Gorilla Follow einer Story

bielcastelli Biel Castelli

A vida de Itachi Uchiha seguia a mesma rotina tediosa de sempre: Passava os dias imerso em processos jurídicos e casos da vara familiar. Entretanto, tudo muda quando naquela sexta-feira, seu tio Madara, preocupado que o trabalho estava sugando sua juventude, lhe sugere terminar aquela noite em uma famosa boate da cidade, garantindo que Itachi relaxaria ao assistir o show do dançarino mais famoso do lugar. Itachi, ainda que relutante, resolve aceitar a sugestão e caminha até o lugar, mesmo descrente se aquilo poderia de fato tirar o foco de seus problemas. Porém, assim que seu olhar se fixou na performance erótica de Naruto, ele se viu completamente fascinado pela sensualidade do dançarino e pode perceber que aquela noite seria gravada a ferro e fogo eternamente em sua memória.


Fan-Fiction Anime/Manga Nur für über 18-Jährige.

#songfic #yaoi #naruto #naruita #lemon #itanaru #itachi #comedia #boyxboy
Kurzgeschichte
8
4733 ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

You and me, baby, making love like gorillas

Hey girls, a mamãezinha voltou para jogar um monte de histórias na cara de vocês. Dessa vez é uma one do meu OTP, espero que vocês gostem e logo logo eu estou postando mais uma One para vocês. 



— Merda, até quando terei que mexer nesses processos perdidos— suspirei enquanto afrouxava minha gravata.


Escutei a porta ser aberta e por ela entrar a pessoa que eu menos queria ver agora.


— Tá na merda hein, sobrinho —  debochou caminhando até a janela da minha sala — A quanto tempo não sai desse escritório?


— Não enche Madara!


— Ainda não conseguiu resolver aquele problema do processo de divórcio da senhorita Hyuuga?


—Não e é isso que tá me dando dor de cabeça, nenhum dos dois querem entrar em um acordo — suspirei passando a mão em meus longos cabelos que pareciam um ninho de pássaro.


— Você precisa viver Itachi, quem sabe transar e esquecer um pouco do trabalho — se virou me encarando com o mesmo sorriso debochado de sempre — Precisa colocar pra fora toda essa tensão e nada melhor do que uma boa noite de sexo — riu.


— Eu não preciso de sexo, eu preciso resolver esse caso logo — o olhei sério demonstrando que não estava com humor para suas brincadeiras naquele dia.


— Devia ir naquela boate de stripper que te falei a um tempo atrás — sorriu como se estivesse se lembrando de algo — Hoje é sexta-feira, dia de apresentação do meu garoto e o melhor dançarino daquela espelunca.


— Olhe bem para mim e me diga se eu tenho cara de quem frequenta esse tipo de lugar— revirei os olhos acrescentando— Além do mais titio, eu não preciso pagar por sexo como você.


— Olha como fala comigo seu moleque presunçoso.


— Só disse verdades— esperando que ele fosse embora logo.


— Deixa de ser fresco e vá logo Itachi, quem sabe eu deixe de ir hoje para que você possa aproveitar o meu garoto por uma noite — disse dando ênfase na palavra meu e caminhou até a porta — Afinal, está a quantos meses sem saber o que é sexo? — sorriu cínico antes de abrir a porta e sair.


— Isso não é da sua conta— gritei ouvindo Madara rir atrás da porta.


Olhei para a minha mesa e suspirei frustrado ao ver a pilha de processos que ainda precisava dar uma revisada . Levantei e caminhei até o barzinho no canto da sala e enchi um copo de Whisky. Levei o copo até a boca tomando o líquido em uma golada, sentindo a garganta arder.


— Não aguento mais o gosto desse Whisky horrível — resmunguei me virando em direção a minha mesa.


Talvez Madara estivesse certo eu precisava mesmo transar, nem lembrava a última vez que tinha relaxado. Estive tão focado no trabalho nos últimos três meses que mal tinha tempo de ir para casa, nem que fosse para ter uma refeição decente. Na maioria das vezes ia embora com intuito de dormir, mas acabava trancado no escritório trabalhando a noite a dentro.


Bufei pegando a chave do carro e minha carteira, precisava sair dali antes de enlouquecer e colocar fogo em tudo. Sai da sala e passando em frente ao escritório de Madara que estava com a porta aberta, notei que o mesmo ainda estava ali.


— Ainda aqui?


— Você não é o único que está cheio de trabalho querido sobrinho — sorriu ironicamente.  


— Que ironia é essa? Isso não combina com você titio.


— Onde pensa que vai? Já está indo embora? Pensou na minha proposta?— sorriu malicioso.


— Não enche, vou sair para beber e depois vou para casa me jogar na cama. Volto segunda.


— Entendi. Se mudar de idéia tome o cartão do clube e o meu garoto é o loiro, Naruto é o seu nome.


Peguei o cartão preto a contragosto e virei as costas sem dar adeus. Caminhei até o carro disposto a ir até o bar que sempre frequento, olhei para o banco do passageiro notando o cartão preto escrito Flames em neon vermelho. Não acredito que eu vou mesmo fazer isso, mas sem pensar muito me pus a dirigir até o tal clube. Se fosse uma merda faria questão de matar meu tio ou apenas fingiria que nunca viu aquela cartão.


[...]


Parei em frente ao clube de stripper e olhei suspirando para cima enquanto o sol da tarde me cegava, já fazia três anos que eu tinha essa rotina de ir trabalhar como dançarino na Flames toda noite. Aquela não era a vida que eu queria, mas tinha aluguel e faculdade para pagar e não podia me dar ao luxo de depender dos meus pais, já que eu tinha sido praticamente expulso de casa quando contei que era gay.


Entrei sentindo a nicotina invadir meus pulmões, maldita Ino que fumava seus cigarros baratos lá dentro. Caminhei até Kiba e Rock Lee que estavam escorados no bar enquanto limpavam os copos. Dei a volta no balcão me aproximando deles.


— Oi rapazes —  sussurrei perto do ouvido de ambos fazendo os dois se arrepiar.


— Pensei que não viria hoje —  Lee largou o copo que limpava e abraçou minha cintura colando nos corpos e selando nossos lábios.


— Até parece que ele ia faltar, logo hoje que eu vou cantar—  disse Kiba me abraçando por trás e distribuindo beijos molhados no meu pescoço.


— Se eu não tivesse uma apresentação hoje, eu levaria vocês dois agora para o quarto —  gemi dengoso ao ter aqueles dois machos me agarrando. Eu podia não gostar do fato de ter que dançar muitas vezes para homens velhos e nojentos, mas eu ainda sabia aproveitar os prazeres da vida.


— O caralho do clube ainda nem abriu e vocês já estão se pegando. Kiba e Lee vocês deviam estar ilustrando esses copos, não comendo o Naruto —  gritou Ino andando até nós.


— Desculpa chefinha —  debochou Lee.


— Bom, já que estragaram a nossa diversão eu vou ir me arrumar —  resmunguei olhando a loira que mostrava o dedo pra mim.


— Já ia me esquecendo, o chefe quer falar com você —  disse a loira antes de dar as costas e ir para dentro do bar.


Concordei com a cabeça, subindo as escadas até o segundo andar do clube e bati na primeira porta do andar e escutei um entre vindo de dentro da sala. A sala do chefe transmitia a energia de um sexo libidinoso, suas paredes em preto com um fundo em chamas que subiam do chão ao teto sempre me lembravam que o fogo do inferno podia ser prazeroso. Olhei para o sofá escuro ao lado e várias recordações quentes vieram na minha memória. A suntuosa mesa de mogno negro e a cadeira alta vermelha contrastavam bem com o homem com longos cabelos loiros e olhos azuis que digitava a toda pressa em seu notebook.


— Queria me ver? — perguntei me sentando na cadeira de frente para o loiro.


— Claro — tirou o óculos e colocando em cima da mesa — Estava com saudade de você — se levantou da cadeira e caminhou até mim como um felino.


— Eu tô aqui todo dia, Deidara - ri passando a mão na coxa do loiro.


— Agora não posso mais sentir saudade de você? — se sentou em meu colo passando uma perna de cada lado


— Claro que pode chefinho — sussurrei a última frase puxando seus cabelos e colando nossos lábios, dando início a um ósculo cheio de fome enquanto eu adentrava minhas mãos pela calça de Deidara. Apertei sua bunda recebendo um gemido durante o beijo, mordi seu lábio inferior antes de começar a dar atenção para aquele pescoço que me deixava entorpecido pelo perfume amadeirado que o loiro usava. Comecei a esfregar meu dedo em sua entrada tendo o sentindo rebolar em meu colo, olhei para ele sorrindo enquanto enfiava meu dedo nele vendo o mesmo abrir a boca em um gemido sôfrego. Quando coloquei o segundo dedo o senti forçar o corpo contra minha mão.


— Parece uma vadia desse jeito — mordi seu pescoço ouvindo um gemido dolorido — Preciso me arrumar agora — selei nossos lábios tirava meus dedos de sua entrada — Vá para a minha casa amanhã que eu te fodo.


— Tá bom — resmungou saindo do meu colo — Mas antes de ir eu quero leitinho — se agachou na minha frente abrindo o zíper da minha calça.


Maldito Deidara, ainda ia me matar de cansaço pensei entrando no camarim encontrando Sakura, Tenten e outras meninas que trabalhavam no clube.


— Olá garotas — saudei elas enquanto caminhava até o pequeno guarda roupa e abria pegando minha yukata* vermelha.


— E aí poc — Sakura se aproximou dando um beijo estalado em minha bochecha — Animado para hoje a noite?


— E vai acontecer algo de diferente hoje por acaso? — levantei a sobrancelha sorrindo.


— Sexta não é dia que o seu Uchiha vem te ver? —  perguntou Tenten ao se aproximar enquanto colocava seus brincos, acenei com a cabeça confirmando enquanto tirava a roupa.


Vesti a yukata*, olhei para o espelho me sentindo a reencarnação de Afrodite enquanto admirava o contraste do vermelho do tecido de seda com minha pele.


— Tá belíssimo amor, vai arrasar no palco —  senti os braços de Tenten envolver minha cintura me abraçando carinhosamente.


— Já sabe que música vai dançar? — gritou Sakura lá do fundo.


— Ainda não, mas espero que seja algo bem sexy, quero deixar todo mundo com o pau duro — sorri malicioso ao lembrar do quanto Madara era ciumento consigo e quase provocava briga quando algum homem tentava se aproximar dele.


Sai dos meus devaneios ao escutar batidas na porta do camarim.


— Sim? — perguntou Tenten.


— Meninas, sou eu Lee. Só para avisar que o clube já vai abrir então só mais cinco minutos para se arrumarem e Naruto você vai ser o segundo a se apresentar, Sakura é a primeira. Boa sorte e eu amo vocês — ditou.


— Porra eu odeio o Deidara, como assim ele me coloca como a primeira a apresentar — gritava Sakura enquanto corria de um lado para o outro desesperada enquanto abria a porta correndo em direção ao palco.


Ri junto a Tenten enquanto sentávamos de frente para o espelho dando um último retoque na maquiagem. Observei as outras meninas saírem do camarim com um olhar tedioso, ninguém gostava de trabalhar naquele ambiente só que pra muitas, assim como eu não havia outra saída.


— Acho que agora é minha vez — falei para mim mesmo ao escutar aplausos e gritos vindo do grande salão do clube.


Me levantei e caminhei até a porta dando um selinho em Tenten, levei a mão para abrir, mas a mesma foi aberta por Deidara que me puxou para os seus braços e colou nossos lábios em um beijo faminto.


— Vai lá e arrase, meu macho — sorriu batendo em minha bunda.


Caminhei rapidamente até atrás do palco onde encontrei Sakura que me abraçou rapidamente novamente me desejando sorte. Olhei para Kiba sorrindo e acenei com a cabeça em sinal que ele poderia começar a cantar.


No palco Kiba começará a cantar suave e com sua voz sexy.


Você está com suas pernas para cima no céu
Com o diabo em seus olhos
Me deixe ouvir você dizer que quer tudo
Diga isso agora.


Subi no palco escutando os homens gritarem por mim e assobiarem. Permite deixar meu corpo seguir o ritmo que aquela voz transmitia, Kiba sempre me excitava cantando.


[...]


Entrei no clube visualizando as mesas no canto, escolhendo uma em um lugar mais escuro e discreto, notei que no palco principal acontecia uma apresentação  extremamente sexy. Nunca tinha visto um corpo se mexer tão sensualmente, ele exalava erotismo. Puxei a cadeira me sentando na mesa vazia e logo meu olhar foi capturado pelo rapaz loiro que hora se esfregava no pole dance. Às vezes o loiro caminhava até o cantor se insinuando para ele e passando as mãos na coxa do mesmo.


Por um momento me imaginei no lugar daquele cantor, que na verdade cantava bem surpreendo meus ouvidos.


— O que o senhor deseja? — perguntou uma moça loira se aproximando.


— Tequila, duas doses por favor — respondi sem desviar do palco. Nem ao menos notei quando a garçonete se afastou.  


— O que eu preciso para ter esse homem na minha cama — murmuro um pouco alto demais escutando a risada de um homem que estava na mesa ao lado.


— Precisa de sorte meu jovem, porque é ele quem escolhe o homem que vai levar ele para a cama — o desconhecido revira os olhos voltando sua atenção para a dança.


— Aqui está senhor — disse a loira ao colocar as duas taças de Tequila a sua frente.


— Qual o nome do dançarino? — perguntei sentindo meu corpo arrepiar ao ver o rapaz lamber o pole dance de uma forma completamente lasciva.


— Naruto — disse a mesma sorrindo — Ele é uma tentação não é mesmo? — notou a loira morder os lábios — Vários homens vêm aqui apenas para o ver dançar e sempre caem de quatro por essa vadia loira — riu se afastando.


Então esse era o rapaz que seu tio tanto falava, agora poderia entender a adoração que Madara tinha pelo garoto. Ele era simplesmente delicioso.


[...]


Estava quase terminando a apresentação e não tinha visto Madara ainda, passei o olhar pelos homens que estavam sentados ali perto do palco e percebi um olhar diferente sobre mim, eu sentia meu corpo ser devorado por aquele olhar negro que tanto me chamava.


Comecei a caminhar entre as mesas, parando vezes em certos homens que beijavam minhas coxas e outros minha mão, além de colocarem notas altas presas na faixa da minha yukata*. Olhei para o moreno dono do olhar misterioso e comecei a andar sensualmente até ele, sorri ao ver ele afrouxar sua gravata nervosamente.


— Olá — sussurrei dando um beijo em sua bochecha, passei meu dedo por seu queixo levantando seu rosto para mim e me afogando naquele mar negro.


— Eu quero você — arrepiei ao escutar aquela voz rouca enquanto sentia sua mão trilhando um caminho em minha perna.


— Todos querem — sussurrei em seu ouvido ao morder seu lóbulo — Mas eu também quero você — sentei em seu colo rebolando.


— Me espera atrás do palco — falei saindo de seu colo voltando para o palco onde a música se encerrou e Kiba veio até a frente me dando um abraço.


Desci do palco e caminhei até Ino que me esperava ali com uma garrafa de água.


— Seu homem não quis te esperar aqui então levei ele para o segundo andar, quarto 15.


— Ta bom linda, estou indo — lhe entreguei a garrafa e me dirigi ao segundo andar.


Parei de frente ao quarto e respirei fundo, abrindo a porta lentamente tendo a linda visão daquele homem já sem o casaco e com o rabo de cavalo caído sobre o ombro.


— Olá de novo — sorri enquanto trancava a porta.


— Olá, Naruto — sorriu sedutor. Então ele sabe o meu nome, mas posso afirmar que nunca o vi por aqui. Eu teria notado um homem tão bonito, com certeza ele veio por indicação, resta saber de quem.


— Não acha que está com muita roupa? — caminhei até ele que tinha seu olhar preso ao meu corpo, subi na cama sentando em seu colo e tendo suas mãos em minha bunda.


Comecei a abrir os botões de sua camisa enquanto o mesmo já atacava meu pescoço e descia para meus ombros abrindo a yukata. Logo eu já estava sentindo meus mamilos sendo sugados com força me fazendo gemer e puxar seus cabelos.


— Qual o seu nome? — gemi tendo a yukata arrancada de vez do meu corpo.


— Itachi Uchiha — murmurou entre as mordidas que dava em meu mamilo.


— Conheço bem os Uchiha — arranquei sua camisa — Se acham tão dominadores e donos de tudo — sorri e me levantei de seu colo indo em direção a cômoda. Sem Itachi perceber peguei o que eu queria na gaveta e voltei parando a sua frente.


— E não somos? — voltou seu olhar para mim com um sorriso presunçoso.


— Não comigo — sorri e fitei aquela boca tão chamativa, colei nossos lábios e iniciei um beijo agressivo. O perfume cítrico que ele exalava e o gosto de Tequila ainda presente em sua saliva estavam me deixando inebriado de desejo.


— Algemas? — perguntou com um sorriso libidinoso.


— Hoje você vai aprender que nem sempre se pode dominar tudo Uchiha — falei olhando em seus olhos.


Puxei sua mão que já entrava em minha roupa íntima que ainda tampava meu pau e algemei seu pulso na cabeceira da cama e fiz o mesmo com outro rapidamente.


— O que é isso? Vai me comer também?


— Só se você quiser — sorri começando a desafivelar o cinto e descendo sua calça junto com cueca, virei minha bunda deixando bem de frente para o seu rosto enquanto tirava seus sapatos e meias.


Tirei minha cueca, voltei a cômoda pegando um consolo que tinha na gaveta e sentei no colo de Itachi que suspirou ao ter seu membro tocando minha bunda.


— Tão lindo — sussurrei passando a mão em seu peitoral nada exagerado, beijei novamente seus lábios e comecei descer distribuindo beijos pelo seu queixo indo até o pescoço onde deixei um chupão seguido de uma mordida. Escutando Itachi gemer, desci a boca para seus mamilos rosados e passei a língua neles que estavam duros, quando olhei para ele o vi fechar os olhos e abri de novo me encarando .


— Você é tão obsceno que eu poderia gozar só com o seu olhar.


— Obrigado pelo elogio — sorri ao sentir o pênis do outro bater em minha bunda.


Me virei deixando meu traseiro próximo ao seu rosto, coloquei minhas pernas uma em cada lado de seu corpo deixando minha entrada exposta para o moreno apreciar. Peguei o consolo e o levei até a boca começando a chupar descaradamente vendo Itachi literalmente babar com a visão que eu lhe proporcionava.


Tirei o consolo da boca e posicionei na minha entrada começando a esfregá-lo ali, sentindo minha entrada pulsar.


— Você não vai fazer isso — Itachi falou com a voz carregada de desejo.


Sorri para ele e comecei a me penetrar enquanto ouvia o barulho das algemas.


— Isso é tão bom Itachi — gemi começando a movimentar o consolo dentro de mim


— Olha como ele desliza dentro de mim — joguei a cabeça para trás, levei a mão livre até a ereção de Itachi e comecei a masturbá-lo lentamente enquanto me penetrava.


— Naruto me solta — gritou falhando na tentativa de não parecer desesperado, ri alto retirando o consolo de dentro de mim e o atirando longe.


— Calma, eu vou dar atenção para você — me virei voltando a ficar de frente para ele e desci até seu membro — Quantos meses sem saber o que é gozar de verdade? — perguntei levantando a sobrancelha ao ver aquele membro pesado, tão cheio de leite e que eu faria questão de tomar todinho.


— Não te interessa — resmungou me fazendo rir.


Passei a língua pela base do membro vendo Itachi vibrar com a sensação, comecei a chupar a cabeça de seu pau olhando para o seu rosto que estava vermelho de excitação, sorri safado antes de colocar todo aquele falo em minha boca e escutar o moreno urrar em deleite.


— Ahh N-Naruto — gemeu jogando a cabeça para trás — Que boca maravilhosa.


— Tá gostando do boquete da sua vadia? — tirei seu pau da boca rapidamente antes de voltar começando uma nova sucção mais rápida e forte, alternando entre lamber aquelas bolas e me engasgar naquele pau gostoso.


— Demais…Porra! Eu vou gozar.


— Goza na minha boca, Tachi — sussurrei o apelido que eu tinha dado para ele o vendo revirar os olhos quando voltei com a sucção. Senti seu membro latejar em meus lábios e não demorou para que o moreno se derramasse na minha boca em jatos fartos. Engoli tudo e me levantei olhando para ele que estava suado e suas coxas com vergões vermelhos dos arranhões que dei enquanto mamava ele.


— Enquanto eu mamava em você, percebi que algo não parava de piscar — levei meus dedos até sua entrada — Alguém já entrou aqui? — forcei meu dedo vendo Itachi fechar os olhos e balançar a cabeça negando.


— Virgem então — meu pau pulsou ao saber daquilo — Posso ser o seu primeiro? Prometo que sou o único que vai te proporcionar uma primeira vez tão gostosa — sorri lançando meu melhor olhar galanteador.


— Vai logo — bufou — Me solta.  


— Agora não — me agachei começando a lamber aquela entrada rosada tão convidativa e que não parava de piscar por mim, passei a forçar minha língua em sua entrada enquanto levei meus dedos para sua boca que logo começou a chupa-los. Tirei os dedos da sua boca e comecei a forçar um dedo cuidadosamente para não machucar o moreno que estava tão tenso.


— Não fique nervoso — beijei seus lábios — Vai doer mais se não se acalmar —

coloquei outro dedo dentro dele começando a movimentar lentamente enquanto o Uchiha tinha a boca aberta em um gemido mudo.


— Por favor Naruto — sussurrou em meu ouvido me fazendo tirar os dedos de sua entrada.


Peguei as chaves da algema que estavam em cima da cama e passei a pincelar meu pau em seu entrada que piscava. Forcei a glande sentindo resistência no início, mas peguei no membro do moreno começando a marturba-lo para disperçar a dor e  vi seu pau já dando sinais que estava ficando duro novamente, enquanto eu o penetrava pouco a pouco.


— Calma Tachi, já entrei — ri retirando as algemas de suas mãos. O moreno entrelaçou seus braços em meus pescoço e fez o mesmo com suas pernas em minha cintura.


— Só me foda com força, porque depois eu vou acabar com o seu cu Naruto — falou sério.


Colei nossos corpos suados e selei nossos lábios enquanto eu começava a me movimentar naquele canal apertado que estrangulava meu pau. Amava foder aqueles caras que iam no clube com maior pose de machão, mas que no quarto gemiam como uma vadia em meu pau.


Quebrei o ósculo e enfiei meu rosto no pescoço de Itachi exalando aquele perfume cítrico e maltratando aquela pele pálida o deixando cheio de marcas.


Sorri quando toquei na sua próstata escutando o mesmo gemer um pouco mais alto.


— Achei —sussurrei em seu ouvido começando a aumentar o ritmo das estocadas


— Eu vou gozar.


— Goza pra mim Tachi — mordi seu ombro enquanto me derramava dentro daquele canal tão quente e apertado, senti o corpo de Itachi tremer com espasmos e meu pau ser absurdamente apertado enquanto ele se derramava em nossas barrigas.


Levantei meu corpo admirando a beleza de Itachi após sexo, os longos cabelos negros bagunçados contendo alguns fios colado em sua testa, o corpo suado e melado de porra. Vi sua entrada ainda pulsando enquanto expelia minha porra para fora.


— Você é tão lindo — sussurrei escutando sua risada que puta merda, era tão gostosa de se ouvir.


Me agachei passando a língua em seu membro que já dava sinal de vida novamente e segui o trajeto com a língua até seu abdômen recolhendo o esperma que tinha ali e engolindo.


— Três meses.


Levantei a cabeça tentando entender a fala do outro que passeava com os dedos entre meus cabelos


— Três meses que eu não sei o que é transar de verdade.

Sorri selando nossos lábios.


— Agora fica de quatro porque eu vou te foder, Na-ru-to — me provocou falando meu nome pausadamente enquanto passava a língua sobre os lábios.


Sai de cima do seu corpo e me virei de quatro empinando a bunda diretamente para seu rosto, senti Itachi afundar seu rosto em minha bunda e me preparar rapidamente com seus dedos. Logo em seguida já o senti se colocando de joelhos atrás de mim roçando seu pau em minha entrada.


— Vou te ensinar a não me tratar como uma vadia sua — espalmou sua mão em minha bunda e me penetrou de uma só vez, gemi dolorido com a invasão brusca.


— Vai ter volta — murmurei escutando sua risada enquanto começava a me estocar com força.


— Como pode ser tão apertado sendo um maldito garoto de programa — desferiu outro tapa me fazendo rebolar em seu pau ao sentir minha próstata ser tocada.


— Eu não sou um garoto de programa e cala a merda da boca… e me fode.


Minha cintura foi agarrada com força enquanto Itachi se deitava me levando junto consigo, virei meu corpo ficando de frente para ele que sorria debochado.


Comecei a me movimentar em cima daquele pau que me preenchia tanto. Desferi um tapa no rosto de Itachi vendo ele sorrir mais ainda, sua mão grande passeando por todo o meu corpo e parando em meu membro onde começou uma masturbação rápida enquanto eu acelerava os movimentos sentindo meu clímax vindo junto ao seu.


Apoiei minhas mãos em seu peitoral e joguei a cabeça para trás ao gozar no peito de Itachi e sentir sua porra quente me preencher.


Deitei minha cabeça em seu peito tendo a cintura abraçada pelo moreno e falei antes de cair no sono.


— Durma um pouco antes de ir embora.


[...]


Vesti minha Yukata novamente enquanto Itachi assinava um cheque do outro lado da cama. Olhei para o relógio da parede constatando que dormimos demais, já era quase 3:30 da madrugada, faltava só trinta minutos para a boate fechar.


— Espero que você tenha entendido que você é meu de hoje em diante, Itachi Uchiha.  


— Eu preciso de uma informação antes de ir — parou em minha frente já vestido com suas roupas sociais.


- Meu cheque primeiro — estendi a mão pegando o papel e sorrindo ao ver que ganhei uma noite maravilhosa e um cheque de 5 mil dólares — Qual a informação que o senhor deseja?


— Meu tio também é passivo com você? — perguntou tentando segurar a risada.


— Seu tio é uma bela de uma puta gulosa — lambi os lábios vendo o homem à minha frente rir.


—  Prometo vir na Quinta-feira — me puxou para um beijo caloroso antes de sair do quarto.


[...]


Não sabia ao certo como descrever minha noite de sexta feira com Naruto, passei o sábado inteiro dormindo sonhando com os momentos de prazer ao lado daquele loiro abusado, que tirou minha virgindade e no domingo não foi diferente.


Naruto Uzumaki era uma droga viciante.


Entrei no escritório sorrindo para todo mundo, fazendo a recepcionista me olhar com uma cara estranha.


Passei pela sala de Madara notando a porta fechada, teria uns minutos de paz antes dele chegar.


— Bom dia sobrinho — escutei ele abrir a porta da minha sala já entrando indo em direção a cafeteira..


— Não acredito —  revirei os olhos.


— Como foi sua sexta feira com o meu garoto? — sorriu debochado.


— Confesso que tenho que agradecer, foi a melhor noite que tive em anos e eu descobri algo muito interessante sobre o senhor — sorri debochado.


— O que? — levantou a sobrancelha.


— Que o senhor adora brincar de cavalinho em cima de Naruto — sorri vendo Madara se engasgar com seu café — É melhor o senhor tomar cuidado com a sua coluna, na sua idade esse tipo de brincadeira pode ser perigoso — falei debochando.


— Não ouse contar isso a ninguém se não eu lhe mato Itachi Uchiha — ditou com a face vermelha de vergonha.


— Tudo bem — ri — Agora por que está tão cedo aqui? — perguntei já olhando para os processos em cima da mesa e me sentindo esgotado.


— Sua mãe contratou um estagiário para nos ajudar com os processos atrasados e ordenou que fosse nossa obrigação instruir ele — disse revirando os olhos.


Não demorou muito para batidas na porta serem ouvidas, mandei entrar e confesso que não estava preparado para ver a vida brincar com a minha cara em plena sete horas da manhã de uma segunda feira.


— Meu menino — disse Madara olhando assustado para Naruto que estava parado na porta vestido com roupas sociais que lhe caiam perfeitamente além do sorriso debochado que tinha no rosto.


— Bom dia, senhores.


— O que faz aqui Naruto? — perguntei ainda descrente de que era ele parado em frente a mim.


— Oras, eu sou o novo estagiário contratado pela senhora Mikoto. Eu estudo Direito e me candidatei para vaga de estagiário a algumas semanas. Fiz a entrevista com ela e nos demos muito bem — ele falava sorrindo e olhando em meus olhos.


— Você conheceu a Mikoto? — Madara perguntou.


— Sim, uma mulher muito perspicaz por sinal.


Eram sete da manhã e eu juro que precisava de uma bebida, talvez sair correndo daquele escritório ou pular de uma ponte. Como iria em sã consciência conseguir trabalhar com o cara que vem roubando meus sonhos mais eróticos e que na sexta- feira me comeu e ainda come meu tio. Olhei para Madara que estava estático em sua cadeira, até virar para mim e dar seu sorrisinho prepotente.


— Bom já que foi Mikoto quem contratou não a nada que possamos fazer. Seja bem vindo Naruto e tenho certeza que vamos nos dar muito bem no trabalho.


— Garanto que vamos, Madara — Naruto sorriu e piscou para ele.


— E Naruto talvez eu precise de você para algumas horas extras — piscou meu tio antes de sair da sala me deixando sozinho com o loiro.


— Ainda em choque Itachi? — caminhou até próximo a mim.


— Desculpa, é que não esperava te ver aqui. Eu não sabia que você cursava direito.


— Eu te disse que não era garoto de programa, eu trabalhava no clube para pagar a faculdade. Agora com esse estágio remunerado, não vou mais precisar trabalhar lá.


— Então você saiu do clube?


— Sim, aquela noite com você acabou sendo a última — Me sentei na cadeira sendo seguido pelo loiro que se sentou no meu colo.


— Foi uma ótima noite — disse enfiando meu rosto na curva do pescoço do loiro.


— Quer repetir a noite Itachi? Ou eu devo te chamar de chefinho agora? — perguntou sorrindo ladino.


— Eu quero muito, Naruto — disse colando meus lábios aos dele iniciando um beijo afoito e cheio de desejo.


Eu estava completamente perdido com aquele garoto ali, uma guerra entre eu e Madara estava sendo declarada. Aquele loiro era uma maldita tentação e estava disposto a tudo para tê-lo só para mim. Naruto iria ser meu e mais ninguém tocaria nele, nem mesmo meu tio.







Estou sentada agora esperando vocês falarem se gostaram ou não hausha eu só queria atiçar vocês mesmo falando que eu consigo fazer 3 extras de Gorilla kkk até a próxima pocs 💜

Link do meu perfil no Wattpad: https://my.w.tt/6kgqUNlmeP

Link do meu face fake: https://www.facebook.com/biel.castelli.98

Glossário:
Yukata

A palavra yukata originou-se da composição das palavras yu (banho) e katabira (roupa de baixo). Antigamente os nobres da corte usavam yukatabira de linho que eram vestidos folgados, como um robe após o banho. Gradualmente a vestimenta começou a ser utilizada pelos guerreiros e pelo povo em geral quando os sofisticados banhos públicos tornaram-se populares. Hoje em dia, o yukata tradicional, geralmente confeccionado de algodão, é vastamente usado para festivais, ryokan, roupa de verão até como pijamas.

10. November 2018 00:59:10 0 Bericht Einbetten 1
Das Ende

Über den Autor

Biel Castelli "Escrever é uma maneira de viver outra vida. Muitas outras vidas." - Etgar Keret

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~