O mapa do Malfoy Follow einer Story

Lolaway Paola Britto

Fanfic criada para o desafio de crackship. - Shipp: Draco Malfoy /Fred Weasley. - AU = George e Fred não saíram de Hogwarts, Fred não morreu. - capa linda feita pela @hikarinohime <3 - Sinopse : “— por que você não deixa de lado essa marra de odiador do mundo e essa coisa de ‘eu sou um Malfoy e você um Weasley’ e não deixa sua vontade falar mais alto? — seus lábios agora estavam quase grudados, seus olhares se cruzando — você pode sair se quiser, mas eu gostaria que você ficasse”


Fan-Fiction Bücher Nicht für Kinder unter 13 Jahren.

#oneshot #crackship #Harry-Potter #Vemprockack #Fred-Weasley #Draco-Malfoy
Kurzgeschichte
6
6.2k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Capítulo único


   Era o último ano de Fred e George em Hogwarts, eles estavam tão animados quanto nostálgicos, nem achavam que concluiriam os estudos na escola, mas chegaram até o fim, ou estavam quase lá. Era uma das festa escondidas que costumavam fazer na sala precisa, quase como uma espécie de despedida, apesar de ainda estarem no meio do ano letivo. Tinham amigos em todas as casas, então todas foram convidadas.

   Os irmãos aproveitaram a oportunidade para divulgar suas novas invenções, novos produtos que venderiam na loja que estavam prestes a abrir, todos estavam muito empolgados, inclusive Fred, que parecia já ter bebido mais que de costume, o suficiente para falar tudo que pensava sem pudores.

— Sabe o que eu venho pensando durante todo esse ano? — Fred falou enquanto apoiava os braços ao redor de Harry Potter — quando foi que o Malfoy ficou gostoso assim? — o moreno engasgou com a sua bebida olhando o amigo assustado, George que estava ao lado passou a prestar atenção na conversa — eu estou falando sério, quero dizer, ele sempre teve essa bunda redondinha assim? — olhou para Harry esperando realmente uma resposta, mas o garoto parecia surpreso demais para falar qualquer coisa.

— Acho que você já bebeu demais, Fred — o gêmeo gargalhou.

— Ah, fala sério, como se vocês nunca tivessem reparado — deu de ombros.

— Eu com certeza nunca reparei no Malfoy desse jeito — Harry respondeu meio sem graça.

— Duvido, sempre vi uma tensão sexual entre vocês, sabe... Com todas essas provocações forçadas.

— O que? — o moreno se assustou novamente — claro que não — ele realmente nunca tinha pensado dessa forma, ou pelo menos não queria pensar.

— Então quer dizer que se eu pegar a doninha você não vai ficar irritado?

— Fique a vontade... Eu vou no mínimo achar que você ficou louco de vez, ou bebeu alguma poção estranha — Harry olhou para o outro gêmeo buscando uma resposta se aquilo não era uma de suas pegadinhas.

— Não tenho nada a ver com isso — George levantou as mãos, rindo — meu irmãozinho sempre teve uma quedinha pelas coisas mais improváveis — deu de ombros — só acho que dessa vez você não tem a menor chance, maninho.

— Nunca duvide do chame do Weasley aqui — riu convencido.

— Talvez esse seja o problema, ser um Weasley. Não acha que o Malfoy é um pouco idiota demais com a sua família? — o moreno observou.

— Eu acho que quem desdenha demais tem algum interesse enrustido — piscou fazendo o garoto gargalhar.

— Boa sorte então.

— Eu aposto que até o fim da noite consigo um beijo da doninha.

— Apostado — George falou prontamente — mas não pode ser um beijo roubado, ele tem que querer beijar você.

— Fácil... — saiu deixando o irmão e o amigo rindo para trás.

— Pera, mas vocês apostaram o que? — o amigo perguntou antes que ele se afastasse completamente.

— George sabe o que eu quero que ele faça se eu ganhar, ou melhor, quem eu quero que ele beije — falou rindo maliciosamente sem olhar para trás. O irmão sentiu o medo percorrer sua espinha, sabia exatamente do que ele estava falando e quem ele teria que beijar caso perdesse a aposta. Não é que ele não quisesse aquele beijo, apenas morria de medo de tentar.

   Fred se aproximou da mesa de bebidas onde seu alvo estava ao lado de Pansy Parkinson, que tagarelava sem parar com outra garota que ele não sabia o nome. Pegou uma bebida e propositadamente esbarrou de leve em Draco que o olhou de cara feia.

— Tenha mais cuidado, idiota.

— Ou o que? — provocou.

— Que insolente, você não está se achando demais para um Weasley?

— Me diz você, não está bradando demais pra uma doninha inofensiva?

— Você sabe com quem está falando? Eu sou um Malfoy. — Fred riu e se aproximou do ouvido do garoto para sussurrar.

— Seu sobrenome não me diz nada, por que você não para de dar showzinho e me mostra do que você realmente é capaz lá fora? — o loiro sentiu seu corpo arrepiar, não conseguiu entender as reais intenções daquelas palavras, mas as sensações que elas causaram o deixou sem reação. O ruivo saiu de perto indo em direção a varanda da festa, antes de sair olhou para trás como se desafiasse o mais novo a ir atrás dele.

— O que aconteceu? — Pansy perguntou — aquele era um Weasley?

— Era, Fred — a menina ao seu lado respondeu — ele é bem gato, surpreendente para a família que tem, ele e seu irmão são bem populares pela escola, uma pena que já estão de saída.

— Calem a boca — Draco reclamou — ninguém mandou vocês duas se meterem aqui.

— Tá estressado, Dray? — Pansy riu.

— Já mandei não me chamar assim, Parkinson — bradou saindo em direção a porta batendo os pés, não sabia exatamente o que iria fazer, mas não conseguiria controlar seus instintos de ir atrás daquele ruivo abusado.

   Draco saiu na varanda da festa e percebeu que o garoto estava em um cantinho escuro olhando a paisagem a frente, pegou sua varinha e seguiu em direção a ele. Fred percebeu a presença do garoto e riu ao vê-lo se aproximar com a varinha em punho.

— O que é isso, Malfoy? Vai me amaldiçoar com a sua varinha? — riu.

— Você não me chamou aqui para ver do que eu sou capaz? Ficou com medo de repente? — zombou. Bem típico... — Fred não respondeu, pegou sua varinha em um movimento rápido e lançou a do outro longe, enquanto o loiro olhava surpreso, ele se aproximou guardando a varinha.

— Não te chamei aqui para duelar comigo — o ruivo avançava em direção ao outro que recuava vários passos conforme ele se aproximava, parando apenas quando bateu as costas na parede e o ruivo parou em sua frente o impedindo de sair.

— Além de bruxos falidos vocês tem um parafuso a menos também? O que você pensa que está fazendo? — Draco protestou, mas havia uma inquietação dentro dele que não sabia o que significava ou como controlar as sensações estranhas que estava sentindo. Cada vez que o garoto a sua frente sorria a inquietação aumentava e invadia seu corpo como uma febre estranha. O loiro olhava atentamente o mais velho se aproximar e parar muito perto dele, a pouca luz da lua circulava seu rosto em meio aquele lugar escuro e ele recriminou os pensamentos que se formavam em sua cabeça naquele momento. O garoto era realmente bonito como as meninas falaram, nunca tinha reparado nisso, afinal, por que ficaria reparando em um Weasley?

   Fred percebeu que o garoto hesitara e que o olhava de um jeito diferente, ele sabia bem o que significava aquilo, a satisfação tomou conta de si.

— Você é fácil de ler, Malfoy — Fred aproximou mais seu corpo do outro o deixando cada vez mais encurralado na parede — toda essa sua curiosidade disfarçada com insultos — colocou uma mão de um lado do corpo do garoto e a outra na cintura do outro lado — é como um mapa para mim, e eu sei muito bem aonde eu quero chegar — sorriu maliciosamente aproximando mais seu rosto do outro — já desvendei mapas mais difíceis — sussurrou fazendo o loiro estremecer.

  Draco sentia sua respiração ficar irregular e seu corpo arrepiar com a pouca distância entre ele e o ruivo, tentava pensar rápido no que estava acontecendo, queria reagir, mas não conseguia fazer nada, não se mexia. Seus olhos estavam fixos nos lábios finos e desenhados do garoto, uma parte sua estava se xingando mentalmente por não enfeitiçar aquele ruivo abusado, outra parte estava inquieta com a expectativa do que aconteceria, ele já não sabia mais o que queria ou o que estava pensando, mas tinha certeza que aquele não era um Weasley qualquer, ele tinha conseguido impressioná-lo.

— O que você quer de mim, Weasley?

— Fred... — corrigiu — pode me chamar de Fred.

— Não quero te chamar de nada — o loiro pareceu reagir, sair do transe inicial — sai da minha frente, não sei o que você quer com isso, mas eu cansei — tentou parecer firme, mas até sua voz saía um pouco trêmula, o ruivo riu.

— Acho que nem você está acreditando nisso.

— A gente nunca nem se falou, quem você acha que é pra saber tanto sobre mim?

— Você tem razão, nunca nos falamos, uma pena — sorriu — mas, você está crescidinho agora e eu já vou sair de Hogwarts, não queria ir sem fazer uma coisa... E além do mais, você está me mandando sair, mas não vi você fazendo nenhum esforço para se mover.

— Do que você está falando?

— Acho que você sabe... — o mais velho se aproximou mais do outro, suas respirações se misturando, seus corpos quase se encostando — por que você não deixa de lado essa marra de odiador do mundo e essa coisa de “eu sou uma Malfoy e você um Weasley” e não deixa sua vontade falar mais alto? — seus lábios agora estavam quase grudados, seus olhares se cruzando — você pode sair se quiser, mas eu gostaria que você ficasse — sussurrou antes de colar seus lábios devagar, o corpo de Draco estremeceu levemente, o maior sentiu o toque macio dos lábios do outro e acariciou sua cintura, sua outra mão que estava ao lado do corpo do garoto, o circulou em um movimento rápido quando percebeu que ele não iria fugir e intensificou o beijo mordiscando de leve os lábios do menor, sua língua pedindo passagem. A princípio Malfoy permaneceu imóvel, mas logo cedeu se entregando às sensações desconhecidas.

   Draco sentia cada parte do seu corpo reagir ao ruivo, o beijo que começou lento agora estava mais intenso. O mais novo levou uma de suas mãos a nuca do garoto e por vezes puxava o cabelo do ruivo e mordia seus lábios, a outra mão se desprendeu de sua consciência e pudores, agora circulavam livremente pelo corpo do mais velho, que estava surpreso e adorando cada toque.

   Fred empurrou levemente seu quadril contra o quadril do garoto fazendo com que ele soltasse um ofego entre o beijo, em pouco tempo os dois já estavam descabelados e desalinhados. Suas mentes se esqueceram completamente da possibilidade de alguém aparecer ali. Draco só conseguia pensar como era bom o beijo do ruivo e seus toques experientes, nenhuma paixonite ou pegação que tivera nos corredores de Hogwarts se comparava com aquilo. Os dois tinham um química absurda, e nessa altura, pensar que odiava a família do outro e o quanto aquilo seria um escândalo se alguém soubesse só o deixava mais excitado.

  O ruivo se permitiu apertar algumas vezes a bunda redonda que tinha passado algum tempo admirando, seus lábios percorriam o pescoço do outro deixando marcas de mordidas na pele muito branca. Não tinha percebido, até aquele momento, o quanto desejava o garoto, seus toques eram cada vez mais ansiosos e necessitados, e a cada gemido que Draco tentava controlar fazia o corpo do mais velho se arrepiar por inteiro. Nunca imaginou que aquele garoto mais novo e arrogante pudesse lhe causar tudo aquilo.

  De longe estavam Harry e George, tinham acabado de chegar na varanda para ver o que tinha acontecido e permaneciam boquiabertos na entrada do local, definitivamente Fred tinha ganhado aquela aposta, e o irmão percebeu, que mais do que aquilo, o gêmeo estava realmente envolvido. Os dois saíram tentando não fazer barulho, mas o casal estava tão entregue um ao outro que talvez não tivessem percebido a presença nem se eles batessem a porta ao sair.

  No fim da noite os dois estavam marcados, amassados, descabelados e com o rosto muito vermelho. Fred ria da situação só de pensar que teria que passar pelo meio da festa naquele estado para sair dali. Draco estava visivelmente constrangido com a ideia, mas nem se quisesse conseguiria parecer arrependido, na verdade, depois de experimentar aquilo tudo, não conseguia parar de pensar se teria de novo.

— Eu vou primeiro, a festa deve estar quase acabando, as pessoas já estão bêbadas e dispersas — falou ajeitando carinhosamente a roupa desalinhada do loiro — depois de um tempo você vai, não se preocupe, ninguém estará sóbrio o suficiente para desconfiar — sorriu e depositou um beijo na bochecha que pegou o canto da boca do outro — eu ainda espero poder repetir isso outra vez — sussurrou ao ouvido e percebeu a pele branca se arrepiar em resposta — boa noite — sorriu deixando Draco realmente abalado no local.

   A mente do loiro estava a mil, mas seu corpo abrigava várias sensações diferentes que o distraiam rápido de qualquer pensamento racional. Fred passou por George e Harry que o olhavam espantados, apenas sorriu para eles.

— Já sabe o que fazer, maninho, não passe de hoje — sorriu marotamente deixando o local e indo em direção ao dormitório.

— Ele está falando da aposta? — Harry perguntou.

— Sim... — George respondeu sem graça.

— Quem você terá que beijar? — o garoto respondeu se sentindo inquieto com aquilo. O ruivo não respondeu, o olhou sem graça e andou em direção a saída da festa. Harry foi atrás alcançando o ruivo no caminho para o dormitório.

— Hey, George, espera... Pode me contar quem é, eu posso te ajudar, falo para o Fred que você realmente beijou, ele vai acreditar, não estava aqui para ver mesmo.

— Não acho que seja tão simples — riu sem graça parando no meio do corredor.

— Não é justa essa aposta — Harry riu — afinal ele ficou com alguém que realmente queria, não pode te obrigar a beijar qualquer um.

— Ele não tá me obrigando a beijar qualquer um, está me fazendo ter coragem de enfim beijar alguém que ele sabe que eu queria.

— hum... — Harry mordeu o lado interno da bochecha pensativo — então por que você não faz?

— Não é simples assim, eu não sei se ele quer, provavelmente não vai reagir bem...

— Ah, para com isso, vocês dois são super populares na escola, duvido que alguém vá reagir tão mal assim com uma investida sua — falou naturalmente, sem pensar muito — e você só vai saber se tentar também — deu de ombros. George suspirou pensativo e se aproximou alguns passos do moreno.

— Talvez você tenha razão, só vou saber se tentar... — falou tentando controlar suas pernas que estavam tremendo tanto que parecia que iam ceder — boa noite, Harry — se aproximou do garoto para uma despedida, mas surpreendeu a amigo ao colar seus lábios. Ficou alguns segundos imóvel esperando que o outro reclamasse ou se afastasse, mas não aconteceu, se afastou lentamente e viu o garoto surpreso, mas nada irritado, ao contrário disso, ele sorria de forma doce.

— Boa noite, George — respondeu com um sorriso carinhoso nos lábios e o ruivo sentiu seu coração quase pular para fora do peito. Desejou aquilo por muito tempo, gostaria de puxar o amigo para perto e beijá-lo de novo, mas achou que seria muito por uma noite, resolveu apenas se afastar enquanto suas pernas ainda obedeciam seu comando. Harry ficou parado no corredor, pensando no que tinha acabado de acontecer, não esperava por aquilo, mas agora que tinha acontecido parecia certo e iria garantir que se repetisse.

   Permaneceu parado com um sorriso bobo nos lábios por um tempo até despertar do seu transe vendo Malfoy sair da festa e seguir pelo mesmo corredor com uma expressão igualmente encantada. Os dois se olharam meio constrangidos, mas nada foi dito, afinal por um breve momento eles partilhavam do mesmo sentimento. O loiro apenas seguiu seu caminho para as masmorras e Harry esperou alguns segundos para também seguir para o seu dormitório.

   Havia sido uma grande noite para os quatro, uma noite que eles, com certeza, se recordariam para sempre.


Fim.

29. März 2018 01:20:13 4 Bericht Einbetten 4
Das Ende

Über den Autor

Kommentiere etwas

Post!
Alice Alamo Alice Alamo
Oii! Alguém gostou tanto de crack que fez três fics sendo duas do mesmo crack e tendo dois cracks numa das fics? hahahahha. Apostas combinam bastante com os gêmeos, admito, e achei bacana como você desenvolveu isso de modo que o Fred se aproximasse do Draco. E eu amo o Draco! Eu já disse isso? Não, sim? Não importa, eu preciso repetir o quanto eu amo o Draco, meu deus. Tem alguns errinhos de digitação na fic, mas nada que comprometa o entendimento. A fic é gostosa de ler, é rápida e foi desenvolvida de maneira bem coerente e leve. Parabéns! <3
3. April 2018 15:24:02

  • Paola Britto Paola Britto
    Heeey, obrigada pelo comentário *---* realmente gostei muito do desafio, e olha que foi difícil desenvolver tudo no celular já que estava ainda sem computador kkkkkkkkkkk mas eu gostei de escrever sobre esses shipps então valeu a pena <3 Agora que, enfim, estou com o computador de volta vou revistar tudo! E também amo o Draco hauahuahua <3 Obrigadaa! 8. April 2018 19:52:26
Kaline Bogard Kaline Bogard
Caraca!! Não sou muito fã dos Weasley, mas apesar disso shippo os gemeos! Fiquei curiosa para ver o que aconteceria aqui. Realmente o Fred tem esse jeito mais ousado que o George, se alguem ia chegar chegando, esse alguem é ele! E o Malfoy tenta manter a pose, mas no fundo se entrega. Com a classe Malfoy, admito! Aaaa adoro ele!! Essa festa rendeu, como seria de se esperar de uma festa dos gemeos (e eles divulgando as invenções? berrei sim ou com certeza?). ficou um recorte bem divertido. Acho que reproduziu bem as personalidades, vou considerar HarryGeorge outro crackship xDDD Tem alguns errinhos de digitação, nada que uma revisão não resolva! Parabens por cumprir o desafio ♥
2. April 2018 08:13:23

  • Paola Britto Paola Britto
    Ahhh muito obrigada *-* que bom que gostou! Eu adoro os gêmeos e as invenções deles kkkkkkkkk Não resisti e coloquei Harry com George também xD que bom que ficou divertido. Vou fazer uma revisão no texto ^^ Obrigada por pontuar. E obrigada pelo comentário ❤️ 3. April 2018 08:44:04
~