Blue Follow einer Story

oprkjm Joyce Vieira

Onde Sasuke possui um tipo de deficiência visual e tudo o que ele mais quer em sua vida é poder enxergar as cores que formavam Naruto.


Fan-Fiction Anime/Manga Alles öffentlich.

#naruto #sasuke #narusasu #sasunaru #sns #daltonismo
Kurzgeschichte
8
4.8k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

About your colors

Tudo começou aos 5 anos de idade. Sasuke sempre fora uma criança amável, gostava realmente de estar com sua família e adorava seu irmão mais velho tanto quanto fosse possível, talvez um pouco mais, e para ele, k mundo era perfeito... Certo dia um furacão rosa destruiu sua vida.

Tudo bem, tudo bem, não era um furacão, mas ele poderia ser, e também não era rosa, mas isso não era culpa sua. Ele tinha 5 anos, afinal, como iria saber que aquele cabelo na verdade era amarelo?

Sasuke não entendeu muito o que era aquilo, e também não ligou muito se não poderia enxergar todas as cores como elas são.

Tritanopia.

Sasuke descobriu que possuía esse tipo de daltonismo aos 7 anos, quando sua família finalemmte pôde levá-lo ao médico.

Não tem cura, sabe, esse tipo de problema ocular. A única coisa que se poderia fazer era tratar para minimizar as consequências.

E estava tudo bem para Sasuke. Ele não se importou, realmente, aos 7 anos de idade, com aquilo. Ele era uma criança que tinha seus pais, seu irmão e seu melhor amigo. Não importava mesmo se ele não pudesse enxergar o amarelo dos cabelos dele.

Aos 11 anos ele descobriu que algumas crianças podem ser malvadas. Ele não se importou, é claro, mas ficou triste ao perceber que as pessoas poderiam agir assim. Rir de outra pessoa por ela não ser igual. Por que ele deveria ser igual a alguém, para começo de conversa?

Naruto não gostou nada disso quando descobriu. Brigou com o garoto, Kiba era o nome dele, e pela primeira vez em todos os seus 11 anos fora parar na diretoria. Foi assustador. Ele não fizera nada. Não sabia por que estava ali. Mas não poderia deixar o loiro sozinho, não, não mesmo. Ele o defendera e mesmo que não gostasse da ideia de parecer fraco, ele apreciou o ato.

Sasuke gostava de procurar palavras novas em seu tempo livre e descobrira a pouco tempo que apreciar era um sinônimo de gostar. Ele ficara muito feliz por ter finalmente usado aquela palavra em alguma frase.

Iruka continuava a falar sobre o comportamento adequado em uma escola, que brigas não eram aceitas e que todos deveriam ser amigos, quando uma ideia se fez presente. Será que ele apreciaria a cor amarela? Ou a laranja? E quem sabe, o azul? Sasuke realmente vivia com o seu pequeno problema como se ele não lhe importasse, porque não importava mesmo. Mas a partir daquela dia ele sempre acabava tendo aquele tipo de pensamento.

Aos 15 anos Sasuke decidira começar a trabalhar. Itachi entrara para a universidade há dois anos e o curso dele era um dos mais caros do país. Medicina. Pois é! Bem a cara dele. Salvar vidas e tudo o mais. O caso é que mesmo com os 50% de bolsa que o irmão mais velho havia conseguido, a situação em sua casa não era tão boa para que ele pedisse um óculos para que pudesse enxergar três cores. Para Sasuke era egoísmo e ele decidiu que conseguiria comprar sozinho.

Três mil era o valor. Caro. Muito caro para que ele pedisse para seus pais. Muito caro porque nem ele entendia o porquê de querer tanto saber como era essas três cores. Só três cores.

Itachi percebeu, é claro, que ele não queria trabalhar só pelo dinheiro. Não perguntou, entretanto. Seu irmão sempre esperava pela hora em que ele iria atrás para falar o que sentia.

Não demorou muito. Em um dia de agosto, Sasuke estava sentado no pátio da escola, com alguns amigos, quando Gaara, um aluno que estava fazendo intercâmbio, elogiou os olhos de Naruto.

- São tão azuis. Até o céu deve sentir inveja quando olha para você.

Naruto corou nessa hora, claro que estaria envergonhado, não é, ele não sabia a beleza absurda que possuía. E veja bem, Sasuke o enxergava em cores repetidas. Rosa no cabelo. Vermelho nas roupas que usava, e verde nos olhos. Um verde diferente do que estava acostumado, mas ainda assim verde.

- E você, Uchiha, não acha os olhos dele bonitos também?

Oh! Ele não sabia, e isso fiz Sasuke rir. É claro que em não saberia desse pequeno problema.

- Os olhos de Naruto para mim são verdes.

- Verdes? - Gaara estava confuso. - Meus olhos são verdes. Os deles são azuis.

- Gaar-

- Tudo bem, Naru. - Sasuke riu ainda mais. - Sou daltônico.

Surpresa. Ah, o moreno adorava essa expressão. As pessoas sempre transmitiam isso quando ele falava sobre esse assunto.

- Então você não consegue enxergar a coisa mais bonita que são os olhos do teu melhor amigo?

Não, Sasuke não enxergava, e aquilo era frustrante!

- Não.

- Que pena.

É, era uma pena mesmo. Todos não poupavam elogios quando se tratava dos olhos azuis de Naruto. Nem os de Ino eram tão elogiados quanto os dele.

- Sasuke não liga para isso, Gaara.

- Eu ligaria, Naruto, porque eu não poderia ver os teus olhos.

Será... Não, ele não estava flertando com o loiro, estava?

- Oh, Gaara, você não está tentando conseguir alguma coisa com o nosso loirinho, não é? - Sakura perguntou e o ruivo a olhou estranho. - Porque eu vou logo te avisando: Naruto e Sasuke namoram.

- O que... mas... mas nem parece.

- Isso é porque eles são estranhos demais! Não se preocupe, você não sabia.

O clima entre eles ficou estranho e Sasuke não se preocupou em amenizar. Estava concentrado em Naruto, que ria do desconforto do mais novo colega. Ele era lindo! Pelos deuses, quando ria e seus olhos fecharam, criando com leve franzir, era a cena mais perfeita aos olhos de Sasuke.

- 'Tá olhando o que, Sas?

- Você.

- E?

- Nada. Só admirando a beleza, green eyes.

- Você é um idiota!

- Sei, sei. Preciso ir, Itachi chega hoje e prometi buscá-lo na estação.

- Já? - Naruto suspirou. Não estavam se vendo todos os dias, além da escola, porque o trabalho de Sasuke tomava seus horários até aos sábados. - Posso passar na tua casa mais tarde?

- Pode. Pede para a tia Kushina para dormir la em casa. Até.

Sasuke foi andando até a estação. Não poderia dirigir ainda, faltavam alguns meses para completar 16 e enfim tirar a carteira. Isso se pudesse, é claro, ainda não perguntara ao irmão se sendo daltônico poderia.

Itachi desceu do trem sorrindo. Trazendo algumas sacolas consigo e a mochila nas costas. Se abraçaram. 1 mês sem se verem era muito tempo para os irmãos, tão unidos como eram. A volta para casa foi silenciosa. Ambos apenas apreciando a companhia do outro dentro do táxi.

A casa em que moravam era a mesma desde sempre. A terceira subindo a rua. Número 05. Itachi apenas se jogara no sofá e esperou que o mais novo começasse a falar. Conhecia-o bem demais para saber que algo estava o incomodando.

- É sobre Naruto.

- Vocês brigaram?

- Quê? Não! - Sasuke riu nervoso. - Não é esse tipo de assunto. É sobre a cor dos olhos dele.

- O que tem, Suke?

- Quero saber como é.

- Você sabe que é azul.

- Não, Aniki, eu quero saber qual a sensação de olhar para o azul.

- Por que isso agora, otouto?

- Não é de agora! Eu só comecei a trabalhar para poder comprar o óculos para o daltonismo. Na verdade, eu venho pensando nisso desde os 11 anos.

- E por que nunca falou comigo sobre isso? Pensei que não houvesse segredos entre nós.

- E não há! - O moreno falou rapidamente. - Eu só não sabia como reagir a isso. Eu não quero saber como é o azul, o amarelo, ou o laranja porque eu quero conhecer essas cores, Itachi, eu quero saber porque...

- Porque são as cores que compõem Naruto.

- Sim.

Itachi suspirou. Já desconfiava. Só não sabia que Sasuke estaria tão... desesperado?

- Você juntou quanto até agora?

- Dois mil e setecentos.

- E esse óculos custa quanto? - O Uchiha mais velho parecia assustado.

- Três mil.

- Caralho!

- Pois é! E pelas minhas contas, só vou poder comprar no próximo mês. E hoje ainda é 05, Aniki.

- Só um mês, otouto, dá para esperar, não?

- É, pode ser.

Sasuke saiu de casa as 14h para o serviço. O trabalho não era de um todo mal, e ele já havia decidido que mesmo depois de conseguir comprar o óculos, continuaria trabalhando.

A loja de música era sua segunda paixão na vida, e Pain, seu patrão, era legal. Talvez fosse pelos piercing e tatoos, ou por ele usar uma cor de esmalte a cada semana, mas seu chefe passava um ar de rebeldia, e Sasuke gostava muito disso.

O dia terminou como começara: tranquilo. O movimento na loja fora o mesmo, as mensagens de Naruto também, e suas divagações sobre o mundo nem se fale.

Quando Sasuke chegou em casa, naquela noite, o loiro já estava deitado em sua cama, lendo algum de seus livros. Ele não se mexeu quando entrou, parecia concentrado. O moreno riu ao identificar que era o conto original de A Bela e a Fera. Era a história da disney favorita de ambos.

- Você sempre lê o mesmo livro sempre que vem aqui.

- Shh! 'Tô na parte em que a Bela descobre que o príncipe é realmente uma fera.

Sasuke ergueu os braços em rendição e desceu para a cozinha. Estava com fome, muita fome, mas teria que esperar o jantar ou sua mãe ia brigar. Mas uma fruta não faria mal. Pegou dois tomates, limão e sal. Tirou a pele, as sementes, e cortou em rodelas. Amava tomates!

Itachi apareceu pouco tempo depois com uma caixa na mão, sorrindo de orelha a orelha, e o olhando sugestivo.

- 'Tá. O que é isso?

- Um presente.

- Para mim?

- Sim.

- Legal, o que é?

- Abre e vai saber.

Sasuke revirou os olhos. É claro que Itachi faria um suspense bobo.

A caixa era pequena. Estava com um cartão em cima, mas o Uchiha mais novo estava mais interessado em saber o que tinha dentro. Retirou a fita sem muita paciência e travou quando viu o nome no estojo que estava dentro da bentida caixa.

- Como você... caralho! Isso é caro! Como...

- Como eu comprei? Com dinheiro?

- Eu 'tô falando sério, Itachi!

- Eu também, maninho. - Sasuke o olhou de forma inquisitiva. - Ok! Eu consegui uma bolsa de 100% na universidade e convenci nossos pais à comprar um para você. Eu nao sabia que você queria, mas parece que advinhei.

- Ma-mas

- Mas nada, Suke. Só agradeça.

Sasuke pulou em cima de Itachi e o abraçou enquanto ria. Puta merda! Estava muito feliz. Poderia finalmente ver os olhos de Naruto em sua verdadeira essência.

- 'Tá esperando o que, otouto? Coloque o óculos e experimente a vida com todas as cores.

- Agora?

- E quando você quer usar?

O moreno o olhou incerto. Não pensou muito naquilo. Só desejava o óculos porque quis saber como Naruto era.

- Eu... Eu. - Travou. Itachi poderia esperar. - Já volto.

Sasuke subiu correndo as escadas até seu quarto. Naruto ainda estava lendo entrou. Era agora. Sentou perto dos pés do loiro, respirou fundo, fechando os olhos, e colocou os óculos.

- Naruto?

- Hm.

- Você pode me ajudar aqui?

- Em quê?

- Não tô conseguindo enxergar-

- Caralho tu tá ficando cego? - O loiro pulou da cama e em alguns segundos estava em frente ao moreno. - Que óculos são esses?

- São os do daltonismo. Vai fazer com que eu enxergue todas as cores.

- E por que tu tá com os olhos fechados? - O loiro perguntou indignado. - Não faz mais isso, Sas, eu quase tive um infarto agora!

Sasuke riu. Naruto era tão exagerado.

- A primeira cor que eu ver é a dos teus olhos.

Silêncio.

- Naru?

- Não sai falando essas coisas assim, idiota, não posso me apaixonar mais ainda. - Naruto falou, ao passo que segurava as maos de Sasuke. - Vamos contar até três e então tu pode abrir os olhos. 'Kay?

- Tá bom.

- Um.

- Dois.

- Três.

Sasuke abriu os olhos devagar. Estava repentinamente nervoso. A primeira coisa que viu foi a boca rosada de Naruto, estava entreaberta, puxando o ar, como se estivesse com medo de que se a mantesse fechada, não conseguisse respirar. A segunda foi o nariz, estava franzido, como quando o loiro estava nervoso. A terceira coisa que viu foi azul. E aquele azul brilhava! Brilhava tanto que a única reação de Sasuke foi a de piscar. Era uma cor tão estranha. A sensação que o moreno sentiu, que tanto quis saber qual seria, foi a de estar se afogando. Caindo em um mundo novo. Caindo nos olhos azuis de Naruto. Levou uma das mãos ao rosto do loiro e fez um leve carinho. Era a cor mais bonita que ele já tinha visto!

Naruto fechou os olhos apreciando a carícia, e Sasuke quis pedir que ele os abrisse para poder observa-los para sempre.

Uma mexa de cabelo caiu sobre a testa fo loiro e Sasuke se viu conhecendo outra cor. Aquela bagunça sem tamanho dessa vez não era rosa. Era uma cor mais aconchegante, transmitida uma paz. Subiu a mão pelo rosto e tocou os cabelos amarelos. Puxou, como gostava de fazer, sentindo a textura em seus dedos. Ouviu Naruto arfar, mas não ligou. Estava concentrado demais naquele ponto. o Amarelo poderia competir com o Azul.

- Sas?

- Hm?

- Você conseguiu ver as cores?

- Sim.

- E o que achou?

Sasuke voltou a fixar os olhos nos do loiro e não pôde deixar de suspirar ao se ver preso naquela imensidão azul novamente.

- Acho que azul é a minha cor preferida.

- Mas você só viu os meus olhos.

- Então os teus olhos têm a minha cor favorita.

- Não fala essas coisas, já te pedi.

- Por quê?

- Porque eu 'tô me apaixonando mais por ti, sério, tu não tem noção da expressão que tá no teu rosto. E eu muito quero te beijar por isso.

- Que expressão?

- Não sei. De descobrimento de algo novo? - Naruto sorriu, puxando o moreno para perto de si. - É você quem tem que me dizer o que tá sentindo.

- Eu acho que não posso te dizer porque...

- Porque...

- Porque eu já te amava antes de saber de que cores tu era feito. Mas eu posso ter descoberto que eu prefiro mil vezes viver preso no azul dos teus olhos.

Naruto estava com os olhos brilhando, dessa vez com lágrimas.

- Sas...

- Não chora, Naru.

- Eu só tô feliz por você.

- Mas não precisa chorar.

- Tá bom.

- Vem. - Sasuke levantou puxando o loiro. - Vamos descer. Itachi deve tá querendo saber se o óculos funciona ou não.

- Espera. Preciso de uma coisa antes.

- O quê?

- Um beijo.

Sasuke riu, sentindo Naruto puxá-lo e logo unindo suas bocas.

É, ele até poderia viver sem essas cores, se, obviamente, elas não formassem Naruto. Porque azul se tornara a sua cor favorita, e, é claro, o azul dos olhos do seu amor.

28. August 2018 22:33:27 0 Bericht Einbetten 12
Das Ende

Über den Autor

Joyce Vieira twitter: oprkjm | dcgaviao

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~

Verwandte Stories