7
4.9k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Eu Disse Para Não Levantar Da Cama

Midoriya Pov


Como tudo foi parar assim? Ou melhor dizendo, que merda tá acontecendo aqui?

Bom, vamos voltar um pouco para entender a situação que nos encontramos


06 Horas Antes:


Sinceramente? Hoje não queria sair da cama. Mas teríamos a excursão mais chata que teremos no curso de Heróis: Vamos visitar agências de heróis. Não vamos lutar, não vamos treinar. Vamos aprender um pouco da parte administrativa da empresa. Não me entenda errado. Eu amo estudar, mas vejam bem. Hoje é uma segunda feira, 6h da manhã e eu ainda tô de ressaca. Juro que vou matar essas vacas que chamo de amigas. Bom, pelo menos não acordei na cama de ninguém.

Coloquei meu fone e fui direto para o estacionamento dos ônibus, já que o Aizawa-sensei mandou nos encontrarmos lá. Pelo menos, até as 14h estaremos de volta e poderei cuidar devidamente dessa ressaca. Estava tão distraído que não notei as meninas chegando.

-Izukuuuu!!! – Gritou Mina

-Se gritar de novo eu juro que você vai acordar no fundo de um rio

-Que horror! Ele tá de TPM – Disse Ochaco

-De TPM? Eu falei que não devíamos beber! – Disse irritado

-É? Mas você não reclamou enquanto descia até o chão coladinho com o Bakugou – Disse Tsuyu

-Né! Todo trabalhado na sensualização nosso Deku! – Falou Mina animada

-Não acredito nisso. Ok. Já posso me matar – Sim, um drama não mata ninguém. A não ser que o motivo do drama tenha a ver com Katsuki Bakugou

-Relaxa Deku! Ele estava mais bêbado que você. Duvido que lembre – Respondeu Ochaco sorrindo

-Nunca mais saio com vocês. Tendo vocês como amigas, não preciso de inimigos. Por que não entram para a liga de uma vez? – Respondi enquanto entrava no ônibus

-Meu Kami ele ta dramático hoje! – Respondeu Ochaco. Aquela vaca nem tentava segurar a risada

-Me deixa que ser dramático ainda é de graça. Mereço viu – Coloquei meu fone novamente e me sentei no primeiro lugar que vi. Sim, vou ignorar essas vacas o máximo que puder

-ESCUTEM. Tivemos uma troca de excursão. Então não iremos mais para a agencia e sim, para um laboratório estudar o desenvolvimento e evolução das individualidades. Acho bom não me darem trabalho – Avisou Aizawa-sensei

Ótimo, pelo menos algo que vai prender melhor a minha atenção. Essa foi a ultima coisa que ouvi, porque logo depois dormi feito uma pedra

Acordei com Ochaco me sacudindo. Devia vomitar na cara dessa vaca, pena que não tô com ânsia.

Fomos guiados por um cientista que não parava de falar e como eu não estava com cabeça para fazer anotações, coloquei meu celular pra gravar as explicações cientificas que ele dava. Era tanto blá blá blá que minha cabeça parecia que iria explodir.

Paramos para fazer um lanche no refeitório, mas claro, as vacas que amo tanto tinham que vir atormentar né.

-Se continuar com essa cara de cú, o Bakumerda vai vir terminar o serviço – Comentou Ochaco

-Se bem que o Deku ia amar isso né – Respondeu Tsuyu

-Vocês não têm nenhum pasto pra ir comer não bando de vaca? – Respondi enquanto tomava meu refrigerante

-A gente vai pro pasto depois que você ciscar o chão do poleiro – Respondeu Mina

-Vocês não perdem uma oportunidade né? – Comentou Todoroki. Para falar a verdade eu nem havia notado que ele estava ali

-Bom dia Todoroki – Comentei depois que notei que não havia falado com ele – Desde quando essas vacas perdem algo? Eu só quero a minha cama!

-Dramático como sempre – Comentou Momo

-Você também está aqui? Me diz que o Katsuki está do outro lado desse refeitório. – Perguntei enquanto rezava para que eu fosse invisível

-Relaxa, ele está sendo atormentado pelo Kirishima – Respondeu Ochaco

-Achei que depois de ontem vocês iam parar de brincar de gato e rato. – Comentou Todoroki

-Deku, para com esse mau humor. Sabem, ouvi dizer que eles estão desenvolvendo uma pesquisa com uma moça que tem a individualidade de portais – Comentou Momo

-Igual aquele vilão? Qual é o nome dele mesmo? – Respondeu Mina

-Kurogiri – Respondi sem muito animo

-Não, ela faz portais no tempo. Tipo aquelas viajantes, não entendi direito, ouvi por altos meu pai comentando. Mas parece ser uma pesquisa muito importante – Respondeu Momo

-Hm, talvez eu consiga voltar no tempo e impedir vocês de nascerem – Comentei com um sorriso no rosto

-Para que você não vive sem a gente – Respondeu Ochaco

-Pessoal! Vamos! Façam filas para continuarmos a excursão! – Gritou Iida

-Ele está animado ein? – Comentou Mina

-Alguém tem que estar. Vamos – Respondi simplório

Continuamos ouvindo varias explicações da causa do aparecimento das indivualidades, o que eles faziam ali e etc. Ate que paramos por ouvirmos uma explosão

-Vilões? – Comentou Tokoyami

-Mas por Kami nem uma excursão podemos fazer? – Comentei

-Pessoal, relaxem. Não são vilões. É a nossa cientista. – Respondeu o guia

-Gente, desculpem. Estão todos bem? – Respondeu uma mulher enquanto abria uma porta – Meu nome é Sasha Rivera, sou a cientista chefe desse andar

-Relaxe, estão bem – Respondeu Aizawa-sensei

-Que susto, achei até que o Bakubosta tinha explodido alguma coisa – Respondeu Ochaco

-POSSO EXPLODIR SUA CARA PARA VER SE FICA MAIS BONITA FILHA DA PUTA – Respondeu Bakugou

-Nem perde seu tempo, se não deu certo com você, comigo é que não vai dar – Respondeu Ochaco

-Ok, parou vocês dois – Interveio Aizawa-sensei

-Com licença senhora Rivera, o que foi essa explosão? – Questionei enquanto fazia um ótimo trabalho em ignorar os dois

-Ah sim! Estávamos tentando passar algo pela fenda do tempo, mas acabou explodindo! Venham! – Respondeu a cientista

Assim que entramos na sala, ficamos boquiabertos. Para mim parecia que havíamos entrado na sala da Hatsume, mas havia uma enorme fenda aberta no meio e realmente, parecia com os portais do Kurogiri.

-Mas se a fenda esta aberta, porque não conseguem passar nada? – Questionei novamente

-A fenda não está estabilizada, até agora não consigo encontrar o ponto certo de estabilidade. Eu consigo abrir e mantê-la, mas precisamos de elementos externos para estabiliza-la. Uma chatice cientifica – Respondeu Rivera rindo

-Já conseguiram estabilizar antes? E por que querem voltar no tempo? – Questionou Todoroki

-Uma vez, mas não foi tempo suficiente. E queremos voltar para entender o que causou o aparecimento das indivualidades. Assim poderíamos traçar um mapa de sua evolução – Explicou a cientista – Bom, podem dar uma olhada na sala, qualquer duvida eu e os cientistas explicaremos. Mas em hipótese alguma toquem ou cheguem perto da fenda

Começamos a explorar o lugar. Realmente a cientista faz tanta bagunça quanto a Hatsume. Mas como os problemas sempre nos perseguem, um cientista começou a gritar e quando vimos. La estavam os embustes da Liga Dos Vilões.

-Olha só Kurogiri, vamos pegar logo a cientista. – Disse Shigaraki

-TODOS PARA FORA AGORA! – Gritou Aizawa-sensei

Mas as coisas aconteceram muito rápido. Eu, Todoroki, Momo, Ochaco, Bakugou e Mina estávamos perto da cientista, logo Dabi veio nos atacar.

-Fogo contra fogo. Isso vai ser interessante – Sorriu Dabi enquanto olhava Todoroki

-Temos que tira-la daqui – Comentei enquanto ativava one for all

-Não, preciso fechar a fenda- Respondeu Sasha

-Mulher, você precisa estar viva para fecha-la, coisa que vai ser difícil de acontecer se continuarmos aqui – Respondeu Ochaco

Ela nos ignorou totalmente e correu para fenda. Para perto do Tomura. Mas essa agora para resolver! Corremos para não deixa-la sozinha. Numa hora estávamos juntos no laboratório, no outro, tudo tinha ficado preto.

Atualmente

Quando consegui enxergar novamente, estávamos num lugar que parecia um galpão. Olhei e vi que Todoroki, Momo, Bakugou, Uraraka e Mina estávamos aqui e bem. Bom, até ouvirmos o barulho de uma bala cortando o ar perto da gente.

-OE FILHO DA PUTA QUER MATAR A GENTE? VEM AQUI TENTAR! – Gritou Bakugou

-Mula explosiva, fica quieto! A gente não sabe aonde estamos! – Respondeu Ochaco

-Quem são vocês? – Ouvimos uma voz atrás da gente. O que quase me matou do coração.

Bakugou girou o corpo para fazer uma explosão, mas a mulher abaixou, deu uma rasteira e derrubou Bakugou. Puxou uma espada, colocando muito próximo do pescoço dele e se sentou em cima dele, impedindo de se movimentar.

-Vou perguntar de novo. Quem são vocês?

-Calma. Não sabemos aonde estamos, pode nos dizer por favor? – Falei tentando acalma-la

-Estão envolvidos com a Yakuza? – Questionou a mulher

-Não. Por Kami! Não! Somos estudantes! – Respondeu Momo

Não tivemos tempo de perguntar mais nada. A mulher, numa velocidade anormal, se colocou na frente do grupo e com a espada, desviou o trajeto de balas que vinham em nossa direção.

-Me sigam – Ordenou a mulher

Ela começou a correr, guardou uma espada na bainha e puxou uma arma. Enquanto corríamos, ela atirava em homens que vinham em nossa direção, abrindo caminho até um carro esportivo.

-Entrem. – Falou novamente

-Como podemos confiar em você? Quase matou o loirinho ali! – Respondeu Mina

Ela usava calça e blusa preta coladas no corpo, um cinto com cartuchos para a arma, duas espadas nas costas e uma mascara que deixava a boca a mostra. Parecia aquelas mascaras de animais que compramos em festivais.

-Eu sou da polícia, se são estudantes mesmo, é meu dever protege-los. Agora entrem na merda do carro ou vou deixá-los aqui – Respondeu a mulher.

-Vamos – Respondi enquanto abria a porta

-Se ela tentar alguma gracinha, eu explodo a cara dela – Resmungou Bakugou

-Você tentou, mas ela quase fez espetinho dessa sua cara horrorosa. – Provocou Uraraka

-Vai tomar no cú – Respondeu Bakugou

-Dá pra calarem a boca?! – Gritou a mulher – Alguém sabe atirar? Estão nos seguindo

-Vai dar arma pra criança? – Questionou Momo – Mas sim, eu sei

-Ou vocês atiram, ou eles alimentam os cachorros com a gente. Vocês quem sabem – Respondeu a mulher enquanto pegava uma arma do porta luvas – Toma, dois carros vindo a direita. Tente atirar nos pneus.

-Mas não tem... Ah, agora eu os vi – Respondeu Momo

Momo começou a atirar, mas depois de uns cinco barulhos de tiro, chegamos à conclusão de que ela é péssima nisso

-Deus! Você aguenta o recuo da arma, mas sua mira é péssima! – Comentou a mulher – Sai daí. Eu vou atirar.

-Mas quem vai dirigir? – Questionei já vendo minha vida passar pelos meus olhos

-Eu, vocês só vão me falar pra que direção temos que ir. Já jogaram jogos de corrida né? – Eu, Bakugou e Todoroki assentimos – Marcha e os pedais são iguais no carro real. Eu vou controlar o volante e vocês das marchas. Não esqueçam de manter o acelerador pressionado

Mal terminou de falar, colocou metade do corpo para fora, puxou uma arma da cintura e prendeu o pé no acelerador. Meu deus eu tô numa mistura dos filmes Missão Impossível e 007. Só pode. A mulher acertou duas pessoas no outro carro, fez outro bater, isso tudo enquanto mantinha a gente na estrada e desviava de carros que apareciam na estrada.

Sério, é agora que eu acordo e penso “Que viagem é essa? O que eu fumei?”. Cadê o Deadpool saindo do porta malas? Vi a mulher entrar de novo no carro e fechar o teto solar enquanto assumia o volante novamente

-Mas que porra ta acontecendo aqui?! – Gritou Bakugou

-Olha, eu não sou obrigada a explicar o porquê tô atirando naqueles caras. Quem tem que explicar alguma coisa aqui é vocês. Como apareceram naquele galpão? Uma hora estavam lá, na outra não. Então se querem ajuda, expliquem essa merda agora. – Respondeu a mulher enquanto dirigia

-E se a gente não quiser explicar?! – Respondeu Bakugou

-Bom, eu posso jogar vocês na estrada e aqueles caras levam vocês e vai por mim, vão preferir virar comida de cachorro do que serem prisioneiros deles. Ou, posso já facilitar o trabalho de todos e enterrar vocês aqui na estrada mesmo – Explicou calmamente a mulher

-Bakugou, cala a porra da boca. Você só faz merda. Moça a gente vai explicar, mas poderia nos dizer seu nome? – Pediu Ochaco

-Hm. Ok, me chamem de Zero – Respondeu a mulher

-Zero? Ok, basicamente a gente estava num passeio escolar, quando uns vilões atacaram e acabamos passando por um portal, uma fenda do tempo que nos fez aparecer aqui. – Resumiu Uraraka

-Como? Fenda do tempo? Vocês saíram de um quadrinho da Marvel ou Dc? – Respondeu Zero

-Olha quem parece que saiu de alguma HQ é você, parece até o Deadpool – Respondeu Mina

-Garota você já notou que é a única no carro que é rosa e tem chifres? Tu parece que saiu do planeta da Estelar porra – Retrucou Zero

-Ela tem razão – Respondeu Todoroki

-Cala a boca pudim! – Respondeu Mina

-Ok, discutir não vai ajudar. Vou levar vocês pra um lugar seguro. Se provarem que o que estão dizendo é verdade eu ajudo vocês, se não... – Respondeu Zero

-Já sabemos, viramos comida de bicho – Respondemos em uníssimo 

1. September 2018 09:31:04 0 Bericht Einbetten 0
Lesen Sie das nächste Kapitel Eu Quero Um Saco Na Cabeça

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~

Hast Du Spaß beim Lesen?

Hey! Es gibt noch 4 Übrige Kapitel dieser Story.
Um weiterzulesen, registriere dich bitte oder logge dich ein. Gratis!