Ele não é de humanas Follow einer Story

ideuseok Oliver K.

Yoongi havia ficado encarregado de ajudar seu melhor amigo a estudar para a prova de humanas e Hoseok iria se aproveitar disso para dar um adeus definitivo à friendzone. [yoonseok - comédia]


Fan-Fiction Nicht für Kinder unter 13 Jahren. © todos os direitos reservados à ideuseok

#ideuseok #nitta-chan #oneshot #sope #comédia #jhope-suga #yoonseok
Kurzgeschichte
10
4.8k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

único

Que a escola é um lugar terrível todo mundo já sabe, agora tente estar na escola sabendo que você tem sérias chances de repetir o ano e ainda por cima ficar longe de seu melhor amigo, e tudo isso porque você é péssimo em quaisquer matérias que não envolvam cálculos. Prazer, este sou eu.


Meu dia já começou ótimo – espero que esteja claro que essa frase contém todo o sarcasmo do mundo – para começar minha saga de desventuras, eu só notei que estava com meias de pares diferentes quando estava no portão de casa, voltei para dentro de casa e fui caçar minhas meias, não achei nenhuma, o que me levou procurar algo da minha irmã. Infelizmente as meias dela são todas rosa ou com renda e eu não estava com aquela vontade básica de ser zoado até a morte, então fui com as meias trocadas mesmo.


Até aí dá para levar sem grandes traumas, entretanto, consegui perder o horário do ônibus e tive que ir sozinho e andando ao colégio, o que é horrível para mim que gosto de companhia e ainda sou um baita de um sedentário incurável, só não consigo superar meu melhor amigo, Yoongi. Ele é o rei dos sedentários.


Andei por cerca de quatro quarteirões até avistar o prédio enorme e sem vida do colégio lá no fim da rua, de frente para mim, porque a rua é sem saída e a escola bloqueia uma provável passagem. Suspirei e apertei o passo, faltava muito pouco para o sinal de entrada tocar e eu não estou com vontade de tomar aquela suspensão marota por chegar atrasado de novo. Consegui tropeçar em uma pedrinha e vi duas garotas rirem sobre suas bicicletas coloridas.


– Nota mental: aprender os segredos de não pagar micão na rua. – Murmurei sozinho e por Goku, que ninguém tenha escutado!


Segui meu caminho na velocidade do Barry Allen e quase chorei de alegria quando pisei no último degrau da entrada, mas eu chorei mesmo quando tropecei e quebrei a unha bem na raiz. Inspirei bem forte e sorrindo para o nada fui andando, igual um robô vestido com caixa de papelão, até minha sala. Assim que empurrei a porta senti algo cair sobre mim, cascas de frutas, papel, chiclete… é; a velha pegadinha da lixeira em cima da porta e geral rindo da minha cara.


– Bom dia, Hoseok! – Contei mentalmente até três, depois até seis e depois até doze. Então tirei a lixeira de cima de mim e joguei no chão enquanto ia para meu lugar, segunda fila próxima da janela, segunda carteira, atrás do nerd dos nerds, também conhecido como meu melhor amigo, e além disso minha paixonite desde a infância que às vezes é inimigo. – Engraçado como é sempre em você que a lixeira cai e não em um professor.


– Yoongi, cala a boquinha. – Murmurei baixinho tocando as têmporas com as pontas dos dedos. O professor entrou na sala logo em seguida já olhando para todo aquele lixo na porta, achei que ele ia dar uns berros, mas ele só olhou pro Yoongi, o maior X9 que já pisou na terra.


– Kim Namjoon e Kim Taehyung. – E assim, caro leitor, Min Yoongi mandou dois marmanjos que dão o dobro dele, para a detenção. – Devo acrescentar, que essa lixeira foi posta sobre a porta, para cair sobre o senhor, mas como Hoseok se atrasou por ter, provavelmente e perdido o ônibus, acabou caindo nele.


Eu disse detenção? Esquece, ele mandou os caras para suspensão mesmo.


No silêncio que estava na sala deu até para ouvir os Kim’s engolindo a saliva e os corações mais rápidos que o de um coelho.


– Obrigado, Yoonie. – Sussurrei me inclinando para falar próximo ao seu ouvido. Yoongi virou para trás com ele sorriso espantoso e foi minha vez de engolir em seco.


– Tá me devendo uma, Hobi. – Ele ajeitou os óculos e virou para frente, enquanto o professor finalmente iniciava seus berros.


[…]


Essa é aquela parte do bimestre onde você sente que não passa nem agulha, se pá nem vento. É, é disso mesmo que eu estou falando, a hora das notas! Yeah.


– Jung Hoseok. – Querido, as áreas erradas travaram, dei aquela leve desequilibrada das emoções, só para dar um grave. Peguei meu boletim, Yoongi olhou para mim… olhei o boletim e plau! horroroso.


– Então?


– Cinco e meio em história, três em filosofia. O resto tá na média. Dez nas exatas. Hyung eu me odeio. – Eu nem fiquei mal, imagina cara, tô feliz. – Vou ter que fazer aquela prova enorme. Se eu falhar, o jeito vai ser comprar umas roupas coladas, um pacote de camisinhas de uva e ir para as esquinas dos postos de gasolina.


– Hoseok, cala a boquinha. Como líder e representante de classe eu sou obrigado a ajudar os outros a estudarem para a prova de recuperação. A de história é para amanhã, então eu passo na sua casa mais tarde, prepare seu cérebro porque hoje ele vai fritar.


Ah, eu amodeio Min Yoongi.


[…]


Duas e quinze da tarde e minha campainha tocando, só não mato quem atrapalhou minha soneca porque sei que foi o mozinho. Abri a porta e fiquei encarando os olhinhos escuros e rasgados desprotegidos dos óculos que estavam em suas mãos, enquanto ele esfregava as lentes com a blusa, tinha uma mochila nas costas também.


Ele me cumprimentou e já foi colocando os livros e cadernos sobre a mesinha de centro, um relógio que eu não sei para quê, e lápis. Mandou eu me sentar e eu obedeci. E tava tudo no silêncio mesmo, igual filme de terror.


– Vou perguntar e quero que me responda, sem gracinhas vim para estudar e não brincar. – Assenti meio cheio de medo, Yoongi pode ser assustador às vezes. – Quais países ou continentes fizeram parte da Segunda Revolução Industrial?


– Nossa, logo de cara uma difícil? – Cocei a nuca, eu sou de exatas cara. Me pergunta sobre a raiz quadrada de duzentos e quarenta divido por quatro. – Hum, acho que Estados Unidos, eles são treteiros, Japão e Rússia?


– Quase. Estados Unidos, Japão, Itália e Ásia. Preste atenção no enunciado, Hoseok. – Olhou para o caderno do Gackt que tinha umas anotações. – Próxima: o que é capitalismo monopolista?


– É tipo, algo sobre igrejas? Porque olha, monopolista é quem acredita em um Deus só. – Pedi a dica e vi Yoongi arregalar os olhos, não entendi o motivo.


– Isso é monoteísmo! Hoseok eu vou te bater. – Suspirou pesado e colocou os óculos que ele tira a cada dez segundos quando está nervoso. – O capitalismo monopolista é quando um grupo restrito de grandes empresas dominam sozinhas, o mercado. Certo, agora pegue o caderno, você vai escrever duas redações sobre o Imperialismo e a Primeira Guerra.


Eu já estava achando meio injusto estudar isso tudo só para passar de ano, então resolvi criar vergonha na minha cara linda e tocar em um assunto que Yoongi já deve ter esquecido.


– Hyung, se eu conseguir passar na prova você aceita sair comigo? Sabe, eu sei que você já me deu um fora, mas se você sair comigo eu prometo tirar dez em todas as provas!

Acontece que eu já me declarei para ele, e bom, eu tomei um baita de um não em neon rosa pink. Claro que isso foi dois anos atrás, quando eu parecia uma vara com braços e pernas gigantes e não agora que meu corpo está finalmente bem formado, com alguns músculos proporcionais. Devo admitir que sou o mau caminho todinho hoje em dia, só o quatro olhos gatinho aí que não vê.


– Sair com você? – Ele ponderou, pensando por alguns instantes. – Tudo bem, passe tirando dez na prova e eu saio com você.


Sabe o famoso berro da pantera? Dei. E assustei o Yoongi, que não se acostumou com o amigo mega gay.


Ah eu preciso, necessito passar essa maldita prova!


[…]


Eu sentia outra vez aquela sensação, aquela sabe? De que não passa nem vento. Eu estava junto de mais dois alunos, todos com provas de recuperação, a minha era de história e a deles de álgebra, nossa queria. Ainda não tínhamos permissão para iniciar então estava repassando tudo o que estudei com Yoongi. Até ontem à noite eu ainda sabia tudo.


– Vocês têm uma hora para responder as vinte questões, leiam com atenção e boa prova.

Pai nosso que estais no céu, santificado seja o teu nome…


[…]


Pela primeira vez na vida eu acho que fui bem em uma prova. Mentira, . Eu acho que ferrei com tudo, tirei um zero triangular que a senhora Jung vai usar para cometer um Hobicídio.


– Como acha que se saiu? – Dei um pulo no lugar com a voz de Yoongi, ele havia brotado do inferno para hyungs que não te dão bola. Só pelo meu olhar eu acho que ele entendeu o nível do meu desespero emocional. – Calma Hobi, vai ficar tudo bem.


E então ele me abraçou. Yoongi me abraçou. Por livre e espontânea vontade. Ganhar na loteria para quê se já ganhei o melhor abraço do mundo?


E não, eu não estou fazendo drama. O Min odeia contato físico, prefere um beijo à um abraço, porque diz acabar mais rápido. Isso é porque ele não teve os meus beijos.

Mas isso fica em off.


Nosso momento lindo e maravilhoso foi completamente destroçado quando o líder do Grêmio Estudantil apareceu. Odeio ele, que droga, custei ganhar um abraço e vem esse poste andante tirar minha glória.


– Yoongi, o professor Choi pediu que eu lhe entregasse as provas corrigidas, ele precisa que você as entregue ainda hoje para os alunos que as fizeram. – Yoongi pegou o envelope e eu lindamente engoli em seco. Seokjin saiu para entregar outras provas aos outros representantes de turma e eu fiquei olhando pro chão, pensando no sermão da minha mãe, no encontro que não vou ter com o Yoongi, nas camisinhas de uva que vou comprar quando arrumar emprego nas esquina… – Quer que eu olhe sua nota?

– Sim…


Ouvi o barulho do envelope, e depois das folhas fazendo fricção umas nas outras. Fechei meus olhos quando percebi que ele ia dizer se eu passei ou não. Meu coração tava a mil, bicho.


– Você passou.

– Eu passei!?


– Passou! – Ele me acompanhou na animação e nem se importou quando eu o abracei igual um doido varrido.


– Obrigado por me ajudar hyung, minha mãe vai ficar feliz. – Beijei sua bochecha, tirando aquela casquinha básica. – Certo, sexta às oito eu te pego para o nosso encontro.

– Calma aí garotão, eu disse que sairia com você, se você passasse com dez na prova. E você tirou nove e meio.


– O… quê? Yoongi!


– Amanhã tem prova de filosofia, passe com dez e nosso encontro ainda está de pé.

Ele nem deixou eu falar, saiu andando para entregar as outras provas. Cara, eu tô é ferrado. Sabe aquela sensação? Aquela de que não passa nem vento? Voltou com tudo.


Como ser um gênio em filosofia? Google pesquisar.

24. Juli 2018 16:20:22 0 Bericht Einbetten 2
Das Ende

Über den Autor

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~