão fria quanto o preconceito que fez a maior parte do exército virar as costas para si. Ao abraçar o marido, a jovem mulher sorriu triunfante; se a humilhação havia se transformado em vitória uma vez, poderia muito bem transformar-se em vitória de novo.

❅❅

Mulan não estivera ao lado de tantos soldados se comparado a Shang, mas ainda assim não se recordava de conhecer um soldado que mantivesse o corpo e a mente em perfeita sintonia. Mesmo que o coração batesse ao ponto de doer, tudo o que se passava na cabeça de Mulan era o que seus orbes negros capturavam no salão dos ancestrais. O agudo balanço do chocalho estremecia a pele dos presentes. O Ritual da Passagem não era apenas mais uma entre as inúmeras cerimônias tradicionais chinesas; tratava-se do ritual que tinha como objetivo honrar a memória dos mortos e dar rumo ao caminho dos vivos. Fa Mulan sabia o peso que estava prestes a pôr sobre os ombros, assim como tinha em mente o peso da armadura quando a vestira pela primeira vez. Porém, naquele lugar, lâmina alguma poderia feri-la, inimigo algum podia se avistar, ninguém a abandonaria na neve por ser mulher; o que seria encarar a liderança da família depois de ter sobrevivido a uma guerra? Por um segundo, a mente de Mulan se permitiu divagar. Será que o pai da jovem Mulan um dia pensara o mesmo quando assumiu a liderança da família?

As vestes brancas se harmonizavam com a grossa camada de tinta branca que lhe cobria o rosto, destacando o vermelho nos lábios e os cabelos negros como a noite. Sentada e com as mãos sobre o ventre, a moça avistou o rosto enrugado da avó cujo corpo balançava no mesmo ritmo que o cajado portado pela anciã. Enquanto o som do chocalho cortava o ambiente, o rosto materno surgiu entre a escuridão, enigmático demais para Mulan ter certeza se aquele era um olhar de orgulho ou um pedido de perdão silencioso aos ancestrais. Os músculos do maxilar se contraíram, a espada aos joelhos pareceu sofrer com a ressonância provida do temor momentâneo da moça.

Por um momento, assim como o dia vira noite, o som virou silêncio.

O polegar da avó-cerimonialista mergulhou em um recipiente de tinta vermelha, carregado pela mãe de Mulan pelo salão dos ancestrais. De olhos cerrados, Mulan sentiu na testa cada movimento da avó formar o nome da família Fa, ao passo que a jovem esforçava-se para não permitir que as lágrimas se tornassem o centro das atenções. O perfume do incenso agarrava-se ao ar, Mulan tocava o filho no ventre e a energia dos ancestrais envolvia a moça num abraço embalado. Todos os perigos, rancores e angústias pareciam nunca terem existido, de fato; uma sensação que Mulan jamais pudera imaginar.

As mãos calejadas tomaram a espada, que possuía “Fa Mulan” cravado na lâmina. Conectados estavam os olhares da avó e da neta, análogos a uma conversa entre o passado e o presente. Mesmo com a pele ao redor tão enrugada, os olhos da avó sorriam. O cajado da anciã balançou uma vez; Mulan estava hipnotizada. E sacudiu mais uma vez.

— Menina. – sussurrou a velha.

— Hum?

— Os votos.

— Oh! – ao perceber que dobrada estava a atenção dos espectadores sobre si, Mulan sorriu amarelo na tentativa de aplacar a própria vergonha que quase transpassava a camada de tinta branca. – Hum… Vejamos. – ela sussurrou com a mão no queixo, em busca de recordar os votos. Logo, ergueu o indicador. – Ah, sim, lembrei! Eu, Fa Mulan, hei de erguer esta espada como protetorA de nosso sangue. – e assim fez, erguendo tanto a espada quanto o corpo. — Sob este teto e vossas presenças, prometo dar minha vida pelo clã, se necessário. E, assim prometo, ser umA líder justA para trazer honra a nossa família.

O silêncio pairou no ar mais uma vez. Nessa curta faixa de tempo, a jovem não pode deixar de fazer um bico aborrecido ao ver que o marido punha a mão na boca enquanto camuflava o riso com sutileza. Os outros familiares, por outro lado, ainda tentavam entender o que havia acontecido. A avó soltou um suspiro e cochichou para si:

— Essa menina precisa arrumar um grilo da sorte.

Evaporada parte da vergonha, Mulan, ao ver a avó e a mãe tomando distância, lembrou que aquela era a última parte do Ritual da Passagem. Por cima do ombro a jovem encarou a espada do pai cravada na Pedra dos Fa, lugar onde se depositava a espada do líder do clã. Apertando o cabo da própria arma, a moça concluiu que o peso da liderança o qual carregaria pelo resto de seus dias seria infinitamente menor que tomar a espada do falecido pai em mãos.

Poucos meses atrás, antes do fatídico dia da passagem o qual o pai partiu deste mundo para outro, a moça vira os olhos do pai brilhando de entusiasmo ao saber que a família Fa ganharia mais um membro. Havia dias em que Mulan voltava para casa como se o pai ainda estivesse lá; a postos para depositar um beijo na testa quando a visse. A ficha não parecia cair, mesmo depois de tantos dias corridos após o óbito. Esse cenário deixava as coisas duras de se encarar; a retirada da espada seria como marcar a ferro quente que o pai da jovem Mulan já não pertencia ao mundo dos vivos e que jamais voltaria a dar um beijo na testa, aconselhá-la, ou ver seu bebê quando chegasse a hora.

Mais uma vez o chocalho preso a ponta do cajado da anciã cortou o ar com um agudo som.

— Agora é a hora, Fa Mulan. Faça a Passagem!

Ritmado, o chocalho balançou. Mulan fez questão de retirar todo o ar dos pulmões e, logo em seguida, injetá-lo todo novamente. Os olhos, de forma rápida, passearam pelo salão a fim de verificar se não havia qualquer obstáculo capaz de fazê-la tropeçar ou alguém que pudesse ferir durante os passos de dança, individuais de cada líder, até o momento da fixação da espada na Pedra dos Fa. O estômago cantava; Pedra dos Fa, pai morto, retirar a espada do pai morto. Ele estava morto. Tão morto quanto as flores da primavera que já haviam se transformado em pó.

De acordo com a rústica música tocada pela anciã, Mulan deu os primeiros passos em direção a Pedra dos Fa. A impressão de ser abraçada pela energia dos ancestrais voltou a atingi-la, assim como a sensação de que as estátuas dos guardiões da família rugiam em apoio. Corajosa, a moça ergueu o queixo e executou os dois primeiros giros, a espada com seu nome inscrito reluzia como nunca; assim como as inscrições nas Pedras dos Ancestrais, incluindo a que tinha inscrita o nome do pai da garota.

Frente a frente com a Pedra dos Fa, Mulan encarou a espada do pai com carinho. Ao conectar a palma da mão com o cabo da arma do pai, a mente de Mulan se inundou; vieram à tona todas as vezes em que tomaram chá juntos, todas as manhãs que alimentaram as galinhas e todas as vezes em que o pai de Mulan treinava e a menina, secretamente, o assistia. Retirar aquela espada seria confirmar o fato de que o pai da jovem se fora, mas, em contrapartida, a moça nunca o sentiu tão presente.

O toque se tornou mais intenso, a mão englobou o cabo da espada, forçando a lâmina a deixar a Pedra dos Fa, onde residiu por tantos e tantos anos. No fim, Mulan não empenhou tanta força quanto achava que teria de empenhar. Talvez ele esteja pronto para descansar por saber que cuidarei das coisas por aqui, ela pensou. Mulan encarou o metal opaco, que retribuiu com um olhar fraco e finalmente se apagou. Os lábios pintados tremeram; o peso da angústia lhe esmagava o peito e ainda assim, pensando no pai, suportou a fim de continuar com o Ritual da Passagem. Prosseguir seria o conselho que o pai de Mulan daria se ainda estivesse vivo. Afinal de contas, “prosseguir”, acima de tudo, era o objetivo daquele ritual. Não andar para frente sem recordar os passos dados mais atrás, mas caminhar com sabedoria, honrando as benfeitorias daqueles que já se foram, e reconhecendo os erros que não devem ser cometidos para o bem da família.

Mulan girou com as duas espadas na mão, como uma pétala de rosa que dança pelos ares na primavera chinesa. Aparentando estar tão leve, tão livre, mas na verdade com tanto pesar que o ar mal passava pela garganta. Tomando a distância necessária, Mulan cessou os giros e encaixou a espada na pedra; as costas em arco e o ventre protuberante apontando para o teto. O tempo parecia ter parado, e dentro dessa prisão encontrava-se uma lágrima que corria em liberdade pela camada de tinta branca do rosto da jovem.

Ao se por ereta, a mais nova líder da família Fa segurou a lâmina opaca do pai com as duas mãos. Diante de si, os familiares se curvaram em obediência e respeito. Mulan mordeu o lábio, emocionada, e logo em seguida ouviu um “psiu!”. Ao virar o rosto, deparou-se com a figura de Mushu, que se escondia atrás de uma das estátuas dos guardiões da família, fazendo um sinal positivo com as garras.

Com os próprios olhos, Mulan vira coisas se transformarem nos seus opostos. Vira o dia se tornar noite, o inverno se desabrochar em primavera, a sua derrota no exército se tornar a vitória de toda a China e vira a si mesma: uma mulher com um destino limitado se transformar na salvadora de seu povo e líder do próprio clã. No fim daquele ritual, quando nenhum mortal presente espreitava, as lágrimas de Mulan se transformaram em um sorriso.

25. November 2018 02:33:37 23 Bericht Einbetten 16
Das Ende

Über den Autor

Saah AG Nasci em Fortaleza, sou aquariana e adoro inovar. Entrei em contato com o universo fanfiction aos nove anos e passei a ser leitora e autora desse meio. Adoro tramas bem construídas, reviravoltas são incríveis, mas alguns clichês também chegam a me emocionar.

Kommentiere etwas

Post!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Primeiro de tudo, pedimos desculpa pela demora para postarmos o comentário e faremos o possível para que esse atraso não se repita. Ah, Mulan! Que coisa mais maravilhosa ter lembrado da heroína da China para esse desafio! Kkkkkkkk A raiva é real com toda essa misoginia do cerimonialista! Mas não é à toa que Mulan é a Mulan, e como a mulher poderosa que ela é, foi nomeada! Você representou bem a personagem, que mesmo um sentimental, ainda ergue a cabeça e consegue o que quer. Vai a luta e não se deixa abalar pelo que os outro dizem! Também seguiu bem o proposto pelo desafio, então parabéns! Agradecemos que tenha participado e esperamos que nos encontremos nos próximos desafios! Até mais!
22. Februar 2019 10:30:33
Camy <3 Camy <3
Olá! Venho em nome do Sistema de Verificação do Inkspired. Parabéns, a sua história foi verificada. Ainda assim, você apresenta alguns erros pequenos em relação aos porquês sobre os quais eu achei interessante te avisar. “por que a senhora…” -> “porque a senhora…”; “Porque estamos insistindo” -> “Por que estamos insistindo…”; “Porque os votos da cerimônia…” -> “Por que os votos da cerimônia…”. O pretérito do verbo poder é “pôde” (na história está pode) e, em “que tinha inscrita o nome do pai da garota”, o melhor é “que tinha inscrito o nome do pai da garota”. Mais uma vez, parabéns pela sua história e uma ótima semana!
11. Dezember 2018 21:26:06

  • Saah AG Saah AG
    Olá. Obrigada por me alertar sobre esses erros. Nossa, eu conheço as regras pra empregar cada um em cada caso, mas a desatenção foi gigantesca mesmo. Isso que dá ficar se metendo em um milhão de desafios de escrita e ter prazo toda hora heuehueheu. Já corrigi os erros e obrigada pelo comentário. 13. Dezember 2018 08:35:28
  • Camy <3 Camy <3
    Acontece muito, sério. Às vezes mando minhas histórias pra minha beta e volta com umas correções que eu fico, tipo: mas eu sei isso. Como deixei passar? É a vida, acontece, ASODOSIADO. Parabéns pela história <3 13. Februar 2019 12:19:14
E C E C
Que fanfic mais linda. Mulan sempre foi o exemplo de luta e superação feminina. Você trouxe não só a China, mas também como é marcante o preconceito daquela sociedade para com uma mulher ter os salvo. Absolutamente fantástico 💛
2. Dezember 2018 15:35:57

  • Saah AG Saah AG
    Não vou mentir que quando a minha amiga Nathy Maki falou sobre o desafio, me veio a cabeça a Coreia do Sul (eu tinha acabado de ler um artigo sobre a mulher sul-coreana). Enfim, queria escrever sobre uma mulher. Quando eu vi "China" a Mulan me veio automaticamente na cabeça :v Muito obrigada por ler e comentar <3 3. Dezember 2018 07:59:47
 Noctis Noctis
Hello! Eu tinha colocado essa história aqui como leitura certa, e olha, não me arrependi em nenhum momento. Assim que joguei a hashtag viajaink e ela apareceu, sabia que não lê-la seria um erro. Doce, apesar de todo o peso que Mulan carregará. Saber que o pai dela faleceu, me trouxe uma dorzinha, porque eu gosto dele. E ver o crescimento de Mulan, vê-la casada e carregando um herdeiro no ventre <3 Como eu disse: doce. Muito boa, trazendo à nós a tradição do pais, muito bem descrito e rico nos detalhes do que a Mulan estava sentindo. Shang é um coiso que não sei explicar, só amar. Adoro ele, muito! E a participação especial do Mushu ali, um primor! Parabéns!
2. Dezember 2018 11:36:38

  • Saah AG Saah AG
    Eu sabia que a Mulan atrairia fãs, assim como ela me atraiu pra escrever uma história sobre ela :v Eu tb gostava do pai dela, mas né, eu tinha que dar um motivo pra toda a trama se desenrolar. Ai velho, eu fico meio que fazendo vista grossa quando falam do filme Live Action da Mulan sem o Shang e o Mushu. Quer dizer, o nome da obra é Mulan, mas é difícil pensar nela sem pensar neles dois. Obrigada por ler e comentar <3 3. Dezember 2018 08:04:56
Nathy Maki Nathy Maki
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA MINHA HISTÓRIA <3 SÓ MINHA<3 Lamento Mushu, mas vou pegar seu pedestal por um bom tempo porque eu estou nas nuvens com essa maravilha! Miga cê é destruidora mesmo! Olha essa Mulan toda forjado no afronte u.u Manda mesmo o babaca do cerimonialista ir catar coquinho! Muito que bem feito! O Shang lá pra apoiar ele, todo bolinho que só ele e o ritual! Fiquei de boca seca de tão bem construído e envolvente que ele ficou! E faz muito sentido que seja a vó dela quem o conduza, ela é uma das personagens que vai tá lá sempre. E pense numa flexibilidade pra enterrar essa espada estando grávida ainda mais! Minhas costas doem só de imaginar. AAAA isso ficou tão lindo, mesmo que a morte do pai dela deixe meio triste, que eu só sei gritar! Tu é fodástica, menina! Te amo e muuuuito obrigada <3 Um beijão ^3^
30. November 2018 06:34:28
Yasu Wada Yasu Wada
Quando se fala da Mulan lembro-me de minha infância, como eu adorava assistir os filmes da Disney. A simplicidade e a escrita bela deixou tudo favorável para a nostalgia bater forte. A sua estória ficou linda, parabéns!
27. November 2018 18:21:42
Yasu Wada Yasu Wada
Quando se fala da Mulan lembro-me de minha infância, como eu adorava assistir os filmes da Disney. A simplicidade e a escrita bela deixou tudo favorável para a nostalgia bater forte. A sua estória ficou linda, parabéns!
27. November 2018 18:18:36

  • Saah AG Saah AG
    Sim, foi essa sensação que eu quis trazer aos leitores. Principalmente para aqueles que, assim como eu, consideram a Mulan a melhor princesa da Disney <3 Obrigada pelos elogios e por comentar :3 28. November 2018 07:03:48
Kamy Souza Kamy Souza
Ahhh! Amei ♡ achei tão simples e delicado, ao mesmo tempo em que tem profundidade e trata de temas tão importantes. Sua ecrita é impecável, gostei muito de como utilizou uma linguagem poética em vários momentos do conto. Parabéns, ficou lindo!
26. November 2018 21:10:38

  • Saah AG Saah AG
    Ai, obrigaaada <3 Eu tive que controlar os dedos, já que o limite de palavras era curto. Sim, achei importante retratar o papel da mulher nos tempos da Mulan (tava mt inspirada pra esses assuntos pq to assistindo uma série na Netflix que o nome é "As Telefonistas", que retrata mt sobre essas questões também). Obrigada pelos elogios e muito obrigada por dispor seu tempo para ler minha fic <3 27. November 2018 07:12:28
Kamy Souza Kamy Souza
Ahhh! Amei ♡ achei tão simples e delicado, ao mesmo tempo em que tem profundidade e trata de temas tão importantes. Sua ecrita é impecável, gostei muito de como utilizou uma linguagem poética em vários momentos do conto. Parabéns, ficou lindo!
26. November 2018 21:10:38
Zacky U. Zacky U.
Como foi bom reviver a história de Mulan, é a minha favorita. achei muito criativa a sua abordagem. Parabéns!
26. November 2018 11:47:28

  • Saah AG Saah AG
    Mulan também é minha princesa da Disney favorita <3 Muito obrigada pelos elogios e muito obrigada por ler :3 27. November 2018 07:08:09
Ayzu Saki Ayzu Saki
Eu estou muito feliz em ler algo fofinho desse desafio. Todas as estórias que li foram maravilhosas, mas essa foi a única que me fez terminar com um sorriso e não com a garganta apertada querendo chorar hahaha Parabéns pela estória, Mulan é sempre será minha princesa favorita <3
25. November 2018 18:27:10

  • Saah AG Saah AG
    Acho que meu coraçãozinho de manteiga tava pedindo por uma mudança, já que desde o dia dos namorados que eu não publicava algo fofinho (pornô n conta), só desgraça (exceto o pornô). Mulan também é a minha princesa favorita, por isso que na hora em que eu pus os olhos na China, lembrei dela. Obrigada por ler e comentar <3 27. November 2018 07:05:41
Zen Jacob Zen Jacob
Essa é a primeira vez que eu vejo uma fic de Mulan e tô apaixonado, sinceramente. Minha princesa favorita (junto com a Bela porque livros e furry) e você conseguiu fazer uma história usando justamente uma situação que foi tão apontada no primeiro filme. No segundo filme da Mulan até apontam essa situação de novo, mas sinceramente, ficou bem fraquinho - prefiro o enfoque que você deu aqui, de um homem rejeitar o poder dela por ser mulher. Isso me lembra, inclusive, de uma rainha da Suécia, Cristina, que quando assumiu o trono era chamada de "Rei", porque "Rainha" seria apenas o termo para a esposa do Rei (chefe máximo do estado) - machismos ao longo da história, yay! ~ironia Adorei a forma como você descreveu os cenários e também a questão das roupas e maquiagens tradicionais da Mulan. Fiquei triste pelo pai dela ter morrido, porque lembro que ele era um pai legal, apesar da época em que nasceu, se importava mais com a filha do que com as tradições no final. O Shang, amorzinho como sempre, e a vovó ter sido a responsável pela passagem da Mulan me parece algo que realmente aconteceria no universo canônico, porque aquela velhinha era fogo demais. Meus parabéns pela história, jovem! ^_^
25. November 2018 10:53:33

  • Saah AG Saah AG
    Mulan é uma das minhas preferidas também. Mano, eu assisti o primeiro filme várias vezes e quando descobri que tinha o segundo fui correndo assistir e dei de cara no chão. Mais parecia uma OVA do que um segundo filme, sinceramente. Meio que acabei desconsiderando um pouco os acontecimentos do segundo filme na construção dessa one. Assim que eu vi os países e bati o olho na China, a Mulan me veio automaticamente na cabeça. Porque tipo, as pessoas não são tão habituadas assim a China como são ao Japão (por causa dos mangás, animes e etc), mas há personagens conhecidos do meio, como a Mulan. Então achei que a familiaridade com a China seria sentida com a introdução da Mulan. As pessoas que já assistiram o filme sabem que roupas são essas, que maquiagem é essa, como são os templos, entre outras coisas. Tipo, há uma imagem formada, o que eu fiz foi puxar essa imagem que já foi formada. Só matei o pai dela porque ele já era doente, juro (e teria de ser feito se eu quisesse dar dramaticidade e dar motivos o bastante pra ela assumir a liderança da família). A respeito do Shang: ele a Mulan sempre foram muito a frente do tempo, então, pra mim, eu vejo o casamento deles como um lance de companheirismo mesmo. Sem aquelas paradas de obediência feminina e o escambau. A avó da Mulan é aquela velha que enterra todo mundo e não morre :v Muito obrigada pelo seu comentário e muito obrigada por ler até o final <3 25. November 2018 11:11:27
Di Angelo Di Angelo
Meu Deus Que história linda. Socorro olha essa Mulan, tão fiel à sua original. Esse é o verdadeiro final, só a Disney que não sabe ainda.
25. November 2018 04:15:37

  • Saah AG Saah AG
    Ai, fico tão feliz que você tenha achado que ficou fiel a Mulan original!! Me esforcei muito pra que ficasse parecida. Muito obrigada por ler e comentar <3 25. November 2018 11:02:26
~